Home / Animais / Ficha Técnica da Lagosta: Comprimento, Altura e Peso

Ficha Técnica da Lagosta: Comprimento, Altura e Peso

A rigidez da casca da lagosta é oposta ao seu crescimento. Para crescer, o animal deve imperativa e periodicamente mudar. No início do verão ou início do outono, a lagosta se esconde no fundo da toca, para de se alimentar e, portanto, perde peso. Fica no flanco e dobra-se em forma de V.

A membrana que conecta o cefalotórax ao abdome, em seguida, quebra, criando uma abertura através da qual a lagosta vai se livrar de sua casca. Assim liberado, ele incha com a água, o que lhe permitirá adquirir um tamanho maior.

Usando os Exemplos Mais Conhecidos Para Ficha Técnica

Para responder as perguntas redundantes do tema de nosso artigo, vamos mirar nossa atenção nas duas espécies mundialmente mais conhecidas da lagostas, aquelas que possuem grande valor comercial e são implacavelmente capturadas todos os anos por pescadores.

As duas espécies de lagostas, homarus gammarus e homarus americanus, ocupam áreas de distribuição relativamente grandes devido à sua ampla tolerância em relação aos ambientes que provavelmente irão frequentar. Estas tolerâncias são bastante semelhantes em ambas as espécies: temperatura entre 1 e 25° C, salinidade entre 28 e 35 ‰, oxigênio dissolvido entre 4 e 7 mg por litro.

Comprimento, Altura e Peso da Lagosta Homarus Gammarus

A lagosta Homarus Gammarus tem 10 pernas, sendo o primeiro par modificado em uma poderosa pinça. A cabeça e o tórax estão contidos em uma única carapaça, chamada de “cefalotórax”. A cabeça carrega, além dos olhos pedunculados e 2 pares de antenas, 6 outros apêndices próximos à boca, adaptados ao manuseio da comida.

O abdome (erroneamente chamado de “cauda”), bem desenvolvido e estendido, é composto de 6 segmentos articulados também com um revestimento calcificado. Os primeiros 5 segmentos possuem um par de apêndices chamados “pleópodes”; o último segmento tem um ventilador caudal. No macho, as garras são maiores que na fêmea, mas o abdome é mais largo.

Homarus hammarus pode crescer até 60 cm (sem garras) e pesar até 8 kg. É difícil saber com que idade as lagostas podem ter seu peso total. Especialmente desde que os moults e os anos não deixam vestígios no corpo do animal, como é o caso das escamas de peixe, por exemplo. No entanto, observações feitas durante a reprodução ou durante campanhas de marcação de animais no ambiente natural permitem estimar a idade dos maiores animais com 50 anos ou mais.

A lagosta sofre alterações no seu tamanho ao longo de sua vida, mas a uma taxa decrescente à medida que envelhece. Ele faz uma dúzia de vezes de mudas em seu primeiro ano de existência, 3 ou 4 vezes durante o segundo, 2 vezes no quarto. Uma lagosta de um quilo muda uma vez por ano. A fêmea muda na mesma proporção que o macho até atingir a maturidade sexual; Em seguida, mede cerca de 28 cm. O aumento no comprimento da lagosta em cada muda é da ordem de 10 a 17%.

Comprimento, Altura e Peso da Lagosta Homarus Americanus

Tal como acontece com todas as lagostas decápodes, o corpo da homarus americanus consiste em cefalotórax e abdômen segmentados. O primeiro é coberto por uma carapaça que termina em um rostro pontudo na frente. Em cada lado há um olho composto, que consiste de aproximadamente 14.000 omatídeos. As lagostas têm dois tipos de pares de antenas, um mais longo que é o sentido do órgão de toque, e um mais curto com duas pinças e serve ao sentido do olfato.

Como uma característica distintiva dos sexos, o primeiro par de pernas flutuantes (pleópodes) são ativamente funcionais. Estes são endurecidos nos machos, porém moles e flexíveis nas fêmeas. Em comparação, machos adultos tem as tesouras ligeiramente maiores e proporcionalmente mais longos ao tamanho do corpo que mulheres da mesma idade. Essas lagostas também atingem média de sobrevivência até 50 anos.

Com um corpo mais corpulento e mais largo que homarus hammarus, a homarus americanus atinge um comprimento médio de 60 cm, mas há relatos de lagostas da espécies com mais de um metro. E seu peso varia entre os 6 e 8 kg mas há relatos de espécies pesando mais de 20 kg. Sua distribuição concentra-se mais na costa leste do Canadá e costa norte dos Estados Unidos, onde é pescado até 500 m de profundidade.

A Lagosta e o Homem

A lagosta é o rei dos crustáceos. Com sua carne firme e fina, é a mais procurada e aquela cujo sabor é mais apreciado. Mas geralmente não se sabe que sua criação ainda apresenta muitos problemas. Desde a década de 1960, várias fórmulas foram testadas, as quais tendem a manter ou mesmo reconstruir as reservas de lagostas.

A lagosta é capturada usando armadilhas iscadas de peixe. A forma e os materiais das armadilhas variam de acordo com o país e até mesmo com as regiões, mas o princípio é sempre o mesmo: a lagosta é atraída para uma armadilha da qual não pode emergir. As capturas de lagosta e lagostim aumentaram de 157.000 toneladas no início de 1980 para 233 000 toneladas em meados dos anos 2000, contra 1,3 milhões de toneladas de caranguejo e caranguejo-aranha.

A lagosta homarus americanus e a espécie do gênero panulirus representam cerca de 67% cada, enquanto a pesca da lagosta homarus gammarus é residual, atrás das espécies do gênero jasus e outras espécies. Os principais países produtores são os Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e Austrália, seguidos pela Indonésia, Brasil, Bahamas, Cuba, Irlanda e França.

A queda nos rendimentos, combinada com o alto preço da lagosta, tornou os pescadores muito conscientes das possibilidades de preservar e restaurar as populações naturais. Desde a década de 1960, várias iniciativas surgiram como acantonamentos, desossa de viveiros, incubatórios, com o objetivo de intervenção humana na fecundidade das lagostas.

Os acantonamentos são áreas onde toda a pesca é proibida, para formar uma reserva de adultos, portanto de pais. A produção de larvas e reprodutores juvenis deve contribuir para o repovoamento das regiões vizinhas. Para melhorar essa produção, podemos eliminar o excesso de machos (um macho pode fertilizar várias fêmeas) e imergir as fêmeas.

Homem Pescando Uma Lagosta
Homem Pescando Uma Lagosta

O princípio das lagoas consiste em armazenar fêmeas secas (isto é, fertilizadas e carregando ovos) em lagoas, e reter as larvas que nascerão até o estágio III, para evitar que sejam presas de pescarias. Essas larvas são liberadas abrindo uma escotilha. A eficácia deste método é muito controversa. De fato, a concentração de fêmeas pode levar a lesões e perda de ovos. Além disso, muitas larvas estão sujeitas ao canibalismo.

Vários centros de incubação de lagosta operam desde os anos 1970 em vários regiões de concentração de pesca. Seu princípio é fornecer às larvas um ambiente ideal para seu crescimento e sobrevivência em instalações de cultivo baseadas em terra; Fêmeas são fornecidas aos incubatórios pelos pescadores. Após esta fase crítica da sua vida, os animais são libertados no mar.

Veja também

Reprodução da Chinchila, Filhotes e Tempo de Gestação

As chinchilas constituem várias espécies de roedores comuns à mesma família taxonômica, a qual é …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *