Home / Animais / Cavaquinha – O Que É? Qual a Diferença Para a Lagosta?

Cavaquinha – O Que É? Qual a Diferença Para a Lagosta?

As verdadeiras lagostas, comuns na Europa e na América do Norte, possuem grandes garras frontais comestíveis e só são encontradas no Oceano Atlântico. As cavaquinhas são distintamente diferentes das lagostas, e geralmente têm um preço menor. As principais espécies comerciais são scyllarides brasiliensis do Brasil, thenus orientalis e ibacus ciliatus.

Qual a Diferença Para a Lagosta?

A cavaquinha é muito diferente da lagosta. A carapaça não tem rostro e as pernas não têm fórceps e nenhum par é aumentado em comparação com os outros. As antenas são em forma de escamas. São parentes das lagostas porque também são crustáceos decápodes assim como caranguejos.

As lagostas, por outro lado, tem corpos em carapaças mais robustas, com pinças e garras proeminentes. O curioso é que na culinária o sabor de ambos é de fato muito semelhante e talvez por isso a confusão. Não é à toa que a cavaquinha é muitas vezes chamada de lagosta de pobre.

O apelido infame nesse caso tem haver com o valor econômico de cada espécie. Lagostas são significativamente mais visadas e valorizadas, resultando em pratos culinários com preços elevadíssimos. A cavaquinha, por outro lado, tem um valor mais acessível e pouco interesse comercial.

O Que É a Cavaquinha?

A maior referência para o nome está vinculado a espécie scyllarides aequinoctialis (ou scyllarides brasiliensis), uma espécie que vive no oeste do Oceano Atlântico a partir da Carolina do Sul para São Paulo, Brasil, incluindo o Golfo do México, Mar do Caribe e Bermudas.

Ela cresce até 30 centímetros de comprimento, com uma carapaça de 12 cm de comprimento. Scyllarides aequinoctialis é a espécie tipo do gênero scyllarides e as primeiras espécies de cavaquinhas a serem descritas no Atlântico Ocidental.

O gênero é diferenciado de outras subfamílias pela presença de exópodes multiarticulados nos três maxilípedes, e uma espécie de pá de três segmentos na mandíbula.

Cavaquinha tem seis segmentos em suas cabeças e oito segmentos no tórax , que são coletivamente cobertos por uma carapaça grossa. Cada um dos seis segmentos do abdome apresenta um par de pleópodes , enquanto os apêndices torácicos são pernas ou maxilípedes . Os segmentos da cabeça possuem várias partes bucais e dois pares de antenas.

As primeiras antenas são mantidos em um talo longo e flexível e são usados para detectar o ambiente. As segundas antenas são a característica mais visível das cavaquinhas, pois são expandidas e achatadas em placas grandes que se estendem horizontalmente para frente a partir da cabeça do animal.

Cavaquinha no Mar
Cavaquinha no Mar

Há considerável variação no tamanho entre as espécies do gênero. A espécie mediterrânea scyllarus pygmaeus é a menor, crescendo até um comprimento total máximo de 55 milímetros e raramente mais de 40 milímetros. A maior espécie, scyllarides haanii, pode atingir 50 centímetros de comprimento.

As cavaquinhas são caracteristicamente habitantes de fundos estrados continentais, encontradas em funduras de até 500 metros. As cavaquinhas alimentam-se de uma diversidade de moluscos, que podem ser lapas, mexilhões e ostras, bem como crustáceos, poliquetas e equinodermes. Cavaquinhas desenvolvem-se lentamente e podem atingir uma idade significativa.

As cavaquinhas não possuem as imensas células nervosas que permitem aos outros crustáceos decápodes um movimento de asa-delta, e precisam fazer uso de outros meios para defender-se do ataque de predador, seja enterrando-se em um substrato ou se valendo do exoesqueleto “praticamente impenetrável”. Os predadores mais significativos das cavaquinhas são os peixes ósseos.

Outras Espécies Valiosas Comercialmente

A thenus orientalis é encontrada na região do Pacífico Indo-Ocidental, da costa leste da África à China, ao sul do Japão, às Filipinas e à Austrália tropical. Eles habitam águas numa faixa de profundidade de 8 a 70 metros, mas geralmente encontram-se entre 10 e 50 metros. Eles preferem um fundo macio composto de areia ou lama, ou uma mistura dos dois.

A ibacus ciliatus japonesa está espalhada sobre a região do Indo-Pacífico Ocidental; encontrado principalmente ao largo das costas do Japão, Coréia, Taiwan, Filipinas e Tailândia. Eles preferem águas mais profundas do que outras espécies do gênero; encontrado em uma faixa de profundidade de 49 a 314 metros, mas principalmente entre 100 e 250 metros.

A espécie é encontrada em substratos moles de areia, lama ou argila. Comprimentos de carapaça variam. Os machos variam de 4 a 7,6 cm e as fêmeas de 4 a 8 cm. As espécies são pequenas, suntuosas e consideradas alternativas de grande valor para outras espécies de água quente e fria.

Importância Comercial Das Cavaquinhas

Comércio de Cavaquinha
Comércio de Cavaquinha

Apesar de serem pescados onde quer que sejam encontrados, as cavaquinhas não têm sido objeto de pescarias tão intensas como lagostas. Os métodos usados para capturar cavaquinhas variam dependendo da ecologia da espécie. Aquelas que preferem substratos moles, como o Thenus e o Ibacus, são freqüentemente capturados pelo arrasto, enquanto aqueles que preferem fendas, cavernas e recifes (incluindo as espécies scyllarides, arctides e parribacus) são geralmente capturados por mergulhadores.

A captura global de cavaquinhas foi relatada em 2017 como sendo de 21.000 toneladas (19.000 toneladas longas; 24.000 toneladas curtas). Mais recentemente, a produção anual foi de cerca de 25.000 toneladas (24.900 toneladas longas; 25.500 toneladas curtas), a maioria das quais é a produção de thenus orientalis e ibacus ciliatus na Ásia.

Exploração e Pescaria

O homem é de longe o principal predador dessas espécies que atingem altos valores no mercado. As espécies sendo numerosas e as pescarias muito dispersos e díspares, não é fácil obter estatísticas confiáveis. Há muito poucos dados sobre a pescaria de cavaquinhas, que freqüentemente são contados como lagostas.

Diante da dificuldade de se utilizar estatísticas precisas de pesca em que todas as lagostas e cavaquinhas são agrupada, cria-se dados recolhendo a partir das seguintes táticas de pesca: existem espécies de água fria que são pescadas em armadilhas, enquanto outras são coletadas por mergulho e ainda outras espécies são capturadas em rede de arrasto. Trabalha-se melhor a definição das espécies a partir dos comportamentos de espécies que obrigam a diversificação de captura.

Na Nova Caledônia, lagostas e cavaquinhas são objeto de uma pequena pescaria artesanal, praticada com mergulho, principalmente pela comunidade polinésia. A pesca de espécies em águas profundas costuma ser mais valorizada, dada que considera-se as espécies de profundidade com carne mais saborosa.

A prática da aquacultura, criação de espécies em grandes áreas costeiras também é muito recorrente, mas há controvérsias sobre a prevalência, qualidade e benefícios disso ao ecossistema natural.

Veja também

Ouriço do Mar Roxo: Características, Nome Cientifico e Fotos

O ouriço do mar roxo é um ouriço-do-mar europeu da família toxopneustidae, e do gênero …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *