Home / Animais / Dermatite Canina: O Que é, Sintomas, Tratamento e Estresse

Dermatite Canina: O Que é, Sintomas, Tratamento e Estresse

A dermatite canina, como o próprio nome indica, é uma doença de pele, que pode ser causada por estresse – porém de fácil tratamento.

Os seus principais sintomas são: coceira intensa, vermelhidão, queda do pelo, escamação da pele, desenvolvimento de pequenas pústulas, entre outros sintomas.

Essa afecção geralmente acomete o animal quando este tem entre 60 e 90 dias de vida, e pode ser o sintoma de inúmeras doenças, como: sarnas, cinomose, alergias, pragas, entre outras.

Doenças que costumam ser confundidas com um simples transtorno cutâneo, e resultar em perda de tempo, dinheiro, além de prolongar o sofrimento do animal.

A dermatite canina é, na verdade, a doença mais comum em cachorros, especialmente naqueles com pelagem mais volumosa ou excesso de dobras, como os poodles, golden retriever, o chow-chow, o buldogue-francês, o shar-pei, entre outras raças com essas características de excesso de pelos ou estrutura enrugada.

Saber exatamente o que é uma dermatite canina, os seus principais sintomas, tratamentos, a influência do estresse para esse acometimento, entre outros detalhes, facilita, e muito, a recuperação do animal.

Que pode ser vítima de um ambiente extremamente restrito e hostil, capa de fazê-lo apresentar sinais visíveis de estresse e um comportamento totalmente anormal.

E dentre as principais causas cientificamente comprovadas da dermatite canina, estão:

1.Sarnas

A sarna é provocada por ácaros – o Sarcoptes scabiei – , que geralmente apresenta-se na forma de sarna sarcóptica e demodécica.

Quando atacam o animal, esses parasitas causam uma inflamação na pele, acentuada pelo ato de coçá-la agressivamente – o que pode levar a um agravamento do quadro para lesões cutâneas mais sérias.

O tratamento é feito com cremes, pomadas, géis e shampoos que devem ser prescritos por um especialista em veterinária.

2.Bactérias, Fungos e Parasitas

Sabe-se que a dermatite canina é uma das doenças mais comuns em cães, e que manifesta-se por meio de sintomas bastante dolorosos, e cujo tratamento deve ser seguido rigorosamente, principalmente pelo fato de que outros fatores podem estar por trás desse mal.

São fatores como a presença de fungos, bactérias e demais parasitas na pele do animal, como os famigerados C. Tropicalis, Cryptococcus neoformans, o C. Albicans, o C. parapsilosis, entre outros, que podem ser adquiridos pelo contato com outro animal ou devido a um sistema imunológico fragilizado.

Um banho seguido por uma secagem incorreta do animal também pode ser uma das causas, além de materiais contaminados em estabelecimentos do tipo petshop – e para todos esses casos, somente um veterinário poderá indicar o tratamento.

3.Alergias

Sim, uma simples alergia a medicamentos ou a alimentos também pode ser a causa desse tipo de afecção. De acordo com a Associação Brasileira Protetora dos Animais (ABPA), entre 8 e 10% dos casos de problemas de pele em cães estão associados a alergias alimentares.

Na verdade, as alergias estão entre as principais causas do transtorno, especialmente nas raças Pastor Alemão, Golden Retriever, Bull Terrier, Shar-Pei, Buldogue (francês e inglês), entre outras raças que, com sabemos, caracterizam-se por possuírem uma densa pelagem ou excesso de dobras na pele.

O tratamento, mais uma vez, deve ser indicado por um veterinário! E o mais provável é que ele recomende a retirada de determinado alimento que o animal ingira costumeiramente, até que se perceba algum arrefecimento dos sintomas.

4.Pulgas e Carrapatos

As pulgas e carrapatos são, sem dúvida, alguns dos principais “companheiros” do dia a dia dos cães. Não há raça que se veja livre desses animaizinhos, que atuam como verdadeiros parasitas, alimentando-se do sangue do animal, enquanto retiram deles toda a sua vitalidade.

E o pior: muitas vezes são eles mesmos os causadores das dermatites, e que ainda podem, por tabela, provocar no animal um quadro de estresse, que acabará resultando na intensificação dos sintomas, que exigirão um tratamento ainda mais delicado.

Por ser um agente bastante visível, o tratamento tornar-se mais simples. Só que, da mesma forma, somente um veterinário será capaz de indicar o medicamento ideal, de acordo com o parasita identificado.

5.Estresse

Assim como qualquer ser vivo, os cães também podem ser submetidos a situações de estresse, principalmente quando criados sob forte tensão, maus-tratos, em um ambiente restrito, com alimentação inadequada, entregue à solidão, entre outras situações desencadeadoras de reações internas no seu organismo.

Nesse caso, tal dermatite pode ser também denominada de “psicogênica”, quando o próprio animal se automutila por meio de mordidas, excesso de lambeduras e arranhaduras, que configuram-se como um desafio para a ciência veterinária, principalmente pela inexistência de uma causa orgânica (objetiva), e sim comportamental (subjetiva).

Os cães de grande porte são os que mais apresentam o transtorno. São raças como os Dobermans, Pastores-alemães, Boxers, Filas, Labradores, entre outras raças com essas características – e que exigirão um tratamento de acordo com a realidade do seu dia a dia.

6.Distúrbios Hormonais

Nessa lista que trata do significado de uma dermatite canina, seus sintomas, tratamentos e o estresse como uma das causas, temos aqui também os distúrbios hormonais – típicos de alterações do sistema endócrino – como um fator desencadeador do transtorno.

Doenças como o hipotireoidismo, hipoadrenocorticismo, hiperadrenocorticismo canino (síndrome de cushing), hipertireoidismo, entre outras enfermidades, acometem pelo menos a metade dos cães acima de 7 anos de idade.

Essa afecção pode ter como causa fatores genéticos (hereditários), alimentação inadequada, excesso de medicamentos (ou medicamentos incorretos), entre outras causas.

O tratamento, como não poderia ser diferente, é levado a termo por um bom profissional em veterinária, que providenciará a suplementação hormonal de acordo com a raça, idade e características biológicas do animal – além dos medicamentos para o combate aos sintomas.

7.Dermatite Autoimune

Mais uma vez, os cães, como seres vivos que são, podem apresentar transtornos que seriam, ao menos em tese, típicos de seres humanos.

Como as doenças autoimunes, que manifestam-se quando as próprias defesas do organismo atacam órgãos e células saudáveis, por tê-las como invasores.

É uma doença bastante controversa e desafiadora para a ciência; e como não poderia ser diferente, também para a ciência veterinária, que ainda trava uma verdadeira batalha na busca pelas suas causas.

Nos cães, o resultado dessa reação dos sistema imunológico é o surgimento de feridas, bolhas e pequenas lesões, que, não tratadas, podem descambar para um quadro gravíssimo, que deverá iniciar-se pela perda dos pelos, do apetite, um quadro de indisposição do animal, a até alterações difíceis de serem tratadas.

Essa foi a nossa definição de dermatite canina, além dos seus sintomas e possíveis tratamentos. Mas, caso queira, compartilhe conosco as suas experiências. E não deixe de compartilhar os nossos conteúdos.

Veja também

Qual o Maior Urso que já Existiu?

Animais fascinantes, os ursos já povoam a Terra a milhões e milhões de anos. Pra …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *