Home / Animais / Arraia Treme Treme Características e Imagens

Arraia Treme Treme Características e Imagens

Arraia treme treme é uma espécie de torpediniformes da família narcinidae. Habita recifes ao longo da costa ocidental do Oceano Atlântico e do Golfo do México, da Carolina do Norte ao norte da Argentina.

Torpediniformes

Arraias da ordem torpedinoformes como a nossa treme treme têm um disco peitoral arredondado com duas barbatanas dorsais arredondadas (não pontudas ou com gancho) moderadamente grandes (reduzidas em alguns narcinidae), e uma robusta cauda muscular com uma barbatana caudal bem desenvolvida. O corpo é grosso e flácido, com pele frouxa e macia, sem dentículos dérmicos ou espinhos.

Um par de órgãos elétricos em forma de rim estão na base das barbatanas peitorais. O focinho é largo, grande nos narcinidae, mas reduzido em todas as outras famílias. A boca, narinas e cinco pares de fendas branquiais estão por baixo do disco.

Arraias da ordem torpedinoformes como a nossa treme treme são encontrados a partir de águas costeiras rasas até pelo menos 1.000 m de profundidade. Elas são lentas, impulsionando-se com suas caudas, não usando suas barbatanas peitorais como fazem outras arraias.

Elas se alimentam de invertebrados e peixes pequenos. Elas esperam por presas abaixo da areia ou outro substrato, usando sua eletricidade para atordoar e capturá-la.

Bioeletricidade

Arraias da ordem torpedinoformes como a nossa treme treme podem ser a mais eletros sensível de todos os animais. Seus olhos estão no topo de suas cabeças, resultando em má visão que deve ser compensado pelo uso de outros sentidos, incluindo a detecção de eletricidade.

Muitas espécies de arraias fora da família têm órgãos elétricos na cauda; no entanto, a nossa treme treme tem dois grandes órgãos elétricos em cada lado da cabeça, onde a corrente passa da parte inferior para a superfície superior do corpo.

Os órgãos são governados por quatro nervos centrais de cada lado do lóbulo elétrico, ou lobo cerebral especializado, que é de uma cor diferente do resto do cérebro. Os nervos principais se ramificam repetidamente, depois se fixam ao lado inferior de cada placa nas baterias, que são compostas de colunas hexagonais, em formação de favo de mel: cada coluna consiste de 140 a meio milhão de placas gelatinosas.

Nos peixes marinhos, estas baterias são conectadas como um circuito paralelo onde as baterias de água doce são encontradas em série, transmissão de descargas de alta voltagem, pois a água doce não pode conduzir eletricidade, assim como água salgada.

Com essa bateria, a arraias da ordem torpedinoformes pode eletrocutar uma presa maior com uma corrente de até 30 amperes e uma voltagem de 50 a 200 volts, um efeito semelhante ao abandono de um secador de cabelo em uma banheira.

Narcine Brasiliensis

A arraia treme treme tem cor clara de areia, muitas vezes com elipses de pontos escuros no lado dorsal do disco arredondado. Cinzento a castanho avermelhado, muitas manchas arredondadas delineadas com manchas pretas. Bandas escuras pela cauda até a barbatana dorsal. Focinho escurecido. Comprimento médio de 50 cm de corpo e 35 cm de cauda. Peso médio de 650 gramas.

Habita águas costeiras, em fundos da areia ou da lama. Comum ao longo das linhas costeiras arenosas, às vezes perto dos recifes de corais, enterra-se apenas com os olhos salientes. Noturna, move-se para baías rasas à noite para se alimentar, preferindo vermes, mas pode tomar enguias juvenis de cobra, anêmonas e pequenos crustáceos também como alimentos. Produz ninhadas de 4 a 15 filhotes de arraia.

A arraia treme treme é ovovípara. A razão sexual dos embriões é de cerca de um para um, no entanto, as mães pequenas podem ter embriões predominantemente femininos e que, para uma determinada mãe, os embriões tendem a ser de um sexo. O número máximo de embriões por fêmea pode chegar a 15. Os jovens são capazes de emitir cargas elétricas antes mesmo de serem liberados do útero.

A arraia treme treme pode descarregar entre 14 e 37 volts. O contato com a pele pode produzir um choque elétrico grave. Além do órgão elétrico principal, esta espécie possui um órgão elétrico acessório bilateral especulado para ter um papel possível na comunicação social.

Sua distribuição nos mares é predominantemente no Atlântico Ocidental: Espírito Santo, Brasil ao norte da Argentina. Carolina do Norte, EUA para a Flórida, norte do Golfo do México, centro das Pequenas Antilhas e Yucatan.

A confusão relativa à distribuição geográfica de N. brasiliensis decorre da espécie considerada anteriormente como uma espécie extensa do Atlântico Ocidental, da Carolina do Norte, EUA à Argentina. Revisão taxonômica definiu N. bancroftii como ocorrendo da Carolina do Norte ao norte do Brasil e N. brasiliensis do Brasil, Uruguai e Argentina.

Apesar disso, Gomes e Carvalho ainda citam N. brasiliensis como ocorrendo da Carolina do Norte à Argentina. Atualmente, ainda existe alguma incerteza quanto ao exato alcance das duas espécies no Brasil, particularmente na região nordeste do Brasil.

Referências ao narcine dos estados do norte do Amapá, Pará e Maranhão são N. bancroftii, enquanto as referências da Bahia, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul são N. brasiliensis. Narcine brasiliensis também é conhecida dos estados da Paraíba e Pernambuco.

Ameaça de Extinção

Arraias Treme Treme no Fundo do Mar
Arraias Treme Treme no Fundo do Mar

As arraias treme treme são nadadores lentos, com pequenas áreas residenciais, altamente localizados dentro de uma área e concentrados em zonas de surfe adjacentes a praias de barreira e em bares de areia em meses quentes e deslocados para o mar no inverno, tornando-os suscetíveis ao esgotamento populacional localizado.

Narcine brasiliensis é capturado como capturas acessórias na pesca de arrasto costeiro e de arrasto de praia. Não há dados quantitativos disponíveis sobre a captura desta espécie no Brasil e ela não parece ser utilizada para alimentação e é descartada, mas as taxas de sobrevivência são desconhecidas.

Capturas de Narcine spp. em redes de arrasto artesanal de praia parecem ter declinado durante a última década na Paraíba, nordeste do Brasil, no entanto, é incerto se estes são N. brasiliensis ou N. bancroftii.

Os desembarques dessa espécie na pesca artesanal do Rio Grande do Sul diminuíram desde o início da década de 1950. Esta espécie ainda é registrada no Rio Grande do Sul e um levantamento científico de arrasto entre Torres e Chuí registrou N. brasiliensis, embora a proporção de jovens e adultos seja desconhecida.

A pressão da pesca costeira também é conhecida por ser intensa na Argentina. Os batuóides são um recurso importante na maioria das pescarias de arrasto demersal na Argentina. Uma pescaria demersal costeira de múltiplas espécies de arrasto opera em Quequén, na qual as capturas acessórias flutuam sazonalmente entre 44,5% e 67,5% da captura total.

Esta espécie não foi relatada em um estudo recente sobre as capturas acessórias desta pescaria, e a falta de informação histórica impede uma comparação de tendências temporais. Narcine brasiliensis tem uma distribuição mais limitada do que N. bancroftii, no entanto, não há dados para fazer uma avaliação precisa de seu status no momento.

Não há informações disponíveis sobre a população desta espécie na Argentina, onde é incomum. Declínios de 98% desde 1972 foram observados para Narcine bancroftii no norte do Golfo do México, bem como taxas semelhantes de declínio nas águas costeiras dos EUA, entre a Flórida e a Carolina do Norte.

Poluição e distúrbios humanos na zona costeira também podem ser prejudiciais ao habitat de N. brasiliensis, embora nenhuma informação específica esteja disponível. Pesquisas para resolver questões taxonômicas e determinar a distribuição, tamanho da população e histórico de vida são necessárias. O monitoramento da pesca artesanal em que a espécie é tomada como capturas acessórias também é necessário.

Veja também

Tipos De Abelhas Sem Ferrão

Você possui algum tipo de alergia? É provável que você possua pelo menos uma, mesmo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *