Home / Plantas / Vegetais Crucíferos: Significado

Vegetais Crucíferos: Significado

O Significado de Vegetais Crucíferos

O que vegetais como rúcula, brócolis, couve-flor, agrião, nabo, acelga, repolho e rabanete têm em comum? Tirando o fato de que eles são alguns dos vegetais mais ricos em cálcio e ferro, todos eles pertencem à família Brassicaceae ou Crucífera, que significam variedades de vegetais cujas flores apresentam-se em forma de cruz ou crucifixo.

O nome “Crucífera” foi dado pelo médico e botânico francês Antoine-Laurent de Jussieu, em 1789, após identificar as suas flores com esse singular formato de uma cruz.

Os vegetais crucíferos são classificados como espécies herbáceas, relativamente sensíveis ao transporte e armazenamento, e que compreendem quase 3.200 espécies oriundas de mais de 360 gêneros.

Eles também são bastante conhecidos pela sua capacidade de produzir óleos vegetais com características antioxidantes e anticancerígenas.

Entre os mais populares no Brasil estão o brócolis, o repolho, o rabanete e a couve-flor, que agora gozam de um excelente prestígio entre os praticantes de dieta, por serem considerados um dos mais eficazes ingredientes para os famosos “sucos detox”, que, supostamente, produzem milagrosos efeitos desintoxicantes e redutor de peso.

Vegetais Crucíferos e o seus Significado Para a Saúde

Como vimos, os vegetais crucíferos podem significar a prevenção dos mais diversos tipos de distúrbios relacionados com o funcionamento das células do nosso organismo.

Isso porque eles possuem altos níveis de sulforafano – uma substância com comprovada eficácia na preservação das células e da sua capacidade de executar corretamente as suas funções.

Mas se não bastassem as suas excelentes qualidades como desintoxicantes, antioxidantes e anticancerígenos, os vegetais crucíferos também dão as suas importantes contribuições para produção de energia no planeta. – Hoje em dia já se sabe, por exemplo, que o óleo extraído da canola ou da colza é um excelente biocombustível, e com a vantagem de ser economicamente viável.

Mas os vegetais crucíferos são imbatíveis mesmo é quando o assunto é a preservação das células do corpo humano.

Os compostos conhecidos como “glucosinolatos”, por exemplo, são capazes de produzir enzimas responsáveis pela desintoxicação do fígado e pela preservação das células de um danoso processo de oxidação.

Enquanto isso, o carbinol e o Idol-3 permitem que o metabolismo celular ocorra adequadamente. Dessa forma, eles  potencializam as transformações químicas naturais do organismo, que precisam ocorrer com perfeição para o bem da nossa sobrevivência.

E é por meio do consumo diário desses vegetais que o organismo é suprido adequadamente com substâncias como o Isotiocianato. Um composto que lhes confere os seus sabores característicos, e que é um dos grandes responsáveis pelo potencial anticancerígeno que agora já se sabe que eles possuem.

Isotiocianato: a Substância que Previne o Câncer

Próstata, mama, tireoide, pulmão, cólon, bexiga, entre outros órgãos do corpo humano, agora podem ser preservados da formação de células cancerígenas, a partir da ingestão diárias (e desde a mais tenra idade) desses chamados “vegetais crucíferos”.

E mais: todo o sistema endócrino (em especial a tireoide) também pode ser beneficiado por substâncias como o sulforafano, isoflavonas, flúor e isotiocianato, que ajudam a regularizar o funcionamento dos órgãos que compõem esse sistema – e, no caso da tireoide, podem até mesmo substituir a sua função.

Isotiocianato
Isotiocianato

O vegetais crucíferos, nesse caso, significam a preservação das células, com todos os seus processos de transportes de nutrientes e oxigênio, com as suas funções de armazenadoras de gorduras, condutoras de estímulos elétricos, formadoras de tecidos, entre outras inúmeras funções vitais que elas executam dentro do corpo humano.

Com relação aos atributos do isotiocianato, o que se sabe é que uma infinidade de pesquisas vem analisando, criteriosamente, as razões que contribuem para a maior ou menor quantidade dessa substância nos vegetais.

E o que se concluiu foi que fatores como: forma de colheita, fatores genéticos, ataques de pragas, tipos de armazenamento, métodos de cozimento, entre outras particularidades, é o que garantem que tal substância seja encontrada em quantidades ideais em cada exemplar do vegetal.

Para completar, os pesquisadores descobriram que a ingestão de 100g diárias de vegetais crucíferos – in natura, cozidos no vapor e desde a mais tenra idade de um indivíduo – são capazes de fornecer as quantidades necessárias de isotiocianatos para a preservação do organismo contra distúrbios responsáveis pela formação de células defeituosas.

E mais ainda: a couve flor e o brócolis demonstraram uma capacidade especial para preservar o organismo do câncer de próstata e dos distúrbios da tireoide, bem como das alterações perigosas dos níveis de estrogênio no organismo (um dos desencadeadores de alterações nas células) e das agressões resultantes dos produtos químicos que são adicionados, de forma perigosa, nos alimentos industrializados.

Os Vegetais Crucíferos Significa a Esperança Contra a Leucemia

Comendo Alimentos Crucíferos
Comendo Alimentos Crucíferos

Pesquisadores do Baylor College of Medicine, no Texas, EUA, descobriram outro formidável efeito do sulforafano encontrado especialmente no brócolis e na couve flor.

Esse composto, de acordo com os cientistas, é capaz de reduzir a quantidade de células defeituosas no sangue – as chamadas “células blásticas” –, que se avolumam comprometedoramente na medula óssea em lugar das células sanguíneas naturais.

A leucemia é o tipo de câncer mais comum entre as crianças. Mas, apesar de apresentar uma taxa de cura de até 80%, para os restantes 20% a cura sempre pareceu mesmo algo distante e praticamente impossível.

No entanto, a medicina vem se rendendo cada vez mais aos métodos alternativos de combate aos mais diversos tipos de doenças, principalmente após alguns países terem decidido autorizar os métodos alternativos como forma de combate a determinados transtornos.

Motivados por isso, no laboratório da universidade os pesquisadores acondicionaram exemplares de células cancerígenas e saudáveis, juntamente com um composto concentrado e purificado de sulforafano. O resultado foi impressionante! As células cancerígenas simplesmente morreram, enquanto as saudáveis permaneceram intactas.

Mas os cientistas alertam para o fato de que tais resultados foram obtidos a partir do sulforafano extraído artificialmente em laboratório. E que a ingestão dessa substância por meio do consumo de vegetais crucíferos in natura só possui mesmo o poder de preservar, a longo prazo, a formação desse tipo de células anômalas.

Agora diga-nos o que achou desse artigo por meio de um comentário, logo abaixo. E continue acompanhando as nossas publicações.

Veja também

Mandioca Brava Nome Científico

Especula-se que mandioca é uma planta cuja origem iniciou-se no Brasil. De fato, já foi …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *