Home / Natureza / Importância da Biogeografia

Importância da Biogeografia

A Biogeografia é a ciência que estuda a distribuição no espaço e no tempo de organismos vivos e as causas que o determinam. Trata-se de investigar extensão, desenvolvimento, rotação ao longo do tempo e sobreposição de faixas de espécies.

Importância da Biogeografia

O conhecimento da transmutação espacial nos números e tipos de organismos é tão significativo e importante para nós hoje como era para nossos antecedentes ancestrais, à medida que se adapta a heterogêneos, mas geograficamente previsíveis ambientes. Biogeografia é uma área conjugadora de pesquisa científica que associa conceitos e informações da ecologia, biologia evolutiva, geologia e geografia física.

A pesquisa biogeográfica atual reúne informações e idéias de vários campos, desde as restrições fisiológicas e ecológicas à dispersão de organismos até fenômenos geológicos e climatológicos que operam em escalas espaciais globais e períodos de tempo evolucionários.

As interatividade breve dentro de um habitat e espécies de organismos definem a aplicação ecológica da biogeografia. A biogeografia na história explana as fases evolutivas de longo prazo para tipos mais abrangentes de organismos.

A História da Biogeografia

Primeiros pensamentos com características biogeográficas existiram no século 17, quando estudiosos da Bíblia e naturalistas discutiram o repovoamento da terra após o Dilúvio. Pela primeira vez, foi possível explicar que os animais que necessitam de uma grande variedade de condições climáticas teriam encontrado seus habitats atuais de um ponto, o Monte Ararat.

Como fundador da geografia da vegetação, Alexander von Humboldt aplica suas idéias a uma geografia de plantas. Ele descreveu a vegetação como uma característica definidora do “caráter gestáltico” das várias regiões da Terra e começou com uma visão fisionômica das plantas. August Grisebach então cunhou o termo “formação geográfica vegetal” como “um grupo de plantas com um caráter fisionômico fechado, como um prado, uma floresta, etc”. O geógrafo Carl Troll definiu o termo “ecologia da paisagem” e realizou estudos de alta montanha em todo o mundo.

O trabalho mais importante sobre a fauna durante muito tempo veio de Alfred Russel Wallace, que descreve a divisão do mundo em regiões de fauna, que remonta ao século 21 e também é baseada nas descobertas de Philip Lutley Sclater. Foi só no final de 2012 que um estudo moderno estendeu o trabalho de Wallace para aspectos-chaves da fauna.

Conceitos e Campos da Biogeografia

Biogeografia é uma ciência sucinta, relacionada à geografia, biologia, ciência do solo, geologia, climatologia, ecologia e evolução.

Alguns conceitos fundamentais em biogeografia incluem:
especiação alopátrica, a caracterização de uma espécie pela evolução de conjuntos geograficamente isolados;
evolução, alteração na constituição genética de uma conjunção habitual;
extinção, desaparecimento de uma espécie;

dispersão, movimento de populações longe do ponto de origem, relacionado à migração;
áreas endêmicas geodispersal, a degradação do óbice à dispersão biótica e ao fluxo gênico, que permitem a expansão em escala e a fusão de biotas inicialmente estremadas;
alcance e dispersão fragmentada, a formação do óbice à distribuição biótica e ao fluxo gênico, que tendem a subdividir espécies e biotas, levando à caracterizações específicas e à extinção; biogeografia vicariante é o campo que estuda esses padrões.

As Aplicações Modernas

Biogeografia agora incorpora muitos campos diferentes, incluindo mas não limitado a geografia física, geologia, botânica e biologia vegetal, zoologia e biologia geral. O foco principal de um biogeógrafo está em quais fatores ambientais e qual a influência dos seres humanos na distribuição das espécies específicas de estudo.

Em termos de aplicações da biogeografia como ciência hoje, os avanços tecnológicos permitiram imagens de satélite e processamento da Terra. Dois tipos principais de imagens de satélite que são importantes dentro da biogeografia moderna são o Modelo Global de Eficiência da Produção (GLO-PEM) e os Sistemas de Informações Geográficas (GIS).

O GLO-PEM utiliza imagens de satélite para “observações de vegetação repetitivas, espacialmente contíguas e específicas do tempo”. Essas observações são em escala global. O SIG pode mostrar certos processos na superfície da Terra, como localizações de baleias, temperaturas da superfície do mar e batimetria. Os cientistas atuais também usam recifes de coral para mergulhar na história da biogeografia através dos recifes fossilizados.

Biogeografia Comparativa

O estudo da biogeografia comparativa pode seguir duas linhas principais de investigação:
Biogeografia sistemática, o estudo das relações da área biótica, sua distribuição e classificação hierárquica;
Biogeografia evolucionária, proposta de mecanismos evolutivos responsáveis ​​por distribuições orgânicas. Possíveis mecanismos incluem taxa generalizada interrompida por ruptura continental ou episódios individuais de movimento de longa distância.

Associação de Biogeografia Sistemática e Evolutiva

A Associação Biogeográfica Sistemática e Evolutiva (SEBA) promove uma comunidade biogeográfica internacional aberta e diversificada, auxiliando no compartilhamento de informações biogeográficas. Melhorando a comunicação entre biogeógrafos de todos os países, a SEBA contribui para o desenvolvimento da teoria e prática da Biogeografia Sistemática e Evolutiva.

A SEBA foi criada em 2006. É uma organização sem fins lucrativos e um membro científico da União Internacional de Ciências Biológicas (IUBS). A SEBA também promove o Código Internacional de Nomenclatura de Áreas (ICAN), um sistema padronizado de referência biogeográfica.

Sistema de Informação Biogeográfica do Oceano

O Sistema de Informações Biogeográficas do Oceano (OBIS) é um ponto de acesso baseado na web para informações sobre a distribuição e a abundância de espécies vivas no oceano. Foi desenvolvido como o componente de gerenciamento de informações do Censo de Vida Marinha de dez anos (CoML), mas não se limita aos dados derivados do CoML, e visa fornecer uma visão integrada de todos os dados sobre a biodiversidade marinha que podem ser disponibilizados em acesso aberto pelos respectivos detentores de dados.

Biogeografia Aquática
Biogeografia Aquática

De acordo com seu site, em julho de 2018, o OBIS “é uma câmara global de dados e informações de acesso aberto sobre biodiversidade marinha para ciência, conservação e desenvolvimento sustentável”. 8 objetivos específicos estão listados no site do OBIS, cujo item principal é “Fornecer [o] maior conhecimento científico do mundo sobre a diversidade, distribuição e abundância de todos os organismos marinhos em um formato integrado e padronizado”.

À medida que as tecnologias da web disponíveis foram desenvolvidas, o portal do OBIS passou por várias iterações desde sua criação em 2002. Por último, um sistema completo baseado em GIS foi introduzido pela primeira vez, juntamente com uma nova versão do site que resultou em uma apresentação consideravelmente mais detalhada e flexível dos resultados de pesquisa, juntamente com uma série de novas opções de pesquisa. Existe o projeto para que até o final desse ano seja instalado uma versão melhorada do OBIS, uma versão 2.0, já com financiamento disponível para sua conclusão.

Veja também

A Importância do Ar Para a Saúde

A importância do ar para a saúde está no fato de que é nele que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *