Home / Animais / Caranguejo Real do Chile e da Venezuela Características

Caranguejo Real do Chile e da Venezuela Características

Os caranguejos são artrópodes pertencentes à classe taxonômica Malacostrata. Estes animais são encontrados nas zonas litorâneas do mundo todo, sendo que algumas espécies habitam manguezais.

Características comuns à várias espécies envolvem a presença de uma forte carapaça/ exoesqueleto, a qual pode apresentar variações de coloração em tons de amarelo, vermelho, marrom, azulado e cinza. Estes animais se alimentam principalmente de peixe e de matéria orgânica morta. Podem receber outras denominações, tais como uaçás, guaiás e auçás.

Os caranguejos são bastante empregados na culinária, e constituem importante fonte de renda para comunidades locais, no entanto a construção de portos e o crescimento imobiliário em áreas de mangue, vêm colocando o seu hábitat natural em risco. Outra preocupação é que os filhotes também são ocasionalmente empregados como isca de peixe. Além disso, mesmo a captura do animal para comercialização e uso na culinária requer uma certa dose de sustentabilidade.

No ano de 2010, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária comunicou que, a partir de então, será necessário que o processo de captura, estocagem e transporte do caranguejo seja feito em condições satisfatórias. No entanto, esta determinada exigência também implica na capacitação de comunidades familiares e ribeirinhas.

No Chile, muitos restaurantes temáticos se especializam na serventia do caranguejo centolla, o conhecido caranguejo gigante extraído das águas profundas e frias do país. Esta espécie também pode ser encontrada na Venezuela.

Neste artigo você conhecerá algumas características desta espécie e dos demais membros da classe Malacostraca.

Então venha conosco e boa leitura.

Anatomia dos Caranguejos

Genericamente, os caranguejos possuem carapaça, patas locomotoras (também chamadas de pereópodes), garras, olhos compostos, abdômen e antena.

Esses animais são bastante parecidos com os siris, no entanto uma das diferenças reside nas patas locomotoras, pois, enquanto que nos siris as patas locomotoras se apresentam em formato de pá, para auxiliar na natação; nos caranguejos, estas possuem formato de unha com extremidade pontiaguda, sendo excelentes aliadas na locomoção terrestre.

A garra também é chamada de 1ª perna, 1ª pereópode, quela ou quelípode; e possui três partes estruturais, as quais são carpo, própode e dáctilo. Estruturalmente, ela adquire formato de pinça.

O abdômen costuma ser reduzido e dobrado por baixo do cefalotórax. Essa porção do corpo é particularmente muito útil para as fêmeas, visto que é utilizada para a proteção dos ovos.

Os caranguejos possuem até 5 pares de patas locomotoras.

Curiosidades Sobre os Caranguejos

Os caranguejos têm cerca de 180 milhões de anos, possuem milhares de espécies e são muito abundantes no Brasil, especialmente na Bahia, Sergipe e Espírito Santo. Uma curiosidade é que no estado de Pernambuco, eles podem ser encontrados próximos aos recifes de corais.

Pertencem à um grupo maior, o qual abrange os crustáceos de forma geral. Pesquisadores da área de oceanografia afirmam que existem cerca de 7 mil espécies de crustáceos no mundo.

A maioria deles pertence ao mar (ou à regiões de mangue), no entanto também há espécies terrestres ou habitantes de água doce. No ambiente marinho, podem estar parcialmente ou completamente enterrados, assim como ocupar as cavidades dos fundos rochosos.

Algumas espécies de caranguejos podem ser herbívoras e se alimentar das folhas de árvores que caem no manguezal; enquanto outras podem ser carnívoras e ingerir pequenos invertebrados, peixes e até mesmo filhotes de tartaruga. No entanto, a maioria das espécies é dentritívora e se alimenta das partículas depositadas sobre sedimentos orgânicos.

A reprodução dos caranguejos ocorre de forma sexuada. A fêmea libera sinais químicos na água, os quais atraem a atenção do macho. Elas podem produzir a incrível quantidade de 300 a 700 mil ovos. Após a incubação desses ovos, eles eclodem e os filhotes recém-nascidos rapidamente se dirigem para a água.

Espécies de caranguejos já são catalogadas e classificadas, desde 1750, por Carolus Linnaeus. A origem dos caranguejos está diretamente ligada ao processo de formação dos oceanos. Acredita-se que eles tenham surgido no período no qual o Oceano Atlântico foi formado e houve a separação entre a América e a África.

Caranguejo Real do Chile e da Venezuela Características

Além do Chile e da Venezuela, o caranguejo centolla também é encontrado na Argentina. Possui garras grandes e muitos espinhos ao longo do corpo. É encontrado em águas bastante profundas, geralmente próximas aos polos do planeta, seja ao norte, seja ao sul.

É importante considerar que o caranguejo centolla é uma espécie de caranguejo real. Os caranguejos reais constituem a família taxonômica Lithotidae, a qual é composta por 40 espécies.

O peso de cada caranguejo centolla pode chegar a 2 quilos, e a largura (de uma garra à outra), a 1 metro. Em decorrência dessas proporções, o caranguejo centolla possui muita carne, sendo considerado como uma iguaria culinária muitíssimo apreciada. A descrição do seu sabor equivale a algo entre a carne de caranguejo e a carne de lagosta.

Turistas que já viajaram para os países nos quais este animal e servido como iguaria local descrevem que o valor médio do caranguejo, em um prato servido com molho, arroz, salada e bebida, sai em torno de R$ 160.

Caranguejo Real do Chile e da Venezuela: Dica de Preparo Culinário

A forma de cozimento do caranguejo centolla é praticamente igual à demais espécies menores, no entanto, em decorrência das suas dimensões consideravelmente maiores, ele exige um tempo de preparo maior, assim como uma panela maior.

Para o cozimento, é necessário matar o animal primeiro, e isso pode ser realizado colocando-o de cabeça para baixo em um recipiente de água doce, até que esteja morto.

Após isso, colocar o animal em uma panela bem grande com uma quantidade de água ideal para cobri-lo, e com adição de sal à gosto. Não é indicado utilizar pouco sal, visto que este tempero tem certa dificuldade em ser impregnado neste animal.

Colocando o caranguejo para ferver, não é preciso tampá-lo. A próxima etapa é acrescentar uma folha de louro e deixa-la por cerca de 10 minutos até que fique vermelha. Durante o processo de cozimento, é natural que o “caldo” espume um pouco, nesse caso, o excesso de espuma deve ser retirado com um copo.

*

Agora que você já conhece o caranguejo real do Chile e da Venezuela, continue conosco e visite também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

ARAGUAIA, M. Brasil Escola. Caranguejo (Classe Malacostrata). Disponível em: < https://brasilescola.uol.com.br/animais/caranguejo.htm>;

GUSS, L. Portal do Conhecimento. Anatomia externa do Caranguejo. Disponível em: < http://leandroguss.blogspot.com/2009/11/anatomia-extena-do-caranguejo.html>;

LIMA, L. O que comi por aí: Centolla Cozida. Disponível em: < http://tolongedecasa.com/2014/11/22/o-que-comi-por-ai-centolla-cozida/>;

PASCOAL, J. V. Curiosamente. Paixão nordestina: tudo o que você precisa saber sobre caranguejos. Disponível em: < http://curiosamente.diariodepernambuco.com.br/project/paixao-nordestina-tudo-q-voce-precisa-saber-sobre-caranguejos/>;

Wikipédia. Lithotidae. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Lithodidae>.

Veja também

Sauim, Choim, Ou Choim-Preto: Características, Habitat E Fotos

Sauim ou sagui é um animal que pode ser encontrado na Amazônia. Assim como vários …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *