Home / Animais / História do Peixe Pintado e Origem do Animal

História do Peixe Pintado e Origem do Animal

A história do peixe pintado é comum como as de várias espécies de bagres da América do Sul da família Pimelodidae. Ele é conhecido por vários nomes comuns diferentes.

Normalmente habita grandes rios, onde prefere os principais canais, tendendo a permanecer na profundidade máxima. Contudo, alguns exemplares também podem ser vistos em lagos, florestas inundadas e outros habitats de água doce. Eles têm corpos robustos e são peixes importantes para alimentação.

Se você quer saber a origem do pintado, não deixe de ler o artigo até o fim.

As Características do Peixe Pintado

O peixe pintado é familiar devido a seus padrões de cores distintamente marcados. Ele também é reconhecido devido a uma cabeça deprimida, um processo occipital que se estende para trás para entrar em contato com a placa pré-dorsal e uma fontanela muito longa.

Após a maturação gonadal, as fêmeas tendem a crescer mais rapidamente que os machos. A boca é totalmente expansível. Os olhos e os dentes são pequenos. Esse tipo de peixe tem espinhas dorsais e peitorais. Ele exibe barbilhões típicos de peixe-gato, os barbilhões maxilares às vezes sendo bastante longos, especialmente em filhotes.

A história do pintado tem tudo a ver com suas características. Ele se distingue pela presença de manchas escuras distribuídas aleatoriamente em todo o corpo. Além disso, não são encontradas mais de cinco barras verticais escuras retas na lateral. A barbatana adiposa tem cerca de 8 a 10 manchas. As barbatanas peitorais e pélvicas podem ser mais claras, sem grande pigmentação escura.

Os peixes pintados filhotes são bastante diferentes na aparência dos adultos. Sua coloração é variada, sendo mais escuro nas costas, com um limite óbvio de manchas.

Reprodução do Peixe

Filhote de Peixe Pintado
Filhote de Peixe Pintado

O pintado é um tipo de peixe que pode fazer pequenas migrações.  No final da estação seca, ele pode migrar ao mesmo tempo que a presa e retornar ao final da estação chuvosa.

A migração está fortemente ligada às inundações. A maior atividade reprodutiva, a maior taxa de desenvolvimento de gônadas e a maior quantidade de energia gasta na migração acontecem quando ocorre a precipitação.

A Dieta do Pintado

Esses peixes são caçadores noturnos, principalmente piscívoros, alimentando-se de peixes como:

  • Ciclídeos;
  • Caracóis;
  • Loricarióides;
  • Sábalos;
  • Bogas.

Como alimentadores oportunistas, eles também podem se alimentar de crustáceos, como caranguejos ou camarões.

Relacionamento com Humanos

A história do peixe pintado compreende o seu valor econômico. Todos os exemplares são vendidos nos mercados de peixe da América do Sul.  Eles são peixes importantes para o consumo humano.

O pintado tem uma carne suculenta e amarelada, sem ossos “perdidos”. Se mostra como um dos mais importante na pesca de redes dos rios Guaporé e Marmoré.

Esses peixes estão sendo superexplorados em seu alcance. A pesca descontrolada possivelmente pode levar a um desequilíbrio em determinados locais dos rios.

O pintado possui um alto valor comercial devido à excelente qualidade de sua polpa, alta comercialização e participação acentuada na pesca comercial. A desova deste peixe pode ser induzida com hormônios, com alto potencial de produção comercial.

Sua Criação

O seu nome não engana. As pintinhas escuras que ficam espalhadas pelo seu corpo fazem parte da história do peixe pintado e o distingue de outros peixes que vivem nas águas doces da bacia do Prata, amazônica, do São Francisco.

O pintado, de nome científico Pseudoplatystoma coruscans, possui uma das carnes brancas mais bem apreciadas de todo o mercado. Com a textura firme, porém suave e sem nada de espinhos, ela é dotada de grande aceitação por muitos consumidores. Sem contar que possui ótima rentabilidade de  renda.

Além de ofertar um alimento saudável e de primeira, esse peixe se caracteriza sendo uma espécie resistente a várias temperaturas d’água. Além disso, é bem tolerante ao seu manejo. Dessa forma, a engorda é indicada nos casos de quem possui planos para dar início a uma criação mais fácil de se cuidar. Você só precisa prestar atenção nos ferrões que apresenta em suas nadadeiras.

Se um criador já tiver um sítio ou outro tipo de propriedade onde possa modificar uma área que tenha espelho-d’água, será melhor ainda. Isso não pesará nos custos que terá com a terraplenagem, nem com os materiais para uma infraestrutura adequada.

A História do Peixe Pintado

A história do peixe pintado, do surubim ou do cachara, bem como do pirarucu, todos nativos do Brasil, serve de exemplo para outras criações. Especialmente se estivermos falando em termos de estímulo dentro da cadeia produtiva.

No caso dos surubins, hoje em dia a reprodução no laboratório, assim como a engorda nas fazendas especializadas, são técnicas bem dominadas. É possível comprar um exemplar da espécie em todos os pesque-pague, mas há mais ou menos 20 anos isso era algo impossível.

Na natureza, os pintados comem outros peixes, possuem hábitos noturnos, bem como vivem no fundo dos rios. Para a salvação da espécie, foi criado um projeto onde se desenvolveu técnicas de larvicultura e reprodução do pintado.

Criação de Peixe Pintado
Criação de Peixe Pintado

A história do peixe pintado comprova que este era um tipo de peixe muito caro. Ele quase desapareceu dos Rios Paraguai, Paraná e da Bacia Amazônica. As pressões exercidas sobre a espécie serviram de estímulo para o trabalho de muitas pessoas, o que foi amplamente empírico.

A Origem dos Peixes

O primeiro organismo que pode ser classificado como peixe foi o cordado de corpo mole que apareceu pela primeira vez durante um período chamado cambriano. Embora não possuíssem uma coluna vertebral verdadeira, possuíam notocordos que lhes permitiam ser mais rápidos que seus colegas invertebrados.

Os peixes continuaram a evoluir ao longo da era paleozóica, diversificando-se nas amplas variedades de formatos. Muitos peixes do Paleozóico desenvolveram armaduras externas que os protegiam dos predadores.

Os primeiros peixes com mandíbulas apareceram no período da Silúria. Isso depois do qual muitos (como tubarões) se tornaram predadores marinhos formidáveis, ao invés de apenas presas de artrópodes.

A história do peixe pintado é interessante em termos de evolução como a dos outros animais. Vive há milhares de anos, servindo-nos de alimento e fonte de vida. Além de contribuírem para o comércio de carnes brancas, ainda nos brinda com um sabor delicioso.

Veja também

Marreco Pompom: Características, Hábitat e Nome Científico

O marreco pompom (crested duck) é uma ave ornamental considerada uma variação genética do marreco …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *