Home / Animais / Lista De Espécies De Esquilos: Tipos Com Nome E Fotos

Lista De Espécies De Esquilos: Tipos Com Nome E Fotos

Os esquilos são animais encantadores, que conquistaram os seres humanos pela sua simpatia. Eles ganharam as telas de cinema e estrelaram diversos filmes que se tornaram marco de gerações.

Afinal, qual é a criança que não se diverte com as estripulias de Tico e Teco, os irmãos esquilos criados por Walt Disney, ou Alvim e os Esquilos, outro filme que ganhou notoriedade entre o público infantil? Sem contar ainda o desastrado Scrat, que brilhou na série “Era do Gelo” enquanto corria atrás de sua noz.

O encantamento é altamente justificável: se trata de animais bonitos, interessantes, carismáticos e que com certeza merecem ser estudados e pesquisados com atenção.

Muito além e animais fantásticos capazes de ajudar as princesas nas tarefas domésticas, os esquilos são roedores que cumprem importantes papeis na natureza. Para começar a entender isso vamos conhecer mais sobre esse animal, sua variedade, habilidades e gostos.

Estrutura Física Do Esquilo

Uma das características mais fascinantes dos esquilos, e que faz desse roedor um sucesso entre as pessoas é a sua bela cauda. Diferentemente do que acontece com os ratos, os esquilos possuem um rabo felpudo e muito elegante, que deixa o animal ainda mais bonito e fofo.

Mas, o rabo não é apenas um adorno estético, embora seja inegavelmente belo. Como sempre, se trata de uma parte essencial para o esquilo, pois ajuda a causar equilíbrio, permitindo que esse animal caminhe com facilidade em muros, telhados, árvores etc.

Por conta de sua cauda exuberante e vistosa que os esquilos conseguem saltar com facilidade de um espaço para o outro, também, usando essa parte do corpo como equilíbrio e “guia” nesse perigoso trajeto.

A pelagem volumosa chama a atenção, fazendo com que o rabo pareça uma espécie de casaco, o que também serve para aquecer os animais durante as estações es de frio extremo. Uma curiosidade interessante é que ela (a cauda) pode chegar ao mesmo tamanho de seu corpo, fazendo com que o animal dobre no quesito extensão.

Quando o esquilo corre, a causa parece se “esticar” para traz. Ela também contribui, portanto, para que o animal ganhe velocidade. Você já deve ter percebido como eles parecem ser muito rápidos! A cauda tem papel crucial nisso!

O tamanho desse animal pode variar bastante! Existem espécies de 10 e de 90 centímetros. Eles sempre possuem pelos – também com variedade de cores – e usam 4 patas para se movimentar.

No entanto, as duas patas dianteiras cumprem um papel importante de “mãos” e são usadas tanto para andar quanto para pegar coisas. As mãos possuem 4 dedos e as patas traseiras possuem 5. As quatro são muito fortes, e permitem que o animal cave e arranhe o solo em busca de alimentos.

Dentes:

Por se tratar de um roedor os esquilos possuem dentes muito potentes, sendo que dois deles são mais proeminentes, e estão posicionados logo a frente. Eles precisam de manutenção para não crescerem desenfreadamente!

Os dentes podem ser tão resistentes e fortes que permitem que os animais não somente destruam a casca de nozes e outros alimentos como também roam fios elétricos – o que faz com que os esquilos sejam bem indesejáveis em algumas regiões.

Dentes do Esquilo
Dentes do Esquilo

Conheça Os Esquilos Arborícolas

Os esquilos são pertencentes a família científica conhecida como Sciudidae e da ordem Rodentia, onde também se encontram os castores, ratos e demais roedores que já conhecemos com um pouco mais de familiaridade.

O nome científico é Sciurus vulgaris, e eles costumam ser ágeis e muito bonitinhos – o que nem de longe significa que você pode simplesmente ter um esquilo qualquer como animal de estimação.

O que nem todo mundo sabe é que existe uma certa variedade de espécies. Eles se diferem em tamanho, cor, hábitos e muitos outros aspectos. Vamos conhecer um pouco mais?

Eles são classificados em três grupos diferentes: arborícolas, voadores e terrestres.
Os esquilos arborícolas também são conhecidos como “Esquilo Florestal”. Eles são justamente o mais próximo do que criamos a respeito desses animais em nosso imaginário.

São roedores pequenos que vivem em locais arborizados – como parques e florestas – e que possuem essencialmente hábitos diurnos.

Esquilos Arborícolas na Árvore
Esquilos Arborícolas na Árvore

Eles também caminham pelo solo em busca de alimentos, mas passam grande parte de seus dias em locais altos, sobre grandes arvores. São animais muito ágeis, de excelentes reflexos – capturar um desses pode ser bastante trabalhoso!

Quatro Esquilos Arborícolas Que Vão Lhe Impressionar!

Dentre os principais podemos citar esquilo-vermelho-euroasiático (Sciurus vulgaris), o esquilo-cinzento-americano (Sciurus carolinensis), o esquilo-peruano (Sciurus igniventris), o esquilo-tricolor (Callosciurus prevostii).

O grupo animal em que os esquilos estão inseridos reúne mais de 250 espécies. Os arborícolas são aqueles aos quais estamos mais adaptados, que são animais que normalmente vivem na vegetação, preferindo árvores e gramados.

Uma das características mais comuns é que são mais adaptáveis ao dia, possuindo pouquíssimos sentidos aguçados durante a noite. Por isso é mais comum ver esses animais enquanto o sol ainda está no céu.

Eles passam grande parte de seu dia em cima das árvores, e fazem estoque de comida. Para isso, abrem buracos nos troncos, onde usam como dispensa, armazenando comida para os dias – principalmente no inverno.

Esquilo-Vermelho-Euroasiático:

Também conhecido apenas como esquilo-vermelho, esse animal pode chegar a 23 centímetros de comprimento de corpo mais 20 centímetros apenas de cauda.

A sua coloração pode variar de preto até um castanho avermelhado, passando por diversas tonalidades entre esses extremos. Já na barriga a cor é um pouco mais clara, ficando entre um branco e um creme.

Uma característica específica desse animal é que durante a sua troca de pelo, o que acontece duas vezes ao ano, ele acumula tufos de pelos nas orelhas. Existe em grande quantidade na Grã-Bretanha.

Esquilo-Vermelho-Euroasiático
Esquilo-Vermelho-Euroasiático

Esquilo-Cinzento-Americano:

Com o nome científico de Sciurus carolinensis), esse é o esquilo “clássico” que vemos na maioria dos filmes. É originário da américa do norte, e pode ser visto com frequência nas grandes cidades, como Nova York e Orlando.

Esse esquilo foi introduzido na Europa, e a sua presença dominante prejudica a sobrevivência das espécies nativas. Isso pode ser registrado tanto na Inglaterra quanto na Itália.

O seu pelo, como o próprio nome sugere, é acinzentado. Existem ocorrências raras do animal albino ou completamente preto. Alguns possuem tons avermelhados também.

Esquilo-Cinzento-Americano
Esquilo-Cinzento-Americano

Esquilo Peruano:

Engana-se quem pensa que não existem esquilos na América do Sul. o Esquilo Peruano (Sciurus igniventris) é o representante desses roedores nessa região do planeta.

É um arborícola que pode ser visto caminhando no solo com frequência. Esse animal possui uma pelagem mais escura do que os demais, sendo o corpo de um castanho bem fechado. Já a cauda adquire uma coloração preta conforme o esquilo envelhece.

Esquilo Peruano
Esquilo Peruano

Esquilo-Tricolor:

Esse esquilo é normalmente encontrado no sudeste asiático. É um grupo composto por aproximadamente 15 espécies diferentes, e os animais são muito bonitos e bem diferentes dos esquilos americanos.

Como o próprio nome sugere, o esquilo tricolor é percebido por possuir uma pelagem que possui mais de uma coloração. É comum, por exemplo, que sejam brancos e pretos, com as costas escuras e faixas claras nas laterais do dorso. As patas podem adotar uma tonalidade avermelhada, completando assim as três cores.

O mais comum é que esses animal seja visto sozinho, já que não possui o hábito de andar em bando. O esquilo tricolor ocorre principalmente no sudeste asiático.

Esquilo-Tricolor
Esquilo-Tricolor

Conheça Os Esquilos Voadores

A ideia de ver um esquilo voando pode parecer bem absurda, mas é absolutamente possível de acontecer! Esses animais não possuem asas, no entanto.

Eles também são arborícolas, no entanto possuem uma característica muito particular, que é essa membrana que une as patas dianteiras e as patas traseiras. Quando o animal estende todas as patas, parece que está usando uma espécie de capa, como se fosse uma asa mesmo.

Isso permite que o esquilo plane entre um espaço e outro, técnica amplamente utilizada por eles para migrar de uma árvore para a outra com agilidade e segurança.

Existem mais de 40 espécies de esquilos que podem “voar”. Eles também são arborícolas, pois passam grande parte de seus dias em árvores. No entanto, graças a essa peculiaridade de possuir membranas que permitem planar foram divididos em um subgrupo. Vamos conhecer alguns desses esquilos?

Esquilo Voador do Sul (Glaucomys volans):

Glaucomys Volans
Glaucomys Volans

Esse esquilo existe na América do Norte, e possui hábitos noturnos. Embora passe grande parte do seu tempo em cima de árvores, usando as membranas para saltar entre uma e outra, é comum também encontrá-lo no solo.

Os seus olhos são grandes e arredondados, o que permite que tenha uma boa visão durante a noite. Na parte de cima possuem pelo marrom muito parecido com o do esquilo vermelho.

A barriga e a parte interna do patágio – a membrana que une as patas dianteiras e traseiras – é clara, podendo adquirir uma coloração branca ou bege.

A sua alimentação é composta por frutas que eles pegam de locais altos ou quando essas caem dos galhos e vão parar no solo.

Esquilo Voador Noturno (Biswamoyopterus biswasi):

Biswamoyopterus Biswasi
Biswamoyopterus Biswasi

Originário da Índia, esse animal hoje está na lista daqueles que correm sérios riscos de extinção absoluta. Isso ocorre porque seu habitat tem sido amplamente destruído pelo ser humano, o que compromete a sua sobrevivência.

Essa espécie é a única do gênero Biswamoyopterus e tem preferência por permanecer no alto, sendo muito difícil encontrar esse esquilo em situação forrageira. O motivo principal é que esse esquilo voador se sente mais seguro nas alturas, onde consegue se proteger contra seus predadores.

Esquilo Voador de Pés Peludos (Belomys pearsonii):

Belomys Pearsonii
Belomys Pearsonii

Ele pode ser encontrado no sudeste asiático, em locais muito afastado – como as montanhas do Himalaia. Também existem ocorrências na China e no Taiwan, mas somente em locais muito isolados com altitude média de 8 mil pés acima do nível do mar.

O seu nome diz respeito a uma característica muito particular: esses animais possuem as patas muito peludas, com pelos que cobrem até mesmo as garras. Isso ajuda na sua proteção contra o frio severo que pode fazer no topo das montanhas onde vivem.

Esquilo Voador Preto (tephromelas Aeromys):

Tephromelas Aeromys
Tephromelas Aeromys

Mais um originário da Ásia, esse esquilo pode ser visto principalmente em locais como Indonésia, Brunei e Malásia. Felizmente é um animal que não está ameaçado de extinção, mas isso graças a sua grande capacidade de adaptação a novos ambientes.

Como podemos notar através do nome, se trata de um esquilo de coloração escura, com pelagem densa e preta.

Esquilo Voador De Bochecha Vermelha (Hylopetes spadiceus):

Hylopetes Spadiceus
Hylopetes Spadiceus

Países como Indonésia, Malásia, Mianmar, Cingapura, Tailândia e Vietnã são locais onde normalmente essa espécie aparece. Apesar de seu nome curioso, as bochechas não são exatamente avermelhadas, mas sim possuem uma tonalidade mais escura de marrom.

Existem Esquilos Voadores No Brasil?

Os esquilos voadores podem ser encontrados em alguns países da Europa, mas são predominantemente asiáticos. Das 43 espécies identificadas e devidamente catalogadas, 40 estão no continente oriental.

No Brasil não existem ocorrências desses animais. Apesar disso, muita gente já ouviu falar dos esquilos voadores, pois, eles devido ao seu meio de locomoção curioso eles acabam chamando a atenção e despertando a curiosidade de muitas pessoas.

A preferência pelos países asiáticos possui uma explicação. Segundo estudos, esses animais optam por viver em florestas mais isoladas, onde conseguem se proteger de seus predadores.

De fato, países como China, Laos e Índia possuem vegetações densas e pouco exploradas, o que facilita a sobrevivência das espécies voadoras.

Também é na floresta que eles encontram abrigo para lidar com os mais diversos climas e temperaturas. Então, mesmo no inverno severo ou no calor escaldante os esquilos voadores conseguem se proteger quando estão em meio a vegetação.

Quais São os Esquilos Terrestres?

Já falamos sobre os animais que preferem as árvores e aqueles que usam as suas membranas que unem as patas dianteiras e traseiras para planar, imitando uma espécie de voo. Agora vamos conhecer um pouco sobre os esquilos terrestres.

Esses esquilos são especialistas em cavar buracos no solo, onde costumam montar os seus ninhos e dar suas crias.
Para isso utilizam as patas dianteiras, que são grandes e fortes, com garras proeminentes que facilitam o processo de escavação. As orelhas também são bem pequenas, o que permite que o esquilo terrestre se movimente com maior facilidade nos tuneis que cria.

Eles são considerados extremamente inteligentes, os mais inteligentes dentre todos os esquilos, na verdade. Uma das evidências que leva a essa conclusão é o fato de que esses esquilos vivem em grupos, e os membros costumam ter papeis muito bem definidos dentro do bando.

Cão da Pradaria (Cinomys):

Cinomys
Cinomys

Esse grupo engloba cinco diferentes espécies de esquilos sendo que todas elas são encontradas apenas na América do Norte, em países como Estados Unidos e Canadá.

Sua cauda é bem curta se comparada a outros esquilos nos quais esse membro costuma ter o mesmo comprimento do corpo. O corpo de um cão da pradaria é extremamente robusto, e eles atingem até 40 centímetros de extensão.

Eles são exímios escavadores, e podem criar túneis com até 10 metros de profundidade. Um mesmo túnel costuma contar com diversas saídas, sendo que elas são pensadas estrategicamente para facilitar o acesso a alimentação, abrigo etc.

Esquilo-Terrestre-De-Richardson (Spermophilus richardsonii):

Spermophilus Richardsonii
Spermophilus Richardsonii

Outro americano terrestre, esse esquilo é encontrado em regiões como Alberta, Minnesota, Dakota e Montana.
Costuma hibernar em suas tocas, que chegam a 3 metros de profundidade. São animais de hábitos diurnos, e por isso é comum vê-los caçando comida durante o dia.

No entanto, são visitantes indesejáveis já que costumam destruir plantações e hortas a fim de formar os seus túneis. Os agricultores são uma grande ameaça para esses animais, pois têm o hábito de matá-los para proteger suas plantações.

Assim como acontece com outros roedores – como os castores – eles possuem grandes dentes frontais que são usados para roer, e precisam disso para evitar que cresçam desenfreadamente.

Esquilo-Da-Sibéria (Tamias sibiricus):

Tamias Sibiricus
Tamias Sibiricus

Se você gosta de animais a tendência é que se apaixone pelo Esquilo da Sibéria, também conhecido como Tâmia. Isso porque se trata de um dos animais mais encantadores e bonitinhos dentre todos os tipos de esquilos.

O seu nome diz tudo: ele vive em uma das regiões mais geladas do mundo, a Sibéria. Eles também podem ser vistos em algumas regiões da Ásia, em países que também possuem inverno intenso.

Apesar de pequeno ele pode cavar tocas de até 3 metros de profundidade. São animais diurnos, e passam grande parte de sua rotina em busca de alimentos – que deverão ser estocados para suportar o frio severo.

Essa é a espécie utilizada como referência por Walt Disney para criar seus famosos esquilos Tico e Teco. Possuem as costas listradas, com cores como marrom escuro e bege. São pequenos, ágeis e muito sociáveis.

Alimentação variada é fonte de energia desse animal!
Já comentamos um pouco a respeito da alimentação dos esquilos, mas é interessante analisar o quanto podem variar o cardápio. Esses roedores passam grande parte de seus dias buscando por alimentação.

A grande preferência deles é por plantas e frutas. É comum que os esquilos busquem por esses elementos tanto nos topos das árvores quanto no chão, quando despencam naturalmente.

Escondendo a Comida:

Esquilo se Alimentando
Esquilo se Alimentando

Se você já teve a oportunidade de observar um esquilo, já deve ter percebido que eles as vezes parecem cavar um buraquinho no chão, e em seguida tapam o espaço.

Isso acontecem quando os esquilos querem enterrar os alimentos – as nozes, por exemplo – garantindo uma boquinha para mais tarde. É impressionante, mas eles conseguem encontrar novamente aquilo que enterraram mesmo depois de andarem para bem longe.

Para fazer essa localização eles se valem de um olfato apuradíssimo, característica que facilita muito a vida desses animais.

Além das nozes, as castanhas e os cogumelos também são muito bem quistos pelos esquilos. Eles acabam contribuindo para a permanências de muitas frutas e plantas, já que enterram e acabam “plantando” algumas delas.

No entanto, em alguns casos esse hábito de cavar também contribui para que se tornem pragas, pois, acabam destruindo a plantação e as hortas de muitas pessoas.

Eles costumam encher a boca e comem rapidamente. É comum ver esquilos com as bochechas estufadas por conta da quantidade de alimentos que está mastigando ao mesmo tempo.

Esquilos São Vegetarianos?

Essencialmente eles se alimentam de ingredientes de origem vegetal, mas também não dispensam ovos de pássaros, o que faz com que sejam, na verdade, omnívoros.

Gestação E Nascimento dos Esquilos

Filhote de Esquilo
Filhote de Esquilo

As fêmeas entram no cio durante a primavera. Quando isso acontece, elas são disputadas por vários machos. É comum que essa disputa envolva cerca de 10 machos, todos eles interessados em procriar.

O processo de acasalamento acontece geralmente nas árvores, quando se trata e esquilos do tipo arborícolas. Os machos identificam as fêmeas que estão no cio por conta de um odor que elas exalam. Então passam a persegui-las pelos troncos.

Quando vários machos entram nessa disputa, eles tentam afugentar uns aos outros. Aquele que vencer a disputa e demonstrar ser mais forte e mais valente deverá ganhar a atenção da fêmea, conquistando assim o direito de acasalar.

Uma vez que o parceiro é escolhido, os animais entram em período de cruza, iniciando a fertilização. Para isso o esquilo macho monta na fêmea, introduzindo o pênis no órgão genital dela.

Quando prenha, a gestação deverá durar cerca de 6 semanas. O macho tende a se afastar, e nada tem a ver com o desenvolvimento do filhote, ou sequer participa de qualquer etapa de sua criação.

A cada gestação as fêmeas ganham de 2 a cinco filhotes. Ninhadas com quantidade superior a isso são muito raras! É comum que elas tenham duas gestações anuais.

Algumas espécies podem ter variação e tempo com relação ao período gestacional – para mais ou para menos. Algumas fêmeas passam 4 semanas grávidas enquanto outras chegam a 8 semanas.

Os filhotes nascem ainda muito pequenos, e são completamente dependentes da mãe. Eles não enxergam muito bem, e demoram algum tempo até estarem prontos para desbravarem o mundo completamente sozinhos.

Isso acontece por volta do 4° mês de vida, quando o filhote deixa o ninho de uma vez por todas, e a tendência é que nunca mais volte a ver os pais.

Esquilo De Estimação: Pode ou Não Pode Ter?

Esquilo Voador De Estimação
Esquilo Voador De Estimação

Ter um esquilo de estimação é uma opção interessante para quem quer um animal exótico, bonito e inteligente. Mas, é importantíssimo entender que esses animais também requerem cuidados especiais, e demandam de muitos cuidados.

Como você já sabe, os esquilos são roedores muito sociáveis, que convivem facilmente com os seres humanos. Eles também não são muito difíceis de serem alimentados, já que consomem frutas frescas e oleaginosas.

O primeiro cuidado fundamental para quem deseja ter um esquilo de estimação é obter esse animal de forma legalizada. Ou seja: nada de capturar um esquilo em seu ambiente natural ou nas ruas e levar para casa.

É claro que se isso for feito como meio de resgate, para tirar o animal de uma situação de risco ou ajudá-lo em caso de acidentes. No entanto, o mais indicado é acionar rapidamente um órgão responsável para retirar o animal do local.

Levar um esquilo selvagem para casa traz riscos ao animal e a você e sua família. Para começar, esses animais podem contrair e transmitir raiva, doença que pode pegar em seres humanos e outros animais.

Além disso, um esquilo selvagem, uma vez que é aprisionado, pode sofrer com muito estresse, e vir a falecer por conta dessa condição.

Então, Como Obter Um Esquilo?

Jamais compre o esquilo de criadores duvidosos, e muito menos pela internet. Você deve visitar o local, verificar as condições de manutenção e cuidados com os animais e principalmente checar se existe autorização do órgão responsável para o comércio de animal silvestre.

No Brasil a liberação para tal atividade é emitida pelo IBAMA. Sem essa licença, o criador está atuando de maneira ilegal, e cometendo um crime grave.

É importante compreender que quando você fortalece o comércio ilegal de animais silvestres está financiando diretamente o tráfico, os maus-tratos e a devastação da fauna brasileira. Ainda que suas intenções sejam as melhores, você está financiando uma prática terrível.

Também é fundamental conhecer espécies que são domesticáveis, já que algumas delas simplesmente não devem servir ao papel de pet! É justamente o caso do esquilo australiano e do esquilo voador, que são dois tipos que definitivamente não devem ser domesticados.

Conheça O Esquilo Da Mongólia – O Esquilo Perfeito Para Ser Domesticado!

O esquilo da Mongólia se tornou muito popular nos Estados Unidos, e pode ser uma boa escolha para quem quer ter um desses animaizinhos como estimação. No Brasil ele tem se tornado cada vez mais popular também!

Talvez você já tenha ouvido falar nele sob o nome de Gerbil. Eles medem cerca de 25 centímetros em idade adulta, sendo metade disso só a cauda. São originários da Ásia, e possuem um comportamento dócil e amigável, sendo altamente adaptável ao convívio com seres humanos.

Gerbil
Gerbil

Uma das maiores vantagens de ter um gerbil é que eles não produzem odor forte, e são muito simples de serem criados. No entanto, é preciso ter atenção redobrada caso você tenha outros animais de estimação, pois a maioria deles compõem o grupo de predadores para o gerbil.

Criar um gerbil pode ser uma novidade até mesmo para quem já está habituado a outros roedores, como os hamsters, pois eles são bem diferentes desses.

É um animal que alterna hábitos noturnos e diurnos. Então se prepare para ouvir o seu gerbil se movimentando durante a noite – caso você seja uma pessoa de sono leve, isso pode ser um problema.

Vai Roer Tudo:

Assim com outras espécies de esquilos e roedores em geral, os dentes da frente do gerbil cresce por toda a sua vida. A manutenção se faz necessária, e acontece através do ato de roer coisas.

Por isso, caso você não ofereça ao seu animal brinquedos e alimentos que ajudem a gastar os dentes, ele fará isso por conta própria, roendo os moveis e as coisas que você tem em casa.

Por fim, mas não menos importante, ele jamais deve ser misturado com outros animais, mesmo com roedores. É uma espécie que apenas aceita exemplares de seu mesmo tipo.

Qual É O Maior Esquilo Do Mundo?

Uma coisa que você deve ter percebido que existe uma certa variação de tamanho de uma espécie para a outra, mas nada muito expoente ou grave. Fato é que existem, sim, esquilos que fogem bastante a regra, e são bem grandes.

Esse é justamente o caso do Ratufa Indica, também conhecido como “Esquilo Gigante da Índia”. Esse é um animal muito grande e que também possui cores completamente diferentes daquelas que vimos em todos os outros esquilos.

Ratufa Indica
Ratufa Indica

Natural da Índia, como o próprio nome sugere, ele possui 40 centímetros de corpo e mais 60 centímetros somente de cauda! Somente aí já temos uma extensão bem superior aos demais esquilos.

Se trata de uma espécie essencialmente arborícola, e raramente são vistos no chão. Além disso os Esquilos Gigantes da Índia também são extremamente ágeis e conseguem se esconder rapidamente ao primeiro sinal de presença humana – com isso, avistar um se torna uma missão quase impossível!

A sua cor é belíssima. Na parte de cima do corpo ele tem um pelo mais escuro, variando de vermelho a preto. Na parte de baixo tem uma cor mais clara, um marrom. As mesmas tonalidades se repetem nas orelhas e na cauda. Infelizmente se trata de um animal que está severamente ameaçado de extinção.

E o Menor?

Em contrapartida, apresentamos o Esquilo Pigmeu Africano como sendo o menor de que se tem conhecimento. Ele é tão pequenino que o seu tamanho máximo chega a 13 centímetros.

Os Esquilos em Nova York

Esquilos em Nova York
Esquilos em Nova York

A cidade americana que mais recebe visitantes de todo o mundo é também a cidade que mais possui esquilos nos Estados Unidos. Nova York não é somente o ponto preferidos dos investidores, mas também desses inusitados roedores.

Um rápido passeio pela Big Apple pode lhe trazer gratas surpresas, e encontros interessantes com esses animais. Nesse caso eles se mostram absolutamente adaptados a presença humana, e dividem o espaço urbano de igual para igual.

O grande problema é que esses animais não recebem qualquer tipo de cuidado, e por isso podem ser hospedeiros de diferentes doenças. Como Nova York também é residência oficial e milhares de ratos, é inegável que os esquilos ali podem trazer alguns riscos.

No entanto, a cidade americana parece conviver bem com esses animais. No Central Park, a grande área verde da cidade, eles correm livremente por todos os lados. Uma pesquisa chamada The Squirrel Census foi criada para contabilizar o número de animais.

Fato é que em cidades como essa não existem predadores para s esquilos, o que acaba facilitando o crescimento populacional do animal. As autoridades americanas vivem em constante alerta para não permitir que esses animais se tornem uma praga local, como aconteceu com os ratos.

Descubra Quem São Os Maiores Predadores Desses Animais

Por falar em predadores, os esquilos são presas natas. Praticamente todos os animais caçam e se alimentam deles, e por isso mesmo esses redores são extremamente atentos e muito rápidos – prontos para fugir ao primeiro sinal de ameaça.

Felinos em geral são um perigo para esses animais. inclusive gatos domésticos podem caçar esquilos! As aves de rapina também são ameaças para eles, bem como cães e raposas.

Raposa
Raposa

Algumas cobras também se aproveitam dos esquilos pequenos para fazer uma refeição. No entanto, existem registros do contrário: esquilos que conseguiram enganar, matar e comer cobras. O mundo é dos espertos, não é mesmo?

Ameaças Humanas:

Obviamente não há nenhum predador tão ameaçador quanto o ser humano. Se hoje algumas espécies de esquilos encontram-se sob grande ameaça de completa extinção isso ocorre justamente porque nós prejudicamos a sobrevivência desses animais.

Para começar, muitos esquilos perderam e continuam perdendo seu habitat para dar lugar a estradas e terrenos passiveis de serem construídos pelos seres humanos.

Isso faz com que muitos desses animais acabem migrando para a cidade grande, onde encontram diversas ameaças, como risco de atropelamento, envenenamento, doenças, etc.

Como se não bastasse, os animais ainda são caçados por conta de sua pele e, outros, por conta de sua carne. Tudo isso faz com que algumas espécies realmente estejam em frequente diminuição.

Felizmente os esquilos possuem uma boa distribuição geográfica, e estão presentes em praticamente todas as partes do planeta – exceto Antártida e Oceania. Isso aumenta bastante a possibilidade de resistência das espécies.

Esquilo e Humanos
Esquilo e Humanos

No entanto, existem esquilos que são endêmicos, ou seja, só existem realmente em determinada região – como é o caso do raríssimo Esquilo Gigante da Índia, que citamos anteriormente. Nesse caso os riscos de a espécie desaparecer por completo é ainda maior!

Uma coisa interessante a ser observada é que os esquilos possuem cores que permitem que se camuflem no local onde vivem. Por isso muitos deles são cinzentos ou marrons, pois conseguem se esconder com maior facilidade na floresta ou na cidade.

Estudos apontam que a coloração do pelo faz parte de um curioso processo devolutivo. Por exemplo, esquilos que moram em regiões mais coloridas, como a Índia, também tendem a ser mais vibrantes.

Esquilos Transmitem Doenças?

Esses animais sofrem muito preconceito, pois são amplamente associados as mais diversas doenças. Fato é que os esquilos podem, sim, ser portadores de diferentes vírus, inclusive a Peste Bubônica.

Por isso o contato com os animais selvagens deve ser limitado e cuidadoso, e não se deve alimentar esquilos sem autorização, correndo o risco de ser mordido por acidente. O cuidado preserva o seu bem-estar e também o do animal.

Lista Com Espécies E Gêneros Dos Esquilos

Muitos esquilos foram e continuam sendo descobertos. Isso nos prova que se trata de uma família muito ampla, rica, e extremamente importante para o equilíbrio ambiental.

Com o passar dos tempos, os pesquisadores responsáveis pelas descobertas foram catalogando os “seus esquilos”, de modo que as pesquisas e o conhecimento ficassem registrados para a posteridade. Veja a seguir a lista de subfamílias dos Sciuridae e também seus tipos e gêneros:

1. Família Sciuridae

Família Sciuridae
Família Sciuridae

• Subfamília Ratufinae

• Gênero Ratufa (4 espécies)

• Subfamília Sciurillinae

• Gênero Sciurillus (1 espécie)

• Subfamília Sciurinae

Tribo Sciurini

Sciurini
Sciurini

• Gênero Microsciurus (4 espécies)

• Gênero Rheithrosciurus (1 espécie)

• Gênero Sciurus (28 espécies)

• Gênero Syntheosciurus (1 espécie)

• Gênero Tamiasciurus (3 espécies)

Tribo Pteromyini

Tribo Pteromyini
Tribo Pteromyini

• Gênero Aeretes (1 espécie)

• Gênero Aeromys (2 espécies)

• Gênero Belomys (1 espécie)

• Gênero Biswamoyopterus (1 espécie)

• Gênero Eoglaucomys (1 espécie)

• Gênero Eupetaurus (1 espécie)

• Gênero Glaucomys (2 espécies)

• Gênero Hylopetes (9 espécies)

• Gênero Iomys (2 espécies)

• Gênero Petaurillus (3 espécies)

• Gênero Petaurista (8 espécies)

• Gênero Petinomys (9 espécies)

• Gênero Pteromys (2 espécies)

• Gênero Pteromyscus (1 espécie)

• Gênero Trogopterus (1 espécie)

4. Subfamília Callosciurinae Pocock, 1923

Tribo Callosciurini

Callosciurini
Callosciurini

• Gênero Callosciurus (15 espécies)

• Gênero Dremomys (6 espécies)

• Gênero Exilisciurus (3 espécies)

• Gênero Glyphotes (1 espécie)

• Gênero Hyosciurus (2 espécies)

• Gênero Lariscus (4 espécies)

• Gênero Menetes (1 espécie)

• Gênero Nannosciurus (1 espécie)

• Gênero Prosciurillus (5 espécies)

• Gênero Rhinosciurus (1 espécie)

• Gênero Rubrisciurus (1 espécie)

• Gênero Sundasciurus (16 espécies)

• Gênero Tamiops (4 espécies)

Tribo Funambulini

Funambulini
Funambulini

• Gênero Funambulus (5 espécies)

5. Subfamília Xerinae

Tribo Xerini

Tribo Xerini
Tribo Xerini

• Gênero Atlantoxerus (1 espécie)

• Gênero Spermophilopsis (1 espécie)

• Gênero Xerus (4 espécies)

Tribo Protoxerini

Tribo Protoxerini
Tribo Protoxerini

• Gênero Epixerus (1 espécie)

• Gênero Funisciurus (9 espécies)

• Gênero Heliosciurus (6 espécies)

• Gênero Myosciurus (1 espécie)

• Gênero Paraxerus (11 espécies)

• Gênero Protoxerus (2 espécies)

Tribo Marmotini

Tribo Marmotini
Tribo Marmotini

• Gênero Ammospermophilus (5 espécies)

• Gênero Cynomys (5 espécies)

• Gênero Marmota (14 espécies)

• Gênero Sciurotamias (2 espécies)

• Gênero Spermophilus (42 espécies)

• Gênero Tamias (25 espécies)

São muitas espécies. Os esquilos são encontrados em todas as regiões do planeta, exceto na Antártida e na Oceania.

Por isso, apesar de abrigar algumas das espécies de animais mais curiosas do mundo, a Austrália não possui nenhum esquilo.

A variedade não é garantia de que esses animais estarão conosco para todo o sempre. Os esquilos são essenciais para manter o equilíbrio da natureza e do local onde vivem – ainda que pareçam e sejam considerados pragas em alguns casos.

É missão dos governantes garantirem a segurança desses animais evitando o desmatamento desfreado de seu habitat, o que ajudará a controlar o fluxo de esquilos que migram para as grandes cidades em busca de alimentação.

Veja também

Língua Roxa

Chow Chow Curiosidades e Fatos Interessantes Sobre a Raça

Ter um cachorro é uma excelente maneira de aprender ainda mais sobre os diversos tipos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *