Home / Animais / Ficha Tecnica dos Corais: Peso, Altura, Tamanho e Imagens

Ficha Tecnica dos Corais: Peso, Altura, Tamanho e Imagens

Os ecossistemas de recifes são coleções complexas e diversas de espécies que interagem entre si e com o ambiente físico. A ficha técnica dos corais é incrível, já que esta é uma classe de animal colonial relacionada a hidróides, água-viva e anêmonas-do-mar.

Corais pedregosos, um tipo de coral caracterizado por seu esqueleto duro, são a base do recife. Colônias de coral pedregoso são compostas por centenas de milhares de pólipos vivos individuais.

Os pólipos são capazes de extrair cálcio dissolvido da água do mar e solidificá-lo em uma estrutura mineral dura (carbonato de cálcio) que serve como suporte esquelético. Quando você olha para uma colônia de corais, apenas a fina camada em sua superfície é viva. A massa abaixo é o esqueleto de carbonato de cálcio que pode permanecer ali por décadas.

Esse é um universo marinho incrível que você tem a chance de conhecer lendo todo o artigo que segue abaixo. Confira!

  • Altura: até 3 metros;
  • Tamanho: 3 mil km de costa;
  • Peso: Variável, pois é formado pelo acúmulo de algumas algas e animais marinhos.

Um Pouco Mais Sobre os Corais

Pólipos de corais construtores de recifes contêm algas microscópicas chamadas zooxanthellae, que existem com o animal em um tipo de relação simbiótica. Os pólipos de coral (animais) fornecem às algas (plantas) um lar, e em troca as algas fornecem aos pólipos os alimentos que eles geram através da fotossíntese.

Como a fotossíntese requer luz solar, a maioria dos corais construtores de recifes vive em águas claras e rasas que são penetradas pela luz solar. As algas também dão cor ao coral. Os pólipos são realmente transparentes, então, a cor das algas dentro dos pólipos aparece.

Os Corais

Relacionada à ficha técnica dos corais está seu fornecimento de habitat para uma grande variedade de vida marinha, incluindo:

  • Ostras;
  • Mariscos;
  • Caranguejos;
  • Estrelas do mar;
  • Ouriços do mar;
  • E diversas espécies de peixes.

Os recifes de coral também estão ligados ecologicamente às comunidades próximas de ervas marinhas, manguezais e planícies de lama. Uma das razões pelas quais eles são tão valorizados é porque servem como um centro de atividades para as vidas marinhas.

Nem Todos os Corais no Recife São Corais de Pedra

  • Hidrocorais, ou corais de fogo, são hidróides. Estes constroem recifes que possuem exoesqueleto calcário duro e células que podem causar uma sensação de queimação quando tocados;
  • Octocorais, ou corais “moles”, crescem mais como plantas carnudas. Eles não terminam em estruturas esqueléticas de carbonato de cálcio;
  • Antipatários, ou corais negros, são mais uma forma de corais “moles” que se ramificam;
  • Alguns corais moles têm zooxantelas para adquirir alimento e energia. Entretanto, outros, como os corais negros, existem sem essa relação simbiótica.

Formação de um Coral

A formação de corais começa quando as larvas que nadam livremente aderem a rochas submersas ou outro substrato duro ao longo das bordas das ilhas ou continentes. O recife se expande e formará um atol, barreira ou recife de coral.

Na ficha técnica dos corais, temos uma definição de sua extensão e de sua “idade”. Por exemplo, os recifes de coral também estão entre os habitats mais antigos do oceano. Eles têm taxas de crescimento lentas e pode levar até 10.000 anos para se desenvolver completamente desde as primeiras larvas colonizadoras.

Os variados tipos compartilham semelhanças em seus perfis biogeográficos. O zoneamento horizontal e vertical depende da:

  • Topografia do fundo;
  • Profundidade;
  • Força das ondas e da corrente;
  • Luz;
  • Temperatura;
  • Sedimentos em suspensão.

Condições de Crescimento

A ficha técnica dos corais não fornece informações sobre as condições de crescimento, mas vamos citar aqui, pois é extremamente relevante. Corais de água quente para a construção de recifes precisam das seguintes condições ambientais para crescer:

  • Água limpa permite que a luz alcance as zooxantelas fotossintéticas;
  • As adaptações de absorção de luz permitem que algumas espécies vivam com pouca luz azul;
  • Temperaturas oceânicas superiores a 18° C;
  • Forte ação das ondas que garante fornecimento de alimentos e oxigênio, a distribuição das larvas e impede a sedimentação dos recifes;
  • Precipitação de cálcio necessária para a formação de esqueletos. A temperatura e a salinidade da água devem ser altas e as concentrações de dióxido de carbono devem ser baixas;
  • Substrato duro.

Corais de água fria não precisam de luz para se manterem. Eles obtêm seus nutrientes e energia completamente do aprisionamento de plânctons e partículas orgânicas nas correntes de passagem.

Eles incluem corais de pedra, corais moles verdadeiros, corais pretos, entre outros. A maioria deles não constrói recifes, mas cresce em colônias espessas.

Todos os corais de água fria são extremamente frágeis e vulneráveis ​​a distúrbios físicos. Os pólipos não conseguem escapar de distúrbios e suas estruturas são extremamente delicadas.

Eles também ficam muito lentos, por isso levam muito tempo para reconstruir o recife quando ele está danificado. Uma desvantagem adicional é que não é possível responder a mudanças que ocorrem rapidamente em seu ambiente, porque se adaptaram a condições estáveis.

Por Que os Recifes de Coral São Importantes?

A ficha técnica dos corais, bem como suas especificações, são de extrema importância. Eles estão entre os ecossistemas biologicamente diversos e valiosos da Terra.

Estima-se que 25% de toda a vida marinha, incluindo mais de 4.000 espécies de peixes, dependem dos recifes de coral em algum momento do seu ciclo de vida. Aproximadamente meio bilhão de pessoas em todo o mundo depende dos ecossistemas de recifes de coral para alimentação, proteção costeira e renda proveniente do turismo e da pesca.

Recifes de coral saudáveis ​​fornecem:

  • Áreas de habitat, alimentação, desova e viveiro para mais de 1 milhão de espécies aquáticas, incluindo espécies de peixes colhidos comercialmente;
  • Alimento para pessoas que vivem perto de recifes de coral, especialmente em pequenas ilhas;
  • Oportunidades de recreação e turismo, como pesca, mergulho e snorkeling, que contribuem milhares de reais para as economias locais;
  • Proteção da infraestrutura costeira e prevenção de perda de vidas devido a tempestades, inundações e erosão;
  • Fontes de novos medicamentos que podem ser usados ​​para tratar doenças e outros problemas de saúde.
Recife de Coral

E então, gostou de conhecer a ficha técnica dos corais? Essa é uma parte do mundo marinho muito interessante, não é?

Veja também

Marreco Pompom: Características, Hábitat e Nome Científico

O marreco pompom (crested duck) é uma ave ornamental considerada uma variação genética do marreco …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *