Home / Animais / Animais Perigosos Que Vivem no Deserto: Nomes e Fotos

Animais Perigosos Que Vivem no Deserto: Nomes e Fotos

Os desertos são famosos por serem ambientes áridos e hostis, incapazes – ao menos em tese – de abrigar qualquer tipo de vida animal ou vegetal.

Mas o que ocorre é justamente o contrário! É lá que estão alguns dos animais mais perigosos da natureza – como os que vemos nessas fotos –, com nomes, características e hábitos dos mais exóticos e incomuns dentre as espécies conhecidas.

Seja nas distantes e desoladas paragens do Deserto de Gobi. Nas insondáveis e misteriosas regiões do Deserto do Atacama. Inseridos no contexto histórico e lendário do deserto do Saara.

Ou mesmo nas exóticas regiões do Sudeste e Norte da África, Oriente Médio, Ásia Central, Sudeste Asiático, entre outras regiões com as mesmas características, eles estão lá, perigosos e ameaçadores, e pertencentes às mais variadas famílias, gêneros e espécies.

São animais com hábitos dos mais incomuns, mas sempre com a mesma característica: Um alto poder de agressividade! Muitos deles capazes de expelir devastadoras toxinas, que arrasam rebanhos inteiros; e das quais o homem não consegue opor a menor resistência.

Portanto, segue, abaixo, uma lista com alguns dos animais perigosos que vivem estritamente nos desertos de praticamente todos os continentes. Espécies bastante singulares, e que possuem características que os tornam eventos únicos em plena natureza selvagem.

1.Inland Taipan (Oxyuranus Microlepidotus)

Dentre os animais perigosos que vivem nos desertos de vários continentes, existe um verdadeiro “flagelo da natureza”, cujas fotos e imagens abaixo não deixam dúvidas sobre o quão terrível pode ser um contato mais próximo com ele; e que atende pelo singelo nome de “Island taipan” ou Oxyuranus microlepdotus.

Oxyuranus Microlepidotus
Oxyuranus Microlepidotus

Trata-se apenas e tão somente da cobra mais venenosa do planeta, originária dos desertos australianos, e que é capaz de expelir uma toxina altamente devastadora, cerca de 150 vezes mais letal do que a de qualquer outro animal existente.

Com apenas 2ml de veneno injetados, a Oxyuranus microlepidotus é consegue matar cerca de 300 ovelhas, 100 pessoas adultas e pelo menos meio milhão de roedores também adultos.

2.Escorpião Deathstalker (Leiurus quinquestriatus )

Aqui está um outro exemplo de um animal perigoso e que pode ser facilmente encontrado nos desertos da África do Norte e do Oriente Médio.

O seu nome já deu origem a diversas lendas e contos, muito por conta da sua aparência (como podemos ver nessas fotos e imagens), mas também devido à sua enorme agressividade.

O seu nome, “deathstalker”, pode ser traduzido por algo como “A morte à espreita” – uma denominação que diz o suficiente sobre as suas intenções, nem um pouco amistosas, logo que se depara com uma vítima em potencial.

O deathstalker também pode ser o Escorpião Amarelo da Palestina, o escorpião Omdurman ou o escorpião do deserto Naqab – apelidos que ele foi recebendo devido ao intenso comércio que o tem como principal mercadoria, especialmente no Oriente Médio, de onde sai para o resto do mundo, para quem quer que tenha interesse pelas reconhecidas propriedades farmacológicas do seu veneno.

A toxina do escorpião amarelo é bastante agressiva e capaz de levar um indivíduo a um estado de coma caso as complicações resultantes da picada não sejam tratadas a tempo.

Os sintomas começam com dores insuportáveis no local afetado, seguidas por febre, paralisia muscular e convulsões; e que podem evoluir para um estado de coma, com a consequente morte do paciente.

3.Cobra-Real (Ophiophagus Hannah)

Aqui está ela, a temida “Cobra-real”, um outro flagelo da natureza que, se não bastasse o potencial da sua neurotoxina, ainda gaba-se do status de ser a mais comprida entre as espécies venenosas existentes em qualquer parte do planeta.

O seu habitat de origem são os desertos do Sudeste Asiático, especialmente em regiões como Laos, Vietnã, Camboja, Myanmar, Nepal, entre outras localidades próximas.

A cobra-real é capaz de injetar uma quantidade de toxina até 5 vezes maior do que a que consegue outras serpentes, o que torna ainda mais dramático e devastador o seu ataque, mesmo com a baixa toxidade que o veneno apresenta.

O que se diz é que um elefante africano, do alto dos seus quase 3,5 metros de comprimento e 5 toneladas, pode sucumbir em questão de horas a um ataque dessa espécie; enquanto 15 homens adultos não conseguem opor a menor resistência ao seu vigoroso ataque – muitas vezes mesmo após o atendimento médico.

4.A Mamba-Negra (Dendroaspis Polylepis)

A mamba-negra é uma daquelas espécies que passeiam pelo imaginário popular há décadas. Ela é o exemplo clássico de um animal que todos, de uma forma ou de outra, já teve algum contato, mesmo que apenas devido à sua fama.

Isso ocorre graças ao seu potencial de agressividade, que a faz figurar no panteão das cobras mais venenosas de todo o planeta.

E para piorar ainda mais a vida de quem quer que tenha a infelicidade de cruzar o seu caminho, a mamba-negra é considerada a cobra mais veloz da natureza, capaz de ultrapassar, facilmente, a casa dos 20km/h; não oferecendo à vítima a menor chance de resistir à sua perseguição.

Diretamente dos ambientes áridos e hostis dos desertos do Quênia, Zâmbia, Namíbia, Tanzânia, entre outras regiões do Sudeste da África, ela surge como um dos “flagelos da natureza” e um dos sinônimos de morte nesse imenso continente africano.

5.Crocodilo-do-nilo (Crocodylus Niloticus)

Finalmente, esse outro exemplo de um animal que vive nos desertos, e que também pode ser bastante perigoso, como podemos ver nessas fotos.

O seu nome é Crocodylus niloticus – um ilustre representante dos desertos africanos, e que gaba-se de figurar, ameaçadoramente, no topo da cadeia alimentar.

Desde a bacia do Nilo, passando pelos trechos do sul do deserto do Saara, até atingir as planícies de Madagascar, a espécie surge, como uma das maiores já registradas na natureza – e que se não bastasse, ainda foi considerada um “deus” por alguns povos do Egito Antigo, tal o pavor que despertava no seio daquelas comunidades.

Com um comprimento que pode variar entre 3,4 e 5,2m (para os machos) e 2,5 e 3,9 (para as fêmeas) – além de um peso que pode alcançar facilmente os assustadores 500kg – o Crocodilo-do-nilo desponta como o maior desse gênero dentro continente africano.

Mas a sua especialidade é o potencial devastador da sua poderosa mandíbula, capaz de descarregar na presa uma energia de quase 1 tonelada durante a mordida.

E para piorar as coisas, o Crocodilo-do-nilo é uma daquelas espécies que não dependem exclusivamente do ambiente aquático para sobreviverem. Em terra firme eles conseguem ser tão ou mais devastadores ainda.

Gostou desse artigo? Deixe a resposta na forma de um comentário. E continue compartilhando as nossas informações.

Veja também

Como o Caranguejo se Protege na Areia?

É curioso observar como os caranguejos se protegem na areia cavando buracos com as suas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *