Home / Animais / Como Os Pinguins Respiram? Sistema Respiratório Do Pinguim

Como Os Pinguins Respiram? Sistema Respiratório Do Pinguim

Os pinguins são aves que, ao invés de voar, nadam nos mares gelados. Eles vivem exclusivamente no hemisfério sul e são animais bastante interessantes. Mas será que eles respiram igual as outras aves? A seguir responderemos essa dúvida e ainda falaremos mais sobre os pinguins. Acompanhe.

Principais Características Do Pinguim

O pinguim é uma ave dos oceanos, característica do hemisfério sul, principalmente da Antártida. É da ordem Sphenisciformes e da família Spheniscidae. Sua estrutura é adaptada para a vida no mar, assim suas asas se tornam nadadeiras e inúteis para voar. Além disso, suas penas são impermeáveis devido a secreção de óleos e seus ossos não são pneumáticos. O pinguim ainda possui uma camada de gordura espessa, que é isolante, ajudando o animal a manter o calor do corpo.

O pinguim é ótimo nadador e pode ficar submerso por vários minutos. As asas do pinguim são ótimas para dar impulso ao nadar, fazendo com que atinja uma velocidade de 9,7 km/h na água. Inclusive, sua visão é adaptada para mergulho, o que faz do pinguim um ótimo pescador, porém, em terra, sua visão é mais fraca.

Os pinguins podem atingir até 1 metro de altura e pesar de 3 a 35 quilos. Seu tempo de vida varia entre 30 e 35 anos. A coloração do pinguim serve como uma camuflagem, tanto na água quanto na terra. Sua plumagem preta ajuda ao animal se tornar menos visível na água. Já a cor branca em seu ventre ajuda a confundir com a superfície refletiva da água. Seus predadores são as focas leopardo, os tubarões e as orcas.

Dentre outras características peculiares dos pinguins, podemos destacar as seguintes:

  • Conseguem beber água salgada
  • Fazem tobogã quando entram ou saem da água. Isso ajuda o animal a se deslocar e também a conservar energia
  • Para ajudar na digestão são capazes de consumir pedra
  • Não respiram embaixo da água
  • Passam cerca de 75% de suas vidas debaixo d’água
  • Os pinguins se agrupam para compartilhar calor. Nesse agrupamento, fazem rotação de posições para que cada um do grupo fique um tempo no meio para se aquecer mais
  • Vivem em colônias
  • Na época de reprodução os pinguins formam as pinguineiras, colônias reprodutivas, que chegam a juntar mais de 150 mil pinguins
  • Tem apenas um parceiro durante toda a vida
  • Se alimentam principalmente de pequenos peixes, lulas e pequenos crustáceos
  • Devido sua capacidade natatória, o pinguim é a ave marinha mais eficiente do mundo animal

Espécies

Existem hoje 18 espécies de pinguins. Porém registros fosseis indicam a existência de 32 espécies. As espécies se diferenciam principalmente por sua coloração, tamanho e a forma do bico. Machos e fêmeas se diferenciam pelo tamanho, sendo o macho um pouco maior que a fêmea.

As espécies são separadas por gêneros:

  • Spheniscus: Pinguim de Humboldt, Pinguim de Magalhães, Pinguim das galápagos, Pinguim africano
    Pinguim de Humboldt
    Pinguim de Humboldt
  • Eudyptes: Pinguim de Fiordland, Pinguim Macaroni, Pinguim saltador da Rocha, Pinguim das snares, Pinguim Real
    Pinguim Real
    Pinguim Real
  • Aptenodytes: Pinguim-rei, Pinguim de Ridgen,
    Pinguim-Imperador
    Pinguim-Imperador
  • Eudyptula: Pinguim azul, e Pinguim azul do Norte
    Pinguim Azul do Norte
    Pinguim Azul do Norte
  • Pygoscelis: Pinguim Gentoo, Pinguim de Barbicha, Pinguim de Adelia
    Pinguim de Adelia
    Pinguim de Adelia
  • Megadyptes: Pinguim de olho amarelo, Pinguim waitaha

Dentre as espécies, podemos destacar três delas. O pinguim de Magalhães, que vive nas Ilhas Malvinas, na Argentina e Chile e migram para o Brasil após a época de reprodução que ocorre entre setembro e março. É a espécie que mais aparece nas costas brasileiras. Esse animal pode pesar até 5 quilos e medir 65 centímetros.

O pinguim rei, que é o segundo maior que existe, podendo pesar entre 9 e 17 quilos e medir de 85 a 95 cm. Ele vive nas ilhas subantárticas e pode ser encontrado também no Brasil, em Santa Catarina e Rio Grande do Sul entre dezembro e janeiro.

E por último, o pinguim imperador, que é uma das espécies mais impressionantes, pois vive em condições bem mais frias que outras espécies. Além disso ele pode pesar até 40 quilos e medir 1,2 metros. Também consegue mergulhar até 450 metros de profundidade e ficar por até 30 minutos submerso. Ainda, como se alimentam apenas na água, eles conseguem ficar em jejum por até 100 dias, enquanto chocam seus ovos no rigoroso inverno, que chega a temperaturas menores que -50°C.

Sistema Respiratório Do Pinguim

Pinguim Tirando a Cabeça de Dentro da Água
Pinguim Tirando a Cabeça de Dentro da Água

Como o pinguim é uma ave, ele respira oxigênio, não sendo possível respirar embaixo da água. O sistema respiratório das aves desempenha um papel bastante importante, principalmente nos pinguins, pois ele ajuda a manter a temperatura corporal do animal.

Além disso, as aves possuem pulmões pequenos e 9 sacos de ar que atuam na respiração do animal e podem ser divididos em sacos anteriores e posteriores. Os sacos permitem o fluxo de ar dos pulmões de forma unidirecional, ou seja, o ar que desloca até os pulmões é, em sua maioria, “ar fresco” e possui mais oxigênio, fazendo com que vá mais oxigênio para o sangue. Como os sacos de ar tem paredes muito finas, eles funcionam mais como um fole que ventila os pulmões e não atua diretamente na troca de gases.

Seu sistema respiratório é bastante eficiente, pois o ar circula continuamente em apenas um sentido. Os pulmões são bastante compactos e pequenos, eles ficam presos às costelas e ligados aos sacos aéreos e ainda se estendem aos órgãos viscerais.

A respiração das aves envolve duas inspirações e duas expirações. Na primeira inspiração o ar entra e vai para os sacos posteriores, passando para os pulmões através da primeira expiração. Então, na segunda inspiração, o ar passa para os sacos anteriores e expelidos dos sacos anteriores na segunda expiração.

As aves que mergulham desenvolveram adaptações parecidas com os mamíferos marinhos, ao longo do tempo, como é o caso do pinguim.  Para que consigam ficar em baixo da águam por bastante tempo eles expiram quando afundam na água.

Além disso, seus sacos aéreos se contraem a fim de deixar uma quantidade de ar pequena no sistema respiratório. Em mergulhos mais profundos o animal gasta mais energia e requer mais oxigênio. Como a respiração cessa no mergulho, o animal utiliza o oxigênio dos músculos. Além disso, para que o coração e o sistema nervoso recebam oxigênio nessas condições, os vasos sanguíneos se contraem, fazendo que o fluxo de sangue reduza em regiões não vitais.

Veja também

Marreco de Pequim: Características, Hábitat e Nome Científico

O marreco de Pequim é considerado uma das principais raças atuais de marrecos, ao lado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *