Home / Natureza / Cânion do Xingó Onde Fica

Cânion do Xingó Onde Fica

Área muito popular de turismo, o cânion de Xingó vem atraindo aventureiors e curiosos de todas as partes do mundo para vislumbrar suas paisagens e passear nos catamarãs.

Onde Fica o Cânion de Xingó

O cânion do Xingó é uma barragem de gravidade no rio São Francisco, na fronteira dos dois estados de Alagoas e Sergipe, perto da antiga cidade de Piranhas. A barragem foi construída entre 1987 e 1994 e a usina foi concluída em 1997.

A usina geradora adjacente produz 3.162 MW, foi projetada pela Promon e contém 6 × 527 MW através de turbinas Francis que foram fabricado pela Siemens. A usina poderia ter quatro outros locais para turbinas, o que hipoteticamente permitiria aumentar sua capacidade para 5.270 MW.

A barragem de Xingó tem 830 m de comprimento e 140 m de altura. A barragem tem um vertedouro com capacidade de 33.000 m³/se nada menos que doze eclusas. O reservatório da represa tem um volume de 3,8 km 3 e uma área de 60 km 2.

Construção Humana

Os estudos para a barragem que formou o cânion de Xingó foram feitos na década de 1950 e os contratos de construção não foram concedidos até 1982. A construção da barragem começou em março de 1987, mas parou em setembro de 1988 porque a crise da dívida paralisou o financiamento.

A construção começou novamente em 1990 e, em 1994, a barragem estava completa. Em junho de 1994, a barragem começou a apreender o rio quando seu reservatório começou a encher. Em novembro daquele ano, o reservatório atingiu seu nível máximo de 130 metros. O primeiro gerador da usina foi comissionado em dezembro de 1994, os dois seguintes em 1995, mais dois em 1996 e o ​​gerador final em agosto de 1997.

A Barragem da Usina

O Xingó é uma represa rochosa de 830 metros de altura e 140 metros de altura. Ela contém cinco zonas de 12.900.000 metros cúbicos de aterro, principalmente granito. Quatro barragens de selas (diques) também são usadas para apoiar o reservatório. Diretamente a nordeste da represa está seu vertedouro com 12 comportas e uma capacidade máxima de 33.000 metros cúbicos por segundo.

A represa suporta um reservatório com capacidade para 3,8 quilômetros cúbicos, área de superfície de 60 quilômetros quadrados e área de captação de 630.000 quilômetros quadrados. Parte do reservatório e os cânions a montante do Complexo Hidroelétrico de Paulo Afonso estão protegidos pelos 26.736 hectares do Monumento Natural do Rio São Francisco.

A Cidade Mais Próxima

Piranhas é um município histórico próximo ao limite oeste do estado de Alagoas, na região Nordeste do Brasil. Localizado às margens do rio São Francisco, na fronteira com o Estado de Sergipe, Piranhas era originalmente chamado de Floriano Peixoto. Também era conhecido como Porto de Piranhas, porque pescadores pegavam piranhas (um peixe predador carnívoro) naquela região.

Hoje, as Piranhas podem ser alcançadas de barco a partir de vários portos ao longo do São Francisco, ou de carro, por uma estrada asfaltada de Maceió (AL-225).

O município detém parte dos 26.736 hectares do Monumento Natural do Rio São Francisco, que protege os cânions do rio São Francisco entre o Complexo Hidroelétrico de Paulo Afonso e o cânion de Xingó.

Esportes aquáticos como catamarãs, veleiros e canoas estão disponíveis em praias fluviais e lagos, bem como passeios ao longo do São Francisco usando típicos barcos a vapor (gaiolas). Várias cachoeiras, o próprio rio, a caatinga semiárida e áspera, as estranhas formações rochosas e os desfiladeiros do rio são visíveis.

Monumento Natural do Rio São Francisco

O Monumento Natural Rio São Francisco engloba os estados brasileiros de Alagoas, Bahia e Sergipe. Protege uma seção de desfiladeiros dramáticos no rio São Francisco e no ambiente da caatinga, apoiando o turismo e o ecoturismo. Envolve uma área com mais de 26.000 hectares.

A unidade de conservação se estende ao longo do rio São Francisco da ponte entre Alagoas e Bahia logo abaixo do Complexo Hidrelétrico de Paulo Afonso até o norte da Barragem de Xingó, acima de Canindé de São Francisco. É em partes dos municípios de Delmiro Gouveia, Olho d’Água do Casado e Piranhas em Alagoas, Paulo Afonso na Bahia e Canindé de São Francisco em Sergipe.

A área do monumento natural é semi-árida, com vegetação típica da caatinga, e sujeita a desertificação. Possui formações de arenito com mais de um bilhão de anos, que possuem flora própria e espécies endêmicas. Estes incluem a ararinha azul ameaçada de extinção (primolius maracana) e um recentemente relatado lagarto do gênero mabuya.

O Monumento Natural do Rio São Francisco foi criado por decreto em junho de 2009 e é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. É classificado como categoria III da área protegida da IUCN (monumento ou característica natural). O objetivo é conservar a natureza com seu ecossistema de alta importância ecológica e beleza impressionante, tornando possível estudos científicos e orientação ecológica, além de recreação e o contato com a natureza através do turismo.

O monumento protege os cânions do rio São Francisco, como o cânion de Xingó e as rochas do complexo Malhada Grande/Rio do Sal em Paulo Afonso. O monumento não expropriou a terra e esperava-se que reforçasse o turismo sustentável e o ecoturismo. A mineração é permitida na zona de amortecimento.

Pesca no Rio São Francisco
Pesca no Rio São Francisco

A pesca sustentável e a agricultura de baixo impacto podem continuar em áreas onde essas atividades foram praticadas no passado, sujeitas ao plano de manejo da unidade de conservação. A liberdade de navegação no rio é mantida, também sujeita ao plano de manejo. O turismo tornou-se uma importante indústria local. Os turistas podem fazer passeios de barco pelos magníficos cânions do rio.

A Importância na Economia

É válido destacar como o crescimento do turismo pelos cânions do rio São Francisco trouxe desenvolvimento econômico para as regiões do entorno, em especial a cidade de Canindé no estado de Sergipe que ganhou ainda mais expressão mundial após as gravações de material televiso popularizando ainda mais o turismo na região.

Os maiores rendimentos econômicos do município eram provenientes das plantações de milho, tomate, feijão e algodão. E também era auxiliado pela criação do gado, de cabritos, e de aves como galinhas e patos. Hoje, a atividade turística na região do cânion de Xingó também representa uma boa parcela positiva para a economia local.

Atualmente, um das principais receitas da economia do município é o turismo. O Vale dos Mestres com sua mata virgem, cavernas de pinturas rupestres milenares, com suas rochosas naturalmente artísticas, além dos cãnios populares tornaram-se atrações visadas contribuindo muito para o desenvolvimento de cidades como essa no entorno do Monumento Natural do Rio São Francisco.

Veja também

Um Solo Argiloso Pode ser Humífero?

Quem mexe com jardinagem encontra alguns impasses pelo caminho. Um deles é justamente este: o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *