Home / Animais / Camarão é Peixe ou Crustáceo?

Camarão é Peixe ou Crustáceo?

Eles podem existir em águas marinhas ou em água doce. São muito apreciados na culinária mundial como frutos do mar, saborosos em suas diversidades. Barcos pesqueiros os capturam em toneladas para atender a demanda do comércio mundial. Estamos falando de … peixes ou crustáceos? Qual deles?

Camarão é Peixe ou Crustáceo?

Estamos falando de camarões. O nome vernacular camarão é geralmente dado a todos os  crustáceos aquáticos, marinhos, ou de água doce, que faziam parte da antiga subordem natantia. Estas espécies ali agrupadas são todos decápodes, e atualmente estão divididos em dois grupos: na infra-ordem caridea e na ordem dendrobranchiata.

Os camarões estão entre os maiores em números na ordem Decapoda (que também inclui caranguejos, siris, lagostas, etc), com cinco pares de pernas, sem ganchos, mas cujos cílios auxiliam na natação; eles são alongados e sua carapaça é segmentada e separa o abdômen da cabeça do cefalópode (que também inclui antenas e mandíbulas particularmente desenvolvidas). Apesar das aparências quase idênticas, existem diferenças entre as espécies na estrutura branquial e por isso foram divididos em sub-ordens e infra-ordens distintas.

A princípio, a infra ordem caridea é a que abriga os “verdadeiros camarões”, segundo especialistas. Esta ordem de infra inclui 16 super famílias, com muitas espécies diferentes. É nesta ordem que encontramos espécies de grande valor comercial como o camarão da Malásia ou o tupi.

A sub-ordem dendrobranchiata já é a que inclui os chamados camarões peneídeos, que pertencem à superfamília dos penaeoidea. Existem muitos tipos, de diferentes espécies, e onde encontramos a maioria dos camarões comerciais vendidos no comércio brasileiro (os peaneus) como o camarão de patas brancas, o camarão banana, o camarão rosa, o camarão cinza, etc.

Portanto, respondendo apenas a pergunta tema de nosso artigo, camarões são crustáceos e não peixes. Apesar do nome abranger muitas espécies diferentes (até os krills são chamados de camarões), todos são crustáceos de gêneros e ordens diferentes, mas todos decápodes. Agora vamos falar um pouco sobre as diferenças entre os “camarões carídeos” e os “camarões dendrobrânquios”.

Qual dos Dois é Camarão Mesmo?

O termo camarão tem ampla referência a alguns crustáceos decápodes, embora as espécies específicas sejam diferentes em sua morfologia. Em sua redundância, camarão é uma expressão que defini qualquer um daqueles cujos corpos alongados e modo de locomoção na água seja semelhante, em especial as espécies das ordens caridea e dendrobranchiata.

Em alguns campos, no entanto, o termo é usado de forma mais restrita e pode se restringir de fato a caridea, para espécies menores de qualquer grupo ou apenas para as espécies marinhas. Sob a definição mais ampla, o camarão pode, no entanto, cobrir crustáceos nadadores de olhos esbugalhados com longas caudas musculares estreitas (abdômen), longos bigodes (antenas) e pernas finas.

Qualquer pequeno crustáceo que se pareça com um camarão costuma ser chamado de um. Eles nadam para a frente remando com nadadeiras na parte inferior de seu abdômen, embora sua resposta de escape seja tipicamente movimentos repetidos com a cauda os empurrando para trás muito rapidamente. Os caranguejos e as lagostas têm pernas fortes, enquanto os camarões têm pernas finas e frágeis, que usam principalmente para empoleirar-se.

O camarão é generalizado e abundante. Existem milhares de espécies adaptadas a uma vasta gama de habitats. Eles podem ser encontrados alimentando-se perto do fundo do mar na maioria das costas e estuários, bem como em rios e lagos. Para escapar de predadores, algumas espécies saltam do fundo do mar e mergulham no sedimento. Eles geralmente vivem de um a sete anos. Os camarões costumam ser solitários, embora possam formar grandes escolas durante a época da desova.

Eles desempenham papéis importantes na cadeia alimentar e são uma importante fonte de alimento para animais maiores, desde peixes até baleias. As caudas musculares de muitos camarões são comestíveis para os seres humanos e são amplamente capturadas e cultivadas para consumo humano. Muitas espécies de camarão são pequenas como o termo sugere, cerca de 2 cm de comprimento, mas alguns camarões excedem 25 cm. Camarões maiores são obviamente mais propensos a serem alvejados comercialmente.

Os Camarões Caridea

Estes são crustáceos com abdome muscular longo e estreito e longas antenas. Ao contrário dos caranguejos e lagostas, os camarões têm pleópodes bem desenvolvidos (nadadores) e pernas esguias; eles são mais adaptados para nadar do que para andar. Historicamente, foi a distinção entre caminhar e nadar que formou a divisão taxonômica primária nas ex-subordens natantia e reptantia.

As espécies da natantia (os camarões em geral) são mais adaptáveis para a natação, diferente dos reptantia (siris, lagostas e caranguejos) que acostumaram-se mais a rastejar ou caminhar. Alguns outros grupos também têm nomes comuns que incluem a palavra “camarão”; qualquer pequeno crustáceo nadador que se assemelhe a um camarão tende a ser chamado de um.

O camarão é delgado com abdômen longo e musculoso. Eles parecem um pouco com pequenas lagostas, mas não como caranguejos. Os abdomens dos caranguejos são pequenos e curtos, enquanto os abdomens das lagostas e camarões são grandes e longos. O abdômen inferior do camarão suporta pleópodes bem adaptados para natação.

A carapaça de caranguejos é larga e plana, enquanto a carapaça de lagostas e camarões é mais cilíndrica. As antenas de caranguejos são curtas, enquanto as antenas de lagostas e camarões são geralmente longas, atingindo mais de duas vezes o comprimento do corpo em algumas espécies de camarão.

O camarão é comum e pode ser encontrado perto do fundo do mar da maioria das costas e estuários, bem como em rios e lagos. Existem numerosas espécies, e geralmente há uma espécie adaptada a qualquer habitat particular. A maioria das espécies de camarão é marinha, embora cerca de um quarto das espécies descritas sejam encontradas em água doce.

Espécies marinhas são encontradas a profundidades de até 5.000 metros, e dos trópicos às regiões polares. Embora os camarões sejam quase inteiramente totalmente aquáticos, as duas espécies de merguia são semi-terrestres e passam uma parte significativa de suas vidas em terra em manguezais.

Os Camarões Dendrobranchiata

Na verdade, o termo camarão não têm respaldo científico. Ao longo dos anos, a forma como camarão é usado mudou, e hoje em dia o termo é quase intercambiável. É um nome comum, um termos vernacular ou coloquial que não possui a definição formal de termos científicos. Ele não é taxativo, mas sim um termo conveniente com pouca significância circunscrita. Não há razão para evitar o uso do termo camarão quando desejar, mas é importante não confundi-lo com os nomes ou relações de táxons reais.

A ordem dos dendrobrânquios diferem dos camarões mencionados acima, os carídeos, pela forma ramificada das brânquias e pelo fato de não chocarem seus ovos, mas liberá-los diretamente na água. Eles podem atingir um comprimento de mais de 330 milímetros e uma massa de 450 gramas, e são amplamente pescados e cultivados para consumo humano.

Camarão Dendrobranchiata
Camarão Dendrobranchiata

Como já dito repetidas vezes aqui, embora dendrobrânquios e carídeos pertençam a diferentes subordens de decápodes, eles são muito semelhantes na aparência e, em muitos contextos, principalmente na agricultura comercial e a pesca, ambos são frequentemente chamadas de “camarão” de forma intercambiável.

Juntamente com outros decapódes de natação, os dendrobrânquios mostram a “fácies caridóide”, ou forma de camarão. O corpo é tipicamente robusto e pode ser dividido em um cefalotórax (cabeça e tórax fundidos) e um pleon (abdômen). O corpo é geralmente ligeiramente achatado de um lado para o outro. A maior espécie, penaeus monodon, pode atingir uma massa de 450 gramas e um comprimento de 336 milímetros. É o mais visado na pesca comercial asiática principalmente.

A biodiversidade da dendrobranchiata diminui acentuadamente em latitudes crescentes; a maioria das espécies só é encontrada em uma região entre 40° norte e 40° sul. Algumas espécies podem ocorrer em latitudes mais altas. Por exemplo, o bentheogennema borealis é abundante a 57° norte no Oceano Pacífico, enquanto as coleções de gennadas kempi foram feitas até o sul a 61° sul no Oceano Antártico.

Veja também

Como Calcular a Idade de Um Cachorro?

Saber como calcular a idade de um cachorro não é uma tarefa das mais simples. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *