Home / Animais / Bolachas Do Mar São Venenosas? São Perigosas?

Bolachas Do Mar São Venenosas? São Perigosas?

No post de hoje iremos falar um pouco mais sobre um dos animais mais legais e interessantes da vida marinha: as bolachas do mar! Com o nome já meio estranho e sua aparência mais ainda iremos apresentar um pouco mais de suas características gerais, habitat e nicho ecológico. E iremos responder uma pergunta muito questionada que é se elas são venenosas e perigosas. Continue lendo para saber mais.

Características Gerais Da Bolacha Do Mar

A bolacha do mar, também chamada de bolacha da praia é um animal Clypeasteroida, uma ordem dos equinodermos escavadores. Eles são parentes bem próximos de outros animais como os ouriços e estrelas do mar. Recebeu o nome de bolacha por ter um corpo disciforme, e achatado, semelhante a uma bolacha. Algumas outras espécies podem ser achatadíssimas.

Seu esqueleto é rígido, e chamado de testa. O motivo de ser tão rígido é devido as placas de carbonato de cálcio que ficam dispostas pelo seu corpo em padrão radial. Por cima dessa testa, nós temos um tipo de pele com textura aveludada, mas espinhosa. Os espinhos ficam recobertos pelos cílios que são minúsculos, e quase impossíveis de ver a olho nu.

Esses cílios trabalham também para a locomoção do animal no fundo do mar. Trabalham de forma conjunta e coordenada para isso. Eles inclusive possuem uma coloração que varia de espécie de bolacha do mar para outra. Algumas cores mais comuns são: azul, verde e violeta. É comum encontrarmos as bolachas do mar jogados na areia da praia, sem peles e já esbranquiçados devido a à exposição solar. Dessa forma, é mais fácil conseguirmos identificar seu formato e simetria radial. Seu esqueleto também possui cinco pares de fileiras de poros, criando um petaloide no meio do seu disco. Os poros fazem parte do endoesqueleto que trabalham para otimizar as trocas gasosas com o meio.

A boca desse animal está localizada na parte inferior do corpo, bem no centro, onde fica a petaloide. Entre a sua parte anterior e posterior, eles exibem uma simetria bilateral. Isso é um grande diferencial entre as bolachas e ouriços do mar. Enquanto isso, o ânus está localizado na parte posterior de seu esqueleto. Diferente do restante das espécies dessa ordem, isso veio da evolução. A espécie mais comum de bolachas do mar é a Echinarachnius parma, e ela está presente principalmente no Hemisfério Norte.

Habitat E Nicho Ecológico Das Bolachas Do Mar

Várias Bolachas Do Mar na Areia
Várias Bolachas Do Mar na Areia

O habitat de um ser vivo é onde ele pode ser encontrado. No caso das espécies de bolachas do mar, eles ficam no mar, mais especificamente no fundo do mar. Preferem locais arenosos, lodos soltos ou também embaixo de areia. Podem ser visto desde a linha da maré baixa até as águas mais fundas com algumas dezenas de metros, poucas espécies ficam em águas mais fundas. Seus espinhos permitem que eles consigam se locomover lentamente e os cílios servem como efeito sensorial junto com a movimentação da areia.

Elas possuem também alguns de seus espinhos que são modificados e recebem o nome de podia, que vem do latim e significa pé. Eles conseguem revestir as ranhuras alimentares e leva-las até a boca. Sua alimentação, parte do nicho ecológico delas, consiste na dieta de larvas de crustáceos, detritos orgânicos, algas e alguns copépodes pequenos.

Quando estão no fundo do mar, os membros da bolacha do mar costumam estar juntos. Isso vai desde a parte do crescimento até a reprodução. Falando nela, esses animais possuem sexos separados, e se reproduzem de forma sexuada. Os gametas são liberados para a coluna de água existente, e de lá ocorre a fertilização externa. Saem larvas que sofrem diversas metamorfoses até alcançar a maturidade, quando o seu esqueleto começa a se formar.

As larvas de algumas espécies desse animal conseguem se clonar, como uma forma de autodefesa. Nesse caso, há a reprodução assexuada, como uma forma de utilizar os tecidos que são perdidos durante sua metamorfose. Essa clonagem ocorre quando há presença de predadores, sendo assim, eles duplicam seu número. Entretanto, isso diminui seu tamanho, mas permite que eles consigam escapar da detecção dos peixes.

A expectativa de vida de uma bolacha do mar é em torno de 7 a 10 anos, e o legal é que da mesma forma que é possível comprovar a idade da árvore olhando a quantidade de anéis, na bolacha do mar também dá! Depois que elas morrem, não conseguem ficar em um lugar só, e vão até a costa com a direção da maré. Devido a exposição ao sol, os cílios somem e ela fica esbranquiçada. Existem poucos predadores naturais que atacam esses animais quando eles já são adultos, os únicos peixes que ocasionalmente comem deles são o Zoarces americanus e a estrela do mar Pycnopodia helianthoides.

Bolachas Do Mar São Venenosas? São Perigosas?

Algumas pessoas podem ter um pouco de aflição ao ver um animal marinho diferente de peixes. Como bem sabemos, o mar é rico de diversidade e apresenta os mais variados tipos de animais. A bolacha do mar apresenta cílios que causam um certo pavor, as pessoas inclusive acham que ela pode simplesmente pica-los. Entretanto, elas são completamente inofensivas.

As bolachas do mar não são capazes de fazer nenhum mal a nós, nem picar, nem soltar veneno nem nada do tipo. O máximo que podemos sentir é uma leve cosquinha quando pisamos nelas. Isso devido aos seus espinhos finos. De primeira pode causar um certo pânico, mas nada a se preocupar. Então a resposta para a sua pergunta é: não, elas não são perigosas nem venenosas.

Esperamos que o post tenha te ajudado a entender um pouco mais sobre a bolacha do mar, suas características e se ela é perigosa ou não. Não esqueça de deixar seu comentário nos contando o que achou e também deixar suas dúvidas. Ficaremos felizes em ajuda-los. Você pode ler mais sobre bolachas do mar e outros assuntos de biologia aqui no site!

Veja também

Alimentação do Tubarão: O Que Eles Comem?

Os hábitos alimentares dos tubarões são muito diferentes se você levar em conta o número …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *