Home / Natureza / Espécies Marinhas Em Extinção No Brasil

Espécies Marinhas Em Extinção No Brasil

O Brasil é um dos Países mais ricos do mundo em biodiversidade, e isso significa que ele é um País banhado por águas que inundam seu território quase que completamente, sendo um imenso viveiro para milhares de espécies.

No entanto, a distribuição dessas águas não é uniforme, ou seja, algumas áreas possuirão extensões quilometrais de água, enquanto outras áreas carecerão dela.

A região que mais concentra água no Brasil é região da Amazônia, e lá não existe populações significativas de humanos, exceto por tribos nativas e ínfimas comunidades de pessoas que persistem em morar lá.

Em contrapartida, áreas em que a escassez de água é evidente, concentra enormes populações (o Nordeste é um exemplo), e a falta d’água é o fator número um que faz essas pessoas saírem de suas terras para tentarem a vida em locais mais produtivos.

O Brasil é o maior país da América Latina, consumindo quase a metade de todo o território da América do Sul, e resultado disso é a biodiversidade que o País abriga, que a cada ano vem diminuindo devido à falta de consciência dos habitantes e das grandes empresas.

O território aquático do Brasil sofre cada vez mais com a poluição provocada pelo lixo despejado por pessoas e empresas, deixando animais cada vez mais próximos de uma eminente extinção.

Conheça As Espécies Marinhas Ameaçadas De Extinção No Brasil

1. Nome Comum: Ariranha (Onça-d’água, lobo-do-rio)

Nome Científico: Pteronura brasiliensis
Estado de Conservação: EN (Em Perigo)
Localização: Floresta Amazônica

2. Nome Comum: Tartaruga-Marinha-Comum (Tartaruga-Cabeçuda)

Nome Científico: Caretta caretta
Estado de Conservação: EN (Em Perigo)
Localização: Oceano Atlântico

Tartaruga-Marinha-Comum
Tartaruga-Marinha-Comum

3. Nome Comum: Tartaruga-Verde (Uruanã)

Nome Científico: Chelonia mydas
Estado de Conservação: EN (Em Perigo)
Localização: Rio de Janeiro (Vila de Trindade – Paraty)

Tartaruga-Verde
Tartaruga-Verde

4. Nome Comum: Tartaruga-de-Pente (Tartaruga-Verdadeira)

Nome Científico: Eretmochelys imbricata
Estado de Conservação: CR (Em Perigo Crítico)
Localização: Sul de Pernambuco

Tartaruga-de-Pente
Tartaruga-de-Pente

5. Nome Comum: Tartaruga-de-Couro (Tartaruga-Gigante)

Nome Científico: Dermochelys coriacea
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)
Localização: Amapá / Guiana Francesa

Tartaruga-de-Couro
Tartaruga-de-Couro

6. Nome Comum: Tartaruga-Pequena (Tartaruga-Oliva)

Nome Científico: Lepidochelys olivacea
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)
Localização: Amapá / Guiana Francesa / Suriname

Tartaruga-Pequena
Tartaruga-Pequena

7. Nome Comum: Boto-Cachimbo (Toninha, Franciscana)

Nome Científico: Pontoporia blainvillei
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)
Localização: Espírito Santo

Boto-Cachimbo
Boto-Cachimbo

8. Nome Comum: Peixe-Boi-da-Amazônia (Guaraguá, manatim)

Nome Científico: Trichechus inunguis
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)
Localização: Floresta Amazônica

Peixe-Boi-da-Amazônia
Peixe-Boi-da-Amazônia

9. Nome Comum: Peixe-Boi-Marinho

Nome Científico: Trichechus manatus
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)
Localização: Nordeste do Brasil

Peixe-Boi-Marinho
Peixe-Boi-Marinho

10. Nome Comum: Tartaruga-Tigre (Tartaruga-Verde-e-Amarela)

Nome Científico: Trachemys dorbigni
Estado de Conservação: NT (Quase Ameaçada)
Localização: Banhado do Taim (Rio Grande do Sul)

Tartaruga-Tigre
Tartaruga-Tigre

11. Nome Comum: Tartaruga-da-Amazônia

Nome Científico: Podocnemis Expansa
Estado de Conservação: NT (Quase Ameaçada)
Localização: Floresta Amazônica

Tartaruga-da-Amazônia
Tartaruga-da-Amazônia

12. Nome Comum: Boto-Cor-De-Rosa (Boto-Vermelho, Cabeça-de-Balde)

Nome Científico: Inia geoffrensis
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)
Localização: Floresta Amazônica

Boto-Cor-De-Rosa
Boto-Cor-De-Rosa

13. Nome Comum: Pato-Mergulhão

Nome Científico: Mergus octosetaceus
Estado de Conservação: CR (Em Perigo Crítico)
Localização: Tocantins

Pato-Mergulhão
Pato-Mergulhão

14. Nome Comum: Cágado-da-Paraíba (Cágado-de-Hogei)

Nome Científico: Mesoclemmys hogei
Estado de Conservação: CR (Em Perigo Crítico)
Localização: Minas Gerais

Cágado-da-Paraíba
Cágado-da-Paraíba

Conheça As Principais Causas Que Levam Várias Espécies à Eminente Extinção

1. Poluição

Afinal, por que existem tantas espécies em extinção no Brasil? A principal causa é a mais conhecida, que é a poluição, que afeta diretamente e indiretamente os animais, tanto os terrestres quando os aquáticos.

A quantidade de lixo produzida pelo ser humano que não vai para a destinação correta, acaba parando nos rios, que são levados pelas correntezas até a lugares que não imaginaríamos.

Poluição no Mar
Poluição no Mar

Muitos animais marinhos encontrados mortos já foram constatados terem sido vítimas do plástico, onde, principalmente as tartarugas, confundem com presas e acabam ingerindo esses lixos, sendo sufocadas.

Quando se trata das tartarugas, a questão dos canudos vem à tona. E por que existe essa relação entre canudos e tartarugas? Simplesmente pelo fato de que o canudo é um item minúsculo que traz um impacto catastrófico para o meio-ambiente.

Os canudos são os objetos mais encontrados em qualquer ação de limpeza mundial, e toda a questão de sua produção vem à tona, pois são utensílios que exigem uma logística enorme para serem produzidos, para serem usados tão brevemente e serem descartados de maneiras tão simples, como se não fossem nada, quando na verdade estão atuando veementemente para a poluição do Planeta Terra.

2. Degradação Ambiental

Degradação Ambiental
Degradação Ambiental

O segundo maior fator que extermina as espécies aquáticas no Brasil é a degradação do meio ambiente onde os animais estão inseridos.

Construções de hidrelétricas, rodovias e portos são os maiores fatores que interferem de forma fatal no extermínio de várias espécies de animais.

3. Caça Predatória

Por incrível que pareça, o ser humano ainda compactua com a morte ilegal de vários animais, não importando se esses animais estão ameaçados de extinção ou não.

Em muitos casos, os animais em estados mais críticos de extinção só chegaram nesse ponto devido à soma de vários fatores, onde a caça predatória exerce bastante influência.

Alguns animais marinhos, além de servirem como alimento, são predados para serem consumidos de várias outras formas, como a extração de gordura, óleo e até mesmo de matérias que podem ser usadas em confecções, como os cascos das tartarugas.

Caça Predatória - Marinha
Caça Predatória – Marinha

4. Não-Preservação De Espécies Endêmicas

Um outro fator que eleva determinadas espécies de animais aquáticos no índice de extinção, são as espécies endêmicas, que são animais que só existem em uma determinada região específica do mundo, não sendo encontrada em nenhum outro lugar.

Por si só, o endemismo vincula as espécies de animais e plantas à extinção, e somar esse fator com a poluição e caça predatória só nos dá um tipo de conclusão, que é a extinção completa das espécies.

5. Envenenamento das Águas

Essa é uma razão que está atrelada à poluição, mas merece ênfase pelo fato de que muita contaminação é dispersada nos mares, e áreas quilometrais são afetadas primeiramente, e essas áreas nocivas se dispersam para lugares infindos que adentram os mínimos resquícios oceânicos.

Além de várias espécies morrerem com o contato direto com venenos dispersados pelos humanos, vários outros animais marinhos consumirão resquícios de venenos que serão confundidos com plânctons, e esses peixes serão comidos por outros animais, dispersando assim o veneno para criaturas que estão até mesmo fora do mar, como o ser humano, por exemplo.

Estudos apontam que a presença de mercúrio nos peixes é cada vez mais alta, e espécies como a cavala e o tubarão (vendida como carne de cação) vem sido cada vez mais proibidos de serem consumidos.

Veja também

Estudantes de Ecologia

Técnico em Ecologia

O técnico em ecologia é a pessoa que desempenha várias tarefas técnicas no campo e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *