Home / Animais / Comportamento da Enguia, Hábitos e Modo de Vida do Animal

Comportamento da Enguia, Hábitos e Modo de Vida do Animal

Dependendo do estágio de vida, as enguias podem ser encontradas em ambientes aquáticos marinhos, de água doce e salobra. Normalmente, a enguia é encontrada em profundidades de até 700 m., na maioria das vezes no fundo do oceano ou rio em que vive.

A faixa geográfica das enguias adultas inclui o Canal da Mancha e as costas do mar Mediterrâneo e do norte do Oceano Atlântico, da Islândia à Mauritânia. Seu alcance também abrange os mares do Báltico e do Norte, bem como todos os hidrossistemas continentais ou costeiros acessíveis. Nos primeiros meses da primavera, as enguias migram para o mar para procriação. As larvas nascem do mar e também podem ser encontradas ao longo da costa da Europa.

Características das Enguias 

A aparência das enguias varia muito, dependendo da fase da vida. Como leptocefalia, as enguias  são pequenas, lisas e transparentes. Após a metamorfose no estágio prateado, as enguias aparecem de cor prateada com barbatanas dorsal e anal alongadas que são contínuas com a barbatana caudal. As enguias não possuem barbatanas pélvicas.  Após a maturação sexual completa, as enguias  desenvolvem olhos aumentados, perdem a capacidade de se alimentar e ficam de cor verde, amarela ou marrom.  As enguias fêmeas são geralmente substancialmente maiores que os machos.

Ciclo de Vida das Enguias

As enguias começam seu ciclo de vida como ovos no fundo do mar. Eles eclodem como leptocephali, larvas em forma de folha. Após a eclosão, as larvas passam no máximo um ano migrando pelas correntes oceânicas. As larvas então se metamorfoseiam em ‘enguias de vidro’, o próximo estágio do ciclo de vida, e entram nas áreas estuarinas. As enguias de vidro masculinas continuam a crescer por aproximadamente 6 a 12 anos; fêmeas por 9 a 20 anos. Após uma metamorfose final, as enguias  migram de volta para desovar.

Ao atingirem a maturidade sexual, as enguias  migram dos riachos de água doce de volta ao mar, a fim de desovar e morrer no final do inverno até o início do verão. Os machos de enguias liberam espermatozoides na água em que as fêmeas já depositaram óvulos, fertilizando os óvulos. Muito pouco se sabe sobre o mecanismo real de desova e o tempo para chocar é variável.

Enguia em seu habitat
Enguia em seu habitat

Há pouca informação sobre sua reprodução, mas sabe-se que as  enguias podem colocar de 2 a 10 milhões de ovos, mas morrer logo após a desova . As larvas de enguia são independentes desde a época do nascimento até a hora da morte.

As enguias  investem uma quantidade substancial de energia na reprodução e morrem pouco tempo depois. Consequentemente, o único recurso que as enguias dão aos seus filhos é fonte de alimento suficiente para durar o ovo até a eclosão. Após a eclosão, as larvas são completamente independentes e capazes de encontrar alimento.

A vida útil das enguias  depende do tempo de maturação, pois uma vez que as enguias amadurecem e desovam, elas morrem. As enguias europeias podem nascer a partir dos 7 anos de idade. A idade máxima relatada de uma enguia européia na natureza é de 85 anos.

Comportamento das Enguias

As enguias são essencialmente uma espécie solitária. Embora inúmeras enguias possam ser encontradas em um único local, não há evidências de que alguma forma de socialização esteja presente. As enguias  migram para várias regiões durante as diferentes fases da sua vida. Eles se transportam nadando ativamente com as correntes oceânicas. As enguias europeias são ativas principalmente durante o dia.

As enguias  sentem o ambiente usando seu senso de paladar. Foi demonstrado que eles localizam os aminoácidos necessários por quimiotaxia. As enguias  também utilizam olfação, provavelmente para fins de homing. Há pouca ou nenhuma documentação de comunicação social entre enguias.

Enguia Características Físicas
Enguia Características Físicas

Nenhum conteúdo alimentar foi descoberto nas entranhas de leptocefalia, portanto, sua dieta é desconhecida, mas eles comem essencialmente qualquer alimento que encontrarem – até organismos mortos. As enguias saltam para fora da água durante o inverno e se alimentam de invertebrados terrestres.

Enguia são presas de enguias maiores e outros peixes e aves que consome peixe, tais como biguás (Phalacrocorax) e garças (Ardeidae). Um mecanismo de defesa empregado pelas enguias é que elas se escondem sob rochas e se enterram na areia, evitando assim seus predadores. A coloração das enguias em vários cenários da vida (isto é, a transparência de leptocefalia, a cor cinza escura a verde dos adultos, etc.) também serve como camuflagem.

Enguia da Grã-Bretanha
Enguia da Grã-Bretanha

As enguias são uma fonte de alimento e um predador de organismos em seu ecossistema. Eles são consumidos por pássaros e grandes peixes predadores. Enguia  também atua como um hospedeiro para o nematoide Aguillicola crassus que infecta as bexigas de natação. As enguias distribuem nutrientes entre os ecossistemas marinhos e de água doce, porque migram entre esses habitats.

As enguias  são uma fonte popular de alimentos para os seres humanos, especialmente na Europa e na Ásia. As enguias também se alimentam dos ovos de peixes predadores, como a truta, que mantêm os ecossistemas superpopulados.

As enguias  prosperam com uma dieta da fauna marinha e de água doce, impactando assim populações de outros organismos marinhos e de água doce. Não há efeitos adversos diretos para os seres humanos.

Enguia Elétrica

As enguias usam sua descarga elétrica de alta tensão para controlar remotamente as presas, ativando os neurônios motores por via transcutânea. As enguias caçadoras usam esse comportamento de duas maneiras diferentes.

Quando as presas são detectadas, as enguias usam alta voltagem para causar imobilidade, induzindo contrações musculares involuntárias e sustentadas. Por outro lado, quando as presas estão ocultas, as enguias costumam usar pulsos breves para induzir espasmos nas presas, o que causa um movimento da água detectado pelos mecanorreceptores da enguia.

Enguia Elétrica
Enguia Elétrica

Uma vez agarradas às mandíbulas da enguia, presas difíceis são frequentemente subjugadas imprensando-as entre os dois pólos (cabeça e cauda) do poderoso órgão elétrico da enguia. A concentração resultante da descarga de alta voltagem, fornecida a altas taxas, causa fadiga involuntária nos músculos das presas.

Essa nova estratégia para inativar músculos é funcionalmente análoga a envenenar a junção neuromuscular com veneno. Para a autodefesa, as enguias elétricas pulam da água para eletrificar diretamente as ameaças, ativando eficientemente os nociceptores para impedir seu alvo.

Veja também

Video de Marmota Gritando e Por Que Elas Gritam?

As marmotas são seres fantásticos e chamam atenção devidos aos longos e contínuos gritos que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *