Home / Animais / Cachorro Fujão: O Que Fazer? Como Evitar Que Ele Saia?

Cachorro Fujão: O Que Fazer? Como Evitar Que Ele Saia?

Os cachorros são muito amados pelas pessoas, mas também podem, em alguns casos, testar a paciência dos donos. Há vários comportamentos dos animais que podem fazer com que o dono perca a cabeça. Todavia, os bons momentos sempre se tornam mais lembrados e, assim, a relação entre cães e pessoas tende a ser sensacional. Em todo caso, pode ser bom entender algumas atitudes dos animais para responder à altura.

No caso de cachorros que seguem o dono para todos os lados, por exemplo, esse pode ser um sinal claro de que o cão não gosta de ficar sozinho e vê o dono como o seu melhor amigo, um ponto segurança e proteção. Porém, já no caso daqueles cães que se escondem, o indício é de que o animal se vê fraco e desprotegido, então se esconder é uma forma interessante, na visão do cão, de buscar proteção.

Contudo, uma das coisas que mais acontecem com os cachorros é a tentativa de fuga. Isso mesmo, um cão fujão pode ser um problema enorme para você. Já sabe como resolver o problema? Tem ideia do motivo que leva a isso? Se não, veja abaixo as principais informações sobre o tema.

Castração e Limites

Muitas pessoas optam pela castração para impedir que o cachorro fuja. Dessa maneira, um dos principais motivos que levam o animal a fugir da sua casa é o desejo sexual. Isso costuma acontecer, sobretudo, quando há uma fêmea por perto e em período fértil; no caso de o seu cão ser uma fêmea, ela é que estará no cio. Nesse caso, a castração, ainda que dolorosa para o animal e com pós-cirúrgico complexo, pode ser uma opção.

O positivo é que o procedimento vale para ambos os sexos, então pode ser usado sem maiores problemas. Outra alternativa é impor limites ao seu animal. Isso mesmo, você deve mostrar a ele quem manda na relação e, assim, impedir que o cãozinho sequer pense na fuga.

Cachorro Castração

Você pode, quando o cachorro ainda estiver pequeno, demarcar os limites físicos de circulação para ele. Caso o cachorro saia da área desejada, brigue muito com ele e o coloque de volta na área demarcada – se quiser, você pode, de fato, demarcar o local com uma corda ou algo do tipo. Com o tempo, é provável que o seu animalzinho cresça e respeite os limites físicos da sua casa.

Adestramento

O adestramento é sempre uma grande opção para manter o cachorro bem treinado, seja qual for a situação. Logo, um cachorro adestrado não sairá da sua casa para a rua, pois respeitará os limites do seu lar. Para isso, você pode pagar um profissional para fazer o adestramento, já que existem diversos locais especializados nesse assunto por todo o Brasil. Ou você mesmo pode fazê-lo, caso tenha tempo e paciência para tal.

Um exercício interessante é manter o cachorro preso na coleira e com o portão aberto. Caso o animal ameace sair, repreenda-o de forma veemente. Faça isso de 10 a 15 minutos por dia, durante 2 ou 3 semanas. Nos dias em que o cão sequer ameaçar sair, dê recompensas como petiscos.

Ao final do processo, é muito provável que o seu animal já associe a fuga a coisas ruins e pare de buscar a rua a todo momento. Outras técnicas também podem ser úteis, sendo esse apenas um bom exemplo de como fazer. Existem diversas outras maneiras de adestrar o cachorro nesse sentido, e o mais importante é que você faça uma análise para chegar àquela que mais tem a ver com a personalidade da mascote – e com a sua.

Mais Ideias e Placa de Identificação

A placa de identificação, colocada na coleira do seu cachorro, é uma grande opção para quem deseja uma segurança a mais. Pois, ainda que você siga todos os passos corretamente e mantenha o seu animal de estimação seguro, pode ser que ele fuja. Nesse caso, uma plaquinha de identificação tende a ser bastante útil.

A placa costuma conter o nome do cão, o número do responsável e, em alguns casos, mais algumas informações. Calcula-se que as placas de identificação aumentem em cerca de 40% as chances de o cão ser devolvido em segurança. Ademais, há alguns outros métodos para treinar o cachorro a se manter em casa.

Cachorro Placa de Identificação

Um deles é colocar a coleira no cão e jogar um brinquedo em direção à rua. É provável que ele puxe em direção ao brinquedo. Nesse momento, repreenda o animal e puxe de volta. Faça isso algumas vezes, em sessões de treinamentos que podem durar de 5 a 10 minutos. Ao fim de alguns dias, já será possível ver todos os efeitos positivos do treinamento. Lembre-se de que treinos longos cansam a mente do animal e impedem que o cachorro compreenda o que está sendo transmitido.

Aumente a Dificuldade

Muitas vezes o cachorro apenas foge por ter a oportunidade perfeita para tal. Assim, o ideal é que você torne mais complicado o trabalho do animal ao tentar fugir. Se sua casa possui uma grande movimentação de pessoas, por exemplo, pode ser uma ótima ideia adicionar um portão pequeno na varanda, de forma a tornar ainda mais difícil a fuga do animal. Pois, se antes era preciso apenas ter um portão aberto, agora o bicho terá de passar por dois.

Outro ponto interessante é deixar o cachorro mais tempo dentro da casa, sobretudo quando em ocasiões em que sua casa esteja cheia. Eventos de família e almoços são ótimos para a fuga de animais, então trate de deixá-lo em seu quarto ou em outro local seguro. Algo que também pode facilitar a fuga do animal, incentivando-a, é o barulho alto.

Fogos de artifício e trovões podem ser problemas para alguns cães, que se mostram com medo e, em meio a esse sentimento, podem fugir como uma forma de resposta. Para tal, o ideal é que você mantenha o seu cachorro dentro de casa quando houver a possibilidade de estourar fogos ou quando começar a chover muito. Essas medidas, embora simples, podem ser a diferença entre uma fuga bem ou mal sucedida.

Veja também

Cachorro Passando a Pata no Rosto e no Focinho: o Que Fazer?

Você é capaz de analisar como seu cachorro está se comportando? Algumas condutas podem indicar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *