Home / Animais / Lista de Espécies de Rinocerontes Já Extintos no Mundo

Lista de Espécies de Rinocerontes Já Extintos no Mundo

Os rinocerontes são animais extremamente grandes e conhecidos principalmente por esse motivo. Apesar de serem muito famosos ainda nos dias atuais, a verdade é que esse animal é um dos que mais sofrem com as graves consequências da irresponsabilidade humana com relação à fauna da natureza.

Isso porque a lista de rinocerontes que já foram extintos e que estão ameaçados de extinção atualmente é extremamente grande, o que preocupa principalmente as pessoas que estudam mais profundamente sobre a diversidade de espécies presentes em um ecossistema.

Apesar do cenário devastador, a maioria das pessoas não têm conhecimento sobre esse assunto e a extinção do animal acaba sendo deixada de lado por muitos, principalmente por conta dessa falta de informação.

Por esse motivo, neste artigo falaremos mais sobre a extinção do rinoceronte, e de maneira detalhada falaremos mais sobre algumas das espécies do animal que já foram extintas na natureza.

Rinoceronte-Lanudo (Coelodonta Antiquitatis)

O rinoceronte lanudo, conhecimento cientificamente como Coelodonta antiquitatis, fazia parte da família de rinocerontes ainda viventes nos dias de hoje; porém, ele viva em áreas glaciais, o que fazia com que sua pelagem fosse parecida com um casaco de lã (por isso ele leva esse nome), sendo extremamente grossa e resistente às temperaturas extremas do local onde vivia.

Esse animal era extremamente grande, podendo chegar a medir 4 metros de comprimento e pesar até mesmo 3 toneladas. Apesar de seu extremo peso, essa espécie de rinoceronte se alimentava na maior parte das vezes apenas de gramas e musgos, já que seus hábitos alimentares são herbívoros.

Rinoceronte-Lanudo
Rinoceronte-Lanudo

Além do grande peso e tamanho, o rinoceronte lanudo possuía também um chifre, muito utilizado na hora da alimentação para cavar a neve e conseguir achar a grama e o musgo para comer, o que com certeza era uma diferença adaptativa.

Por fim, podemos dizer que por ter vivido na era glacial o rinoceronte lanudo viveu junto com diversos outros animais pré-históricos, como mamutes, ursos e felinos de grande porte; todos esses eram animais que também disputavam alimento com essa espécie de rinoceronte.

Acredita-se que a extinção desse rinoceronte aconteceu por causas naturais com a passagem das eras, já que seu grande tamanho fazia com que ele quase não tivesse predadores naturais no meio ambiente.

Rinoceronte Negro Do Oeste Africano (Diceros Bicornis)

Rinoceronte Negro
Rinoceronte Negro

Também conhecido cientificamente como Diceros bicornis, o rinoceronte negro do oeste africano, obviamente tem suas origens no continente Africano, mais especificamente nos países da porção oeste do mesmo; sendo considerado uma subespécie do rinoceronte negro.

Diferentemente do rinoceronte lanudo, essa espécie não foi extinta há milhares de anos, mas sim há menos de uma década (o registro de morte do último animal vivo foi feito no ano de 2011), ou seja, há apenas 8 anos.

O chifre e a pele do rinoceronte são elementos muito atrativos para o comércio de elementos animais, e por esse motivo essa espécie era extremamente caçada para a venda de partes do seu corpo (como dissemos, especialmente o chifre e a pele); por esse motivo, podemos dizer que a causa da extinção do rinoceronte negro do oeste africano foi a caça predatória sem limites.

Rinoceronte De Chifre Grande (Elasmotherium Sibiricum)

Rinoceronte De Chifre Grande
Rinoceronte De Chifre Grande

Essa espécie é conhecida cientificamente como (Elasmotherium sibiricum), mas também pode ser conhecida popularmente por diversos outros nomes, como por exemplo unicórnio siberiano em algumas regiões.

Assim como as outras espécies de rinoceronte, essa espécie era muito grande e imponente, podendo ter chegado a medir até 6 metros de comprido e 2 de altura, e pesar até mesmo 4 toneladas, o equivalente a 4.000 quilos. O mais supreendente em sua estrutura física era o chifre do animal, que poderia chegar a medir cerca de 2 metros.

Esse também era um animal que viveu junto com os mamutes, provavelmente durante o período histórico conhecido como Pleistoceno, durante a era Cenozoica, vivendo principalmente em diversos países nos continentes da Ásia e da Europa.

Por fim, a lenda diz que esse animal viveu tempo o suficiente para ser citado em contos russos e criar o mito do unicórnio ao redor do mundo: por conta de seu chifre e relatos históricos, acredita-se que o unicórnio seria o rinoceronte de chifre grande após passar por uma folclorização do povo.

A Extinção Do Rinoceronte

Como pudemos perceber, a extinção do rinoceronte está dividida em duas causas: as naturais e as não naturais. Por isso, vamos analisar as duas de maneira separada.

  • Causas naturais

Como ficou claro, as causas naturais para a extinção do rinoceronte seriam elementos como a passagem do tempo e a cadeia alimentar. Assim como ocorreu com a espécie do rinoceronte lanudo, diversas espécies acabaram sendo extintas por conta da seleção natural que ocorre com o passar das eras, o que faz com que o ser humano não tenha nenhuma influência no processo, mas que a extinção seja apenas uma simples causa natural, como sempre deveria ocorrer.

  • Causas não naturais

As causas não naturais são as mais comuns nos dias de hoje. Como já dissemos, o chifre do rinoceronte é muito cobiçado em todo o mercado animal ao redor do mundo, e isso faz com que a caça predatória a esse animal seja extremamente comum. Assim como é o caso da extinção do rinoceronte negro do oeste africano, muitas outras espécies já foram extintas (e ainda serão) por meio das mãos dos seres humanos, que caçam sem ter consciência de seus atos.

Rinoceronte Com o Chifre Arrancado
Rinoceronte Com o Chifre Arrancado

O ato de cortar o chifre do rinoceronte é tão comum que alguns zoológicos acabam tirando o chifre antes de acomodar o animal, para que ele não sofra a perseguição ilegal de caçadores no ambiente.

Atualmente, o cenário dos rinocerontes é triste. Isso porque de todas as espécies e subespécies que passaram na terra, apenas cinco espécies de rinocerontes continuam existindo, e a maioria delas (4 entre 5) encontra-se ameaçada de extinção. É por esse motivo que devemos sempre estudar os animais, para darmos maior visibilidade a sua situação no meio ambiente.

Quer saber um pouco mais de informações interessantes sobre os rinocerontes e não sabe onde encontrar? Não se preocupe! Você pode ler também em nosso site: Rinoceronte Indiano – O que Comem? Do que se Alimentam?

Veja também

Quais os Sintomas de Piometra em Cachorros? Como Tratar?

Apesar do nome diferente, infelizmente, trata-se de um problema grave, mas muito comum em cadelas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *