Home / Animais / Cervo do Pantanal: Características, Projeto, Extinção e Fotos

Cervo do Pantanal: Características, Projeto, Extinção e Fotos

O cervo do pantanal é um cervídeo ainda sobrevivente na América do Sul. É o maior cervídeo do continente e úncio em seu gênero. A espécie vive nas zonas úmidas ao sul do rio Amazonas, usufruindo solitário ou em pequenos rebanhos. Até agora, há pouca informação sobre seu estilo de vida. Tais cervídeos diminuíram significativamente, especialmente devido à perda de habitat.

Cervo do Pantanal: Características e Fotos

O cervo do pantanal tem comprimento média entre 1,10 a 1,20 m, mas cerca de 0,70 a 0,75 cm de chifres nos machos. O cervídeo pesa em média entre 100 e 150 kg. Seus grandes chifres cobrem a testa e o ramo da cabeça, geralmente com oito pontas. Os espinhos que saem do caule são do mesmo comprimento. Em média, os chifres pesam cerca de 2 quilos. Eles caem irregularmente e podem permanecer no macho por até dois anos.

A coloração do cervo do pantanal é um pouco emaranhada. No verão é marrom avermelhado brilhante e se torna mais escuro no inverno. O abdômen e parte inferior do pescoço tem tons mais leves. O cabelo preto na parte inferior das pernas lembra meias pretas no joelho. Além disso, a circunferência da segurança e a parte de baixo da cauda são pretas. As grandes orelhas internas são densamente brancas.

Graças à sua traseira avançada, o cervídeo é bom para pular, que é a maneira mais rápida de se mover na água. Há um total de 32 dentes. A espécie possui glândulas sebáceas entre os cotos do focinho, o tornozelo e as narinas. Cabelos ligeiramente brancos rodeiam os olhos. No geral, ele é laranja avermelhado, espesso e sua pelagem mede de 10 a 15 centímetros de comprimento.

Situação de Habitat

Cervo do pantanal hoje é encontrados no rio Amazonas, muito poucos nas partes orientais e partes centrais bem como no nordeste da Argentina, nas partes ocidentais do território brasileiro e partes central e sul da Bolívia, bem como partes leste e sudeste do Peru. A espécie foi encontrada anteriormente no Uruguai, mas acredita-se que desapareceu do país.

O maior número de registrado é no Brasil, onde estima-se que existam cerca de 40.000 espécies, as mais abundantes no Pantanal. Estima-se que existam ainda 2.000 animais na Argentina, principalmente nos pântanos de Ibera, na província de Formosa e no estuário do Paraná. As manadas bolivianas vivem em várias populações na região do Benim, no Parque Nacional Noel Kempff Mercado e no Pampas Heath. É raramente encontrado no Paraguai, principalmente na região de Yacyretan, e uma pequena variedade vive em Pampas del Heath, no Peru.

O habitat preferencial é de zona úmida (áreas aquáticas), como baixas planícies aluviais, estuários, savanas e florestas úmidas. Eles vivem principalmente nas proximidades de água parada e preferem lugares com meio metro de água, mas podem percorrer áreas de profundidade de até um metro. Se a altura da água subir demais, o cervo se afastará. Eles preferem áreas onde encontram bastante abrigo, como gramíneas e juncos longos. As espécies também podem viver em áreas montanhosas, mas podem ser causadas pela redução de habitat que levaram os cervos a áreas mais seguras.

Estilo de Vida e Reprodução

Existe apenas uma quantidade limitada de informações sobre o estilo de vida do cervo do pantanal. Eles permanecem no abrigo de arbustos densos ou juncos altos durante o dia e partem para lugares mais abertos para pastar normalmente somente depois do crepúsculo. O movimento diurno também ocorre em algumas populações de gaivotas, dependendo das estações e da pressão de caça. Eles vivem sozinhos ou como uma família de 2 a 5 indivíduos, geralmente compreendendo um macho adulto, algumas fêmeas e seus filhotes. Às vezes são encontrados em grupos maiores.

Durante a estação chuvosa, os animais são comuns, mas embalados na estação seca depois que a água fica mais densa. Os machos são maiores que as fêmeas. Devido à flutuação do nível da água, os pântanos não são permanentes. Mas o acúmulo dos pântanos fornecem proteção extra contra predadores como, por exemplo, as onças. A queda dos chifres não está ligada às estações do ano, mas provavelmente a idade, o crescimento dos chifres pode estar em um estágio muito diferente. Seus inimigos naturais também incluem canídeos e anacondas.

Cervo do Pantanal Filhote

A principal refeição do cervo do pantanal são plantas aquáticas, rica em proteínas e bem derretida. A comida consiste também de peixes além de folhas, gramíneas e juncos. Eles também podem comer arbustos e videiras durante longas inundações. Um estudo descobriu que 50% do nutriente no pântano é feno e 31% são plantas de ervilha.

O filhote pode crescer em qualquer época do ano. No entanto, o pico do acasalamento é no outono, já que a maioria dos machos estará no paraíso entre outubro e novembro. Os machos não foram considerados particularmente agressivos um com o outro. Bezerros recém-nascidos foram observados em maio-novembro. O tempo médio de gestação para uma fêmea é de 270 dias.

Os bezerros nascem sem manchas e pesam cerca de 4,2 kg no nascimento. Geralmente nasce um único filhote. A fêmea o amamenta por cerca de seis meses, mas ele continuará com a mãe por cerca de um ano. No entanto, uma fêmea pode acasalar já após o nascimento de um bezerro e estar grávida em qualquer época do ano.

Extinção e Projetos

O número de cervos do pantanal está caindo e a espécie está em risco. A razão para o declínio é a caça descontrolada e a destruição do habitat. Os habitantes dos pântanos foram espalhados pela agricultura, plantações de árvores, fazendas e represas construídas em grandes rios, que destruíram a várzea costeira.

Na estação chuvosa, os mouros são forçados a recuar para áreas mais secas, isto é, áreas de pastagem no rebanho. Eles estão morrendo de fome quando as enchentes se prolongam ou são muito pequenas em terra seca onde precisam competir com outros rebanhos de animais.

Durante a estação chuvosa, eles também são mais propensos a estar nas proximidades de assentamentos, onde ficam então expostos a caçadores. Além disso, infecções diarreicas como febre aftosa e disenteria são contagiosas. Na estação seca, as pastagens, por outro lado, destroem a vegetação protetora.

As zonas úmidas também são sugadas para a agricultura. A destruição do habitat é, portanto, a principal causa do declínio da espécie. Caça furtiva, construção de hidrovias, contaminação e mineração de ouro também são ameaças. O cervo é um valioso animal de caça.

É caçado como um esporte e para carne, embora a carne seja dita desagradável. O cervo do Pantanal está incluído no Apêndice I da CITES e foi considerado de menor preocupação em toda a sua extensão. A espécie também vive em várias áreas protegidas. Também é encontrado em áreas privadas onde novas áreas protegidas foram estabelecidas. Em outubro de 2018, a Argentina estabeleceu o Parque Nacional Cervo de los Pantanos para ajudar a proteger esta espécie.

Veja também

O Que Transmite a Parvovirose? E Quais Os Sintomas?

O “Parvovírus” é o micro-organismo que transmite A Parvovirose, e os seus principais sintomas são: …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *