Home / Plantas / Alface com Caule Longo e Poucas Folhas

Alface com Caule Longo e Poucas Folhas

O alface é uma hortaliça conhecida por suas folhas verde-folhosas que dominam o cenário das saladas no Brasil e no mundo.

As folhas são conectadas a um pequeno talo que, por sua vez, está ligado ao caule. O caule do alface na verdade é uma haste verde e flexível, em razão da baixa concentração de tecido lenhoso. Caules semelhantes ao do alface também são encontrados em outras hortaliças, como o agrião e a salsa.

Pode ser considerado um caule frágil, pois não se fixa muito ao solo e pode ser removido dele com facilidade. A raiz abaixo do caule é do tipo fasciculada, ou seja, apresenta eixos finos que partem de um ponto central. É comum encontrar esse tipo de raiz em vegetais do tipo gramíneas, cana-de-açúcar ou grãos (a exemplo do milho, trigo e arroz).

Quando o alface cultivado apresenta um caule longo e poucas folhas, este não é considerado o modelo ideal e comercializável da hortaliça, neste caso a denominação usada pelos pequenos e médios agricultores é que a alface está estiolada. Acredito que você ainda não ouviu este termo, mas no meio agrícola ele é bastante comum.

Neste artigo, vamos entender porque isso ocorre e como evitar estas possíveis ‘deformidades’ do padrão natural.

Então, venha conosco e boa leitura.

Plantio do Alface

A alface tem preferência por solos arenosos, argilosos, com baixa acidez (pH entre 6 e 6,8) e bastante matéria orgânica. O plantio pode ser feito em qualquer período do ano.

A germinação desta hortaliça pode durar de 4 a 6 dias. Quando ela aprsentar de 2 a 3 folhas (medindo entre 8 e 10 centímetros), poderá ser replantada em canteiros devidamente adubados. Lembrando que as condições de espaçamento ideal determinam 30 centímetros entre as plantas.

As mudas escolhidas para o replantio devem estar em boa apresentação, fortes e sadias. Um cuidado extra é aplicável às raízes, as quais não podem estar emboladas, dobradas ou serem plantadas em grande profundidade.

O adubo a ser utilizado é do tipo orgânico, geralmente feito à base de esterco de animais ou material chamado composto. O habitual é aplicar 20 litros de adubo por metro quadrado do canteiro e/ou terreno. Contudo, é importante que a adubação seja realizada após análise do solo, para que a oferta de nutrientes não seja insuficiente ou para que não haja sobrecarga de material.

É importante monitorar o plantio, de forma a afastar possíveis ameaças e pragas, como o pulgão, a lagarta, a minadoura e a tesourinha.

60 dias após a semeadura é hora da colheita.

Colheita do Alface

A colheita é o período no qual a hortaliça atingiu seu desenvolvimento máximo. Pode acontecer 60 dias após a semeadura, ou ainda de 15 a 90 dias depois.

Colheita de Alface
Colheita de Alface

Durante a colheita, deve ser realizado o corte das raízes e a eliminação de folhas que possam estar danificadas.

Cenário do Cultivo de Alface Atualmente no Brasil

No Brasil, as alfaces mais consumidas são as variedades crespa e lisa.

A alface responde por 40 % do consumo de vegetais em São Paulo e, embora possa ser cultivada durante o ano inteiro, convém lembrar que a maioria das espécies é adaptada ao clima temperado, logo períodos de intenso calor não são benéficos ao desenvolvimento saudável da hortaliça.

No planalto paulista, o período ideal para semeadura é do início de março ao final de Julho. Fase na qual haverá bom desenvolvimento das plantas, além da formação de cabeças tenras e viscosas.

Para outras localidades do país, é importante dar preferência por períodos do ano com temperaturas mais amenas.

Alface com Caule Longo e Poucas Folhas. Por que isso Acontece?

Alface estiolada ou “caneluda”, como também é chamada por alguns produtores (principalmente no interior do Rio de Janeiro), é quando o caule da hortaliça está superdesenvolvido e as folhas não estão largas como o habitual, podendo estar finas e curtas (ou ainda, ligeiramente alongadas).

Esse quadro pode ser causado por muitos fatores, dentre eles a temperatura elevada. Situações de muito calor podem gerar um estresse na hortaliça, fazendo com que ela cresça mais rapidamente (mesmo que de forma desigual) como um mecanismo de defesa natural. Seu objetivo passa a ser chegar com mais rapidez ao ponto de reprodução, para gerar sementes e garantir a sobrevivência da espécie, ou seja, a auto-preservação.

O ideal neste caso é observar se a variedade de espécie da alface está adaptada ao clima de plantio, pois também existem variedades resistentes à altas temperaturas, algumas delas obtidas por meio de melhoramento genético e em constante divulgação pela Embrapa.

 

Clima e Plantios de Alface
Clima e Plantios de Alface

Cultivares adaptadas à altas temperaturas, em geral tendem a apresentar alguns atributos e qualidades inferiores, que podem ser através de um número menor de folhas e cabeças menos compactadas.

No entanto, mesmo com a variedade correta, a estiolagem ainda pode aparecer. O ideal é sempre utilizar um sombreamento que permita a incidência de luz solar em menor intensidade. Aconselha-se a utilização de telas de sombreamento, também chamadas de sombrite. Essas telas possibilitam filtragem dos raios UV, a qual varia de acordo com a composição dos fios. Para o alface, o indicado é que a filtragem esteja entre 50 e 70 %, dependendo da localidade de plantio.

Além do excesso de calor, a alface pode ficar estiolada por outros fatores, a exemplo de adubações exageradas ou plantio muito adensado. Para saber e tratar exatamente a causa, é importante procurar consultoria com um profissional agrônomo.

Em relação ao sombreamento, ele não pode exceder o limite recomendado, pois, principalmente na hidroponia, deixar a semente no escuro curiosamente também pode contribuir para o estiolamento.

Além dos fatores citados acima, algumas condições de plantio dentro do sistema convencional, embora não com muita frequência, também podem auxiliar na geração alfaces “caneludas”, a exemplo de quando a semente é enterrada muito profundamente e precisa alongar-se em excesso para conseguir atingir a superfície.

*

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a condição de estiolagem que pode interferir no desenvolvimento natural e esperado do alface, continue conosco e conheça outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

GHIRALDINI, A. Inteliagro. Horticultura. Você já ouviu o termo “planta canelua”, e não entendeu? Entenda aqui! Disponível em: <http://inteliagro.com.br/voce-ja-ouviu-o-termo-planta-caneluda-e-nao-entendeu-entenda-aqui/>;

GLOBO RURAL. Sombreamento evita que o alface fique com o caule longo e poucas folhas. Disponível em: <https://globoplay.globo.com/v/3306480/>;

HERMANN, J. C.; KINETZ, S. R. R.; ELSNER, T. C. Alface. Disponível em: <https://www.projetos.unijui.edu.br/matematica/modelagem/alface/index.html> ;

LOJA PLANTEI. A importância das telas de sombreamento. Disponível em: <https://blog.plantei.com.br/a-importancia-das-telas-de-sombreamento/>;

Portal São Francisco. Alface. Disponível em: <https://www.portalsaofrancisco.com.br/alimentos/alface>.

Veja também

Lindo Cravo Vermelho Gigante

Mudas de Cravos Gigantes

Essas variedades de cravos são consideradas as flores símbolos de vários países como Eslovênia, Mônaco …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *