Home / Plantas / Olericultura Família das Hortaliças

Olericultura Família das Hortaliças

Quem tem aquela rocinha onde plantar é um privilegiado, não concorda? Com a crise mundial de sustentabilidade econômica, o pequeno agricultor também sofre as consequências mas ao menos tem seus recursos pra manter a família, teoricamente. Mas e quem não tem? Bom, estes dependem do que vem sendo feito na olericultura, o tema de nosso artigo…

O Que é Olericultura

Em termos leigos, olericultura é o estudo que é feito para conseguir produzir de modo ampliado aquilo que faz o pequeno lavrador familiar no fundo de sua propriedade. Ou seja, para exemplificar, quando você começa a cultivar alguma coisa como couve flor terá de analisar e se preparar para lidar com vários fatores. O momento certo de plantar, a temperatura ideal para a planta sobreviver, a preparação do solo que dará sustentabilidade a sua muda, o controle das indesejáveis pragas, as horas certas de regar e fertilizar, os cuidados quando tiver de colher… Tudo isso tem critérios que precisam ser respeitados se quiser que sua planta cresça saudável, tenra e deliciosa. Sozinho você consegue dar conta disso se for uma, dez, vinte, talvez cinquenta ou até cem mudas de couve flor, não é mesmo? Vai dar trabalho mas é possível! Mas e se forem mil? Dez mil? Cinquenta mil mudas de couve flor? Pra um trabalho de tamanha proporção, será necessário estudar como fazer pra conseguir dar conta de tudo aquilo que já falamos, de todos os cuidados dos quais a planta precisa. E quando são muitas, tantas plantações assim, é preciso máquinas. É disso que trata a olericultura. Através dela é que se estuda essa atividade de risco, que envolverá muita mão de obra e tecnologia, para garantir que uma plantação de hortaliça se desenvolva saudável e nutritiva até chegar na mesa do consumidor.

Grande Plantação de Hortaliças
Grande Plantação de Hortaliças

Destrinchando a Matéria

Olericultura é uma parta da agricultura, mais especificamente da horticultura. Em síntese, todas estudam o melhor meio de desenvolver técnicas para o cultivo de plantas. A olericultura é aquela que se especializa em estudar isso somente para as hortaliças. Existem outras. Quem estuda fruticultura, visa o aprendizado que envolve as frutas. Quem estuda floricultura visa o aprendizado que envolve as flores. Quem estuda silvicultura visa o aprendizado que envolve as árvores frondosas. E quem estuda paisagismo visa o aprendizado para lidar com parques e jardins.

E o que são hortaliças? Ora, são os legumes e as verduras. A olericultura engloba o conhecimento de todas elas e as técnicas específicas que cada uma precisa pra se desenvolver bem. é uma família muito grande, a das hortaliças: aliáceas, apiáceas, asteráceas, brassicáceas, cucurbitáceas, fabáceas, lamiáceas, palmáceas, poáceas, quenopodiáceas e solanáceas. Vamos conhecer um pouco de cada uma delas?

A Família das Hortaliças na Olericultura

Aliáceas é a parte comestível das liliáceas. Embora essas liliáceas sejam plantas com características mais ornamentais, desenvolvendo lindas flores, como as tulipas e os lírios, o gênero comestível dela, as aliáceas englobam o alho, a cebola e a cebolinha, por exemplo.

Apiáceas são ervas aromáticas da classe magnoliopsida. Conhecemos muitas delas como, por exemplo, a alcarávia, o aipo, o anis, a cenoura, o coentro, o cominho e a salsa, citando apenas alguns.

Asteráceas são as plantas conhecidas como compostas das quais há também muitas flores conhecidas como o girassol, o crisântemo e a margarida. Na parte de hortaliças , pertencem a este gênero a alcachofra, a alface, a chicória, a escarola e o estragão, pra citar apenas alguns.

Alface
Alface

Brassicáceas traz uma família de plantas com grande diversidade funcional, devido sua ampla produção de óleos, gorduras, compostos orgânicos ou mesmo como ornamentação. Como alimentos comestíveis desse gênero conhecemos o brócolis, a couve, a couve flor, o nabo, o rabanete, o repolho, a rúcula e vários outros.

Cucurbitáceas são plantas anuais de grande distribuição global, de hastes rastejantes, que tanto incluem frutas, como o melão e a melancia, como hortaliças como as abóboras, as abobrinhas e o pepino.

Fabáceas pode incluir muitos arbustos e muitas árvores e é considerada a terceira maior em quantidade de espécies terrestres do planeta. Suas hortaliças mais conhecidas incluem ervilhas, feijões e vagens.

Feijão
Feijão

Lamiáceas possuem mais de sete mil espécies nessa família cosmopolitana, sendo que mais de duzentas são nativas do Brasil. Alecrim, alfazema, erva cidreira, hortelã, manjericão, orégano, salva e tomilho são alguns que conhecemos dessa família no grupo de hortaliças.

Palmáceas são aquelas associadas vulgarmente ao nome palmeiras e incluem mais de duas mil e quinhetas espécies de plantas perenes. No quesito hortaliças, podemos listar o açaí, o buriti e o palmito para exemplificar.

Palmito
Palmito

Poáceas nada mais são do que os capins, gramas ou relvas como o conhecemos. Claro que existem mais de dez mil espécies nessa família e, por isso,  nem todos são apenas daninhas ou apenas servem pra ornamentar o jardim. Como hortaliças comestíveis citamos o arroz, a aveia, o bambu, a cana de açúcar, o centeio, a cevada, o milho e o trigo.

Cana de Açúcar
Cana de Açúcar

Quenopodiáceas engloba algumas árvores ou trepadeiras e muitos arbustos e ervas. Não são muito usadas para ornamento mas são mais usadas como lenha. Para alimento  citamos como pertencendo a essa família a acelga, a beterraba e o espinafre.

Solanáceas recebeu esse nome em função de compostos narcóticos em algumas espécies do gênero. Mas existem espécies ornamentais no gênero como as petúnias e existem as que podemos comer sem riscos como a batata, a berinjela, o pimentão e o tomate.

Considerações Básicas para a Olericultura

Por se tratar de produções em larga escala com alto volume de colheita, a olericultura exige também um expressivo investimento financeiro tanto com tecnologia quanto com mão de obra especializada. É considerado um investimento de alto risco ao considerar todas as variáveis que existem nessa matéria. Isso envolve as condições do clima, o mercado de preços na sua região de atividade e o controle de pragas, só pra citar algumas. O que podemos considerar ao falar de olericultura?

Na olericultura, os legumes podem ser produzidos fora da estação normal de produção ao ar livre ou em estruturas que admitem luz e induzem condições ambientais favoráveis ​​para crescimento de planta. Estufas, armações frias e canteiros são estruturas comuns usadas. A hidroponia, às vezes chamada de cultura sem solo , permite que o produtor pratique rega e fertilização automáticas, reduzindo assim o custo do trabalho. Para competir com sucesso com outros produtores do mercado de produtos frescos, a olericultura visa estudar a produção de culturas quando o fornecimento externo é limitado ou produzir produtos de qualidade com ótimos preços.

O cultivo rentável de vegetais requer atenção a todas as operações de produção, incluindo insetos, doenças, controle de ervas daninhas e marketing eficiente. O tipo de vegetal cultivado é determinado principalmente pelas exigências do consumidor, que podem ser definidas em termos de variedade, tamanho, maciez, sabor, frescor e tipo de embalagem. A gestão eficaz envolve a adoção de técnicas que resultam em um fluxo constante da quantidade desejada de produtos durante toda a estação de crescimento natural da cultura. Muitos vegetais podem ser cultivados ao longo do ano em alguns climas, embora o rendimento por hectare para um determinado tipo de vegetal varie de acordo com a estação de crescimento e a região onde a cultura é produzida.

Veja também

Lindo Cravo Vermelho Gigante

Mudas de Cravos Gigantes

Essas variedades de cravos são consideradas as flores símbolos de vários países como Eslovênia, Mônaco …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *