Home / Plantas / Floresta Amazônica Principais Plantas Presentes

Floresta Amazônica Principais Plantas Presentes

Foram identificadas em um último censo 40.000 espécies de plantas na Amazônia. 390 bilhões de árvores, 16.000 espécies diferentes, 11.000 espécies raras. Algumas são usadas ??na medicina e fitoterapia e são comercializadas.

Uma Floresta Tropical Rica mas Difícil de Inventariar

Maior área terrestre de floresta tropical do mundo, a Amazônia abrange quase 6 milhões de km2 e 9 países (Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa). Um verdadeiro foco para a biodiversidade, tanto para espécies animais como vegetais, é fortemente afetado pelo desmatamento e outros distúrbios antropogênicos (estima-se que quase 18% da floresta tenha desaparecido desde 1970).

Inventariar as comunidades de árvores na floresta amazônica é uma questão científica importante, para identificar e proteger espécies raras da extinção. Apesar dos esforços internacionais realizados nos últimos 30 anos, a realização deste inventário em toda a bacia amazônica é complexa e difícil, dada a vastidão da área a ser estudada e a diversidade recorde das comunidades de árvores.

Em um estudo internacional, coordenado pelo Centro de Biodiversidade Naturais dos Países Baixos e assistido por cientistas do IRD, INRA, CNRS e CIRAD, com o apoio do herbário IRD da Guiana, pesquisadores compilaram e padronizaram dados de abundância de espécies para mais de meio milhão de árvores de várzeas (1.170 parcelas de 1 hectare) da Rede Internacional de Diversidade de Árvores da Amazônia.

Esses dados inicialmente permitiram estimar o número total de árvores na bacia amazônica e a densidade das árvores na escala do quadrado. Eles foram então integrados em um modelo de distribuição de abundância para estimar o número total de espécies na Bacia Amazônica e suas principais regiões, bem como as características de dominância ou raridade de espécies.

Os cientistas calcularam que a flora amazônica alcança um total de 390 bilhões de árvores de 16.000 espécies diferentes. Eles mostraram que mais da metade dos indivíduos na bacia pertencem a apenas 227 espécies. Consideradas super preponderantes, essas espécies possuem grandes faixas geográficas (embora sejam dominantes apenas em uma ou duas regiões da Amazônia).

As preponderantes chamadas hiperdominantes incluem palmeiras (incluindo açaí, espécies emblemáticas da Amazônia, usado em alimentos e consumidos como bebidas energéticas em vários países do mundo), o myristicaceae (família noz-moscada) e lecythidaceae (família noz do Brasil). Finalmente, graças a este inventário, os pesquisadores identificaram quase 11.000 espécies raras (que representam apenas 0,12% dos indivíduos).

Principais Plantas Presentes na Flora Amazônica

A floresta amazônica abriga as mais diversas espécies de plantas medicinais, comestíveis, oleaginosas e corantes do planeta. Muitas dessas plantas não são bem conhecidas ou estudadas. Estima-se que 25% de todas as espécies farmacêuticas utilizadas hoje pela medicina sejam extraídas da floresta tropical.

Laboratórios brasileiros e estrangeiros têm procurado plantas na Amazônia para a fabricação de medicamentos para industrializar e comercializar em ampla escala. Algo em torno de cinco mil ingredientes ativos foram catalogados nessas plantas. De acordo com o IBGE, mais de 650 espécies de plantas contendo propriedades medicinais são encontradas na Amazônia legal.

A região de Manaus é provavelmente o ponto de origem de muitas espécies. Vamos conhecer algumas das plantas mais conhecidas para uso em filoterapia.

Guaraná (Paullinia Cupana)

Entre as espécies mais famosas de plantas medicinais da Amazônia é o guaraná. Na Amazônia, o guaraná é consumido em pó com água. Esta bebida é um energizante natural, revigorante, rejuvenescedor, afrodisíaco. Atua como um tônico para o coração e os músculos, ativa as funções cerebrais e a circulação periférica.

Copaíba (Copaifera Langsdorffii)

Produz um óleo com propriedades antibióticas, anti-inflamatórias, curativas e anticancerígenas. Altamente utilizado em casos de úlceras, faringite, caspa e problemas de pele. A copaíba também possui poderes diurético, expectorante, desinfetante e estimulante e pode ser utilizada no tratamento da bronquite. dermatite e psoríase .. A casca é usada na composição de xaropes para tosse.

Andiroba (Carapa Guianensis)

Andiroba possui propriedades anti-inflamatórias, cicatrizantes, estimulantes e antianêmicas. O óleo é um protetor natural e é usado como protetor solar, bem como contra dermatites, úlceras e lesões musculares. Dá força e brilho aos cabelos. A casca e as folhas são usadas na preparação de chás para combater febre, reumatismo e pneumonia.

Urucu (Bixa Orellana)

O Urucu possui sementes cujas propriedades aumentam a pigmentação de todo o tecido adiposo para tornar a pele mais resistente. Contém vitamina A e pode ser usado como um corante natural e na composição de produtos autobronzeadores.

Cipó Miraruira (Banisteriopsis Caapi)

Cipó Miraruira
Cipó Miraruira

Ele é usado para combater a diabetes, para ajudar a regular o nível de glicose no sangue e, em alguns casos, até mesmo dispensar o uso de insulina. eficaz contra dores de cabeça.

Unha de Gato Cipó (Uncaria Tomentosa)

Estimulante do Sistema Imunológico A garra do gato cipó é usada como um anti-inflamatório. É indicado para o tratamento de doenças da próstata, ovários e genitais em geral, gastrite crônica, mau hálito, reumatismo, doenças do fígado, gota, diarreia, diabetes, câncer, cirrose e várias infecções.

Marapuama (Ptychopetalum Olacoides)

Energizante natural, combate o reumatismo e as deficiências sexuais. Combate a celulite.

Os Inventários Devem Continuar

Este estudo destaca a uniformidade do fundo do estande florestal da Amazônia. A hiper dominância de apenas 227 espécies implica que os ciclos biogeoquímicos na Bacia Amazônica (processo de transporte e transformação cíclica de substâncias químicas) são em grande parte realizados por uma pequena fração da diversidade de plantas.

Mais estudos ainda são necessários para determinar as causas dessa hiper dominância. De acordo com os pesquisadores, tais modelos de distribuição espacial podem ser usados para prever a estrutura e a riqueza da floresta em áreas inexploradas, e seriam melhorados levando-se em conta os dados ambientais.

Eles insistem na necessidade de intensificar o inventário de 11.000 espécies raras. De fato, devido à sua distribuição muito limitada, essas espécies são extremamente ameaçadas pelo desmatamento e podem desaparecer antes de terem sido observadas e descritas. Além disso, a distribuição de abundância destacada mostra que o esforço de prospecção para acessar esses elementos raros é colossal.

Veja também

Cravo do Maranhão

Plantas em Extinção na Caatinga

Este grande cerrado no nordeste do Brasil fornece habitat para uma variedade de espécies de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *