Home / Animais / Axolote: A Salamandra Mexicana – Características e Fotos

Axolote: A Salamandra Mexicana – Características e Fotos

Axolote, cujo nome científico é Ambystoma mexicanum, também é conhecido como o peixe ambulante mexicano, mas é uma salamandra, um anfíbio relacionado a sapos. O nome axolote vem da língua asteca, Xolotl era o deus da morte, mas também é traduzido como cachorro de água.

O axolote era nativo do lago Xochimilco e do lago Chalco, lagos de água doce de alta altitude no México, mas restam apenas alguns canais de Xochimilco. Devido à perda de habitat, apenas alguns axolote permanecem na natureza e o axolotl está na lista de espécies ameaçadas de extinção. Eles também são vendidos nos mercados mexicanos como alimento.

Um número enorme é criado em cativeiro como animais de laboratório. Embora alguns axolotes sejam devolvidos à natureza, a sobrevivência da espécie na natureza é incerta, porque as águas restantes em que vivem estão ameaçadas pelo desenvolvimento da Cidade do México.

Características dos Axolotes

O axolote tem uma capacidade incomum de cura e regeneração, Os axolotes são neotênicos, o que significa que atingem a maturidade sexual sem sofrer metamorfose, de modo que os adultos permanecem aquáticos e branqueados e mantêm a forma larval ao longo de sua vida. Axolotes são adultos em cerca de 18 meses e podem atingir entre 20 e 40 cm. de comprimento.

Os axolotes têm brânquias externas e uma barbatana caudal que se estende por trás da cabeça até a abertura. Suas cabeças estão arregaladas e seus olhos estão sem tampa. Eles se alimentam por sucção. Brânquias externas são usadas para a respiração, embora também possam engolir ar da superfície.

Axolotes têm quatro colorações. Duas cores que ocorrem naturalmente são tons de marrom, geralmente com manchas e preto. Existem também duas cores de mutantes, rosa pálido com olhos pretos e albino dourado, bronzeado ou rosa pálido com olhos rosados.

A salamandra axolote tem a característica rara de reter suas características larvais ao longo da vida adulta. Essa condição, chamada neotenia, significa que mantém a barbatana dorsal em forma de girino, que mede quase o comprimento do corpo, e as brânquias externas emplumadas, que se projetam na parte de trás da cabeça larga.

História Natural dos Axolotes

Encontrados exclusivamente no complexo de lagos de Xochimilco, perto da Cidade do México, os axolotes diferem da maioria das outras salamandras, pois vivem permanentemente na água. Em casos extremamente raros, um axolote progride até a maturidade e sai da água, mas em geral eles se contentam em permanecer no fundo dos lagos e canais de Xochimilco.

Os axolotes têm vida longa, sobrevivendo até 15 anos com uma dieta de moluscos, vermes, larvas de insetos, crustáceos e alguns peixes. Acostumada a ser um dos principais predadores de seu habitat, essa espécie começou a sofrer com a introdução de peixes grandes no habitat de seus lagos. As ameaças naturais incluem aves predadoras, como garças.

As populações estão em declínio, uma vez que as demandas da vizinha Cidade do México levaram à drenagem e contaminação de grande parte das águas do complexo do lago Xochimilco. Eles também são populares no comércio de aquários, e o axolote assado é considerado uma iguaria no México, diminuindo ainda mais seu número. Eles são considerados uma espécie criticamente ameaçada.

Uma adaptação de sobrevivência mais incrível pode ser a capacidade do anfíbio de regenerar muitas partes do corpo.  Pode-se cortar o membro deles, e isso irá regenerar tudo. Você pode cortar parte do cérebro e isso irá regenerar.

Risco de Extinção dos Axolotes

A rápida urbanização, altos níveis de poluição da água e a introdução de certas espécies ameaçam cada vez mais os axolotes. Estima-se que a população de axolote tenha caído de 600 por quilômetro quadrado em 1998 para 0,5 por quilômetro quadrado em 2014.

Salvar esta salamandra da extinção significa salvar seu habitat, embora possam ser cultivadas em tanques,  isso não é o mesmo.

Axolotes estão atualmente envolvidos em alguns esforços de conservação, incluindo um em que se espera convencer os agricultores locais a crescer organicamente, sem pesticidas ou fertilizantes, o que melhoraria o habitat das axolotes para o pantanal. Embora os produtos orgânicos possam ser mais caros, as fazendas contribuem para a sobrevivência das espécies ameaçadas de extinção e possivelmente mais lucrativas para os agricultores.

Axolote: A Salamandra Mexicana – Características e Fotos

O Axolote é comumente chamado de ” salamandra mexicana ” ou “peixe ambulante mexicano”, mesmo que o axolote não seja um peixe, mas um anfíbio. Os axolotes selvagens são encontrados exclusivamente em Xochimilco, México, e podem ser encontrados em todo o mundo como animais domésticos ou em cativeiro.

Os axolotes domésticos foram criados especialmente para exibir uma coloração branca do corpo, combinada com olhos pretos, mas os axolotes selvagens são normalmente pretos ou marrons esverdeados, com olhos vermelhos. O cocar extravagante dessa espécie é na verdade as guelras da salamandra, que permitem que a criatura respire debaixo d’água. O axolote é grande em comparação com a maioria das salamandras.

Casal de Axolote
Casal de Axolote

O axolote difere da maioria das salamandras, pois o axolote prefere tornar a água seu habitat permanente. No entanto, se fatores ambientais exigirem que os anfíbios o façam, o axolote pode fazer seu corpo progredir na idade adulta para se adaptar à vida em terra.

A salamandra mexicana costuma fazer um abrigo de juncos ou estruturas rochosas para segurança. Em cativeiro, o axolote é mantido em um aquário com temperatura controlada, mobiliado com plantas artificiais, rochas e áreas onde se esconder, para imitar seu habitat natural.

Interesse Científico Pelas Axolotes

A salamandra axolote é a salamandra mais amplamente pesquisada no mundo, tornando este anfíbio um residente permanente em laboratórios. A regeneração de membros não é uma característica incomum em várias espécies de anfíbios, mas o axolote pode reconstruir seu cérebro, espinhos e outras partes que não podem ser reconstruídas por outros.

Os cientistas acham essa habilidade rara útil na medicina humana e estão conduzindo experimentos na tentativa de aproveitar a capacidade de regeneração da raça humana. Os seres humanos são mamíferos, portanto a composição genética do axolote não é compatível. Até agora, a capacidade de uma pessoa regredir um braço ou outras partes do corpo é inatingível. No entanto, o DNA do axolote poderia, algum dia, ajudar no processo de cura humana, de modo que a pesquisa continua.

Veja também

Cachorro Terra Nova

Tudo Sobre a Raça Terra Nova: Características e Fotos

Hoje vamos conhecer mais uma raça de cachorro bem bacana e incrível, é a raça …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.