Home / Plantas / Musa Acuminata Zebrina

Musa Acuminata Zebrina

Atualmente há uma grande variedade de bananas, a maioria delas obtidas por meio de cruzamento genético, recebendo a denominação de cultivares. Esses esforços para diversificação da espécie são pela grande facilidade adaptativa da fruta a cenários tropicais, a praticidade de carrega-la e consumi-la, aliado ao sabor que já conquistou consumidores ao redor de todo o mundo.

Acredita-se que existe atualmente cerca de 1000 espécies de bananas (divididas em 50 subespécies), e afruta já foi cultivada em mais de 100 países. Mas as estatísticas não param por aí, há estimativas de que anualmente sejam consumidas 100 bilhões de bananas em todo o mundo.

Essas variações de espécie teriam sido originadas de duas principais espécies de bananeiras, são elas a Musa acuminata e a Musa balbisiana, gênero Musa.

Na Universidade de Melborne, na Austrália, há uma compilação com vários nomes de espécies, subespécies, híbridos e variações do gênero Musa. Assim como os nomes científicos, também há relação de nomes coloquiais empregados em cada língua e cada localidade.

Espécies de Musa
Espécies de Musa

Neste artigo, é chegada a hora de conhecer mais uma variação da Musa acuminata: a Musa acuminata zebrina.

Então, venha conosco e boa leitura.

Musa Acuminata Zebrina: Sinonímia

Também chamada de Musa zebrina ou Musa sumatra, a espécie também pode ser conhecida como banana de sangue, banana vermelha semeada, banana ornamental de Sumatra e bananeira variegada marrom.

Em outros idiomas/ dialetos, é comum vê-la referenciada como blood banana, na língua inglesa; em espanhol, como banana rojo e plátamo malayo; no idioma malaio, bunga kantam; em tailandês, Klui ma ni; em francês como Bananier à feuilles zébrées de rouge, Bananier à feuilles zébrées de violet ou Bananier à petits fruits rouges e no idioma vietnamita, kieng chuoi.

Musa Acuminata Zebrina: Características

A bananeira da Musa zebrina mede em torno de 3 a 5 metros de altura. A folhagem é verde com manchas arroxeadas (ou vermelho-vinho), e as flores são em tonalidade rosa. As folhas também são longas e bastante suscetíveis a ventos. Esta bananeira pode ser descrita como um arbusto ereto, de características semi-hérbaceas. Apresenta o pseudocaule bastante estreito, e semelhante a um tronco avermelhado.

Bananeira da Musa Zebrina
Bananeira da Musa Zebrina

Ela é considerada uma bananeira ornamental, facilmente cultivável em vasos ou terraços (desde que esteja protegida de correntes de ar).  Mesmo sendo uma planta ornamental, os pequenos frutos produzidos por esta bananeira são comestíveis.

Durante o plantio, esta planta se desenvolve com certa velocidade, e se destaca quando é plantada em meio às outras espécies de bananeira que possam estar presente na mesma touceira (grupamento de bananas em plantio, frequentemente em vários estágios de desenvolvimento).

Musa Acuminata Zebrina: Origem Geográfica e Distribuição

A Musa zebrina é originária da Ilha de Java, na Indonésia. Na verdade, acredita-se que esta Musa zebrina conhecida na atualidade seja uma variação da banana selvagem obtida em outra ilha da Indonésia: a Ilha de Sumatra.

A Ilha de Java é considerada a principal ilha do país, na qual também está localizada a capital Jacarta. É a ilha mais populosa do mundo, além de ser considerada uma das áreas com maior densidade populacional do Planeta Terra. Na Ilha de Java, estão concentradas 56,7% da população da Indonésia.

A Ilha de Sumatra é considerada a sexta maior ilha do mundo. Passou a integrar o território indonésio após a Segunda Guerra Mundial. Tem formato oblongo, é uma ilha vizinha à Ilha de Java.

Por ser nativa da Indonésia, a Musa zebrina ganhou destaque como uma das primeiras subespécies da Musa acuminata a ser disseminada para fora do Sudeste Asiático.

Musa Acuminata Zebrina em Outros Países
Musa Acuminata Zebrina em Outros Países

A Indonésia faz parte do sudeste asiático assim como as Filipinas, Laos, Malásia, Mianmar, Singapura, Tailândia, Vietnã e Timor Leste; no entanto, o cultivo da banana de sangue não se restringiu a essas localidades. Ela também foi disseminada para a área do Leste do Continente Africano, tornando-se uma espécie ancestral de outra variedade de espécie, obtido geneticamente: a banana das terras altas da África Oriental (subgrupo Mutika / Lujugira do grupo AAA). A banana das terras altas é considerada uma espécie comercial de grande relevância.

Musa Acuminata Zebrina: Condições Ideais de Plantio e Manejo

É favorável a climas tropicais e subtropicais úmido. Condições climáticas ideais estão em torno dos 35 a 25° C. Não tolera geadas, logo dificilmente se adequa a países de clima temperado.

As condições de solo ideal envolvem grande umidade e concentração de matéria orgânica. O paisagista Raul Canovas, particularmente, aconselha adubar o solo para o seu plantio com esterco curtido de gado, torta de mamona e farinha de sangue, para, dessa forma, suprir as necessidades de Nitrogênio. Também é aconselhável adicionar cinza de lenha, para suprir as necessidades de Potássio.

Lembrando que o Nitrogênio e o Potássio são macronutrientes de função estrutural, fazendo parte da composição de moléculas essenciais da bananeira. O Nitrogênio é responsável pela formação de novas células e tecidos, inclusive pela formação do próprio pigmento de clorofila. O Potássio é fundamental para o desenvolvimento da planta e para a absorção de água. Outros macronutrientes são igualmente importantes, a exemplo do Cálcio, Magnésio, Fósforo e Enxofre.

O Nitrogênio e Fósforo são os macronutrientes absorvidos com mais facilidade pela bananeira. A carência do Nitrogênio estagna o desenvolvimento foliar e contribui para que essas estruturas tenham uma cor amarelada. Por sua vez, a deficiência de Fósforo contribui para que as folhas fiquem curvas e necróticas. Deficiência de Potássio também implica em folhas amareladas, quadro denominado de “clorose”.

A clorose começa a partir da parte intercostal e da ponta da folha, e progride. O próximo estágio é caracterizado pela tonalidade marrom.

Solos pobres em algum macronutriente podem ser corrigidos com aplicação de fertilizantes.

Musa Acuminata Zebrina: Suscetibilidade a Pragas

Ácaros, pulgões e colchonilhas podem representar um problema para a Musa zebrina ou qualquer espécie ornamental cultivada em vasos ou jardins domésticos. A musa zebrina é particularmente suscetível à antracnose (fungo Colletotrichum truncatum) e ao vírus mosaico do tabaco.

*

Agora, que você já conhece um pouco mais sobre a Musa acuminata zebrina, que tal continuar conosco, e conhecer outros artigos do site?

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

CANOVAS, R. Jardim Cor. Musa acuminata “Zebrina”. Disponível em:< http://www.jardimcor.com/catalogo-de-especies/musa-acuminata-zebrina/>;

MISSOURI BOTANICAL GARDEN. Musa acuminata ‘Zebrina’. Disponível em: <http://www.missouribotanicalgarden.org/PlantFinder/PlantFinderDetails.aspx?kempercode=c539>;

MULTILINGUAL MULTISCRIPT PLANT NAME DATABASE. Sorting Musa names. Disponível em: <http://www.plantnames.unimelb.edu.au/Sorting/Musa.html>;

PLOETZ, R. C.; KEPLER, A. K.; DANIELLS, J.; NELSON, S. C. Banana and Plantain- na overview with emphasis on Pacific Island cultivars Musaceae (banana family). Disponível em: <http://www.agroforestry.net/images/pdfs/Banana-plantain-overview.pdf>.

 

Veja também

Flores de Cravo em Ritual Fúnebre

Flor de Cravo de Defunto Significado

Os Seres Humanos e Seus Rituais Desde que passamos a nos organizar como sociedades nós, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *