Home / Natureza / Vulcão Monte Pelée: Localização e Fotos

Vulcão Monte Pelée: Localização e Fotos

O país europeu França é conhecido mundialmente e um dos mais visitados de todos. O que atrai é sua beleza nas vilas e cidades pequenas, monumentos grandiosos, arte e comida. Fotógrafos e artistas costumam amar países como a França que traz tanta cultura através da arte, arquitetura e gastronomia.

Porém, o que pouco sabemos é que o tão desejado país também possui uma pequena quantidade de vulcões ativos. Eles ainda são poucos conhecidos pelos aventureiros, mas estudiosos já estão trabalhando neles há anos. No continente francês existe um total de três vulcões ativos que não passam de 2.700 metros.

Só que quando vamos para ilhas anexadas pela França, a situação muda. É na Martinica, um dos cinco departamentos ultramarinos insular franceses no Caribe que fica o não tão grande, mas extremamente perigoso, Monte Pelée.

O Monte Pelée

O Monte Pelée também pode ser chamado de vulcão Pelée ficou bastante reconhecido mundialmente pela destruição que causou em uma de suas erupções. Essa destruição o colocou e o mantém até hoje na lista dos vulcões mais perigosos de todo o mundo.

Suas características físicas fazem dele ainda mais belo. Sua origem é dada a mais de 30 milhões de anos atrás aproximadamente. O Pelée é um estratovulcão, ou seja, que possui seu formato em cone. Ele representa a formação geográfica mais moderna da ilha e depois da grande erupção, algumas rochas foram formadas e tem apenas 80 anos.

Os cientistas que trabalham em conjunto para explorar e entender toda a história do vulcão afirmam que ele passou por três fases. A fase inicial quando ainda era um estratovulcão comum. Depois vem a fase intermediária, que foi marcada pelo grande número de erupções. E apenas há 3.000 anos iniciou-se a fase moderna, quando ocorreu a formação dos fluxos piroclásticos.

É possível subir até a cratera do vulcão, desde que você esteja com uma equipe autorizada e bem preparada. São diversos tipos de excursão que podem te levar até o cume, ou em até algumas paradas abaixo. Eles levarão oxigênio e todo o equipamento necessário caso alguém passe mal pela pressão e ar rarefeito.

A Localização do Vulcão

Um departamento ultramarino é um departamento que não está localizado na França Metropolitana. Eles possuem uma maior autonomia do que os metropolitanos e acabam não entrando em algumas estatísticas francesas. Fica bem no mar do Caribe, sendo uma localização que possui uma vista bem bonita para o mar azul.

O Monte Pelée também tem sua localização em um lugar muito estudado. Ele faz parte do arco vulcânico das Antilhas Menores. Um arco vulcânico é basicamente uma cadeia de ilhas vulcânicas ou montanhas que são formadas em zonas de subducção das placas tectônicas. Então é fácil de entender que é um local onde há muita atividade sísmica, por isso que é tão perigoso.

Martinica possui uma área total de 1.100 quilômetros quadrados, o que significa que uma erupção significativa poderia causar grande destruição, principalmente por ser uma ilha e ser mais difícil a evacuação das pessoas. A cidade mais próxima do vulcão é Saint-Pierre que fica localizada a apenas seis quilômetros de distância.

As Erupções do Monte Pelée e sua Destruição

É datado que a primeira erupção do Monte Pelée foi no ano 300. A história diz que foi uma grande erupção e parou completamente o povoamento que estava acontecendo pelos pré-colombianos. Desde esse momento, ele continuou a ter erupções de diferentes forças, mas nunca muito catastróficas.

Porém, foi na erupção de 1902 que isso mudou. No dia 8 de maio, o vulcão entrou em erupção fortemente. Ele expeliu o que é chamado de nuvem ardente, que é composta de gás quente e piroclastos cobriu mais de 20 quilômetros de distância. Esses fluxos piroclásticos chegaram a uma temperatura de 300 graus Celsius, acompanhada logo depois da lava sendo expelida em uma temperatura média de 1000 graus Celsius.

Para entendermos o quão ruim são esses fluxos, devemos notar que em três minutos ele matou de 30.000 a 40.000 pessoas e derreteu casas e prédios. Saint-Pierre foi a que mais sofreu, devido sua grande proximidade com o vulcão, mas outras cidades por perto também tiveram pessoas mortas e feridas e muitas consequências ambientais. Após todo o fenômeno acontecer, corpos foram encontrados explodidos, queimados e completamente contorcidos e derretidos.

Nessa época, os estudos não eram tão avançados como são hoje em dia, por isso, muitas vezes determinar uma próxima erupção vai pelo olhômetro. Em janeiro daquele ano, o vulcão começou a soltar mais fumaça do que o normal, mas não foi dado muita atenção. Entretanto, em abril começou pequenas erupções e tremores pela cidade, sendo seguido logo após pelo grande desastre.

De acordo com dados, somente sobreviveram duas pessoas. Um prisioneiro e um sapateiro que vivia longe. A cidade de Saint-Pierre foi completamente destruída. Essa erupção é uma das histórias de vulcões em erupção mais devastadoras de todos os tempos. E a maior catástrofe vulcânica do século 20.

A última erupção do Monte Pelée aconteceu alguns anos depois, e durou entre 1929 e 1932. Começou com uma média nuvem de cinzas percorrendo o redor do vulcão, depois alguns dias depois foi aumentando a quantidade. Entretanto, não durou muito e logo passou a ter erupções com frequência, porém em intensidade bem menor.

Hoje, a cidade já foi completamente reconstruída e possui diversos cientistas sempre analisando e prevendo qualquer atividade vulcânica do monte. Se você deseja visitar o Pelée, é completamente viável e você vai aprender muito com guias. Eles mostrarão pontos antes da grande erupção e vários outros fatos históricos e geológicos do gigantesco evento. De fato, um passeio muito valioso.

Veja também

Qual é o Ecossistema Típico de SP?

A Floresta de Araucária é um ecossistema típico do estado de São Paulo (SP). O …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *