Home / Plantas / Filo e a Família do Alface

Filo e a Família do Alface

Já falamos muito sobre alface aqui no mundo ecologia. Tanto que nem sei mais o que não foi dito a respeito. Se o leitor quiser, pode explorar nossa busca e encontrará uma gama de informações sobre alface. Por exemplo, existem artigos sobre alface crespa, alface repolhuda, alface romanesca, cultivo hidropônico de alface e muitos outros temas. Será que já falamos alguma coisa sobre a família da alface?

Filo, filogenética

A filogenética na biologia é o estudo que mapeia a evolução e as relações entre indivíduos ou grupos de organismos (por exemplo, categorias e populações). Essas relações são descobertas através de métodos de inferência filogenética que avaliam características hereditárias observadas, como sequências de DNA ou morfologia, sob um modelo de evolução dessas características.

O resultado dessas análises é uma filogenia (também conhecida como árvore filogenética), uma hipótese diagramática sobre a história das relações evolutivas de um grupo de organismos. As pontas de uma árvore filogenética podem ser organismos vivos ou fósseis, e representam o “fim”, ou presente, em uma linhagem evolutiva. Análises filogenéticas tornaram-se centrais para a compreensão da biodiversidade, evolução, ecologia e genomas.

Os métodos usuais de inferência filogenética envolvem abordagens computacionais que implementam os critérios de otimização e os métodos de parcimônia, máxima verossimilhança e inferência bayesiana baseada no MCMC. Tudo isso depende de um modelo matemático implícito ou explícito descrevendo a evolução dos caracteres observados.

A Filogenética da Alface

Acho que já foi dito aqui no mundo ecologia algumas vezes que a alface, ou lactuca sativa, é uma planta anual da família das margaridas, família chamada asteraceae. A alface está intimamente relacionada com várias espécies de lactuca do sudoeste da Ásia. A relação mais próxima é com a lactuca serriola, uma erva daninha agressiva comum em zonas temperadas e subtropicais em grande parte do mundo.

Vamos conhecer melhor essa árvore filogenética da alface? Sua árvore é montada na seguinte classificação científica:
alface = lactuca sativa
gênero = lactuca
família = asteraceae
ordem = asterales
classe = magnoliopsida
filo = magnoliophyta
reino = plantae

Isso é até aonde podemos chegar. Então vamos por partes.

Gênero lactuca

Gênero lactuca
Gênero lactuca

Lactuca é um género botânico pertencente à família das margaridas, Asteraceae. O gênero inclui pelo menos 50 espécies, distribuídas mundialmente, mas principalmente na Eurásia temperada. Seu representante mais conhecido é a alface com suas muitas variedades. “Alface selvagem” geralmente se refere aos parentes silvestres de alface comum. Muitas espécies são ervas daninhas comuns. As espécies de lactuca são diversas e assumem uma grande variedade de formas. Eles são anuais, bienais, perenes ou arbustos. Suas cabeças de flor têm florzinhas de raios amarelos, azuis ou brancos. Algumas espécies são de sabor amargo.

A maioria das alfaces selvagens são xerófitas, adaptadas aos tipos de habitats secos. Alguns ocorrem em áreas mais úmidas, como as montanhas da África central.

Família Asteraceae

Família Asteraceae
Família Asteraceae

Asteraceae ou vulgarmente conhecida como a família do girassol é muito grande e difundida qual família de angiospermas (plantas com flores). Tem atualmente bem mais de 30.000 espécies aceitas, em cerca de 2.000 gêneros. Em termos de número de espécies, as asteraceae são rivalizadas apenas pelas orchidaceae.

A maioria dos membros das asteraceae é herbácea, mas um número significativo também são arbustos, trepadeiras ou árvores. A família tem uma distribuição mundial, das regiões polares aos trópicos, colonizando uma grande variedade de habitats. É mais comum nas regiões áridas e semiáridas de latitudes subtropicais e de baixa temperatura. As asteraceae podem representar até 10% da flora autóctone em muitas regiões do mundo.

Asteraceae é uma família economicamente importante, fornecendo produtos como óleos de cozinha, alface, sementes de girassol, alcachofras, agentes edulcorantes, substitutos do café e chás de ervas. Vários gêneros são de importância hortícola, incluindo calêndulas, flores de cone, várias margaridas, crisântemos, dálias, zínias e heleniums. Asteraceae são importantes também na medicina herbal.

Ordem Asterales

Asterales é uma ordem de plantas dicotiledeas conhecido para flores compósitos feitos de florzinhas. A ordem envolve plantas encontradas na maior parte do mundo, incluindo zonas desérticas e frígidas e inclui principalmente espécies herbáceas, embora um pequeno número de árvores e arbustos também estejam presentes.

Asterales são organismos que parecem ter evoluído de um ancestral comum. Compartilham características nos níveis morfológicos e bioquímicos. Synapomorphies (um personagem que é compartilhado por dois ou mais grupos através do desenvolvimento evolutivo) incluem a presença nas plantas de oligossacarídeos inulina, uma molécula de armazenamento de nutrientes utilizada em vez de amido e morfologia estame único. Os estames são geralmente encontrados em torno do estilo, agregados densamente ou fundidos em um tubo, provavelmente uma adaptação em associação com a polinização do pistão (secundária). Isso é comum entre as famílias da ordem, em que o pólen é coletado e armazenado no comprimento do pistilo.

O Asterales, por ser um super conjunto da família asteraceae, inclui algumas espécies cultivadas para alimentação, incluindo o girassol, a alface e a chicória. Asterales são plantas comuns e têm muitos usos conhecidos. Por exemplo, o piretro (derivado de membros do Velho Mundo do gênero crisântemo) é um inseticida natural com impacto ambiental mínimo. O absinto, derivado de um gênero que inclui a artemísia, é usado como fonte de aroma para o absinto, um licor amargo clássico de origem européia.

Apesar do grande número de espécies em ordem asterales, eles não se comparam em benefício econômico para a humanidade como os poales ou as fabaceae.

Classe Magnoliopsida

Classe Magnoliopsida
Classe Magnoliopsida

Magnoliopsida é um nome botânico válido para uma classe de plantas com flores. Por definição, a classe incluirá a família Magnoliaceae, mas sua circunscrição pode variar, sendo mais inclusiva ou menos abrangente, dependendo do sistema de classificação discutido.

classe Magnoliopsida [= angiospermas] subclasse Magnoliidae [= dicotiledôneas] subclasse Liliidae [= monocotiledôneas]

Filo Magnoliophyta

Filo Magnoliophyta
Filo Magnoliophyta

Magnoliophyta, também conhecidas como angiospermas, são o grupo mais diversificado de plantas terrestres, com mais de 400 famílias, mais de 13.000 gêneros conhecidos e cerca de 300.000 espécies conhecidas. Como as gimnospermas, as angiospermas são plantas produtoras de sementes. No entanto, distinguem-se das gimnospermas por características que incluem flores, endosperma dentro das sementes e produção de frutos que contêm as sementes.

Reino Plantae

Todos os seres vivos eram tradicionalmente colocados em dois grupos, plantas e animais. Essa classificação pode datar de Aristóteles, que fez a distinção entre plantas, como quem geralmente não se movem, e animais, que muitas vezes são móveis para pegar sua comida. Muito mais tarde, quando Linnaeus criou a base do sistema moderno de classificação científica, esses dois grupos se tornaram os reinos Vegetabilia (depois Metaphyta ou Plantae) e Animalia (também chamado Metazoa).

Plantae, portanto, formam o clado viridiplantae, as plantas verdes, que inclui as plantas com flores, as coníferas e outras gimnospermas, samambaias e seus aliados, musgos e as algas verdes, mas exclui as algas vermelhas e marrons. Historicamente, as plantas eram tratadas como um dos dois reinos, incluindo todos os seres vivos que não eram animais, e todas as algas e fungos eram tratados como plantas. No entanto, todas as definições atuais de plantae excluem os fungos e algumas algas, bem como os procariontes, ou seja, os archaea e bactérias.

Veja também

Cravo do Maranhão

Plantas em Extinção na Caatinga

Este grande cerrado no nordeste do Brasil fornece habitat para uma variedade de espécies de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *