Home / Animais / Como Selar um Cavalo: Passo-a-Passo de Como Fazer e Vídeo

Como Selar um Cavalo: Passo-a-Passo de Como Fazer e Vídeo

O processo de colocar o arreio em um cavalo é uma das etapas mais importantes da montaria. Não importa se o animal será usado para equitação, hipismo, equoterapia, cavalgada, um simples passeio, ou qualquer outra atividade – selar o cavalo da maneira correta é o que vai garantir tanto a segurança de quem monta como o bem-estar do equino.

O que é uma Sela?

A sela nada mais é do que o suporte estrutural para auxiliar na montaria. É ela que vai garantir o espaço adequado para que o cavaleiro ou amazona se sente confortável e adequadamente sobre o animal.

O primeiro passo para selar corretamente um cavalo é escolher o tipo de sela que mais combina com a atividade a ser praticada e com o biotipo do animal. Há várias qualidades de sela, com modelos confeccionados com materiais distintos como couro e material sintético.

Para equipar completamente o cavalo, são necessários diversos apetrechos, a sela é um deles e ela faz parte do equipamento que se chama arreio. Um arreio completo conta com várias partes, além da sela, são necessários estribo, cabresto, rédeas, manta, entre outras.

Tipos de Selas

Cada tipo de sela é própria para uma determinada funcionalidade e proporciona determinado tipo de conforto. E há ainda que levar em consideração o gosto de quem vai montar. As selas mais utilizadas são as selas portuguesa, americana, a australiana e a inglesa.

A sela portuguesa é confeccionada em couro de porco com tiras metálicas, é uma sela versátil, podendo ser empregada desde uma cavalgada no campo até para praticar esportes.

A sela americana é uma das mais tradicionais. É pesada, porém proporciona muito conforto para quem precisa montar por largos períodos de tempo. Por isso, é muito usada para longas cavalgadas ou para a lida diária no campo.

Já a sela australiana é ideal para quem trabalha lidando com o gado, por exemplo. Isso porque seu assento é mais profundo, proporcionando mais conforto para montarias em terrenos acidentados e irregulares.

Por fim, a sela inglesa é feita tanto de couro como de materiais sintéticos e é utilizada principalmente para a prática de esportes, visto que é uma sela bastante leve. É uma sela que não possui pito (barra de ferro junto à armação usada como suporte para cordas e como ponto de apoio dos cavaleiros).

Preparando o Cavalo

Tanto quem monta com a sela portuguesa, como quem monta com a americana, a australiana ou a inglesa pode seguir algumas dicas gerais para selar o cavalo e evitar acidentes, irritação do animal, desconforto para o cavalariço e para o equino.

Preparar o pelo do cavalo para receber o arreio é o primeiro passo. É recomendado amarrá-lo para que ele não fique se deslocando (mas é importante que, ao amarrá-lo, o nó seja de fácil remoção, para o caso de alguma emergência acontecer).

Antes de selar o cavalo, escove todo o animal – lembrando de fazer os movimentos sempre na direção do crescimento dos pelos, para não correr o risco de machucá-lo. É recomendado também fazer o casqueamento (a limpeza dos cascos) e verificar se o cavalo não possui nenhum impedimento físico para a montaria.

Como Selar um Cavalo: Passo-a-Passo de Como Fazer

Depois da preparação do cavalo, deve-se colocar a manta – que é uma proteção essencial para o cavalo. Ele fica entre o pelo do animal e a sela e seu objetivo principal é não permitir que o equipamento machuque o animal.

O ideal é que ele seja de pelos (como o de ovelha, por exemplo), lã, tecido ou espuma e seja posicionada primeiramente no pescoço do cavalo, para depois deslizá-la até a posição correta.

Uma dica é deixar o cavalo cheirar a manta antes, para se familiarizar com ela. Para quem utiliza a sela americana – mais pesada – o ideal é que a manta seja um pouco mais grossa. Após posicionar a manta, pode-se colocar uma sobremanta.

O terceiro passo é posicionar a sela, que deve ser colocada pelo mesmo lado que o cavalareiro/amazona vai montar o cavalo. Assim como a manta, pode-se deixar o cavalo cheirar e se familiarizar com a sela antes de colocá-la.

Depois de posicioná-la sobre a manta e a sobremanta deve-se verificar se uma faixa das mantas aparece à frente da sela. Se sim, é porque a posição está correta. Caso a sela utilizada não seja a inglesa, é preciso que a manta esteja em contato com a parte de baixo do pito.

O próximo passo é fazer os ajustes na barrigueira – que é alça que contorna o dorso do animal e firma a sela sobre ele. A barrigueira deve ser atada de um lado a outro para que a sela fique bem presa – em hipótese alguma a sela pode ficar frouxa.

Ao atar a barrigueira traseira, é preciso ter muito cuidado e ficar longe das patas do cavalo, para não correr o risco de ser escoiceado.

É preciso ter cuidado também para que a sela esteja confortável para o cavalo e não gere atrito com a virilha do animal, o que eventualmente vai deixá-lo bastante desconfortável e irritadiço.

Os estribos devem ser ajustados à altura correta que é equivalente à distância entre as pontas dos dedos e a axila do cavalariço – exceto se o objetivo for praticar saltos. Nesse caso o estribo deve ficar um pouco mais curto.

Com a sela devidamente posicionada é hora de desamarrar o cavalo e colocar as rédeas e o cabresto. As rédeas devem ser inseridas pela parte superior da cabeça do animal e os grampos devem estar voltados para fora para não machucar a boca dele.

A parte mais larga do cabresto deve ficar posicionada atrás das orelhas e a parte frontal deve contornar a cabeça. Para que o animal abra a boca, é necessário colocar um dedo em sua abertura bucal. Assim que ele abri-la, posicione o cabresto de maneira que ele o pegue por vontade própria.

Uma boa ideia é passar um pouco de mel no freio do cabresto para facilitar sua a aceitação. Então ajuste a peça à cabeça do cavalo para que ela não fique folgada, caso contrário ela não funcionará corretamente e o animal pode não parar quando for necessário freá-lo.

Revisando as Posições de Todo Equipamento
Revisando as Posições de Todo Equipamento

Depois de finalizar a colocação do arreio, é importante proceder com uma revisão de todo o equipamento, para certificar-se de que todas as partes estão corretamente posicionadas. É preciso checar todas as cordas, presilhas e fivelas tanto para garantir o conforto do cavalo como para evitar acidentes.

Veja também

Hábitat do Iaque

Hábitat do Iaque: Onde Eles Vivem?

Os iaques ou yaks (nome científico Bos grunniens) são bovídeos encontrados em áreas de levadíssima …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *