Home / Animais / Arraia Jamanta é Perigosa? Tem Ferrão?

Arraia Jamanta é Perigosa? Tem Ferrão?

As raias (popularmente conhecidas como arraias) são animais extremamente dóceis. Porém, a maioria das pessoas possui um receio em chegar perto delas, justamente pelo seu temido ferrão. Ele é perigoso? Quais são os riscos que uma pessoa corre ao se deparar com um exemplar deste animal?

Conheça mais sobre este animal no decorrer do artigo. Vamos lá?

Ela Oferece Algum Perigo Para o Ser Humano?

A resposta é bem simples: Não. As arraias são animais pacíficos. É bem mais provável que você morra com a mordida do seu cão do que com um ataque de uma arraia.

Mas, você deve estar se perguntando: E quanto ao ataque que aconteceu contra um mergulhador famoso, que faleceu após uma ferroada de um desses animais?

Pois bem, no caso dele, o que aconteceu foi que o animal se sentiu ameaçado. Duas pessoas estavam perto demais da arraia, e, para se defender, ela feriu o homem. Ela estava se sentindo coagida. Isso é muito raro de acontecer, pois, na maioria das vezes, ela procura fugir do contato com seres humanos.

Ela possui ferrão e o contato com a pele pode causar necrose severa. Mesmo que seja um animal dócil, não é recomendado ficar perto.

Um Pouco Mais Sobre a Arraia Jamanta

Em termos gerais, as jamantas vivem em oceanos tropicais, subtropicais e temperados em todo o mundo. Existem duas espécies de arraias: A gigantesca arraia oceânica (Manta birostris) e a jamanta de recife (Manta alfredi).

A raia oceânica gigante pode atingir um tamanho de até 7 metros, com um peso de cerca de 1.350 kg. Mas, o tamanho médio é geralmente de 4,5 metros. Já a arraia de recife pode crescer até 5 metros, mas o tamanho médio é de 3 a 3,5 metros.

Ambas as espécies possuem barbatanas peitorais triangulares, extremidades cefálicas em forma de chifre, grandes bocas viradas para frente e brânquias na parte inferior do corpo, através das quais obtém oxigênio da água.

Características Corporais

Os arcos branquiais do peixe têm paletes de tecido esponjoso castanho-rosado que recolhem partículas de alimentos.

As arraias têm, aproximadamente, 300 fileiras de dentes cobertos de pele em sua mandíbula inferior. Seu esqueleto é composto de cartilagem e não osso.

As raias têm o maior cérebro de todos os peixes do mundo e ainda há muito a descobrir sobre sua inteligência e interações sociais.

Dorsalmente, as jamantas são tipicamente negras ou de cor escura, com marcas pálidas em seus “ombros”.

Geralmente, o seu ventre possui a cor branca. Quando não está nessa tonalidade, a cor sempre é pálida, com marcações escuras distintas pelas quais as jamantas possam ser reconhecidas individualmente.

Arraia Jamanta Fotografada em Pleno Salto
Arraia Jamanta Fotografada em Pleno Salto

As arraias movem através da água pelos movimentos semelhantes a asas de suas barbatanas peitorais, que empurram a água para trás. Elas devem nadar continuamente para manter a água oxigenada passando sobre suas brânquias. Elas podem nadar até 24 quilômetros por hora.

A gigantesca arraia oceânica passa a maior parte de sua vida longe da terra que viaja com as correntes e migra para áreas onde a água é rica em nutrientes. Assim, aumenta-se a disponibilidade do zooplâncton. Este animal é — frequentemente — associado a ilhas oceânicas.

Movimentação no Oceano

Em comparação com a gigantesca arraia oceânica, a jamanta de recife tende a ser encontrada em habitats mais lentos e mais costeiros, mas às vezes migrações locais são relatadas.

As jamantas visitam estações de limpeza em recifes de corais para a remoção de parasitas externos. Elas adotam uma posição quase estacionária perto da superfície do coral por vários minutos, enquanto o peixe limpador consome os organismos.

Elas são comuns em torno das costas da primavera ao outono, mas viajam mais longe durante o inverno.

Eles ficam perto da superfície e em águas rasas durante o dia, enquanto à noite eles nadam em profundidades maiores.

Estes animais podem viajar sozinhos ou em grupos de até 50 pessoas e às vezes se associar a outras espécies de peixes, bem como aves e mamíferos marinhos.

Apesar de seu status como um gigante do oceano, as raias alimentam-se de alguns dos menores organismos do mar! Elas alimentam-se especialmente de zooplâncton; animais minúsculos tais copépodes, camarões e vermes de seta. Elas são conhecidas por fazer migrações sazonais, a fim de aproveitar áreas de alimentos particularmente abundantes.

Apenas um desses animais consome cerca de 13% do seu peso corporal a cada semana!

Como Elas se Alimentam?

Elas possuem a visão e olfato bem aguçados, permitindo-lhes localizar suas presas. Uma vez que a presa é localizada, as raias mantêm seus alimentos nadando em torno de um grupo de plâncton em círculos apertados até que haja uma massa concentrada dos organismos.

Arraia Jamanta no Fundo do Mar
Arraia Jamanta no Fundo do Mar

Em seguida, a arraia aperta suas barbatanas cefálicas em torno de sua boca para formar um funil e nada, de boca aberta, em linha reta através da massa. Placas esponjosas ao longo das brânquias do animal recolhem a comida, e a água filtrada passa através das guelras de volta ao oceano. A comida é então empurrada para o estômago da arraia.

Até cinquenta peixes individuais podem se reunir em um único local de alimentação rico em plâncton.

Pulos Fora D’água

Elas, às vezes, quebram, pulando parcialmente ou totalmente fora da água. Esses saltos surgem em três formas: saltos para frente, onde o peixe aterrissa de cabeça, saltos semelhantes com uma primeira reentrada na cauda ou cambalhotas. Como as baleias, elas quebram, por razões desconhecidas; Possíveis explicações incluem rituais de acasalamento, parto, comunicação ou a remoção de parasitas e remoras comensais (ventosas).

Reprodução

O acasalamento ocorre em diferentes épocas do ano. São ovovivíparas. A fêmea dá à luz filhos vivos, mas estes se desenvolvem em ovos dentro da mãe. Após um período de gestação de doze a treze meses, as arraias fêmeas dão à luz um único filhote (embora ocasionalmente também possam dar à luz gêmeos), que mede cerca de 1,5 metro de ponta a ponta da asa.

O seu tempo de vida é de, aproximadamente,  20 anos.

Por causa de seu tamanho grande, apenas os maiores predadores marinhos, como o grande tubarão branco, o tigre, o tubarão-martelo e os tubarões-touro, ou a falsa orca e a baleia tentariam atacar uma arraia adulta.

Foto de Mergulhador Perto de Uma Arraia Jamanta Adulta
Foto de Mergulhador Perto de Uma Arraia Jamanta Adulta

Em algumas partes do mundo, existem pescarias de arraias. A carne dela não é amplamente consumida, mas há um mercado para o seu óleo de fígado e sua pele abrasiva. Os rastros branquiais, que protegem e cobrem as brânquias, são recolhidos e vendidos como medicamento chinês.

Ambas as espécies são classificadas como “vulneráveis” na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

Os locais em que as arraias se reúnem atraem turistas, e a observação de arraias gera receitas anuais substanciais para as comunidades locais. Locais turísticos existem nas Bahamas, Ilhas Cayman, Espanha, Fiji, Tailândia, Indonésia, Havaí, Austrália Ocidental e as Maldivas.

Devido ao seu tamanho, é raro que estes animais sejam mantidos em cativeiro. Além disso, poucos aquários atualmente as exibem.

Curiosidades

O antigo povo peruano moche adorava o mar e seus animais. Sua arte muitas vezes descreve as arraias.

Historicamente, elas  eram temidas por seu tamanho e poder. Os marinheiros acreditavam que comiam peixe e podiam afundar barcos puxando as âncoras.

As arraias são conhecidas como “devilfish” (ou peixe-demônio) por causa de suas barbatanas cefálicas em forma de chifre, que são imaginadas para dar-lhes uma aparência “mal”.

Veja também

Água Sanitária Faz Mal Para Cachorro? E Querosene? Lysoform?

Ter um cãe vivendo em casa é maravilhoso para todas as pessoas; companheiros, leais e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *