Home / Natureza / Vulcão Lascar Altitude

Vulcão Lascar Altitude

O vulcão Lascar é um dos três vulcões em atividade existentes no Deserto do Atacama, ao lado dos vulcões Licanbaur e Juriques.

Acredita-se que o vulcão Lascar esteja ativo a 250.000 anos atrás. Apesar da grande altitude, ele atrai turistas do mundo inteiro para práticas de montanhismo.

O vulcão Lascar está localizado a quase 6.000 metros de altitude (mais precisamente 5.592 metros). Em decorrência desta altitude, é comum que haja diminuição do suprimento de oxigênio e queda na temperatura durante a subida.

Neste artigo, você conhecerá algumas características do vulcão Lascar e as particularidades referentes à sua altitude.

Então, venha conosco e boa leitura.

Vulcão Lascar: Características Gerais

Além da grande altitude de 5.592 metros, é importante saber que o vulcão Lascar é formado por 5 crateras, no entanto apenas uma delas está em plena atividade.

A cratera ativa possui um diâmetro compreendido em 750 metros, além de 300 metros de profundidade. No interior desta cratera, há constante emissão de gazes tóxicos (até mesmo nos períodos inativos), dentre eles o Dióxido de Enxofre (SO2) é o mais frequente.

Vulcão Lascar: Um Estratovulcão

A exemplo do vulcão de fogo, na Guatemala  , o vulcão Lascar é considerado um estratovulcão, ou seja, apresenta um formato cônico, que configurou-se desta forma em decorrência do magma extravasado para as laterais.

Outros exemplos de estratovulcão ao redor do mundo incluem o Monte Fuji, no Japão; o vulcão Mayon, nas Filipinas; o Monte Rainier, nos Estados Unidos; o vulcão Teide, na Espanha; e o vulcão Cotopaxi, no equador.

Os tipos de vulcão classificados como estratovulcão expele o magma em um fluxo mais intenso e com viscosidade mais elevada. As erupções mais devastadoras do mundo, em geral, são causadas por este tipo de vulcão. Além do magma, gazes e rochas também são expelidos em grandes velocidades, fenômeno este que recebe o nome de fluxo piroclástico. Muitas vezes a fumaça e cinzas chegam até centenas de quilômetros do local da erupção, assim como as rochas, as quais podem atingir vilarejos e cidades próximas resultando em muitas mortes.

Vulcão Lascar: Povoado de Talabre

Aos pés do vulcão Lascar, há um pequeno vilarejo/ povoado chamado Talabre. A população desta vila é a primeira a ser remanejada no caso de erupções vulcânicas intensas, que, consequentemente, geram fluxos piroclásticos (em razão do formato cônico do vulcão Lascar).

No entanto, muitas vezes a erupção é moderada e, com isso, o remanejamento não se torna necessário. Somado a isso, é possível que as partículas de cinzas sejam levadas através do vento para quilômetros dali, não atingindo as áreas de proximidade ao vulcão.

O povo de Talabre apresenta um idioma local característico, no qual a palavra “Talabre” recebe a terminologia de “Ayllu”.

Vulcão Lascar: Erupções

Desde o século XIX, tem sido catalogada um média de 30 erupções do vulcão Lascar. No entanto, este vulcão está ativo a muito mais tempo (pelo menos a 250.000 anos). Estudiosos acreditam que a sua erupção mais explosiva ocorreu a 27.000 atrás, pois há evidências de que as colunas eruptivas tenham atingido a altura de 30 Km.

Erupções explosivas resultam em fluxos piroclástico, como é o caso de uma explosão registrada no ano de 1993, entre os dias 19 e 20 de Abril. Neste episódio, houve vasta propulsão de pedra-pome e cinzas, as quais atingiram até mesmo o noroeste da Argentina.

A última explosão ocorreu no ano de 2015, mais precisamente no dia 30 de Outubro, e foi considerada relativamente leve, pois não resultou em fluxos piroclástico, mas apenas em uma discreta liberação de cinzas.

É importante citar que o vulcão lascar é considerado o vulcão mais ativo do Chile. Suas erupções apresentam um espaçamento de 6 anos entre um episódio e outro. Muitas vezes, mesmo em períodos de inatividade, é possível visualizar uma fumaça discreta saindo do topo deste vulcão.

Vulcão Lascar: Dicas Para a Escalada

Subida

O terreno é solto e instável, com quantidade moderada de pedregulhos, estes fatores tornam a escalada cansativa, mesmo não apresentado um grau de inclinação acentuada.

O tempo médio da subida é de 3h30 a 5hs. O ideal é caminhar em passos lentos, com intervalos para as pausas. Durante as pausas é tempo para se reidratar, não é aconselhável sentar-se, mas apenas se apoiar no cabo para escalada.

Descida

O tempo médio de descida é de 2 horas, no entanto, não é aconselhável acelerar esse processo, uma vez que a pessoa poderá sentir fisicamente os efeitos da descompressão, através da manifestação de uma dor de cabeça.

Vulcão Lascar: Sintomas Físicos Relacionados à Altitude

O Deserto do Atacama já apresenta uma altitude moderadamente significativa, a qual atribui a ele o título de deserto mais alto do mundo. Esta altitude diminui a frequência de chuvas no local, uma vez que as correntes marítimas do Oceano Pacífico tem dificuldade em chegar até o local. Com isso, a região pode ficar longos períodos sem chuva.

O clima do Deserto do Atacama é classificado como seco e frio.

Somado à altitude do deserto, praticantes de escalada ao vulcão Lascar sentem fisicamente os efeitos da elevação de altitude durante a subida, fenômeno que é chamado na medicina esportiva de “ doença de altitude”.

Acredita-se que ascender a uma altitude moderada (mais ou menos 2.400 metros) já seria suficiente para manifestar os sintomas. Esses sintomas incluem falta de ar, aumento da frequência cardíaca e cansaço frequente.

Na escalada ao vulcão Lascar, é aconselhável levar o seu tubo individual de oxigênio, de modo a criar estratégias para amenizar o baixo suporte de ar (o qual vai ficando cada vez mais rarefeito, à medida que a escalada progride). Sintomas como a dor de cabeça também são frequentes (em decorrência da mudança de pressão), neste caso muitos mascam folhas de coca para minimizar este desconforto.

À medida que a altitude aumenta, a pressão atmosférica diminui, implicando também na quantidade de moléculas de oxigênio disponíveis. Com menor aporte de oxigênio a frequência e a profundidade da respiração aumentam, assim como o equilíbrio de gazes presentes no sangue e nos pulmões.

O desequilíbrio gasoso no sangue e pulmões implica alteração na distribuição de sais minerais nas células (a exemplo do Potássio e Sódio) que por sua vez também altera a distribuição de água.

Em grandes altitudes, o sangue possui menor oxigênio, manifestando uma coloração azulada na pele, lábio e unhas. Sendo que este quadro pode ser equilibrado em algumas semanas, pois o organismo tenta compensar a condição, produzindo mais hemácias.

Vulcão Lascar - Subida
Vulcão Lascar – Subida

A falta de ar, aumento da frequência cardíaca e cansaço são sintomas da doença de altitude leve, a qual também pode ser acompanhada por dor de cabeça, náusea, vômito e distúrbios do sono. Em geral, esses sintomas desaparecem em poucos dias.

Quanto mais rápido uma pessoa ascende, maiores serão os efeitos físicos da altitude, por isso, a velocidade indicada para o montanhismo é lenta. Escaladas em alta velocidade podem ser potencialmente perigosas. Uma das consequências é a doença de altitude grave, com edema pulmonar como sintoma característico.

Práticas de montanhismo ao vulcão Lascar são lentas, respeitando o passo do guia treinado. Portanto, se você tiver a oportunidade de escalar este vulcão, não tenha pressa de chegar ao topo e mantenha o ritmo suave. Tudo certo?

Agora que você já conhece um pouco mais sobre o Vulcão Lascar e sua altitude, continue conosco e conheça outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Desert exploring. Vulcão Lascar. Disponível em: < http://desertexploring.cl/pt/vulcoes/vulcao-lascar/>;

Estratovulcões. Disponível em: <http://www.laifi.com/laifi.php?id_laifi=3316&idC=60411#>;

LEONARDI, A. G1 Saúde. Doença da altitude: causas, sintomas e prevenção do problema de montanhistas. Disponível em: < https://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/doenca-da-altitude-causas-sintomas-e-prevencao-do-problema-de-montanhistas.ghtml>.

Veja também

Principais Características do Agroecossistema

Como bem sabemos, todo o setor agropecuário é a base da nossa alimentação desde muitos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *