Home / Animais / Espécies de Marimbondo: Lista Com Tipos – Nome e Fotos

Espécies de Marimbondo: Lista Com Tipos – Nome e Fotos

Os insetos, ainda que não seja possível ver isso a todo momento, fazem parte da cadeia produtiva natural, tendo a sua importância para a vida dos outros seres vivos. Há muitos animais que apenas podem comer insetos, por exemplo, não sendo capazes de sobreviver sem a presença desses pequenos seres. Ainda assim, o mais natural é que a sociedade não goste nada dos insetos, até mesmo pela forma como alguns podem ser agressivos quando se sentem atacados.

Um grande exemplo disso é o famoso marimbondo, um inseto voador e que também pode ser chamado de vespa em algumas partes do Brasil. Dessa maneira, embora os marimbondos sejam responsáveis por fazer a polinização de muitas plantas em todo o mundo, a sua picada pode ser extremamente dolorosa. O cenário, portanto, cria um afastamento das pessoas em relação a esse inseto, ainda que a sua importância seja central para que diversas flores sigam com vida.

Como outra consequência, o interesse em aprender mais sobre os marimbondos diminui, já que há uma tendência natural do ser humano em se afastar daquilo que pode causar problemas. Porém, se você está no caminho oposto e deseja aprender mais sobre o marimbondo, veja abaixo todos os tipos do animal, além de aprender suas características gerais e como podem interagir com o meio ao seu redor.

Características Gerais dos Marimbondos

Os marimbondos podem ter diferentes espécies, o que será visto logo adiante. Cada espécie possui um modo de vida, além de estar mais presente em determinada parte do mundo. Todavia, isso está longe de impedir a enumeração das características gerais dos marimbondos. Como exemplo, um marimbondo precisa ter dois pares de asas, algo importante para dar auxílio na capacidade de voo do animal.

Caso uma das asas esteja sem operar, o marimbondo ainda consegue voar apenas com o uso das outras. Além disso, o marimbondo, quando fêmea, necessariamente precisa ter um ferrão. No caso, as fêmeas têm de ter o ferrão pelo fato de essa parte do corpo derivar do ovipositor, uma parte específica do corpo que guarda os ovos na reprodução e algo que os machos não possuem.

Logo, os machos do marimbondo não podem atacar as pessoas, ainda que tentem bastante. A grande maioria das vespas de todo o mundo possui um modo de vida ligado ao ato de voar, mas se engana quem pensa que marimbondos só podem voar. Na verdade, há aqueles marimbondos também capazes de nadar, tendo modo de vida aquático. Todavia, essa é uma exceção no universo desse inseto, já que a grande maioria das espécies apenas é capaz de voar e de caminhar sobre superfícies.

A grande maioria das espécies de marimbondo são solitárias, com apenas algumas gostando de voar em grupos – ainda assim, os grupos costumam ter um máximo de 3 ou 4 membros. Quando na colônia, o mais natural é que as vespas realizem o seu trabalho sem muito contato social, até mesmo pelo fato de que cada uma delas possui um papel bem definido para ajudar o ambiente a se desenvolver. Além disso, como já citado, os marimbondos podem fazer a polinização de flores por todo o mundo.

Na realidade, esse é um papel muito importante realizado pelas principais espécies. Logo, os marimbondos transferem as células de reprodução das flores, dos machos para as fêmeas, fazendo com que as flores possam procriar e, assim, aumentar a sua taxa de ocupação. Muitos são os tipos de vegetais que têm o marimbondo como o seu principal polinizador, sendo que a grande maioria das espécies do animal faz o trabalho de forma louvável. Portanto, pense muito bem antes de optar por matar um marimbondo sem motivo.

Controle Biológico, Picada e Veneno do Marimbondo

O marimbondo é um inseto bastante usado para o controle biológico por parte de muitos agricultores, já que o pequeno animal voador se mostra um grande predadores de pragas. Na realidade, praticamente qualquer inseto que possa ser chamado de praga pode ser consumido por um marimbondo, que, além de tudo, possui uma capacidade de ataque incrível para o seu tamanho reduzido.

Assim, o mais comum é criar uma casa de marimbondo por perto, pois isso impedirá que as pragas se aproximem do local. Em alguns casos, há relatos de grandes fazendas que chegam a ter colônias de marimbondos por todo o ano, pois essa é uma maneira mais fácil de manter as pragas distantes. Apesar disso, esse é o único benefício de ter um ninho de marimbondo, já que o animal, apesar de produzir uma espécie de mel e de ter favos em seu lar como as abelhas, não consegue dar um sabor adocicado a esse mel.

Quanto à picada do marimbondo, a picada da fêmea – único gênero de marimbondos que possui ferrão – pode ser bastante dolorosa. A dor pode durar por muitos minutos em um altíssimo nível de intensidade, algo capaz de provocar febre e alucinações em algumas pessoas. Portanto, não é recomendado tratar de um ninho de marimbondos ou se aproximar muito de um inseto da espécie caso você não tenha o conhecimento necessário para tal.

Há uma espécie de marimbondo, em especial, que pode ter a sua picada doendo em nível máximo por mais de uma hora, o que pode ser comparado a uma tortura. Vale citar ainda que o veneno do marimbondo é pouco conhecido pelas pessoas, já que esse animal não recebe tantos estudos quanto poderia por parte da comunidade científica mundial. Segundo estudos da rede de comunicação BBC, entre 2010 e 2015 os estudos sobre abelhas foram cerca de 80% maiores do que aqueles associados aos marimbondos. Esse é um belo exemplo, portanto, de como os marimbondos não possuem tanta atenção.

Sabe-se, de qualquer forma, que há uma diferença essencial da picada da vespa para a picada da abelha. No caso, a picada do marimbondo é básica, enquanto a da abelha é mais ácida. Além disso, o veneno do marimbondo contém uma substância que atrai outros insetos da espécie a picar o mesmo local. Portanto, se você foi picado por um marimbondo, o mais aconselhável é sair imediatamente do local em que está. Pois, caso permaneça sem proteção, é possível que você se torne alvo de muitos outros marimbondos. No pior dos casos, um ataque de muitos marimbondos pode até mesmo matar uma pessoa adulta, já que causa diversos efeitos colaterais importantes.

Marimbondo Taranta

  • Comprimento: cerca de 25 milímetros;

  • Locais de preferência: países do Mediterrâneo, América Central e América do Sul.

Os marimbondos apresentam muitas espécies diferentes, já que, como se sabe, esse tipo de animal não possui um único tipo. Logo, as variações podem ser muitas de acordo com a espécie de marimbondo que se tem. No caso do marimbondo taranta, também chamado de vespa taranta, o animal foi catalogado há centenas de anos, por volta de 1770.

Amarelo e negro, em alguns países de língua inglesa o inseto é também chamado de marimbondo preto-amarelo, em referência clara ao seu tom de pele. Esse inseto voador gosta de viver sozinho, mais afastado das pessoas. Dessa maneira, é muito comum encontrar exemplares do marimbondo taranta isolados, sendo quase impossível achar uma colônia da espécie. O animal possui cerca de 25 milímetros de comprimento, o que é o bastante para que o marimbondo seja capaz de entrar nos menores espaços para se proteger. Portanto, buracos em madeira ou outros materiais podem servir muito bem para acolher esse tipo de vespa, que se mostra muito forte quando se trata de atacar as presas.

Isso porque a taranta é um dos marimbondos mais eficientes de todo o mundo como predador, gostando de consumir formigas e muitos outros insetos menores. É bastante comum que algumas plantações da América Central tenham o marimbondo taranta como seu grande defensor contra as muitas pragas, por exemplo. Como a grande característica da espécie é o amarelo em meio ao corpo preto, é comum que se use esse ponto para diferenciar o marimbondo em questão dos outros. Assim, essa acaba por ser a forma mais fácil de distinguir o inseto quando comparado a alguns outros tipos de vespa.

Apesar de solitários, os marimbondos do tipo taranta costumam construir muito bem os seus ninhos, até mesmo pelo fato de serem extremamente atentos à sua proteção. Dessa forma, a defesa dos ninhos acontece de maneira muito intensa, sobretudo quando um outro inseto tenta se aproximar. Contudo, até mesmo as pessoas podem sofrer quando chegam mais perto de um ninho de marimbondo taranta, já que o inseto pode se tornar muito agressivo. Por mais que seja apenas um, a picada da vespa pode ser muito dolorosa, podendo desencadear febre e variações de pressão muito fortes.

Os ninhos costumam ser pequenos, até mesmo pelo fato de abrigarem apenas um ou dois insetos: dessa maneira, o mais natural é que se tenha ninhos do tamanho de um punho humano. Na fase de reprodução, o ninho pode abrigar até 5 larvas, que mais tarde se desenvolverão para virar filhotes maiores. A fêmea possui participação central nessa fase, já que ajuda a fortalecer a parte interna do ninho para receber os filhotes e ainda se coloca contra os possíveis perigos próximos ao lar.

Sobre a área de atuação do marimbondo taranta, o mais natural é que esse animal seja muito comum na América Central e em parte da América do Sul, além de estar também presente na Oceania e nos países próximos ao Mar Mediterrâneo. Como se pode ver, os países que abrigam a espécie de marimbondo costumam ser quentes, estar ao nível do mar e ter alta umidade, três dos fatores mais importantes para a vida do inseto.

Agenioideus Nigricornis

  • Comprimento: entre 4 e 12 milímetros;

  • Países de preferência: Nova Zelândia e Austrália;

  • Usado para: controle biológico de aranhas.

A espécie Agenioideus nigricornis é mais uma de marimbondos a ocupar o planeta Terra, sendo mais comum em países como a Nova Zelândia e a Austrália. O animal é um dos mais poderosos de todo o universo de vespas e marimbondos, já que possui uma capacidade de ataque brutal.

Na realidade, um único ataque da Agenioideus nigricornis é capaz de paralisar uma aranha grande, que pode ter até cinco vezes o seu tamanho. Dessa forma, após paralisar as aranhas, o mais comum é que a Agenioideus nigricornis a leve para o ninho e coloque os ovos em cima, oferecendo nutrientes para o desenvolvimento de suas futuras larvas.

A aranha continua viva até o momento em que os ovos explodirão, dando vida às larvas. Depois disso, essa aranha servirá de alimento para as larvas, que comerão o animal para ganhar nutrientes e chegar à fase adulta. O processo é bastante conhecido em grande parte da Oceania, sobretudo na Austrália, onde a aranha paralisada costuma ser a das-costas-vermelhas, uma espécie típica do local. Quanto ao tamanho, as fêmeas são, em média, menores que os machos.

Contudo, isso pode variar, já que existem machos muito pequenos e outros muito grandes, enquanto as fêmeas mantêm uma regularidade maior no comprimento. Em todo caso, a fêmea da Agenioideus nigricornis pode chegar aos 11 milímetros de comprimento, enquanto o macho alcança os 12 milímetros. As fêmeas ainda possuem diferenciações em relação aos machos quando se trata das cores, já que o tom de vermelho e marrom pode mudar de acordo com o gênero – e as fêmeas costumam ter detalhes também muito fortes em amarelo.

Essa espécie de marimbondo é bastante usada na Ásia para fazer o controle biológico em ambientes, seja para conter o avanço de pragas contra a agricultura ou para impedir a aparição de aranhas. Em todo caso, sobretudo no Japão, é bastante frequente encontrar exemplares da Agenioideus nigricornis, ainda que o inseto seja típico da Austrália e de partes da Nova Zelândia. Alguns testes foram feitos no Brasil para observar a utilidade prática da Agenioideus nigricornis, mas o custo de uso para esse marimbondo acaba por ser muito acima do custo de vespas locais.

Como há uma oferta considerável de marimbondos no país, o mais apropriado para os agricultores locais é fazer uso dos insetos nacionais. Catalogado por volta de 1775, esse tipo de vespa é muito conhecido em certas partes da Ásia e também em países da Oceania, mas é muito raro encontrar grandes especialistas no animal fora de tais ambientes, sendo complicado até mesmo achar grandes informações sobre o inseto, com precisão, fora dos países citados.

Marimbondo-Amarelo

O marimbondo-amarelo é um dos mais conhecidos de todo o Brasil, que possui esse nome por ter a cor amarela em forte destaque ao longo do seu corpo. Esse tipo de inseto costuma provocar infestações em algumas áreas do país, sobretudo quando encontra a oferta de alimentos necessária para a manutenção adequada do seu modo de vida. Nesses casos, pode ser bastante complicado retirar o marimbondo-amarelo da região.

Essa espécie, diferentemente de outras, costuma voar em grupos grandes, o que facilita os ataques e também a proteção contra inimigos. O ninho costuma ser uma colônia, com a produção muito bem dividida entre os diferentes exemplares do grupo. Dentro desse ninho está a rainha, líder da colônia e que necessita de proteção 24 horas por parte dos soldados e operários. Assim, é comum que um marimbondo-amarelo ataque uma pessoa que tente se aproximar do ninho, já que possui o dever de defender a rainha a qualquer custo.

O ataque do marimbondo-amarelo, apesar de não parecer, pode provocar uma dor tão intensa ao ponto de causar febre, náuseas e variações de pressão extremamente fortes. Nos casos mais agudos, pode ser que a pessoa perca os sinais vitais, o que costuma ser mais comum quando o ataque é feito de forma simultânea por muitos marimbondos da colônia. Logo, ainda que se possa utilizar o marimbondo-amarelo para o controle biológico de algumas áreas, manusear o ninho é um trabalho bastante perigoso e apenas um especialista no assunto deveria executá-lo.

Ademais, quando o marimbondo-amarelo se torna também uma praga, para retirar o ninho do ambiente é essencial entrar em contato com o profissional adequado. Jamais tente realizar o serviço por conta própria, já que isso pode causar inúmeros problemas para você, para os marimbondos e para o ambiente em que vive. Algo muito comum para retirar o ninho de marimbondo-amarelo, por exemplo, é que as pessoas façam uso do fogo.

Contudo, a ação não é apropriada e pode causar problemas para quem tenta realizar o trabalho dessa forma. Isso porque, ao ver o fogo, o inseto rapidamente já se coloca em posição de ataque, pois sente a ameaça chegar. Portanto, é mais provável que você não tenha tempo de acabar com o ninho antes de ser picado por uma série de marimbondos.

Porém, você sabe o que fazer em caso de picada? Não? Veja algumas dicas rápidas que podem salvar sua vida:

  • Aplicar gelo no local por cerca de 15 minutos;

  • Usar uma pomada apropriada no local da picada;

  • Lavar com água e sabão para evitar contaminações.

Assim, é muito importante saber o que fazer quando se sofre uma picada do temido marimbondo-amarelo. Por mais que o processo possa ser doloroso, é possível evitar complicações após a picada desse tipo de inseto ao realizar alguns procedimentos simples. O local costuma desinchar depois de 2 ou 3 dias, além de parar de doer já no primeiro dia. Contudo, quando os procedimentos básicos não são seguidos de forma correta, é possível que o tempo de recuperação seja ainda maior.

Marimbondo-Tatu

  • Tamanho do ninho: até 1,5 metro de comprimento;

  • Países de preferência: Brasil, Argentina e México;

  • Efeitos da picada: pode causar hemorragia.

O marimbondo-tatu é mais um tipo de marimbondo muito comum no Brasil, que se mostra presente em amplas áreas do país. Além disso, a espécie também é comum em partes do México e da Argentina, sobretudo nas áreas mais quentes de ambas as nações.

O comportamento do animal é bastante agressivo, sobretudo quando há alguma possível ameaça próxima ao ninho. Nesse caso, é provável que a tal ameaça sofra um ataque conjunto, sendo picada por diversas vezes. Tudo isso acontece pelo fato de o ninho ser o principal ambiente para o marimbondo-tatu, que tenta proteger sua rainha e ainda evitar que o seu local de proteção seja destruído. Além disso, o inseto apresenta um grande hábito de viver em comunidade, algo que nem todos os marimbondos fazem.

Portanto, é incomum encontrar um exemplar de marimbondo-tatu distante de outros insetos ou do ninho. Viver em grupo ajuda a espécie em muitas questões, sobretudo quando se trata de receber ataques ou de buscar alimentos. Por consequência, é possível deduzir que o modo de vida do marimbondo-tatu seria muito distinto se o animal vivesse sozinho, sem a ajuda dos companheiros. Todavia, você sabe o porquê do nome marimbondo-tatu? Saiba que isso nada tem a ver com a parte física do inseto, muito pelo contrário.

Na realidade, o nome popular ganhou fama pelo fato de o marimbondo ter um ninho semelhante ao casco do tatu, em formato e até mesmo no tom de marrom. Assim, esse ninho pode passar de 1 metro de comprimento, o que o torna capaz de abrigar milhares de exemplares. O animal costuma ser conhecido também pela sua comunicação constante, algo que se vê no dia a dia da espécie.

Quando há algum perigo por perto, por exemplo, o marimbondo-tatu é capaz de emitir um alarme sonoro para alertar os outros da região. O som é feito a partir do momento em que o animal raspa a mandíbula no ninho, algo que mostra o quanto a espécie pode ser eficiente em muitos aspectos. Um detalhe curioso é que o veneno do marimbondo-tatu pode ser o suficiente para gerar hemorragia em uma pessoa adulta, provocando efeitos terríveis para o corpo humano. Caso seja picado, o melhor a fazer é utilizar o gelo para diminuir a dor local, além de muitas populações acreditarem que o barro também minimiza a dor.

Em todo caso, o melhor mesmo é procurar a ajuda médica da região, que saberá o que fazer e como evitar problemas maiores, sobretudo pela possibilidade de hemorragia. Com asas grandes, o marimbondo-tatu chama a atenção ao longe, já que possui um ninho diferenciado e se mostra mais inteligente do que outros animais. Todavia, é importante entender o quanto pode ser perigoso se manter perto desse marimbondo, que também tem um dos ataques mais mortais de todo o planeta.

Marimbondo-Carniceiro

  • Países de preferência: Brasil, Venezuela e Suriname;

  • Grupos para voo: cerca de 2 a 5 membros.

O marimbondo-carniceiro é um tipo bastante comum na América do Sul, em países como Brasil, Venezuela, Bolívia, Equador e Colômbia. Além disso, o animal se faz presente em larga escala no Suriname, que ajuda a dar o nome científico do marimbondo: Syoneca surinama. Esse tipo de inseto pode ser encontrado nas áreas de pastagens úmidas dos países sul-americanos, onde as temperaturas também são elevadas e ajudam a oferecer um ambiente mais propício para o desenvolvimento do animal.

Vale lembrar que, como o marimbondo-carniceiro necessita de fontes de água corrente para sobreviver, o mais comum é que esse animal se localize em áreas urbanas ou perto de rios. Durante as fases mais secas do ano, quando é mais complicado ter acesso às fontes de água, o normal é que o marimbondo-carniceiro crie um ambiente bastante positivo em seu ninho, com folhagem e alguma reserva de alimentos.

Pois, nesses períodos do ano, o mais comum é que o inseto seja obrigado a voar para locais muito distantes em busca de água. Para suportar o trajeto, é necessário estar bem nutrido e aquecido, duas das coisas que o ninho pode oferecer. O marimbondo-carniceiro é uma das espécies mais comuns de marimbondo no Brasil, o que também possui relação com rios, lagos e outras fontes de água. Acontece que quase todo o país possui enorme oferta de ambientes desse tipo, o que ajuda a tornar o marimbondo em questão mais popular.

O marimbondo-carniceiro pode até ser encontrado sozinho, mas isso está longe de ser o normal para essa espécie. Isso porque o inseto costuma viver em colônias pequenas, com uma rainha bem definidas e muitos operários para realizar o trabalho pesado. Logo, o esperado é ver o marimbondo-carniceiro voando em parceria, em grupos que podem variar entre 2 e 5 membros.

Os machos têm pouca ou nenhuma importância para a espécie, a não ser quando se trata de reprodução. Dessa maneira, o macho costuma se manter no ninho, apenas tendo o trabalho de reproduzir e gerar novas operárias. As outras tarefas, como a defesa do ninho ou a busca por alimentos, são desenvolvidas pelas operárias e não guardam qualquer tipo de relação com os machos.

O animal possui um comportamento muito agressivo quando há algum tipo de ameaça de ataque, sobretudo quando essa acontece perto do ninho. Isso porque, assim como em outras espécies de insetos, o grande objetivo do marimbondo-carniceiro é salvar a sua rainha dos eventuais problemas. Outro detalhe característico desse tipo de vespa é o seu zumbido, um som muito forte e que marca o modo de vida do marimbondo-carniceiro.

Portanto, o mais comum é que esse inseto seja capaz de se comunicar muito bem a partir dos zumbidos, que servem para alertar contra eventuais problemas. Cerca de 10% dos membros do ninho podem emitir os sons de alerta, já que esse poder demonstra uma liderança sobre os outros exemplares. Em geral, os mias velhos é que podem alertar sobre os perigos contra o ninho.

Marimbondo-Cavalo

  • Comprimento: até 5 centímetros;

  • Comprimento do ferrão: até 1 centímetro;

  • Dor da picada: para muitos, a mais forte do mundo, com forte sensação de queimação.

  • Tempo de ação da dor após picada: cerca de 3 minutos.

O marimbondo-cavalo é um dos insetos mais perigosos de todo o planeta, já que possui uma picada muito forte. Assim, o animal é tão agressivo em sua picada que sequer há um modelo médico satisfatório para lidar com o problema, já que os antídotos não costumam funcionar muito bem.

A dor da sua picada, segundo especialistas, é comparável a um tiro, podendo arder muito. A área da picada também costuma ficar inchada e vermelha, já que há um extravasamento de plasma sanguíneo na região. Logo, em resumo, é possível que a picada do marimbondo-cavalo tenha como efeitos:

  • Dor aguda no local;

  • Febre;

  • Dor de cabeça;

  • Delírios.

Uma dica comumente dada em algumas regiões do mundo é que o paciente se deite e grite bastante, já que isso pode fazer com que a sensação de dor passe por algum tempo. A boa notícia é que o efeito da picada dura apenas cerca de 3 minutos, muito menos do que outras picadas de outros insetos. Portanto, depois desse período o local do ataque começa a desinchar.

É recomendado, depois de cerca de 10 minutos, lavar a área com sabão para realizar a limpeza da região. Também é interessante realizar compressas de gelo sobre a parte do corpo afetada, pois essa é uma maneira de diminuir a dor. Ainda segundo pesquisas práticas, a dor da picada do marimbondo-cavalo é tão grande que dificulta até mesmo o ato de falar ou o controle sobre a capacidade motora. Outra boa notícia quanto a isso é que o marimbondo-cavalo não voa em grupos, o que torna quase impossível um ataque em cadeia.

Como apenas um animal realiza a ofensiva, pode ser mais simples fugir para uma área segura em busca de tratamento médico adequado. Assim como outros tipos de marimbondos, esse também gosta de matar aranhas para o consumo, sobretudo quando está prestes a ver suas larvas nascerem. Isso porque as aranhas podem oferecer os nutrientes necessários para que o filhote de marimbondo-cavalo consiga passar por uma fase complicada da vida, quando o número de mortes é bastante alto na espécie.

Essa espécie de marimbondo pode chegar a cerca de 5 centímetros de comprimento, tendo ainda quase 1 centímetro apenas para o ferrão. Na verdade, as imagens do ferrão desse animal já são assustadoras por si só, mostrando muito bem como pode ser complicado se aproximar dele. Para muitos, essa é a picada mais forte e poderosa de todo o mundo, mas há quem duvide. De qualquer maneira, o certo mesmo é que o marimbondo-cavalo está entre aqueles insetos mais temidos pelos seres humanos.

Sintomas e Como Cuidar de Uma Picada de Marimbondo

Cuidar de Uma Picada de Marimbondo
Cuidar de Uma Picada de Marimbondo

Uma picada de marimbondo pode ser bastante dolorosa, sobretudo quando o animal ataca em grupo ou sabe exatamente onde machucar. Em todo caso, o certo mesmo é que o marimbondo pode causar grandes estragos na vida das pessoas. Porém você sabe ao certo quais são os sintomas da picada de um inseto desses?

Saberia como reagir ou por quanto tempo sentiria a dor? Provavelmente não, pois essas são informações essenciais e que apenas uma pequena parte da população possui. No caso, sobre os sintomas de uma picada de marimbondo, o mais comum é sentir uma grande e intensa dor no local da picada. Além disso, é possível que haja forte inchaço e muita vermelhidão na área, sobretudo quando o animal possui um veneno muito poderoso.

Ainda pode ser bastante complicado levantar a área que foi picada: muitas vezes as picadas na perna impedem que uma pessoa possa até mesmo andar. Por fim, a sensação de queimação é muito grande, como se alguém estivesse colocando água fervente sobre o seu corpo. Nesses casos, o que você não pode fazer em nenhuma hipótese é coçar o local da ferida. Tenha calma, pois existem formas mais eficientes de acabar com o problema. Tenha em mente, também, que as picadas de marimbondo podem até ser dolorosas, mas não costumam durar muito tempo. O mais comum é que elas durem apenas alguns poucos períodos, entre 2 a 10 minutos.

Nesse tempo, o principal a fazer é lavar a área da picada com sabão, algo que evitará a entrada de bactérias pelo local da ferida. Não é necessário fazer uso do álcool, que apenas tratará de deixar a sua ferida muito mais dolorida. Ademais, também é muito útil aplicar uma compressa de gelo sobre o local, por cerca de 15 a 20 minutos, a depender do nível de intensidade da dor.

O gelo diminuirá a sua dor, algo essencial para quem está em situação negativa. Por fim, após o gelo, pode ser importante passar uma pomada específica contra a alergia, pois assim o risco de desenvolver outros problemas será diminuído. Essa pomada poderá ser usada ao longo de 4 ou 5 dias, sendo usada cerca de 3 vezes ao dia. Mas, afinal, quanto tempo demora para desinchar o local da picada do marimbondo?

Na verdade, esse tempo poder variar bastante de pessoa para pessoa, a depender ainda do tipo de marimbondo que realizou a picada. Todavia, o mais frequente é que o período de inchaço dure entre 2 e 3 dias. Caso o tempo de inchaço seja superior a 5 dias, procure o médico imediatamente, pois certamente há algo de errado com a ferida. Se você for alérgico, algo muito comum para muitas pessoas, pode ser interessante visitar o médico logo que começar a apresentar reações pelo corpo.

Por Que as Pessoas Não Gostam de Marimbondos? Eles São Apenas Ruins?

Marimbondo no Ninho
Marimbondo no Ninho

As abelhas possuem uma relação muito mais próxima das pessoas quando comparadas aos marimbondos. Contudo, você realmente entende o porquê disso? Segundo uma pesquisa realizada pela rede de comunicações BBC, com 750 pessoas entrevistadas, há alguns motivos que indicam essa alta rejeição em relação aos marimbondos. Na realidade, um dos motivos que explicam a falta de contato entre pessoas e marimbondos é o fato de a imagem desses animais ser muito negativa.

Pois, por mais que uma picada de marimbondo possa realmente ser muito agressiva, uma picada de abelha também não é nada gentil. A diferença, segundo a pesquisa, é que as abelhas parecem menos ofensivas e agressivas, até mesmo pela boa imagem construída ao longo de anos junto às pessoas.

Seja pelo mel adocicado ou pelo fato de estarem presentes em filmes e desenhos, o fato final é que as abelhas puderam fazer uma imagem mais positiva. Os marimbondos, em contraponto, são vistos apenas como os insetos que podem machucar e criar problemas. Logo, alguns biólogos defendem que a relação negativa pode ser alterada, ao menos para começar o processo, por uma campanha de marketing mais positiva para o marimbondo. Isso porque os marimbondos são perigosos, mas também fazem a polinização das plantas e têm uma função essencial no modo de vida dos outros seres vivos.

Marimbondo no Dedo de uma Pessoa
Marimbondo no Dedo de uma Pessoa

Assim, a morte de marimbondos sem motivo é ruim para todo o equilíbrio do ambiente natural. Saiba, então, que não se deve matar um marimbondo apenas pelo fato de ele ter se aproximado muito de você. Nesses casos, o melhor a fazer é deixar o ambiente. Se não for possível, trate de espantar o animal. Se mesmo assim o marimbondo não for embora, tenta colocá-lo em um ambiente fechado e solte-o no quintal ou na rua. Matar o inseto deve ser sempre a última alternativa, a ser usada quando não houver mais possibilidades.

Como Manter Marimbondos Distantes

A melhor forma de manter os marimbondos distantes é evitar deixar restos de doces pela casa, além de evitar também manter fontes de água parada pelo lar. Isso porque os marimbondos gostam de fontes de água, pois precisam delas para receber os nutrientes necessários à sua vida. Logo, o mais natural é que o marimbondo faça sua casa perto de uma fonte de água. Se a sua piscina pode ser fechada, por exemplo, uma grande dica é fazer isso, pois o ato manterá os marimbondos mais distantes.

No verão, quando as piscinas são mais numerosas e as temperaturas são maiores, os casos de ataques de marimbondos cresce de forma alarmante. Se você estiver longe de casa, uma outra dica  é fazer uma fogueira, já que os marimbondos não gostam do fogo e se manterão afastados caso percebam a presença de uma fogueira por perto. Outra dica válida é retirar os ninhos sempre que eles estiverem pequenos, pois nessa fase ainda será possível ter algum controle sobre a reação dos marimbondos.

Caso você espere além do recomendado, poderá ter problemas para lidar com o contra-ataque do marimbondo. Certifique-se de que não possui alergias relacionadas a insetos, pois a última coisa que você deseja é ter alergia, não saber e ser picado por um marimbondo. Como a reação do corpo costuma ser muito forte nesses casos, isso pode gerar pânico em você e causar ainda mais problemas.

Veja também

Espécies de Mariscos: Lista com Tipos- Nomes e Fotos

Os mariscos, também conhecidos como frutos do mar, são os queridinhos na culinária, principalmente nas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *