Home / Animais / Espécies de Lagarto: Lista Com Tipos, Nomes e Fotos

Espécies de Lagarto: Lista Com Tipos, Nomes e Fotos

Os répteis são um grupo de animais muito importantes para as pessoas, tendo até mesmo participação na geração de ancestrais do ser humano. Além disso, esse tipo de animal ainda é conhecido em todo o mundo por ter algumas características em especial, como a falta de controle sobre a sua temperatura interna ou as escamas recobrindo todo o corpo. Esse é o caso dos lagartos, que possuem o corpo todo coberto por escamas e anda têm uma cauda alongada, outro detalhe marcante.

Ademais, os lagartos também são famosos pelo fato de possuírem muitas espécies em todo o planeta. Na realidade, esses animais têm cerca de 3 mil espécies em todo o mundo, armazenados ao longo de 45 famílias. Assim, como era de se esperar, alguns lagartos possuem modo de vida bastante diferenciado em relação a outros.

Em todo caso, por mais que você não soubesse, lagartixas, iguanas e camaleões também fazem parte do grupo dos lagartos. Logo, é essa adição que faz do grupo ainda maior, com uma enorme diversidade ao longo de toda a lista de espécies. Se você deseja conhecer mais a respeito dos lagartos, aprendendo um pouco além sobre esse animal tão interessante, veja mais informações abaixo.

Lagartos Basiliscus

  • Comprimento: 70 a 75 centímetros;

  • Espécies conhecidas: 4;

  • Principal característica: caminha sobre a água.

O mundo dos lagartos é bastante complexo, com cada animal possuindo histórias de vida longas e variadas. Logo, entre eles estão os lagartos basiliscus, que pertencem a um gênero relativamente famoso quando se trata de lagartos. Assim, esse tipo de animal é bastante semelhante às iguanas, embora sejam muito mais ágeis e, portanto, mais capazes de atacar presas.

Além disso, pela sua velocidade a mais, os lagartos basiliscus também possuem mais facilidade quando se trata de fugir dos predadores. Vale ressaltar que, em relação aos répteis pequenos, em geral há uma série de possíveis predadores para cada um deles, sempre espalhados pela natureza.

Outro ponto muito interessante sobre os lagartos basiliscus é que possuem uma alimentação bastante variada e diversificada, que inclui muitas frutas e alguns insetos. Na verdade, a depender da ocasião, é possível até mesmo que o lagarto desse gênero possa consumir carne advinda de animais grandes. Todavia, em condições normais e mais equilibradas, os insetos é que fazem parte da dieta dos basiliscus com mais frequência.

O temperamento desse tipo de lagarto não costuma ser muito agradável, já que é muito comum ver o animal caçando ou sendo caçado. Assim, até mesmo pelo medo em relação aos possíveis perigos presentes ao redor, o mais normal é que os lagartos basiliscus não se comportem muito bem quando na presença dos seres humanos. Ademais, esse tipo de lagarto é chamado de Jesus Cristo com alguma frequência.

Isso acontece pelo fato de o réptil ser capaz de caminhar sobre a água em muitos casos, aproveitando sua velocidade acima da média para se sobrepor às leis da física e, assim, mostrar que caminhar sobre um rio ou até mesmo sobre o oceano é possível. Quanto aos seus detalhes físicos, o mais comum é que um basiliscus tenha de 70 a 75 centímetros de comprimento, já incluindo o tamanho da sua longa cauda. O crescimento desses animais costuma ser para sempre, com os jovens se diferenciando apenas por crescer de maneira mais rápida.

Outro detalhe é que o lagarto basiliscus pode se regenerar em algumas partes do corpo, como a cauda. Logo, caso a sua cauda seja comida por um animal maior, o lagarto da espécie pode ver crescer, dentro de algumas semanas, uma nova cauda. Quando procurados por alguns predadores, os lagartos basiliscus podem cavar buracos no solo para se esconder, impedindo que esses predadores se aproximem. A prática é relativamente comum nos animais do gênero, mas depende da região geográfica na qual está inserido o réptil.

Camaleão

  • Principal característica: mudança de cor;

  • Comprimento: até 60 centímetros;

  • Espécies conhecidas: cerca de 80.

Por mais que algumas pessoas pensem que o camaleão é um animal à parte dos lagartos, a verdade é que esse tipo de réptil é apenas mais uma variedade de lagarto presente no mundo. Dessa maneira, o camaleão possui o grande diferencial de ser bastante conhecido pelas pessoas, em geral pelo fato de alterar a sua coloração quando deseja. Porém, não é bem assim que isso acontece.

Na verdade, o camaleão apenas pode mudar de cor quando pertence a algumas espécies em especial, sendo que esse animal não costuma fazer a mudança com facilidade. Para tal, segundo pesquisas um pouco mais recentes, chegou-se à conclusão de que o camaleão precisa ter duas camadas sobrepostas em sua pele, com cores diferentes.

Logo, o que faz mudar de uma camada para a outra é o fato de o réptil alterar a forma como absorve a luz ou a reflete, a depender da cor em questão. De forma um pouco mais direta, é possível dizer que o mecanismo de mudança de cor do camaleão não passa de um jogo de ilusão de ótica proporcionado pela forma como reflete ou absorve as ondas de luz. Ademais, em relação aos tipos de camaleão que existem no mundo, o esperado é que hajam cerca de 80 espécies em todo o planeta.

Todavia, é possível que algumas ainda não tenham sido descobertas pelas pessoas, em geral pelo fato de estarem mais distantes da civilização. De qualquer maneira, com detalhes únicos e bastante interessantes em seu modo de vida, o camaleão costuma chamar a atenção das pessoas. Isso acontece, por exemplo, quando se trata da visão 360 graus do réptil.

Olho do Camaleão
Olho do Camaleão

Na realidade, portanto, um camaleão pode girar o globo ocular para onde quiser, podendo mudar a direção do olhar como bem entender.

Ademais, o animal ainda pode fazer a escolha com cada um dos olhos, podendo olhar para a esquerda e para a direita ao mesmo tempo. Além disso, outra questão chave do modo de vida do camaleão está na sua cauda, que é preênsil. Em outras palavras, o camaleão consegue prender a sua cauda onde desejar, já que pode movê-la da forma que quiser. Dessa maneira, o movimento ajuda a fazer com que o réptil possa se movimentar mais facilmente no topo de árvores, por exemplo.

Por conseguinte, é comum ver um camaleão se movendo sobre as árvores grandes e altas. Por fim, sendo um animal típico da Europa, Ásia e parte da África, a grande verdade é que o camaleão já superou todas as barreiras geográficas e, atualmente, se encontra presente em considerável parte de todo o planeta. No Brasil, por exemplo, é possível encontrar espécies desse animal em diversas partes do país, como se pode ver nas regiões Nordeste e Sudeste.

Lagartixa

  • Outros nomes: osga, tatuíra, briba, geco, sardanita e biba;

  • Continente de origem: África.

A lagartixa é mais uma variação de lagarto presente no planeta Terra. Dessa maneira, é muito comum que as pessoas conheçam bem as lagartixas, até mesmo pelo fato de esse animal estar presente em casas de todo o Brasil. Nas casas, o mais comum é que o réptil não crie problemas e seja um inquilino bastante educado, tratando apenas de comer os insetos que podem assustar e, esses sim, criar problemas para você.

Assim, as lagartixas costumam consumir baratas, escorpiões e aranhas para evitar que o seu lar tenha esses animais agressivos. Em todo caso, ainda que muitas não saibam, a lagartixa nasceu na África. Dessa maneira, originada mais perto do Norte do continente africano, é natural que o animal não goste tanto de temperaturas muito úmidas. Ainda assim, no Brasil a lagartixa passou por uma série de mudanças, sendo possível encontrar alguns tipos desse animal no território nacional, com características especiais de cada um deles.

Outra questão importante é o fato de que as lagartixas sobem nas paredes e até mesmo em vidros com extrema facilidade. Porém, como há atrito suficiente entre a pata do animal e a superfície vertical, seja ela qual for, ao ponto de a lagartixa subir facilmente? Na realidade, isso acontece pelo que a física e a química chamam de Forças de Van ser Waals. Em resumo, é esse tipo de relação que se dá entre as patas da lagartixa e a superfície, criando atrito suficiente para manter o animal preso.

Porém, você verá facilmente que essa força não é tão grande assim se tentar derrubar uma lagartixa da parede, o que não é recomendado. Nesse caso, o animal cairá sem muita dificuldade, já que, em geral, costuma se colocar no limite exato entre a queda e a permanência na superfície vertical. Em alguns casos, as lagartixas ainda possuem uma capacidade de camuflagem semelhante àquela vista no camaleão, fazendo com que o animal possa trocar de cores com o tempo.

O mecanismo é o mesmo utilizado pelo outro réptil, havendo camadas de cores diferentes e sobrepostas. Ao longo do tempo, essas camadas vão se alternando, a depender sempre de como a luz é refletida ou absorvida pela pele da lagartixa. Contudo, é muito menos comum ver esse tipo de ação quando se trata de uma lagartixa. Sobre o sistema de respiração do animal, bastante complexo para um ser tão pequeno, o natural é que a lagartixa respire apenas pelos pulmões.

Dessa forma, há um sistema respiratório fechado, duplo e completo, com o animal necessitando de gás oxigênio para manter a sua capacidade de vida. Quanto aos seus principais predadores, muitas vezes os grandes inimigos das lagartixas estão dentro das casas. No caso, gatos e cachorros domésticos podem ser problemáticos quando se trata do relacionamento com o réptil. Além disso, as cobras podem ser um problema também muito grave, até mesmo pelo tamanho e pela voracidade com a qual buscam transformar as lagartixas em alimento.

Iguanas

  • Distribuição geográfica: Parte da América do Norte, América Central e América do Sul;

  • Alimentação predominante: vegetais;

  • Família: Iguanidae.

As iguanas são, também, espécies de lagartos muito comuns em algumas partes do planeta. Dessa maneira, o mais comum é que as iguanas sejam vistas de forma frequente na América do Sul, onde o animal se faz amplamente conhecido. A verdade é que, no passado, as iguanas eram conhecidas apenas como “lagartos do Novo Mundo”, como se fossem apenas mais um tipo de lagarto.

Embora não deixe de ser verdade, na realidade há algumas outras diferenciações importantes em relação ao modo de vida desse tipo de animal. Uma iguana costuma ter, por exemplo, detalhes mais coloridos pelo corpo, além de ser mais arredondada.

Assim, o animal se mostra bastante conhecido em locais como México, parte dos Estados Unidos, países do Caribe e também alguns da América do Sul, incluindo o Brasil. A alimentação das iguanas é mais voltada para frutas e vegetais, ainda que alguns insetos possam fazer parte dessa alimentação. Não é normal, contudo, que uma iguana consuma carne advinda de animais maiores, nem mesmo já em estado de decomposição.

Uma característica marcante das iguanas é que elas possuem uma espécie de “papada”, algo que nem todos os lagartos têm. Assim, a melhor forma de diferenciar uma iguana dos outros répteis ou até mesmo dos outros lagartos é observar o seu papo. Em todo caso, tenha bastante atenção, pois a família das iguanas é grande e, como tal, pode ter uma série de pequenas diferenças entre si. A mais conhecida de todas as espécies é, sem dúvidas, a chamada “iguana comum” ou “iguana iguana”.

Verde e com alguns outros detalhes coloridos, a iguana desse tipo costuma medir até 2 metros de comprimento, com cerca de 15 quilos. O animal é muito comum na América do Sul, podendo se encontrado em muitos estados da região Norte do Brasil. Como possui poucos predadores, dado o seu tamanho fora do comum, essa iguana se encontra em ótimo estado de conservação, sendo um dos animais menos ameaçados em todo o continente sul-americano.

Portanto, quando se pensa em iguana, é muito comum que as pessoas imaginem logo um exemplar dessa espécie. Todavia, é importante saber que há outros tipos por todo o mundo, que podem guardar outros tipos de características. Logo, é fundamental conhecer ao menos alguns deles para que seja possível realizar a diferenciação entre as espécies.

Lagarto Agamidae

  • Espécies conhecidas: cerca de 300;

  • Distribuição geográfica: África, Europa e Ásia.

O lagarto agamidae é um tipo de lagarto bastante comum entre a África e a Ásia, estando também presente na Austrália e em algumas partes do Europa. Ao todo, calcula-se que a família de lagartos em questão possua cerca de 300 espécies.

A relação entre esse tipo de animal e as iguanas é clara, embora haja diferenças também muito diretas entre ambos. No caso, o lagarto agamidae não possui a papada como sua característica, embora também seja bastante colorido e tenha o mesmo tipo de dentição encontrado nas iguanas.

Segundo pesquisas de profissionais da área, o mais provável é que a família agamidae e a família das iguanas tenham um ancestral em comum muito próximo, fornecendo características muito semelhantes a ambos os tipos de lagartos. Em todo caso, o lagarto agamidae se caracteriza também pelo fato de ter pernas fortes e muito resistentes. Desse modo, o animal possui um modo de vida muito focado em suas pernas, podendo escalar superfícies verticais quase como se fosse uma lagartixa.

Lagarto Agamidae
Lagarto Agamidae

Porém, de forma diferente àquela vista no mundo das lagartixas, a capacidade de regeneração do lagarto agamidae é bastante reduzida. Portanto, não é comum que o animal consiga recuperar partes do corpo que se perderam por algum motivo. Ainda assim, em casos um pouco mais isolados, até é possível ver um exemplar de agamidae realizando a regeneração. Já quanto às mudanças de cor, que existem em muitos lagartos de diversos tipos, elas também estão presentes no lagarto agamidae.

Todavia, esse tipo de animal encontra mais problemas quando se trata de realizar a sua mudança de cor, sendo capaz apenas de alterar algumas pequenas partes. Logo, se o animal é azul, por exemplo, o mais comum é que a sua camuflagem tenha apenas um azul um pouco mais claro ou mais escuro, mas sem grandes diferenciações. Ademais, o lagarto agamidae pode ser encontrado em áreas de deserto, onde o animal encontra o ambiente adequado para crescer e se desenvolver da forma correta.

Isso porque o deserto oferta muitos dos insetos que fazem parte da alimentação do lagarto agamidae, como é o caso de alguns pequenos escorpiões. Porém, esse tipo de lagarto também pode sobreviver sem maiores dificuldades quando se encontra em áreas de floresta tropical, desde que não sejam extremamente chuvosas a todo tempo.

Lagarto Varanidae

  • Espécie mais famosa: dragão-de-komodo;

  • Principal característica: agressividade.

O lagarto varanidae costuma ter, em geral, tamanho muito mais elevado do que a grande maioria das outras famílias de lagartos. Assim, a família dos varanidae possui o maior lagarto do mundo: o dragão-de-komodo. Carnívoros na grande maioria das vezes, os lagartos varanidae possuem um tamanho realmente grande, sendo conhecidos em grande parte do mundo pelo fato de assustarem diversos animais.

Esse é o tipo de lagarto mais agressivo de todo o planeta, até mesmo pelo fato de ser grande. Assim, com consciência de como pode causar danos às pessoas e a outros animais, o lagarto varanidae costuma atacar sem muitas dificuldades. O metabolismo do animal é muito acelerado, já que, como lagartos, são répteis. Porém, por serem tão grandes e com um metabolismo tão acelerado, os lagartos varanidae precisam comer a todo momento.

Essa junção de características faz com que esse tipo de animal se transforme em uma grande perigo para todos ao redor, causando enormes problemas para alguns ecossistemas.

Isso porque algumas espécies da família são tão grandes e tão agressivas que impedem o crescimento de outros animais ao redor, tornando o lagarto varanidae um tipo mal visto pelas comunidades que estudam a biologia e fazem de tudo para oferecer um ambiente mais equilibrado ao mundo animal. Outro ponto de destaque do lagarto varanidae é a sua capacidade de visão muito apurada, mostrando como esse animal pode ser mortal quando deseja.

Dessa forma, o réptil acaba por se mostrar um grande caçador. Além disso, o olfato do lagarto varanidae é desenvolvido, com o animal sendo capaz de farejar a carniça ou outros restos a qualquer momento, ainda que estejam a alguns quilômetros de distância. Para completar o pacote de caçador implacável, o lagarto varanidae ainda é muito veloz, mesmo que pesado. Isso tudo torna o animal um tipo diferenciado no universo dos lagartos, podendo causar danos às pessoas ou a outros animais facilmente.

Por fim, o lagarto varanidae se encontra no mundo há milhões de anos, tratando apenas de mudar algumas das suas principais características. No passado, assim, havia animais dessa família que conseguiam até mesmo viver na água e caçar no ambiente, algo que foi se perdendo com o tempo. O dragão-de-komodo, por exemplo, por mais que seja muito agressivo, não se mostra capaz de buscar suas presas no ambiente aquático.

Lagarto Scincidae

  • Espécies conhecidas: cerca de 1200;

  • Comprimento: de 16 a 35 centímetros.

O lagarto scincidae representa uma família de lagartos escamosos, mais presentes em áreas arenosas do mundo. Pequeno, esse tipo de lagarto não costuma ser um grande problema para as pessoas, até mesmo pelo fato de se fazer presente em áreas mias afastadas das grandes civilizações. Esse é considerado um dos grupos mais diversos de lagartos em todo o mundo, possuindo muitas espécies e características bastante interessantes para cada uma delas.

Assim, há cerca de 1200 espécies do lagarto scincidae em todo o planeta Terra, com inúmeros detalhes que tornam cada uma delas única. Logo, traçar características em comum não é uma tarefa tão simples, já que elas variam bastante. Em todo caso, o tamanho médio dos lagartos scincidae fica entre os 16 e os 35 centímetros de comprimento, com algumas das espécies tendo também patas muito bem desenvolvidas.

Esse cenário faz com que seja mais simples para os animais desse tipo se locomover pelo mundo, buscando sempre áreas capazes de oferecer alimentação em larga escala. Portanto, o lagarto scincidae é conhecido por caminhar bastante, ainda que pequeno.

Porém, se algumas espécies possuem as patas desenvolvidas, há aquelas outras em que essas patas praticamente foram sumindo com o passar do tempo. Dessa maneira, alguns exemplares do lagarto scincidae praticamente rastejam ou possuem apenas pequenas patinhas. Como todo réptil, esse também precisa regular a sua temperatura interna a partir da temperatura externa.

Porém, o fato de ser pequeno atrapalha o processo para o lagarto scincidae, que muitas vezes caminha por tanto tempo ao ponto de se distanciar de fontes de água. Nesse caso, o animal busca locais à sombra, como buracos de cavernas, troncos de árvores ou qualquer outro ambiente que possam armazenar o ar fresco. Contudo, nenhum desses locais faz com que a temperatura interna dos lagartos scincidae diminua de forma tão rápida quanto a água. A alimentação do lagarto scincidae se baseia em insetos, o que faz desse animal um carnívoro.

Todavia, o lagarto não é capaz de consumir restos de animais maiores, ficando longe de carniças. Como a grande maioria das espécies são terrestres, o risco de extinção é alto para muitas delas. Assim, as espécies que vivem em árvores ou até mesmo no ambiente aquático costumam ter menos risco de serem extintas. Com hábitos diurnos, os lagartos scincidae realizam poucas tarefas à noite.

Dragão-de-Komodo

  • Altura: 40 centímetros;

  • Comprimento: 3 metros;

  • Peso: cerca de 165 quilos;

  • País de origem: Indonésia.

O dragão-de-komodo é da família Varanidae e, como tal, possui grande porte. Na verdade, o dragão-de-komodo é o maior lagarto de todo o mundo, ocupando a posição de topo quando se trata de tamanho desses animais. Comum na Indonésia e apenas lá, esse tipo exótico de réptil pode atingir cerca de 40 centímetros de altura e mais ou menos 165 quilos, além dos 3 metros de comprimento.

O dragão-de-komodo é tão grande e tão agressivo com outros animais do ecossistema que não possui sequer um predador, já que ninguém se mostra capaz de matar esse tipo de lagarto onde ele vive. Assim, o dragão-de-komodo se mostra como ser vivo dominante do ecossistema presente na Indonésia, sendo capazes de consumir carniça de outros animais e também de caçar.

Segundo algumas pesquisas profissionais em relação ao animal, calcula-se que o dragão-de-komodo não seria tão grande caso disputasse os seus alimentos com outros animais grandes e também carnívoros. Assim, sem competição por alimento onde vive, essa espécie cresceu por gerações, ao ponto de alguns exemplares chegarem perto dos 200 quilos.

O dragão-de-komodo costuma usar a sua língua para realizar muitas funções do dia a dia, como descobrir o sabor dos alimentos. Porém, além dessa função já básica, o animal ainda pode fazer uso da sua língua para sentir o cheiro presente no ambiente, o que ajuda o réptil a se locomover. Na verdade, se ajudado pela direção do vento, o dragão-de-komodo pode sentir o cheiro de uma carniça a cerca de 10 quilômetros de distância, algo completamente surreal quando se trata de um réptil comum.

As narinas do dragão não servem para que o animal seja capaz de respirar, pois o réptil não possui um diafragma. Assim, apenas a boca realiza esse processo. Tampouco a audição do dragão-de-komodo é apurada, já que a espécie não é muito eficiente em escutar. O animal em questão costuma comer as suas presas ao morder pedaços grandes e puxá-los inteiros, tirando-os do restante do corpo através da sua capacidade de força fora do comum.

Nesse sentido, o dragão-de-komodo se mostra um animal particularmente eficaz, podendo acabar com o corpo de um homem adulto em poucas horas, por exemplo. Ao longo de toda a história, há diversos casos em que o dragão-de-komodo atacou pessoas, embora nem sempre isso aconteça. Todavia, para quem vive na região, não é possível arriscar ficar muito perto do lagarto.

Lagarto Teiidae

  • Comprimento: de 7 a 72 centímetros;

  • Distribuição Geográfica: América do Sul e América Central.

O lagarto teiidae representa mais uma família de lagartos importante para o mundo, tendo animais pequenos e outros bem grandes. Os seres vivos dessa família são escamosos, com membros muito bem desenvolvidos. Isso faz com que o lagarto teiidae seja capaz de se movimentar com muita agilidade, movendo os seus membros muito bem.

Essa família de animais é muito antiga em todo o mundo, estando presente no planeta Terras há milhões de anos. Dessa forma, o lagarto teiidae se encontra presente em áreas vulcânicas ou que possuíam vulcões até alguns milhões de anos. América do Sul e grande parte da América Central, assim, estão entre os países nos quais o lagarto teiidae se faz presente de forma avassaladora.

Esse animal, como já dito, possui variações de tamanho dentro da família. Logo, algumas espécies podem ter cerca de 7 centímetros, enquanto outras possuem mais de 70 centímetros de comprimento. O ambiente em questão a abrigar a família de lagartos pode ser variado, sendo que há espécies que gostam mais de áreas de savana, enquanto outras preferem zonas equatoriais. O lagarto teiidae costuma se apresentar de forma mais frequente quando as temperaturas são altas, o que faz com que o abrigo do réptil já não seja mais tão interessante.

Isso porque, quando fora, a temperatura passa a ser menor do que dentro. Vale lembrar que o controle da temperatura é algo essencial para a manutenção da vida de um lagarto teiidae, assim como acontece com todos os outros répteis do planeta. Alguns dos gêneros dessa família foram descobertos há centenas de anos, enquanto outros apenas puderam ser encontrados mais recentemente, dada a dificuldade em acessar algumas áreas do mundo.

Quase não há registros de ataques do lagarto teiidae contra os humanos, até mesmo pelo fato de que alguns dos animais da família possuem menos de 10 centímetros de comprimento. De qualquer forma, caso os grandes representantes do grupo se sintam acuados e agredidos, é possível, sim, que haja o ataque em relação às pessoas. Na verdade, quase todos os lagartos maiores podem atacar as pessoas em casos pontuais, sendo que a grande maioria não realiza nenhuma ação contra o ser humano antes de ser agredido ou, ao menos, antes de imaginar que possa ser atacado de algum modo.

Iguana-Marinha

  • Distribuição geográfica: Galápagos;

  • Estado de conservação: estado de vulnerabilidade;

  • Alimentação: algas marinhas.

Muitos lagartos podem se aproximar da água e, com o tempo, desenvolver mais familiaridade com o ambiente aquático. Todavia, o único lagarto realmente marinho do mundo atende pelo nome popular de iguana-marinha.

Dessa forma, a iguana-marinha realmente vive no oceano e apenas deixa o ambiente em alguns momentos mais isolados do dia, quando se coloca nas pedras ao redor para regular a sua temperatura interna. Esse tipo de iguana, assim como outros animais exóticos, pode ser encontrada em Galápagos, uma série de ilhas que pertencem ao Equador.

Com clima diferenciado e muitas outras questões ambientais únicas, o arquipélago conta com seres vivos exclusivos. No caso da iguana-marinha, esse réptil vive entre o mar e as rochas ao redor do oceano, se alimentando das algas que habitam o local. As algas, por terem muita energia, fazem com que esse tipo único de iguana possa se manter alimentada por muitas horas com uma simples refeição.

Dessa maneira, é bastante comum que um exemplar da iguana-marinha permaneça sem comer por quase toda a extensão do dia. Contudo, o assunto é outro quando se fala em pegar sol nas rochas, já que esse é o cotidiano desse tipo de réptil. A iguana-marinha, por não ser um peixe ou um animal 100% marinho, obviamente não consegue passar todo o seu dia abaixo da superfície aquática. No caso, o mais comum é que a espécie passe apenas cerca de 1 hora abaixo da superfície, o que já pode ser considerado bastante tempo.

Ademais, a iguana em questão ainda se mostra famosa em grande parte do mundo pelo fato de ter uma história de chegada a Galápagos bastante curiosa. Segundo as teorias mais aceitas pela comunidade científica, portanto, calcula-se que a iguana-marinha chegou ao local há cerca de 10 ou 15 milhões de anos.

Acredita-se, então, que essas iguanas tenham chegado ao ambiente através do mar, já que as ilhas de Galápagos jamais foram ligadas ao continente. Adiante no seu modo de vida, a iguana-marinha costuma se fazer presente em locais onde a correnteza é menor, muitas vezes pelo fato de haver bancos de areia próximos.

Mas, em linhas gerais, esse animal habita regiões do mar capazes de oferecer pedras para o seu descanso, o que, como já explicado, é chave para a manutenção da sua vida. A iguana-marinha ainda gosta de águas frias, como são as águas de Galápagos. Pois, embora o conjunto de ilhas fique no Equador, a verdade é que as correntes oceânicas fazem do ambiente bastante frio, impedindo o aquecimento. Todavia, fora da água as temperaturas são mais altas, ajudando também o modo de vida da iguana.

O lagarto em questão, já que todas as iguanas são espécies de lagartos, consegue apenas subir a alturas um pouco acima do nível do mar. Portanto, é raro encontrar uma iguana-marinha acima dos 10 metros em relação ao nível do mar. Quando levadas pelas pessoas, costumam sobreviver bem até cerca de 100 ou 120 metros acima do nível do mar, apresentando problemas para controlar a sua temperatura e os seus sistemas quando muito acima disso. Portanto, o ideal é manter esse tipo de animal mais perto do seu ambiente de preferência, algo que às vezes acaba por ser desrespeitado por inúmeros seres humanos.

Camelão-de-Três-Chifres

Camelão-de-Três-Chifres
Camelão-de-Três-Chifres
  • Comprimento: cerca de 30 centímetros;

  • Continente de origem: África;

  • Estado de conservação: pouco preocupante.

O camaleão-de-três-chifres é um animal que, como o seu nome popular indica, possui três chifres sobre a cabeça. Essa espécie possui origem na África, embora já seja comum também em outras partes de todo o mundo atualmente.

O réptil em questão também pode ser chamado de camaleão-de-jackson, sendo mais comum em regiões frias e úmidas do planeta. No Brasil, por exemplo, o melhor ambiente para criar o camaleão-de-três-chifres seria a região Sul do Brasil, um pouco mais fria que as outras e que, ainda assim, possui umidade suficiente para manter o camaleão em questão em boas condições de conservação.

É bastante natural que a espécie seja encontrada em altas altitudes, muitas vezes até mesmo acima dos 3 mil metros, já que o clima tende a ser muito mais frio em áreas altas. Assim, diferentemente de outros tipos de lagartos, o camaleão-de-três-chifres apresenta as características ideias para quem vive em regiões mais elevadas em todo o mundo.

Esse cenário faz com que o animal seja muitas vezes usado como mascote de famílias, servindo como um animal doméstico. É claro que, para isso, é necessário ter um ambiente de descanso adequado para o réptil, fazendo com que ele mantenha o seu modo de vida de maneira relativamente natural. Todavia, embora muitas casas ainda tenham o camaleão-de-três-chifres como animal de estimação, em diversos locais do mundo a sua venda para esse objetivo é proibida.

Com a medida, busca-se impedir que o camaleão em questão possa ser criado com o intuito exclusivo da venda, algo capaz de levar a uma superpopulação desse réptil em muitas regiões do planeta. A alimentação desse tipo de lagarto costuma envolver insetos, até mesmo pela relativa dificuldade de locomoção por parte do camaleão. Além disso, o camaleão-de-jackson também se mostra conhecido pelo fato de os machos se sobreporem a outros machos através da mudança de coloração.

Dessa forma, é comum que dois animais do tipo disputem espaço dessa maneira, realizando o processo de alterar a sua cor para tons cada vez mais fortes e brilhosos. Todavia, quando apenas isso não é capaz de estabelecer uma ordem natural de força e domínio, muitas vezes o camaleão-de-três-chifres parte para a violência e para a luta física. Logo, não é incomum ver animais da espécie brigando por espaço ou até mesmo por outras fêmeas ao redor.

De porte médio, o camaleão-de-três-chifres possui cerca de 30 centímetros de comprimento, embora seja um pouco pesado. Ao contrário de outros répteis, o camaleão-de-três-chifres não coloca ovos para gerar os filhotes. Na realidade, esse animal gera filhotes já formados em seu corpo.

Um grande destaque, de qualquer forma, é a maneira como o animal faz uso da sua língua para capturar os insetos. Portanto, se você já leu algo a respeito ou já ouviu falar sobre o camaleão-de-três-chifres, é provável que ao menos imagine o quanto o animal pode ser eficaz com a língua. Em alguns itens da cultura popular, como desenhos animados ou séries, é possível encontrar o camaleão da espécie com essas características muito bem representadas.

Veja também

Pato Mergulhão: Características, Nome Científico, Habitat e Fotos

Você conhece o pato mergulhão? Quer aprender tudo sobre essa famosa e belíssima ave? Continue …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *