Home / Animais / Aratu Vermelho Grapsidae

Aratu Vermelho Grapsidae

O Aratu vermelho, cujo nome científico é Goniopsis cruentata, é encontrado em toda extensão ocidental do Oceano Atlântico da Flórida até o sul do  Brasil, incluindo Fernando de Noronha e Atol  das Rocas e ao na costa oriental do Oceano Atlântico em Senegal e Angola, incluindo a costa Pacífica do Panamá.

Habitat do Aratu Vermelho  

Aratu vermelho vive dentro de várias centenas de metros da costa, particularmente ao longo estuários e margens de rios. Ele se esconde em densos arbustos, lama ou areia costeira acima da linha da maré. As tocas podem se estender até seis pés abaixo do solo e conter pequenas poças de água na parte inferior. Aratu vermelho compartilha sua toca com insetos e outros pequenos artrópodes. As atmosferas em tais tocas geralmente apresentam concentrações muito altas de dióxido de carbono, porque geralmente são seladas com lama. Em habitats particularmente abundantes, pode haver até 7.500 tocas por hectare.

Aratu Vermelho em Seu Habitat
Aratu Vermelho em Seu Habitat

Características do Aratu Vermelho 

Aratu vermelho cresce cerca de 127 mm. de largura e 102 mm. de comprimento, pesando 400 gr. em média, embora os machos são geralmente maiores que as fêmeas. Como juvenil, é tipicamente de cor vermelha com pernas alaranjadas. Seu corpo, protegido por uma carapaça lisa, consiste em um cefalotórax e abdômen. Conectados ao seu cefalotórax estão cinco pares de apêndices birramosos cobertos com cerdas táteis, cada qual resistente e maior que a largura do cefalotórax. Na sua frente há dois pares de antenas e duas pinças, uma maior que a outra. A pinça maior do sexo masculino pode atingir 300 mm. de comprimento.

Reprodução do Aratu Vermelho 

Aratu vermelho tem um ciclo de vida complexo que começa durante a estação chuvosa (que varia de acordo com a latitude) quando as fêmeas desovam seus ovos no oceano, estritamente coincidindo com o ciclo lunar. Uma vez incubados Aratu vermelho passam por cinco períodos de larvas antes de ele sofre uma metamorfose para mégalops, a fase em que os apêndices aparecer em primeiro lugar. A metamorfose do ninho produz o caranguejo juvenil, que se assemelha à forma adulta.

Cada metamorfose é acompanhada por uma troca de carapaça. A muda seguinte, chamada puberdade, precede a maturação sexual completa. Muda regula o ciclo de vida do Aratu vermelho. Geralmente, Aratu vermelho passa por  20 mudas durante sua vida útil, o que é típico de outras espécies de caranguejo. Depois de atingir a maturação sexual, Aratu vermelho torna-se principalmente terrestre, voltando para o oceano só para aparecer e começar o ciclo de vida mais uma vez.

O ciclo reprodutivo de Aratu vermelho é fortemente dependente do clima e do ciclo lunar. No início da estação chuvosa (geralmente no final da primavera, mas varia de acordo com a latitude), as fêmeas começam a procurar ativamente um companheiro enquanto migram de sua toca para a costa. As principais migrações ocorrem antes das luas cheias; os menores precedem novas luas.

Aratu Vermelho Filhote
Aratu Vermelho Filhote

Aratu vermelho atinge a maturidade sexual em cerca de quatro anos de idade. Em preparação para suas migrações, as fêmeas ganham peso substancial. Os machos cortejam ativamente as fêmeas e, em resposta, as fêmeas emitem feromônios, bem como sinais táteis e auditivos. A cópula geralmente ocorre fora das tocas e a fertilização é interna. Após a cópula, as fêmeas carregam seus ovos (que podem chegar a 200.000) por aproximadamente duas semanas antes de desová-las no oceano.

Muitos caranguejos gigantes não sobrevivem ao estágio larval. Infelizmente, não há muito mais dados disponíveis sobre a vida de Aratu vermelho. No entanto, os biólogos levantam a hipótese de que a vida útil de uma espécie de caranguejo terrestre é inversamente proporcional à sua taxa de crescimento. Em outras palavras, quanto mais rápido eles crescem, menor é o tempo de vida e vice-versa. A partir deste, é provável que Aratu vermelho tenha um período de vida relativamente mais curto do que outros caranguejos.

Comportamento do Aratu Vermelho

Aratu vermelho não é uma espécie social, passando a maior parte do tempo em sua toca, quando não procura ou migra para acasalar e desovar. Guaiamu defende ferozmente sua toca, e a competição para a melhor localização da toca muitas vezes resulta na migração de distância da costa para o concorrente perdedor. Aratu vermelho tipicamente forrageia ao amanhecer e ao entardecer, o seu tempo de atividade de pico. Aratu vermelho fica a vários metros quadrados de sua toca, exceto quando as fêmeas migram para o oceano para libertar seus filhotes.

Aratu vermelho comunica de diversas maneiras, mas, principalmente, com os sinais visuais, auditivos, e químicas. Para atrair parceiros, as fêmeas liberam feromônios. Para orientar-se, depende de luz polarizada ou a luz do horizonte ao amanhecer ou ao anoitecer. Ele também usa as cerdas em seus apêndices para fins táteis. São altamente sensível a vibrações.

Aratu vermelho é um onívoro. Embora ele prefere folhas, frutos e ervas, C. guanhumi também se alimenta de insetos, carniça e fezes. Para forragear, normalmente não se afasta da toca e usa luz e som para encontrar comida. Depois de forragear, ele leva sua comida nas garras de volta para a toca, come e salva o que não terminar mais tarde.

Ameaças de Extinção

Devido ao seu tamanho, Aratu vermelho não é muito predado. No entanto, às vezes é vítima de grandes aves, mamíferos e outras Aratu vermelho. Os seres humanos são a maior ameaça em relação à predação, colhendo caranguejos gigantes em grandes quantidades para alimentação. Felizmente, é bastante seguro em sua toca contra a predação. Assim, enterrando não só fornece Aratu vermelho com abrigo, mas também a protege de predadores. De facto, a ausência de uma toca, em adição a vulnerabilidade física e outros factores, explica as elevadas taxas de mortalidade de Aratu vermelho durante a fase larval.

Aratu Vermelho - Comportamento na Praia
Aratu Vermelho – Comportamento na Praia

Devido ao ambiente úmido dentro de sua toca, Aratu vermelho fornece uma miríade de artrópodes com habitats. Esses artrópodes viver em seu corpo, mas não parecem prejudicá-lo, alimentando principalmente de restos alimentares das refeições do Aratu vermelho.  Aratu vermelho é uma fonte significativa de alimento em várias partes do nordeste brasileiro, particularmente no Recife. Sabe-se que as colheitadeiras nos mangues capturam até 400 caranguejos gigantes por noite. Embora Aratu vermelho não esteja em perigo, existe uma preocupação quanto à sua colheita. Foi explorado excessivamente  como alimento.

 

Veja também

Hábitat do Iaque

Hábitat do Iaque: Onde Eles Vivem?

Os iaques ou yaks (nome científico Bos grunniens) são bovídeos encontrados em áreas de levadíssima …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *