Home / Animais / Comportamento da Salamandra, Hábitos e Modo de Vida

Comportamento da Salamandra, Hábitos e Modo de Vida

As salamandras compreendem em torno de 500 espécies diferentes de anfíbios. Esses animais, geralmente, possuem as pernas curtas, o corpo delgado e as caudas alongadas.

Para conhecer mais sobre as salamandras, hábitos e modo de vida, continue lendo e descubra aqui.

Hábitos e Modo de Vida das Salamandras

As salamandras podem ser encontradas em habitat úmido. A maior parte das espécies são pequenas. No entanto, há também algumas espécies que podem chegar a medirem até 5 metros de comprimento. Esses animais podem ser encontrados na Ásia, na África do Norte, ao norte da América do Sul, na Europa e também na América do Norte.

A maior parte das espécies de salamandras possuem 4 membros. Algumas espécies, no entanto, têm apenas dois membros. A maior parte delas tem entre 3 e 8 polegadas, ou seja, entre 7,5 e 20 cm de comprimento. O exemplar considerado maior de todos, que é a salamandra gigante, tem em torno de 1,7 metro. Enquanto que o menor exemplar mede cerca de 4 cm.

As salamandras vivem dentro da água ou próximo a ela. Procuram por abrigo em locais úmidos, e podem ser frequentemente encontradas em córregos, riachos, lugares úmidos (por debaixo de pedras, por exemplo) e lagos. Algumas espécies são totalmente aquáticas. Outras são semiaquáticas, e tem também as espécies totalmente terrestres.

As salamandras possuem sangue frio. Sua pele é bem macia e, normalmente, é bem úmida também. Assim como acontece com os demais anfíbios, as salamandras não vivem na água do mar. As espécies terrestres podem ser frequentemente encontradas sob troncos de árvores e pedras.

Salamandras - Hábitos Noturnos
Salamandras – Hábitos Noturnos

As salamandras ficam bem ativas durante a noite. É um animal de hábitos noturnos. Elas se escondem durante o dia.  Costumam se alimentar de vermes, de insetos e de aranhas. Quase todas as espécies põem ovos. Todas elas respiram, até um determinado ponto, pela pele. Há também aquelas que têm a capacidade de respirarem pelos pulmões, pelas brânquias ou por meio dos revestimentos da boca.

Para se protegerem dos seus inimigos, algumas espécies de salamandras costumam liberar um veneno com um sabor bem ruim, capaz de provocar a dor em seu inimigo. Ou podem ainda usar a cauda para chicotear o seu predador. Caso a sua cauda se rompa, uma nova cauda se desenvolve no local.

As salamandras nascem dos ovos. Várias delas começam a sua vida na forma de larvas. Estas, por sua vez, passam por várias mudanças até chegarem à fase adulta. Essas mudanças recebem o nome de metamorfose. Enquanto que as espécies que nascem na terra já apresentam a mesma forma que terão quando estiverem adultas.

Hábitos Alimentares das Salamandras

As salamandras terrestres puxam as suas presas usando a sua língua pegajosa. Ela consegue aderir bem à presa, fazendo com que esta seja facilmente arrastada para dentro da boca do animal.

Alimentam-se, basicamente, de insetos, minhocas, pequenos peixes, pequenas salamandras, lesmas, aranhas, vermes e insetos diversos.

Desenvolvimento da Salamandra

O desenvolvimento da salamandra é bem parecido com o desenvolvimento de outros anfíbios, como é o caso de sapos e de rãs, por exemplo. A maioria das espécies fertiliza internamente os ovos. E a postura varia de acordo com a espécie, podendo acontecer tanto na água quanto na terra.

Salamandra - Vivíparas
Salamandra – Vivíparas

Algumas espécies de salamandras são vivíparas. A maior parte delas, da mesma forma que acontece com os demais anfíbios, tem um desenvolvimento indireto, que passa pelo processo de metamorfose.

Enquanto ainda estão na fase de larvas, as salamandras apresentam plumosas ou brânquias externas. Na fase adulta, estas se perdem. Porém, algumas espécies apresentam uma característica denominada pedomorfose, na qual o animal continua apresentando características da fase larval mesmo depois de adulto. Um exemplo é o axolote que, mesmo quando já é um animal adulto, ele continua mantendo as brânquias.

Salamandra é um Animal Perigoso?

Assim como acontece com vários anfíbios, a salamandra apresenta glândulas capazes de secretar toxinas. Porém, essas substâncias são usadas apenas para o animal se defender.

Salamandra e suas Glândulas
Salamandra e suas Glândulas

Esse não possui nenhuma estrutura injetora de veneno.

Curiosidades Sobre as Salamandras

  • As salamandras são capazes de se regenerar. E são os únicos animais vertebrados com essa capacidade.
  • Alguns cientistas, de uma equipe internacional, conseguiram mapear o genoma da salamandra, e descobriram que ele é o maior que já foi identificado até o momento. Ela tem, ao todo, trinta e dois bilhões de pares de bases de DNA. Essa quantidade é, nada menos, 10 vezes maior do que o genoma do ser humano, que apresenta 3,2 bilhões de pares.
  • Quando a salamandra fêmea não quer acasalar, a forma que o macho tem de tentar convencê-la é esfregando nas narinas dela uma glândula, que se localiza em suas bochechas, e que liberar um odor afrodisíaco.
  • O macho da espécie de salamandra gigante é bem cuidadoso com os seus filhotes. Ele pega os ovos fecundados e os esconde embaixo de pedras dos riachos, para protege-los de inimigos. Até mesmo de outros membros pertencentes à sua mesma espécie.
  • Durante a Idade Média, havia a crença de que a salamandra podia renascer do fogo.
  • Alguns pesquisadores encontraram uma salamandra-gigante numa caverna da China, com, aproximadamente, 200 anos de idade, pesando 52 quilos e com um comprimento de 1,3 metros.
  • A salamandra-cega-do-texas não possui pigmentação no corpo, é cega (como o seu nome já diz), possui brânquias externas e vive em cavernas.

Salamandras da Península Ibérica

A Península Ibérica possui várias subespécies de salamandras. Elas variam muito de cores, tamanhos e costumes. Abaixo, listamos algumas das espécies de salamandras existentes no local. Confira!

Salamandra-Comum
Salamandra-Comum
  • Salamandra-comum: de cor preta, ela possui algumas listras, e também manchas amarelas, sendo que o tamanho pode variar de acordo com a área onde vive.
Salamandra Morenica
Salamandra Morenica
  • Salamandra Morenica: essa subespécie compartilha com a salamandra-comum o mesmo habitat. E sua reprodução também pode acontecer entre elas.
Gallipato
Gallipato
  • Gallipato: de todos os tritões, esse é considerado como o maior da Europa, podendo chegar a 30 cm de comprimento.
Tritão do Montseny
Tritão do Montseny
  • Tritão do Montseny: animal que vive na cordilheira Montseny. Está criticamente ameaçado de extinção.
Salamandra Fastuosa
Salamandra Fastuosa
  • Salamandra Fastuosa: é bem grande, tem a pele amarela, e listras e as manchas na cor preta.
Tritão-Pigmeu
Tritão-Pigmeu
  • Tritão-pigmeu: o seu comprimento varia entre 10 e 16 cm. Apresenta um corpo mais arredondado, apesar de ser um pouco achatado.

Existem várias espécies de salamandras da Península Ibérica, pois lá é um local ideal para abrigar anfíbios diversos. Além de terem o papel de indicadores do estado do ecossistema, de como está a sua “saúde”, as salamandras também ajudam a controlar os insetos e as pragas.

Veja também

Cores do Basset Hound: Preto, Branco e Marrom com Fotos

Raça originária na França, o Basset Hound é conhecido pelas suas orelhas grandes e caídas; …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *