Home / Natureza / Animal Em Extinção No Pantanal Existe?

Animal Em Extinção No Pantanal Existe?

O Pantanal é um dos principais biomas do Brasil, assim como o Cerrado e a Mata Atlântica, e é um ambiente reconhecido pelas paisagens lindas sempre cobertas por águas.

O pantanal é o perfeito equilíbrio para a convivência de aves e animais marinhos, dividindo um único ambiente ao mesmo tempo, já que o pantanal é reconhecido com a maior área de zona úmida do mundo.

Sua maior extensão se localiza dentro do Brasil, no Mato Grosso do Sul, mas por ser extremamente grande, o pantanal adentra regiões da Bolívia e do Paraguai.

Estima-se que o pantanal possua cerca de 180 mil quilômetros quadrados, abrigando milhares de espécies de animais, compostos por mamíferos, aves e animais marinhos.

O nome oficial do pantanal é Pantanal Matogrossense, uma estrutura natural reconhecida como um bioma brasileiro, a partir do momento em que se sabe que há vários outros pantanais localizados no Brasil e no mundo, chamados, na verdade, de pântanos, ou até mesmo de outros nomes como charneca, lodaçal, atoleiro, brejo, mangue ou manguezal.

Diferença Entre Pantanal e Pântano

A diferença entre o pantanal e demais pântanos é que o pantanal funciona como um sistema único, possuindo seus próprios animais e plantas características somente desse bioma, ou seja, é uma estrutura que existe naturalmente, podendo ter períodos de cheias e de secas, e por possuir animais que só conseguem viver nesse bioma.

Os pântanos são regiões ao redor do mundo que se localizam em lugares onde a água da chuva não escoa (ou escoa com muita dificuldade), se tornando, dessa forma, alagada, por isso é chamada de lamaçal ou brejo, por exemplo.

Não tem uma característica necessariamente natural, apesar de ocorrer por intermédio da mesma. Suas extensões são pequenas e o solo não é saudável, pois não possui oxigênio, e as únicas criaturas que vivem na água são os animais de respiração cutânea.

Assim como qualquer bioma existente, todos serão vítimas de ações de pessoas que atuam de forma ilegal na caça de animais exóticos, na extração de recursos naturais proibidos e na expansão territorial que ocasiona o desmatamento e a poluição das águas.

Esse é um dos principais motivos por várias espécies de animais estarem ameaçadas de extinção, tanto no pantanal quanto em vários outros biomas do País.

No Pantanal existem cerca de 650 espécies de aves, 1.100 espécies de borboletas, 124 espécies de mamíferos e 263 espécies de peixes.

É importante lembrar que esses números não se referem apenas ao Brasil, mas parte da Bolívia e do Paraguai também.

10 Espécies Ameaçadas de Extinção No Pantanal

Confira os animais que estão na lista de espécies que dentro de alguns anos podem sumir para sempre da natureza.

1. Arara-Azul-Grande (Anodorhynchus hyacinthinus): VU (Vulnerável)

É uma arara que já esteve mais próximo da extinção, mas esforços ecológicos conseguiram resgatá-la dessa cena e em 2014 ela deixou de ser considerada uma espécie ameaçada no Brasil. Porém, se não houver controle por parte das organizações, é possível que a arara-azul retorne a ficar em perigo.

2. Cascudo-Cego (Ancistrus formoso): VU (Vulnerável)

Cascudo-Cego
Cascudo-Cego

Poucas informações sobre esse peixe, que se comporta de maneira agressiva e vive dentro de caverna submersas a mais de 20 metros de profundidade.

3. Cervo-do-Pantanal (Blastocerus Dichotomus): VU (Vulnerável)

Podendo chegar a 127 centímetros de altura e 125 kg, o cervo-do-pantanal teve muito de seu habitat consumido para a construção de usinas hidrelétricas, e hoje sua conservação é observada à risca por instituições como a Estação Ecológica Jataí.

4. Onça-Pintada (Panthera onca): NT (Quase Ameaçada)

A principal razão por ser considerada quase ameaçada é devido a expansão territorial e, consequentemente, a caça ilegal. Muitos agricultores matam as onças que invadem suas terras.

5. Anta-Brasileira (Tapirus terrestris): VU (Vulnerável)

São animais que sofrem com a caça predatória, e além desse fator determinante, a anta possui um ciclo lento de reprodução.

6. Ariranha (Pteronura brasiliensis): EN (Em Perigo)

Ariranha
Ariranha

Um animal que vive nas águas do pântano, e por isso está em estado alarmante de conservação, já que a poluição dos rios e destruição de seu habitat atuam como fatores determinantes para seu desaparecimento.

7. Tamanduá-Bandeira (Myrmecophaga tridactyla): VU (Vulnerável)

Tamanduá-Bandeira
Tamanduá-Bandeira

É um animal que tem se tornado raro em ser visto em ambientes naturais, como o Pantanal e o Cerrado, mas vive em largas distribuições em Parques Nacionais.

8. Cachorro-Vinagre (Speothos venaticus): NT (Quase Ameaçada)

Cachorro-Vinagre
Cachorro-Vinagre

Assim como a ariranha, o cachorro-vinagre tem habilidades em nadar e correr, passando grande parte do tempo na água, que cada vez mais tem se tornado contaminada.

9. Lobo-Guará (Chrysocyon brachyurus): NT (Quase Ameçada)

É um canídeo endêmico da América do Sul, habitante do Cerrado e do Pantanal brasileiro, criado em cativeiro em outros Países sul-americanos. Já esteve em maior risco de extinção.

10. Porco-do-Mato (Tayassu pecari): VU (Vulnerável)

 Porco-do-Mato
Porco-do-Mato

Também conhecido como Queixada, é um mamífero habitante da América Central e América do Sul. Já está extinto em Países como El Salvador e em alguns Estados do Brasil, como Pernambuco e Alagoas.

Confira também as AVES EM EXTINÇÃO NO PANTANAL.

Espécies Invasoras no Pantanal

É comum que alguns animais sejam inseridos em um ambiente não-natural, para que os mesmos se reproduzam e também trabalhem na labuta diária de compensação humana, como na lavoura ou para abate, em regiões que vem consumindo áreas naturais de biomas diversos.

Em muitos casos, há uma adaptação positiva dos animais em um ambiente diferente como o pantanal, mas algumas espécies demonstram aspectos negativos, onde os mesmos podem interromper o desenvolvimento da fauna ou predar animais exóticos e endêmicos, quando, naturalmente, tais animais não possuiriam predadores ávidos.

Essa ação de animais e até mesmo plantas, caracteriza-os como espécies invasivas, seja ela doméstica ou silvestre.

As espécies invasoras, na maioria dos casos, atuam negativamente para o desenvolvimento da biodiversidade de algum bioma, ficando atrás apenas do consumo de território natural e nocividade ao meio-ambiente (ambas por ação humana).

Espécies Invasoras no Pantanal - Javali
Espécies Invasoras no Pantanal – Javali

Os interesses econômicos do homem trazem espécies para ambientes diferentes e dentro de pouco tempo a biodiversidade vai sendo afetada, e isso ocorre de várias maneiras, onde, por exemplo, alguns animais silvestres já foram identificados com doenças provenientes de animais domésticos, ou plantas ornamentais, que tendem a ser invasora, acabam consumindo nutrientes de plantas locais.

Um dos principais animais que desiquilibram a balança natural é o javali, que mesmo em locais onde exista naturalmente, o macho adulto da espécie precisa ser controlado, devido a sua característica invasiva. O javali consome plantações inteiras e predam animais domésticos, além de fazerem bastante sujeira devido ao alto número dentro de um bando, espalhando doenças que se alastram facilmente.

Conheça mais sobre os javalis acessando CARACTERÍSTICAS DO JAVALI.

Veja também

A Importância do Ar Para a Saúde

A importância do ar para a saúde está no fato de que é nele que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *