Home / Animais / História do Golfinho e Origem do Animal

História do Golfinho e Origem do Animal

Origem do Golfinho

Os golfinhos são da família dos cetáceos, que vem do grego ketos que significa “monstro marinho”. Mas apesar de seu tamanho, os golfinhos são muito sociáveis com a espécie humana e conquistaram o coração de todos os marinheiros e amante de praias há muitos anos atrás.

Os primeiros cetáceos sugiram pouco tempo depois a extinção dos dinossauros e foram os Ambulocetus, também conhecido como Baleia que Anda, que mais se assemelham com crocodilos de pelos do que com golfinhos mesmo. Os Ambulocetus apareceram pela primeira vez durante o Eocénio, há mais de 50 milhões de anos, e dominaram os mares quando as mesmas tinham o formato de uma selva, muito conhecida pelos filmes como uma espécie de “Reino Perdido” ou país que foi naufragou. O mais antigo dos fósseis, conhecido pelos paleontólogos como Pakicetus, foi descoberto nos anos 80 junto dos Himalaias. Os estudos feitos a partir de seu esqueleto e restos revelaram ser de um animal quadrúpede.

Este animal foi extinto durante o Miocénio, há mais de 15 milhões de anos, isto é, na época em que também aparecerem os Odontocetos, também conhecidos por cetáceos com dentes, dos quais descenderam então os golfinhos.

Odontocetos, os Primeiros Golfinhos

Com os esqueletos encontrados dos Odontocetos na Itália e no Vale do Reno, foi permitido sua reconstrução: suas patas foram substituídas por barbatanas, as narinas mudaram para a parte superior da cabeça, o maxilar possui agora um grande número de dentes e o corpo mede cerca de 3 metros de comprimento. Pelos estudos foi constatado que sua dieta e modo de se alimentar além da sua estrutura física eram muito semelhantes aos de um golfinho, o golfinho mais semelhante a essa primeira espécie seria a conhecida por filmes e famosa Orca (que é confundida com uma baleia muitas vezes pelo seu tamanho maior).

Odontocetos
Odontocetos

Os delfinídeos que conhecemos atualmente e são descendentes dos Odontocetos são compostos por mais de quarenta espécies de vários tamanhos e formas, dominaram todos os oceanos da Terra, devido a sua fácil adaptação em diferentes ambientes e climas.

Nas praias de Portugal existem mais de duzentas espécies de mamíferos marinhos. O golfinho comum e o golfinho-listado, são vistos de forma frequente pelos navios. Como são mamíferos, têm de respirar o oxigénio do ar e não da água. Porém seus filhotes nascem na água exatamente como os filhotes de peixes.

O golfinho é um animal muito inteligente, e por conta disso teve fácil convivência com o homem desde a idade das cavernas ou até mesmo idades mais remotas. Infelizmente, mesmo não oferecendo nenhum risco a espécie humana apesar de seu tamanho e por ser carnívoro, muitos tipos de golfinhos chegaram a entrar em extinção devido a pesca abusiva ou até mesmo pela poluição dos ambientes que vivem.

Embora seja um animal que exista nos mares há muitos anos, os golfinhos não param de evoluir devido a sua inteligência e possuem hábitos e curiosidades que apenas espécies inteligentes como a humana tem, como por exemplo, os machos chamam a atenção com acrobacias e uma espécie de show em costas como meio de afastar pessoas e predadores de fêmeas e filhotes que ficam mais ao fundo do mar, além de se reconhecerem no espelho.

História do Golfinho

Embora seus descendentes são sejam tão bonitos por se tratarem de animais quadrupedes que pareciam um crocodilo, os golfinhos conforme foram de adaptando para o mundo aquático se tornaram conhecidos pela sua estrutura “fofa”, pelos sons que emitem para se comunicarem entre si e por conseguirem conviver em harmonia com a espécie humana.

Com isso, muitas lendas antigas foram surgindo, inclusive lendas brasileiras como a do boto cor-de-rosa que é nada mais é que um golfinho menor, de cor diferente que atraia mocinhas durante as noites de lua cheia, em épocas festivas e juninas, quando se transformava em um belo rapaz de roupa branca e chapéu, uma espécie de sereia que saia das águas para andar e levava as pretendentes para as praias, as engravidava e depois as abandonava. Embora houvesse a transformação de golfinho para humano, segundo a lenda, o chapéu utilizado era para esconder suas narinas que ficam acima da cabeça assim como do golfinho comum.

Também é conhecido pela cultura grega como um mensageiro do amor, porque o deus Poseidon, também conhecido como deus do mar, o escolheu para entregar seus cortejos para ninfa marinha, Amphridite, que sempre passeava pelo mar em uma espécie de carruagem de conchas que era puxada por golfinhos. Após Poseidon se casar com ela, o golfinho mensageiro foi recompensado e transformado em uma constelação.

Atualmente, pela proximidade dos golfinhos com a espécie humana, existem muitas histórias de golfinhos que tem amizade com pessoas, principalmente crianças, sendo retratados através de filmes e livros. Também existe um filme de terror, onde se fala sobre a Orca, porém a mesma descrita no título como uma baleia, na realidade é um golfinho, e nesse filme em si, se trata de um golfinho assassino.

Golfinhos e Humanos

Muitos cientistas classificam os golfinhos como um animal especial devido a sua inteligência, capacidade de ajudar outros golfinhos quando feridos iguais os seres humanos fazem com seus semelhantes, alguns pesquisadores dizem que eles entendem alguns comandos e palavras assim como os cachorros, por isso seguem barcos e nadam com pessoas sem nenhuma espécie de interesse e apenas por diversão.

Também são muito maternais e seus filhotes acompanham as mães, assim como a espécie humana, por anos, e não apenas por um tempo pequeno de adaptação como a maioria dos animais.

Sua sexualidade também é motivo de frequente pesquisa, pois assim como os humanos, eles não usam o ato sexual apenas para se reproduzirem e sim por prazer também, sendo os machos algumas vezes até mesmo violentos com as fêmeas em período que a mesma se encontra no cio, e alguns casos tentam matar os filhotes, para que a fêmea entre em período de reprodução novamente após parar de amamentar.

Filhote de Golfinho
Filhote de Golfinho

Apesar dessa parte ruim dos golfinhos, eles andam em grupos para se alimentarem, se protegem, se comunicam e dificilmente são vistos em um grupo menor do que vinte. Também são amigáveis com a espécie humana, sendo nenhum caso visto de agressão ou caça aos humanos quando os golfinhos estão em seu habitat natural, apenas em caso de cativeiros devido ao stress e medo constante em que vivem esses animais. Porém apesar desses prejuízos aos golfinhos e muitas ONG’s que representam o animal sejam contra essa prática, os golfinhos são encontrados facilmente em muitos parques aquáticos, sendo famosos principalmente em parques americanos como da Disney.

Veja também

Camaleão Rhampholeon

Camaleão Rhampholeon: Características, Nome Científico e Fotos

Entender mais sobre os animais que habitam o nosso planeta é entender mais sobre nós …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *