Home / Animais / Jandaia Mineira: Características, Nome Cientifico e Fotos

Jandaia Mineira: Características, Nome Cientifico e Fotos

Atualmente considerado quase ameaçado, o jandaia mineira é predominantemente verde com testa vermelha, lores e região orbital, graduando-se em amarelo brilhante sobre a copa, ventre vermelho-alaranjado grande, opaco, cobras avermelhadas sob as asas, primárias azuladas e cauda azul maçante. É endêmica no Brasil.

Jandaia Mineira: Características, Nome Cientifico E Fotos

Seu nome científico é aratinga auricapillus. Ocorre tanto em florestas úmidas da Mata Atlântica quanto em florestas de transição mais para o interior, mas é principalmente dependente de florestas semidecíduas. Sua extensão geográfica estende-se desde a Bahia e Goiás ao sul até São Paulo e Paraná.

Localmente a espécie permanece razoavelmente numerosa, geralmente sendo encontrada em bandos, que no interior são frequentemente vistos associados de frente para a frente com aratinga aurea. O jandaia mineira forma uma super espécie com o aratinga solstitialis e o aratinga jandaya, com algumas autoridades preferindo ver todas as três como membros de uma espécie única e disseminada.

O jandaia mineira tem um comprimento de corpo de 30 cm, o comprimento da cauda é entre 13 a 15 cm. O topo é predominantemente verde. O queixo e a garganta são verde-amarelados e vão até a parte superior da mama em um laranja esverdeado, a barriga é vermelha. Na testa, nas rédeas e ao redor dos olhos, a coloração é vermelha brilhante, a cabeça é amarela. As molas de trás e a parte superior traseiro são franjas vermelho variável ou cor de laranja.

A asa superior grande incluindo as asas do braço e as asas externas e as pontas das asas da mão são azuladas, a asa inferior laranja avermelhado, a parte inferior das asas cinza. Os jandaias mineira são verdes, as penas superiores acastanhadas com ponta azul. Às vezes, os lóbulos externos das penas da cauda são azuis. As molas de controle inferiores são cinza.

Seu bico é cinza enegrecido. Ele tem olheiras cinzentas e sem preenchimento, a íris é amarelada. As pernas têm uma cor acinzentada. Machos e fêmeas são iguais. No caso das aves jovens, o amarelo da parte superior da cabeça é mais pálido do que nos animais adultos. O vermelho na garupa é menor ou está faltando. A mama é esverdeada e não tem coloração laranja. A área vermelha na barriga é menor.

Distribuição E Habitat

O jandaia mineira é comum na região montanhosa do sudeste do Brasil. Nos estados de São Paulo e Paraná, a espécie é encontrada apenas nas florestas tropicais do leste, aparentemente no Espírito Santo não é mais encontrada. No Rio de Janeiro e em Santa Catarina ele é muito raro ou extinto. Em Goiás, Minas Gerais e Bahia ainda é localmente comum.

O habitat natural do jandaia mineira é a floresta costeira do Atlântico úmido, bem como as florestas de transição no interior. É largamente dependente de florestas primárias semi-verdes, mas também rastreia forrageamento e criação nas bordas da floresta, nas florestas secundárias, terras agrícolas e até nas cidades. Pode ser encontrada em altitudes superiores a 2000 m.

Jandaias Mineiras Dentro da Árvore
Jandaias Mineiras Dentro da Árvore

Comportamento

Jandaias mineira são animais gregários e geralmente formam grupos de 12 a 20, mais raramente de até 40 aves. Eles se alimentam de sementes e frutas, bem como em culturas como milho, quiabo e vários doces, frutas macias, como manga, mamão e laranjas. O tipo foi considerado em algumas partes do Brasil como uma praga agrícola, onde seus números caíram fortemente nessas regiões. Pouco se sabe sobre a reprodução na natureza, a época de reprodução é provavelmente de novembro a dezembro.

Status de Conservação

A destruição do habitat e o comércio de armadilhas danificaram gravemente esta espécie, classificando o jandaia mineira como espécie potencialmente ameaçada. Na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), a espécie está agora em perigo de advertência pequena, Quase Ameaçada, com a pequena população padrão em algumas áreas rareando pela perda de habitat.

Apesar do declínio, indícios tem revelado que talvez a espécie possa estar aparentemente adaptando-se bem com as mudanças em seu habitat, mas não há dados confiáveis que sustentem essa afirmação até o momento. O tamanho da população do jandaia mineira não possui estimativa oficial pois faltam dados estatísticos oficiais,  mas estima-se que existem em torno de 10.000 indivíduos, sendo desse total cerca de pouco mais de 6.500 indivíduos adultos.

No entanto, pesquisa detalhada é necessária. Há uma ampla e contínua fragmentação do habitat adequado para esta espécie, tanto para uso como plantações de café, soja e cana de açúcar em São Paulo, como para pecuária em Goiás e Minas Gerais.

Ações de conservação propostas:

• Pesquisa para localizar novas populações importantes e definir os limites de sua gama atual.
• Estudo para determinar a sua capacidade de dispersão e dinâmica da população, Além de fornecer uma análise detalhada das suas necessidades de habitat em diferentes sites.
• Garantia proteção da chave reserva.
• Proteger as espécies sob as leis brasileiras.

Espécies em Cativeiro

Jandaia Mineira em Cativeiro
Jandaia Mineira em Cativeiro

Esta espécie é raramente encontrada em cativeiro fora da Alemanha e algumas subespécies ainda não foram importadas para a Europa. Estas aves podem ser criadas em colônias, mesmo durante a época de reprodução. A superfície mínima exigida para um casal é de 3m², mas um aviário de metal de 3m por 1m e 2m de altura com um prédio de 1m de comprimento e largura é de 2m de altura livre de gelo será suficiente para abrigar um casal.

O aninhamento, por outro lado, é outra história, porque essas aves não se contentam com uma casa de passarinho comum, por isso será necessário construí-la a partir de pedras, criando uma abertura que se assemelha a uma rachadura em uma rocha. Há relatos dessa espécie em cativeiro tendo vivido por período superior a 30 anos. Eles permanecem discretos quando o ninho está perto das casas, e a chegada e saída do ninho fica em silêncio.

O período de reprodução em cativeiro é executado na Alemanha entre novembro a dezembro. O ninho fica no oco de uma árvore, em uma parede de pedra ou sob o teto de uma habitação. A fêmea colocará de 3 a 5 ovos e incubará por 25 dias. Os jovens ficarão no ninho por mais 7 semanas.

Veja também

Como Fazer Veneno Para Barata? Passo a Passo, Como Matar

As baratas são talvez as pragas mais desprezadas do planeta. Eles não apenas carregam doenças …

Um comentário

  1. eu nao sabia q eu ia amar tanto uma ave como amei e amo o meu periquitão maracanã Laurinho,infelizmente deixei ele sem aparar as asas e o meu bebe verde foi embora
    agora ,pesquisando muito me apaixonei pela jandaia mineira,linda ,meiga,em breve ela vem p mim,ja vou reservar no criadouro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *