Home / Animais / Abelha Alimentação: O Que Elas Comem?

Abelha Alimentação: O Que Elas Comem?

A alimentação dos animais é muito importante para diversos fatores que fazem o ciclo natural não parar. É o que chamamos de cadeia alimentar, um processo em que cada ser vivo tem uma função a desempenhar com relação ao que come.

Um bom exemplo disso são as abelhas, cuja alimentação favorece bastante a natureza, e a nós, seres humanos.

Mas, afinal, o que as abelhas comem? Explicaremos.

Alimentação Principal

É bom deixar claro que nem todas as abelhas tem ferrão, ou fazem colmeias. Mas, todas têm algo em comum: a alimentação. Esses insetos comem, basicamente, o mel que fabricam através do néctar que colhem das plantas. Como uma espécie de “suplemento”, elas se alimentam do pólen que também extraem das plantas.

Por sinal, é daí que vem o nome “polinização”, ou seja, o auxílio que as abelhas dão para a reprodução das plantas, que podem passar os seus genes (que estão no pólen) para outros vegetais, e fazer com que o ciclo reprodutivo continue. Está entendendo a importância das abelhas para o meio ambiente?

A principal substância do mel é o açúcar, que é transformado em energia para as abelhas. Já, o pólen serve como suplemento para minerais, vitaminas e proteínas. A geleia real, inclusive, é o alimento especial tanto para a abelha rainha, quanto para as larvas que serão rainhas.

Como é Feita a Maturação do Néctar?

O néctar é coletado diretamente das plantas pelas abelhas operárias, mas que ainda é não é mel propriamente dito. Primeiro de tudo, o néctar é coletado e levado ao enxame para ser maturado e concentrado. Aí sim, ele se transforma no mel que, de fato, conhecemos.

As abelhas operárias armazenam o néctar que coletam das plantas em uma espécie de “bolsa” na sua vesícula melífera, que também é chamada de “papo de mel”. Essa “bolsa” está localizada ao lado do estômago, e é muito útil para transportar o néctar até o enxame.

Logo em seguida, passam o néctar para outra abelha operária, numa operação de “boca a boca”. É nesse momento que ocorre a reação enzimática no organismo da abelha, liberando a sacarose (que é a principal substância do néctar), para transformá-la em frutose e dextrose.

Depois disso, as operárias que receberam o néctar transportam a substância para ser armazenada na melgueira, que é o conjunto de compartimentos de uma colmeia. Com o bater de suas asas, elas produzem vento, com o intuito de tirar a umidade do néctar recém-transformado. A temperatura numa colmeia, que pode chegar a 34°C, acelera a concentração e maturação do mel.

Com o mel maturado, a melgueira é fechada com cera, ficando armazenado para se usado como alimento.

Pães de Abelha e Bolinhos de Pólen

No exato momento em que as abelhas operárias vão ao interior da flor em busca do tão precioso néctar, grãos de pólen ficam agarrados nas penugens que envolvem o corpo delas. Quando termina de sugar o néctar por completo, a abelhas meio que “sujam” as patas com esses grãos, mais precisamente numa parte das patas que parece uma escova.

Abelhas se Alimentando de Mel
Abelhas se Alimentando de Mel

Quando estão em pleno voo, de volta ao enxame, elas esfregam o pólen agarrado ao corpo, usando essas “escovas”, fazendo uma espécie de “bolinho de pólen”. Esse bolinho é trazido para o enxame e triturado pelas abelhas operárias, e guardados no fundo do enxame. Quando estão cheios de bolinhos, as abelhas os cobrem de mel, e os armazenam como alimento. São os chamados “pães de abelhas”.

Um Alimento Especial: a Geleia Real

Como a abelha rainha é responsável direta pela reprodução desses insetos, ela recebe uma alimentação diferenciada. As abelhas operárias, que cuidam das larvas, alimentam-se com muito pólen, que é o que fica armazenado no fundo do enxame. Esse pólen é misturado com uma secreção, o que produz uma geleia leitosa.

Essa geleia é considerada o “leite materno” preparado pelas operárias para servirem de alimento para a abelha rainha e à larva que será rainha no futuro. Essa substância é composta de minerais, vitaminas e proteínas balanceadas (um verdadeiro banquete digno da realiza!).

Sociedade de Abelhas com a Rainha no Centro
Sociedade de Abelhas com a Rainha no Centro

É devido a essa alimentação especial que a abelha rainha é bem maior que as demais abelhas do enxame, já que o propósito é que ela se desenvolva para poder depositar uma grande quantidade de ovos.

Alimentação Artificial

Aí, você deve estar se perguntando: “Mas, e quanto à criação de abelhas? Como um apicultor as alimenta?”. Simples: quando ocorre a escassez de produtos naturais, elas são alimentadas através de comida artificial, que possui a mesma composição de substâncias das quais as abelhas precisam para sobreviverem.

E, isso é uma alternativa muito viável, porque, mesmo que uma criação de abelhas seja feita em locais muito arborizados, com diversas plantas, essa variedade diminui muito com a chegada do inverno, e uma alimentação artificial é uma ótima alternativa, não apenas de complemento, mas, de alimentação completa para as abelhas.

Com isso, as colônias, sempre que houver um monitoramento nas colmeias, devem ser alimentadas pelo apicultor com alimentação artificial, que, por sinal, é facilmente encontrada por aí, vendida em locais especializados. Isso evita, claro, que as abelhas morram de fome, e que a rainha diminua ou até mesmo pare com a postura de ovos.

Produzindo Alimentos Para as Abelhas

Quando a época for de escassez de alimentos naturais para a sua colônia, você pode fabricar a alimentação das suas abelhas. Um dos produtos mais conhecidos é o xarope de água com açúcar, que é muito simples de ser feito.

O modo de preparo desse xarope é o seguinte: você mistura água e açúcar na mesma quantidade, coloca a mistura no fogo e espera o açúcar se dissolver por completo. O fornecimento desse xarope deve ser feito no mesmo dia em que for produzido. Para a manutenção correta das colônias, o ideal é 0,5 L / semana / colônia.

Claro: essa quantidade pode variar devido ao tamanho da colônia. Se uma colônia for muito fraca, dificilmente ela conseguirá consumir muito desse xarope. E, só lembrando que esse produto não deve ficar mais do 24 horas na colônia, tendo que ser retirado depois, caso contrário, ficará estragado e inutilizado.

Veja também

História da Ariranha e Origem do Animal

Os cientistas descobriram lontras gigantes do tamanho de lobos que viviam em águas pré-históricas há …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *