Home / Animais / Importância das Abelhas Para o Ecossistema e Economia

Importância das Abelhas Para o Ecossistema e Economia

Talvez, recentemente você tenha visto nos noticiários alguma informação a respeito da morte em massa de abelhas em algumas cidades gaúchas devido ao uso de agrotóxicos, não é? De fato, essa é uma notícia preocupante, já que esses insetos são muito importantes tanto para o ecossistema, quanto para a economia em geral.

A seguir, vamos mostrar porque é imprescindível preservarmos as abelhas sob qualquer aspecto, em qualquer circunstância.

O Ecossistema e a Economia Dependem das Abelhas

A principal importância desse inseto para o ecossistema é que as abelhas polinizam as plantas (legumes, grãos e frutas), e assim possibilita que cerca de 80% de todas elas as que existem no planeta possam se reproduzir. Pra se ter uma ideia, aproximadamente dois terços dos alimentos que consumimos são produzidos com a ajuda da polinização das abelhas! Incrível, não?

A polinização nada mais é do que o transporte de pólen de uma flor para outra. É através desse processo que as flores são fecundadas, desenvolvendo frutos e sementes. Essa polinização é feita pela água, pelo vento, por animais (como borboletas e beija-flores), mas a principal polinizadora da natureza é, sem dúvida, a abelha. O grau de importância dela nesse processo se deve pela rapidez com que a abelha poliniza as plantas, sempre indo e voltando, voando em ziguezague.

Nos últimos tempos, foi publicado um artigo na revista internacional Apidologie, onde foi feita uma revisão de 249 publicações científicas sobre os polinizadores de culturas com interesse econômico. Em se tratando do Brasil, foram identificados os polinizadores de 75 culturas agrícolas em nosso país, distribuídos em 250 espécies de animais, sendo que 87% desses polinizadores são justamente as abelhas.

Os gêneros de abelhas citadas como polinizadores efetivos em solo brasileiro, e que merecem destaque são a Centris (um gênero de abelhas solitárias, mais conhecidas pelo nome de abelhas de óleo, já que elas coletam óleo floral), a Xylocopa (que são abelhas solitárias de tamanho avantajado, conhecidas como carpinteiras, já que fazem seus ninhos cavando buracos na madeira), e a Bombus (abelhas que também possuem grande porte, e são mais conhecidas como mamangavas).

É certo dizer que sem as abelhas, não somente o mel acabaria como também a maior parte dos produtos agrícolas dos quais tanto consumimos hoje em dia. Ou seja, elas não são importantes apenas para o ecossistema como um todo, como também tem bastante influência positiva na nossa economia, seja na agricultura, seja na pecuária.

Isso tudo sem contar que, indiretamente, são as abelhas que fornecem o alimento para os herbívoros. Ou seja, ela também é importantíssima no que diz respeito à cadeia alimentar, proporcionando com que o gado, por exemplo, tenha sempre o que comer. É daí que ela influencia diretamente no setor pecuário, citado acima.

E, sem esses insetos polinizadores, ainda seria gerada uma grave reação em cadeia, pois os carnívoros também não teriam o que comer, o que afetaria a indústria de alimentos lácteos, por exemplo, entre outros tantos setores.

A Importância das Abelhas Como Indicadoras de Saúde

Fora tudo o que foi mencionado até então, é preciso deixar bem claro também que as abelhas possuem um papel fundamental como indicadores de saúde de um ecossistema ou de um habitat em geral.

Devido ao fato delas estarem organizadas em colônias, isso significa que onde tiver colônias duradouras, é porque aquele determinado ambiente está “saudável”. No entanto, justamente pelo fato delas serem sensíveis a mudanças climáticas, por exemplo, é que a falta de colônias em uma região, acaba sendo indício de que aquele lugar está poluído de alguma forma.

Portanto, encontrando uma colônia de abelhas em um local, considere esse um fato positivo, pois naquela região o ecossistema está em perfeita ordem.

Perigo de Extinção

Desde 2016 mais ou menos que as abelhas entraram para o rol de espécies em extinção, sendo colocadas nessa lista pela US Fish and Wildlife Service (FWS), uma unidade do Departamento do Interior dos Estados Unidos da América, dedicado a preservar a vida selvagem.

Um dos principais motivos para essa mortandade em massa das abelhas vem do fato do uso excessivo de pesticidas e agrotóxicos, cujo objetivo é matar pragas que infestam as plantações, mas que acabam matando também esses importantes insetos. Resultado: a polinização das plantas fica seriamente prejudicada.

Um bom exemplo disso é o uso de Clothianidin, pesticida que consiste num envenenamento com uma neurotoxina para insetos que são considerados pragas. No entanto, ele tem sido associado à morte maciça de abelhas em França e na Alemanha.

Há também a utilização de outros produtos químicos que são usados para o crescimento acelerado das plantas, e que também se mostram muito prejudiciais à vida das abelhas.

Segundo estimativas, o pólen das plantações é contaminado, em média, por nove pesticidas e fungicidas diferentes, mas os cientistas já chegaram a descobrir 21 agrotóxicos distintos numa única amostra, o que mostra bem a gravidade da situação.

E, é bom lembrar também que a própria arte de cria abelhas e de aproveitar os seus recursos também pode ser uma ameaça às abelhas. Como o número de apicultores tem aumentado de maneira exponencial, o que acaba levando as abelhas a competirem entre si por causa de território, gerando fome e má nutrição para as colmeias.

Como Evitar a Extinção das Abelhas?

Por incrível que pareça há diversas formas de impedir a extinção desses insetos. Algumas são custosas, é verdade, mas, se for para impedir a extinção desses animais, são métodos válidos.

Uma dessas formas é o método que está sendo implementado na Espanha, que é o desenvolvimento de “super abelhas”. Podemos destacar também o desenvolvimento nos últimos anos da agricultura biológica e sustentável, que permite o controle de pragas sem a necessidade do uso de pesticidas e agrotóxicos tão nocivos às próprias plantações, e às abelhas como um todo. Outra alternativa viável é o controle de doenças nas abelhas através do timol, apesar desse tratamento ser bem dispendioso.

Em países europeus há projetos em andamento, como o Bee Doc, cuja finalidade é desenvolver ferramentas para diagnosticar quando populações de abelhas estiverem ameaçadas por qualquer motivo que seja, além de estratégias eficazes para a prevenção de doenças nesses insetos.

Em suma: algo está sendo feito para evitar um desastre natural de proporções imensas, e é bom que essas medidas surtam logo um efeito prático a curto prazo, pois sem as abelhas, tudo ficará bem mais complicado, seja na natureza, seja na economia em geral.

Veja também

Como se Chama Filhote de Camelo? Qual a sua Cor?

Camelos masculinos e femininos amadurecem em ritmos diferentes. As fêmeas amadurecem aos três anos de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *