Home / Natureza / Base do Vulcão Villarica

Base do Vulcão Villarica

O vulcão Villarica localizado no Chile é considerado por muitos como participante da lista dos vulcões mais ativos do mundo, embora ainda esteja atrás de vulcões mais famosos do cenário atual, a exemplo do vulcão Kilauea (Havaí), Tungurahua (Equador), Rabaul (Papua Nova guiné), Sakura Jima (no Japão), dentre outros.

No entanto, ainda sim, o vulcão de Villarica detém o título de vulcão mais ativo da América Latina. Embora, este título assuste alguns, para outros turistas, o fato se torna um atrativo a mais, fazendo com que as práticas de escalada sejam realizadas com bastante frequência.

A última erupção deste vulcão data do ano de 2015. Durante os episódios eruptivos, é comum que nas ravinas (ou seja, nos barrancos rochosos formados pela erosão) estruturadas perto de florestas na base do vulcão, seja possível visualizar o percurso da lava.

Neste artigo, serão descritas algumas características deste vulcão tão fascinante, assim como as características da base do vulcão, também conhecida como sopé.

Então, venha conosco e boa leitura.

Vulcão Villarica: Características

A altura do vulcão Villarica corresponde a 2847 metros de altitude. Este vulcão é caracterizado como um vulcão estromboliano, ou seja, medianamente explosivo, com lavas do tipo efusivas e mistas. Em relação ao formato cônico, o vulcão Villarica é considerado um estratovulcão.

As erupções medianamente explosivas, frequentemente, também ejetam cinzas e partículas denominadas bagacinas, na forma incandescente. As bombas vulcânicas também podem estar presentes, e, neste caso, os materiais vulcânicos são ejetados até mesmo a centenas de metros de altura.

As partículas bagacinas, na verdade são rochas ou fluxos piroclástico de pequena dimensão, entre 2 e 64 milímetros.

Em algumas circunstâncias, podem ocorrer fluxos de lava na forma mais efusiva, ejetando pequeno ou médio volume de material vulcânico.  Nesses tipos de fluxo de lava é capaz de haver formação de cones vulcânicos.

O vulcão Villarica é um vulcão imponente e que pode ser visto em vários ângulos da cidade de Pucón. Também é comum visualizar uma fumaça constante liberada a partir de seu cume.

Vulcão Villarica: Localização Geográfica

O vulcão Villarica está localizado no estado do Chile, próximo à cidade de Pucón, mais precisamente na Cordilheira dos Andes, dentro de uma área de preservação ambiental chamada de Parque Nacional Villarica.

A cidade Chilena Pucón está 780 Km do sul da capital do país (Santiago). Pertence à província de Cautín, região de Araucanía. O termo província usado no Chile designa estruturas territoriais semelhantes aos estados (termo utilizado no Brasil).

A cidade de Pucón é conhecida por suas belezas naturais, responsáveis por atrair um grande número de turistas. para prática de modalidades esportivas, a exemplo do esqui-aquático, snow-board, rafting e trilhas.

A cordilheira dos Andes é uma cadeia montanhosa de longa extensão, tendo aproximadamente 8 Km de comprimento, se estende da Venezuela à Patagônia. Tem uma altitude média elevada (muito maior do que a altitude do próprio vulcão Villarica), geralmente de 4000 metros. A altitude máxima é registrada pelo Monte Aconcágua, com 6962 metros.

O Parque Nacional de Villarica é uma área de preservação ambiental que abrange os vulcões de Villarica, Quetrupillan e Lanin. Uma curiosidade importante é que o vulcão Lanin está presente na fronteira entre a Argentina e o Chile, portanto ele pode ser considerado pertencente a esses dois países.

Vulcão Villarica: Etimologia

Há um povo ameríndio que habita determinadas localidades do Chile e da Argentina, que se chama mapuche.

No idioma mapuche local, o nome original do vulcão Villarica é “Rucapillán”, o qual significa “casa do diabo”.

Este nome provavelmente foi atribuído em razão da intensa atividade e várias erupções já registradas.

Vulcão Villarica: Histórico de Erupções

Até hoje, o vulcão Villarica contabiliza 59 erupções registradas, incluindo a última delas em 3 de Março de 2015.

A erupção de 1984 foi tão intensa que demandou o remanejamento da população de Pucón, mesmo com a lava não atingindo a cidade.

Base do Vulcão Villarica

Na base do vulcão, entre os meses de Julho a Setembro (período do inverno) há um centro de ski operante para turistas. A infraestrutura do local é formada por 6 teleféricos, além de 20 pistas de snowboard e esqui para diversos níveis de habilidade. Também há bares, restaurantes e áreas para realização de atividades infantis.

É na base do vulcão Villarica que se inicia o movimento de escalada em direção ao cume, logo muitos turistas se concentram por lá e a criação de uma infra-estrutura apropriada é fundamental.

Vulcão Villarica: Dicas Para a Escalada

A visita e escalada turísticas ao vulcão são liberadas e regulamentadas pelo governo local. O primeiro registro de escalada ocorreu no ano de 1930.

Acredita-se que em meses de alta temporada, o vulcão conte com a visitada de aproximadamente 400 turistas.

Mesmo sendo regulamentada, a escalada só pode ser realizada com a presença de um guia credenciado, exceto para turistas que possuam o certificado da Federação de Andismo do Chile.

Em geral, as escaladas começam cedo (entre 6 hs e 7 hs da manhã, aproximadamente), por isso é importante fazer uma visita à agência no dia anterior, para testar o equipamento com antecedência.

O máximo de pessoas por grupo de escalada é 12, porém neste caso também é necessário dividir o grupo principal em 3 grupos com 4 pessoas cada.

São aproximadamente 4,8 Km a serem percorridos na subida, demandando um tempo entre 3 a 5 horas, dependendo do ritmo do grupo. Lembrando que as escaladas de qualquer natureza devem ser realizadas em passos lentos, com momentos programados de parada.

A descida costuma ser mais rápida, especialmente quando há neve no local. Levando um tempo médio de 2 horas.

O valor médio de pagamento para a escalada é de 450 reais (equivalente a 90 mil pesos chilenos). Neste valor está incluso a presença do guia (é aconselhável um guia profissional para cada 3 pessoas); a entrada do parque Nacional de Villarica; transporte de ida e volta do hotel à base d vulcão, seguro de vida; e o aluguel do equipamento, composto por botas impermeáveis para escalada, capacete, máscara de gás, bandana, calça impermeável, luvas e mochila.

A época do ano com melhores condições climáticas para a subida é durante o verão, pois nesse período o teleférico está funcionando e o trajeto possui menos neve. No entanto, o verão é considerado o período de alta temporada, no qual os preços estão mais elevados e a quantidade de turistas no local é maior.

*

Agora, que você já conhece um pouco mais sobre esse importante ponto turístico geológico do Chile, que tal continuar navegando pelo site e conhecer outros artigos também?

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

NORONHA, J. Vulcão Villarica: A jornada ao cume do vulcão mais ativo da América do Sul. Disponível em: <http://paraondefomos.com.br/vulcao-villarrica-pucon-mais-ativo-america-sul/>;

Volcán Villarrica. La erupción de 1984-1985. Disponível em: < http://www.povi.cl/files/h_1984.pdf>.

Veja também

A Importância do Ar Para a Saúde

A importância do ar para a saúde está no fato de que é nele que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *