Home / Natureza / Variedades da Mandioca Mansa e Teor de Ácido Cianídrico

Variedades da Mandioca Mansa e Teor de Ácido Cianídrico

A mandioca é um alimento que faz parte dos tubérculos, assim como as batatas e inhames. Sua parte comestível nasce dentro da terra, pois o alimento é a sua raiz. O caule da mandioca cresce até cerca de um metro do solo e suas folhas são verdes.

Existem inúmeras variedades de espécies de mandiocas, mas estas variedades são distinguidas dentro de apenas duas catalogações: a mandioca mansa e a mandioca brava. As características são geradas através de análises químicas, pois é praticamente impossível distingui-las a olho nu.

A mandioca possui propriedades nutricionais importantes para uma alimentação saudável, sendo uma fonte invejável de carboidratos, que fazem uma melhor distribuição de energia da qual o corpo mais necessita para se manter ativo.

Confira abaixo as características nutricionais da mandioca de acordo com a TACO (Tabela Brasileira de Composição de Alimentos).

Valores relativos à uma porção de 100 gr de aipim cru (da parte comestível)

Energia (kcal) 151
Proteína (g) 1,1
Lipídeos (g) 0,3
Colesterol (mg) NA
Carboidrato (g) 36,2
Fibra Alimentar (g) 1,9
Cinzas (g) 0,6
Cálcio (mg) 15
Magnésio (mg) 44

Segundo a EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), o Brasil é responsável por 10% de toda a variedade produção mundial de mandioca ao redor do mundo. Existe o cultivo de mandioca em todo o território nacional, sendo o Norte a região em que mais se consome suas variedades.

Variedades de Mandioca Mansa: Nomes, Formas e Gostos

Mandioca mansa não se trata, necessariamente de um tipo de mandioca, mas sim de uma classificação dentro da botânica, e dessa classificação abre-se um leque de ricas variedades desse alimento, que faz parte do prato de vários Países pelo mundo, principalmente os que possuem maiores áreas verdes, como Brasil e África.

A Mandioca mansa também é conhecida como Mandioca-doce ou Mandioca-de-Mesa.

Mandioca Mansa Após ser Colhida
Mandioca Mansa Após ser Colhida

Em relação à mandioca, existe a necessidade de ponderar sobre suas variedades populares, pois a mesma receberá variados nomes dependendo da região do País. A mandioca mansa pode ser chamada também de aipim (termo utilizado pelo Sul do Brasil) ou de macaxeira (termo utilizado pelo Norte do Brasil). Observe a lista de nomes para mandioca:

  1. Mandioca-Mansa
  2. Mandioca-de-Mesa
  3. Mandioca-Doce
  4. Mandioca-Brava
  5. Mandioca-Amarga
  6. Mandioca-de-Indústria
  7. Aipi
  8. Aipim
  9. Macaxeira
  10. Maniva

A mandioca mansa, portanto, é conhecida por nomes diferentes em determinadas regiões do território nacional, mas uma coisa é certa: sua forma é a mesma em todo o País, apesar da grande variedade. As raízes apenas variarão em relação ao tamanho, pois certas mandiocas nascem mais esparramadas e assim seu tamanho é menor e seu fruto mais afinado e longo. Por outro lado, algumas mandiocas nascerão altas e suas raízes (frutos) serão menores, porém mais cheios (parrudos).

O sabor da mandioca mansa se abstém a um leve amargor, que não a caracteriza tanto pelo fato de que seu preparo na culinária sempre será precedido de temperos, especialmente de sal, que realçará seu sabor, perdendo o insosso original.

As formas de consumo da mandioca-mansa são bem versáteis, assim como a batata, por exemplo. Ambas possuem variedades exclusivas.

Mandioca Frita com Refrigerante
Mandioca Frita com Refrigerante

A mandioca mansa pode ser consumida de inúmeras formas.

  1. Cozida (é possível comer pura ou como acompanhamento);
  2. Frita (no óleo ou na manteiga; é possível comer pura, como acompanhamento ou como petisco);
  3. Amassada / purê (substituindo o purê de batata);
  4. Como bolinhos (excelentes aperitivos);
  5. Como coxinhas (sendo até melhores que as originais para algumas pessoas);
  6. Massas em geral (como o macarrão de mandioca/aipim, por exemplo, ou massa de lasanha de mandioca).

Seu consumo é altamente viável para qualquer tipo de alimentação, seja ela vegetariana ou vegana. Não obstante, a mandioca ainda pode ser consumida como farinha, assim que processada, mas existe uma categoria exclusiva de mandioca que serve com esse único propósito no setor industrial: a mandioca-brava.

Mandioca Mansa x Mandioca Brava

Quando se fala em mandioca mansa, é obrigatório falar em mandioca brava, e vice-versa. Elas não atuam como inimigas ou concorrentes, pois são apenas variedades. O que caracteriza a distinção entre elas é o teor de um ácido chamado de ácido cianídrico (HCN), que pode ser venenoso para humanos e animais.

O teor de ácido contido pela mandioca brava é muito superior ao da mandioca mansa (que não possui nenhum percentual relevante), e esse é um dos motivos pela designação dos nomes entre as duas espécies e motivo pela qual a mandioca brava pode ser chamada também de mandioca amarga ou de mandioca-de-indústria.

Teor de Ácido Cianídrico da Mandioca Mansa e da Mandioca Brava

O teor de ácido cianídrico, ou HCN, da mandioca brava varia entre 22 a 1.000 mg/kg de mandioca pura, o que pode ser fatal ao ser humano, causando parada respiratória.

Já o teor de HCN da mandioca mansa não chega a 100 mg/kg de mandioca pura, o que a torna apta para consumo.

A mandioca brava é utilizada pela indústria no fabrico de farinha, pois as mesmas passam por um processo de fervura e secagem que eliminam praticamente todos os resquícios de ácido do alimento.

Como Diferenciar a Mandioca Mansa da Mandioca Brava

É assustador pensar que a mandioca é um dos produtos mais consumidos em território nacional e que ao mesmo tempo uma de suas espécies pode ser simplesmente fatal.

E o problema não para por aí, pois é praticamente impossível diferenciar a mandioca mansa da mandioca brava depois que essas são colhidas (a não ser que isso feito por um (a) especialista na área).

Existe, dessa forma, uma grande chance de se comprar uma mandioca brava no lugar de uma mandioca mansa no mercado ou em uma feira (por mais que estes estejam cientes, não pode deixar de se considerar a possibilidade). Mas o lado bom de toda essa história é que em qualquer preparo da mandioca, esta precisará passar pelo processo de fervura e, nessa hora, uma mandioca brava demorará muito para cozer, ficará amarelada e seu gosto será altamente amargo, o que é muito diferente da mandioca mansa, que fica branquinha e cozinha dentro de poucos minutos.

A forma mais fácil de diferenciar as duas variedades é na hora de sua colheita, pois as mandiocas mansas possuem o caule avermelhado (rosado) e as mandiocas bravas possuem o caule verde.

Veja também

Estudantes de Ecologia

Técnico em Ecologia

O técnico em ecologia é a pessoa que desempenha várias tarefas técnicas no campo e …

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *