Home / Animais / Como Engrossar Orquídeas

Como Engrossar Orquídeas

As orquídeas cattleya, dendrobium, epidendrum, paphiopedilum, phalaenopsis, vanda, brassia, cymbidium, laelia, miltonia, oncidium, encyclia e coelogyne são atualmente os gêneros mais comumente cultivadas para flor de corte ou plantas ornamentais.

Vale destacar também que a maior proporção de cultivares corrente de orquídeas têm emergido através da hibridação artificial entre duas ou mais espécies, muitas vezes a partir de diferentes gêneros.

Multiplicando Orquídeas

O método mais simples de multiplicação, freqüentemente usado por colecionadores e por comerciantes de pequena escala, é a divisão do caule. Em várias espécies de orquídeas, como as pertencentes ao gênero dendrobium, o pseudobulbo é longo e articulado, formado por muitos nós nos quais os brotos se desenvolvem.

Raízes se desenvolvem a partir da base dessas crianças. Para multiplicar este tipo de orquídeas, então, apenas os otários enraizados devem ser cortados, separados da planta mãe e transplantados para outro recipiente.

Espécies de orquídeas de grande importância comercial, como cattleya, laelia, miltonia e odontoglossum, pode ser propagado por divisão do rizoma em seções, que devem levar de três a quatro pseudobulbos.

As chamadas “lâmpadas de fundo”, aquelas que já perderam a folhagem, são comumente usadas para propagar clones de cymbidium. Estes bulbos são removidos da planta e colocados em outro recipiente com um substrato adequado para formar raízes.

Lembretes Importantíssimos

E procure não se esquecer: Luz sim, mas não sol direto, a temperatura entre 18 e 25° Celsius, e nunca inferior a 16° Celsius, ou sua orquídea morrerá. Rega deve ser uma vez por semana, colocando o vaso em um prato e preenchê-lo com água, depois de um tempo você tem que removê-lo, porque as raízes apodrecem.

É fertilizado uma vez por mês, seguindo as mesmas instruções da irrigação, ou seja, você dilui o adubo na água do prato e depois de um tempo, absorvendo toda a umidade de que precisa, você o remove.

Para conseguir uma maior e melhor floração: quando as flores secam, é necessário cortar acima do terceiro broto (nó), e em poucos meses ele irá brotar novamente com mais vigor.

O vaso, como em todas as plantas, é modificado quando as raízes começam a aparecer embaixo, o que é um sinal de que não há terra sobrando, nem lugar para as raízes.

Como Engrossar Orquídeas

É comum esse tipo de preocupação, quando o pseudocaule da orquídea aparenta ser muito fino. Em geral, se o cuidado com a rega e luz estiver sendo seguida adequadamente, não há razões para se preocupar.

Mas em todo o caso, caso opte por vitaminar suas raízes a fim de desenvolver bulbo mais grossos, o maior segredo está na fertilização das raízes e, acima de tudo, no trabalho criterioso com a devida e adequada irrigação. Os nutrientes necessários deverão ser adicionados a rega num período mínimo de três em três meses.

Para engrossar o pseudocaule de orquídeas você vai precisar diluir os seguintes itens na água de irrigação: nitrato de sódio (ou pó de sódio animal), leite de magnésio e pó de carvão.

São esses três itens que adicionados a água ao irrigar sua orquídea fornecerão o nutriente necessário para engrossar o bulbo. Esteja atento, porém, a quantidade recomendada desses itens para a sua espécie de orquídea e não se esqueça de regar somente a quantidade suficiente pra não encharcar as raízes. Consulte seu jardineiro especializado.

Cultivando em Larga Escala

Devido ao grande número de sementes produzidas em cada fruto e à possibilidade de cultivo de meristemas in vitro , as orquídeas também podem ser multiplicadas em larga escala. As sementes de orquídeas são muito pequenas e as encontradas em uma única fruta podem gerar milhares de novas plantas, cada uma com características diferentes da outra.

No entanto, as sementes contêm poucas reservas e não podem germinar com seus próprios recursos. De fato, na natureza eles devem estar associados a um fungo durante a germinação, que fornece os nutrientes necessários para seu crescimento e desenvolvimento.

Por esta razão, a maneira mais simples, se não menos eficiente, de multiplicar as orquídeas pelas sementes é espalhar as sementes sobre e ao redor das raízes das orquídeas cultivadas em um vaso e garantir que elas tenham umidade constante no substrato.

As sementes germinam em poucas semanas e crescem muito lentamente. Esse processo é chamado de “germinação simbiótica” e era o único método de propagação de orquídeas através de sementes.

Lewis Knudson, da Cornell University, publicou então um artigo no qual descreveu um método artificial para germinar orquídeas sem a participação de um fungo. Esse método, denominado “germinação assimbiótica”, utiliza técnicas de micropropagação para alcançar a germinação e o estabelecimento das plântulas em meio de cultura artificial e em condições estéreis.

A reprodução através do cultivo in vitro de meristemas, ou clonagem, é mais eficiente e consiste na remoção da ponta da raiz ou no final de uma brotação, colocando-a em um meio de cultura adequado sob condições estéreis.

Sob a influência dos fito hormônios, os meristemas se tornam uma massa de tecido indiferenciado, capaz de originar novas mudas. As plântulas assim obtidas são separadas umas das outras e cultivadas em tubos de ensaio separados. As plantas são clones perfeitos da planta original, então este é o método mais aplicável à propagação em massa de uma variedade particular ou híbridos estéreis.

Orquídeas Emblemáticas

Espécies diversas de orquídeas tem sido reconhecidas por sua importância e representatividade em suas regiões nativas ou endêmicas, algumas sendo estilizada em bandeiras de nações pelo mundo ou recebendo menções honrosas nas culturas locais. Estes são alguns exemplos desse reconhecimento emblemático e cultural:

  • Bulbophyllum minutissimum, originária e endêmica da Austrália, é a menor orquídea que existe, com apenas 3 a 4 mm de altura.
  • Cattleya mossiae é considerada a flor emblemática nacional da Venezuela.
  • Também a Colômbia tem uma orquídea como sua flor nacional emblemática, a cattleya trianae.
  • Outras orquídeas que também são flores emblemáticas representativas de nações são guarianthe skinneri (Costa Rica), lycaste virginalis (Guatemala),  peristeria elata (Panamá) e rhyncholaelia digbyana (Honduras).
  • Sobralia altissima, orquídea nativa do Peru, é considerada a orquídea mais alta do mundo.
  • Cattleya dowiana nativa de Turrialba, na Costa Rica , é chamada de “rainha das orquídeas”.

Veja também

Quantos Rinocerontes Existem no Mundo? Ele Está em Extinção?

Maior entre todos os rinocerontes, o rinoceronte-branco pertence ao grupo dos mamíferos perissodáctilos e sua …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *