Home / Natureza / Quando Surgiu o Vulcão Kilauea? História, Mitologia e Folclore

Quando Surgiu o Vulcão Kilauea? História, Mitologia e Folclore

O Kilauea é um dos cinco vulcões de escudo que se juntam para formar o estado do Havaí nos Estados Unidos. É um dos vulcões mais ativos do mundo, sem sinais de períodos prolongados de quiescência em sua história. Se a erupção em curso, que começou em janeiro de 1983, for excluída, até 34 erupções foram registradas no Kilauea desde 1952. Mesmo que as amostras datadas mais antigas colocassem a idade da rocha neste vulcão em 230.000 anos, a atual história deste vulcão pode ser rastreada até mais de 300.000 anos atrás.

História do Vulcão Kilauea

O Kilauea é um dos vulcões mais estudados do mundo, com a maior parte das informações sobre ele sendo atribuídas a estudos de exposição de superfície e amostras de furos realizados por geologistas americanos. É muito difícil determinar exatamente quando ocorreu a primeira erupção do Kilauea, com a evidência geológica sugerindo que o mesmo aconteceu em algum lugar em torno de 300.000 a 600.000 anos atrás. Desde então, no entanto, este vulcão tem sido sempre ativo com contínuas erupções de vez em quando e não um único sinal de períodos prolongados de quiescência. Acredita-se que as contínuas erupções deste vulcão resultaram na formação da Ilha Kilauea em algum lugar entre 50.000 e 100.000 anos atrás.

História da Erupção do Kilauea

Vulcão Kilauea em 1820
Vulcão Kilauea em 1820

Os registros escritos disponíveis fornecem um relato detalhado das erupções do Kilauea a partir de 1820. Embora existam menções de erupções do Kilauea antes de 1820, por exemplo, a que ocorreu em 1790 supostamente matou um grupo de guerreiros (em várias fontes), os detalhes dessas erupções não estão disponíveis. Embora este vulcão seja conhecido por suas erupções não explosivas hoje, houve erupções explosivas aqui no passado, a que em 1924 foi um dos melhores exemplos do mesmo. Enquanto a erupção de 1959 do Kilauea também foi explosiva, é mais frequentemente lembrada pela exibição espetacular da fonte de lava. No século 20, este vulcão entrou em erupção cerca de 45 vezes, o último dos quais chegou em 1983 e continua até hoje mais de 25 anos depois de ter começado.

Erupções do Kilauea tem Origens Profundas

Uma equipe de especialistas em vulcões da Universidade de Cambridge e do Havaí analisou as rochas que surgiram do vulcão oceânico de Kilauea, no Havaí, em 25 erupções históricas ocorridas nos últimos 600 anos.

O Kilauea é ativo, alimentado por magma das profundezas da crosta rochosa da Terra, em uma região chamada manto. Medindo a química da rocha derretida original associada a cada erupção, agora preservada como gotas vítreas nos grãos minerais vulcânicos, os cientistas descobriram que erupções energéticas e erupções efusivas mais suaves parecem ter vindo de áreas do manto com químicas sutilmente diferentes.

Esses pesquisadores acreditam que a química dos primitivos fundidos alimentando as erupções explosivas parece estatisticamente diferente daqueles que alimentam erupções efusivas. Esses derretimentos primitivos podem saturar com gases e crescer suas bolhas no fundo do sistema, acelerar em direção à superfície em maior grau e contornar a câmara de magma da cúpula, explodindo mais explosivamente na superfície.

Premente Período Explosivo

Os cientistas dizem que suas últimas pesquisas indicam que as erupções explosivas foram muito mais comuns no passado do que as saídas suaves vistas hoje. E eles alertam que um retorno a esse comportamento mais violento exigiria a evacuação permanente de grandes áreas ao redor do vulcão.

Segundo esses cientistas, o Kilauea tem estado em um modo explosivo cerca de 60% do tempo e em um modo de produção de lava, como é agora, apenas cerca de 40% do tempo. Os cientistas há muito sabem que o Kilauea pode explodir de forma violenta. Em novembro de 1790, por exemplo, o vulcão-escudo lançou pedras e cinzas nas comunidades das ilhas, matando centenas de pessoas. O evento ainda é a mais letal erupção conhecida nos EUA.

Mas é o período de tempo que essa fase explosiva pode ser mantida, que é uma informação nova. Os cientistas acham que ocorre quando há uma queda no nível de rocha derretida que alimenta o conduto do vulcão à superfície. Isso pode permitir que a água subterrânea circundante entre no respiradouro interaja com o material quente e pisca a vapor. Se as paredes da cratera, onde a lava escoou, entram em colapso na abertura do conduto e a bloqueiam, a pressão pode se acumular, o que acaba levando a uma explosão energética.

Vulcão Kilauea Deixando Rastros de Destruição Pelo Havaí
Vulcão Kilauea Deixando Rastros de Destruição Pelo Havaí

A preocupação é que, caso o temperamento mais violento de Kilauea retorne, provavelmente seria necessário que grandes áreas ao redor da cúpula fossem evacuadas permanentemente. O parque nacional que acolhe um grande número de visitantes internacionais também teria que mudar sua maneira de operar.

Os cientistas explicaram que as erupções explosivas no Kilauea não são eventos freqüentes, que ocorrem durante longos períodos de tempo e que o perigo é muito maior do que o previsto. Afirmam que, embora o período atual seja o de erupção de fluxo de lava e não o período explosivo, não sabem quando isso pode mudar. Infelizmente, não podem estimar os intervalos de recorrência porque os dados são tão poucos e os períodos de atividade que puderam ver foram irregulares.

Kilauea em Mitologia e Folclore

Como na maioria dos vulcões havaianos, até o Kilauea tem um lugar na mitologia e no folclore. De fato, a religião havaiana tem várias referências de Kīlauea sendo a casa de Pele, a deusa dos vulcões. A crença de que as formações de lava do Kilauea são símbolos da ira e da angústia de Pele ainda encontra um lugar na mente das pessoas do Havaí. Por outro lado, o nome deste vulcão ‘Kīlauea’ é um termo havaiano que significa ‘cuspir’ ou ‘muito espalhado’ no contexto do fluxo contínuo de lava deste vulcão que tem estado ativo desde que veio à existência.

Embora o vulcão Monte Kilauea tenha se tornado uma das atrações turísticas mais populares nesta parte do mundo hoje, ele ainda é considerado o vulcão mais perigoso dos Estados Unidos pelos especialistas do Serviço Geológico dos Estados Unidos. Isso pode ser uma surpresa para muitos, considerando que o Kilauea é bastante popular entre os vulcanólogos, e como mencionamos acima, é um dos vulcões mais estudados do mundo. Basicamente, a notoriedade de ser o mais perigoso que este vulcão conquistou pode ser atribuída à destruição generalizada que causou durante o período de tempo.

Veja também

A Importância do Ar Para a Saúde

A importância do ar para a saúde está no fato de que é nele que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *