Home / Animais / Tempo de Vida da Foca

Tempo de Vida da Foca

As focas são mamíferos encontrados no Hemisfério Norte, particularmente na regiões temperadas e polares. Fisicamente, é classificada como um animal pinípede, ou seja, que possui o corpo em formato de pena, ou de torpedo, tal como ocorre no caso do leão-marinho e das morsas.

Registros ancestrais dos pinídeos datam de 27 milhões de anos atrás. As focas são animais adaptados à vida marinha e estruturalmente hidrodinâmicos. São excelentes nadadoras (muito mais que os leões-marinhos, or exemplo), no entanto possuem pouca habilidade em terra firme, o que, infelizmente, as torna alvos fáceis para predadores como os urso-polares, além de caçadores que porventura possam estar presente no seu hábitat.

A caça às focas tem como finalidade a obtenção da pele, gordura, ossos e carne do animal. Muitas focas são mortas com tiros de rifle, outras com instrumentos chamados hakapik (que na verdade são martelos com foice serrilhada). Muitos ambientalistas alertam para esta prática, pois a maioria das focas abatidas (cerca de 95 %) são filhotes com menos de 3 meses de idade.

Neste artigo, você conhecerá algumas características da foca e curiosidades adicionais, tais como o seu tempo de vida.

Então venha conosco, e boa leitura.

Classificação Taxonômica da Foca

A foca pertence ao Reino Animalia, Filo Chordata, Classe Mammalia, Infraclasse Placentária, Ordem Carnívora, Superfamília Pinnipedia, Família Phocidae. A nomenclatura Phocidae foi atribuída pelo zoólogo Gray, no ano de 1821. A foca comum recebe o nome científico de Phoca vitulina, a qual também possui quatro variações e/ou subespécies.

Conhecendo os Animais Pinípedes

A Superfamília Pinnipedia engloba animais chamados de pinípedes, a exemplo das focas, leões-marinhos, lobos-marinhos e morsas. O leão-marinho é o maior representante desta classificação, pois mede 4 metros de comprimento e pode pesar, até mesmo, 2 toneladas.

O lobo-marinho pertence à mesma família do lobo marinho (Família Otariidae) e são animais em risco de extinção que habitam ilhas desertas e locais de difícil acesso.

O macho adulto da morsa pode ter pode ter um comprimento muito próximo ao registrado para o leão-marinho, ao passo que as fêmeas medem, em média, 2,60 metros de comprimento. Além dos bigodes e grande volume corporal, uma característica física marcante deste animal são as presas proeminentes e destacadas. A morsa pode ser encontrada no Ártico e pertence à Família Odobenidae.

Subespécies da Foca Comum

As subespécies da foca comum (Phoca vitulina) são a Phoca vitulina vitulina, a qual pode ser encontrada no Leste do Oceano Atlântico, mais precisamente na faixa que vai de Portugal ao Ártico, incluindo no trajeto a Islândia e a Groelândia;  a Phoca vitulina concolor é encontrada na faixa que vai do centro do Oceano Atlântico ao Ártico do Canadá. Ao leste do Oceano Pacífico, está presente a Phoca vitulina richardsi, a qual compreende uma faixa que se inicia no Centro da Califórnia, até o México e as ilhas Aleutas. No Oeste do Oceano pacífico, mais precisamente do Japão à Península de Kamchatka, pode ser encontrada a Phoca vitulina stejnegeri.

Características Físicas

O comprimento médio da foca é de 1,75 metros, e o peso costuma estar compreendido entre 80 a 100 quilos. Os machos frequentemente são maiores, atingindo 2 metros de comprimento.

Fisicamente, ela possui um corpo robusto e alongado e uma cabeça pequena. Na face, há alguns pêlos próximos ao focinho e aos olhos. Não há orelhas, mas, em contrapartida, há alguns orifícios posicionados atrás dos olhos que conduzem ao pavilhão auditivo.

 Phoca vitulina stejnegeri.
Phoca vitulina stejnegeri.

Além dos pequenos pêlos em destaque na face, há pêlos grossos e curtos distribuídos pelo corpo. Possuem nadadeiras curtas. Todos os dedos apresentam garras longas e finas.

Os filhotes apresentam uma coloração mais escura que os adultos, frequentemente em tom cinza prateado, a qual permanece durante algumas semanas após o nascimento.

Espécies de Foca

Além da foca comum (Phoca vitulina) e de suas subespécies, existem várias outras espécies de foca. No entanto, a maioria delas já está extinta ou inclusa na condição de vulnerabilidade.

Algumas dessas outras espécies são a foca anelada (Pusa hispida), foca barbuda (Erignathus barbatus), foca caranguejeira (Lobodon carcinophagus), foca cinzenta (Halichoerus grypus), foca-da-Groelândia (Pagophilus groenlandicus), foca-de-crista (Cystophora cristata), foca-de-Ross (Ommatophora rossii), foca de Weddell (Leptonychotes weddelli), foca-do-Mar-Cáspio (Pusa caspisa), foca-leopardo (Hydrurga leptonyx), foca-monge-das-caraíbas (Monochus tropicalis), foca-monge-do-Havaí (Monachus schauinslandi), foca-monge-do-Mediterrâneo (Monachus monachus), Nerpa (Pusa sibirica) e foca de bandas (Phoca fasciata).

Há muita variação no padrão de coloração cinza entre as espécies, a foca-da-Groelândia, por exemplo, possui cor completamente branca. Lembrando que outras características físicas das espécies acima também são diferentes em relação às características da foca comum, já apresentadas neste texto.

Padrões de Comportamento

Em relação aos hábitos alimentares, a foca é um animal carnívoro e se alimenta de peixes e moluscos cefalópodes (classificação que inclui os povos e lulas).

Em relação aos padrões reprodutivos, o acasalamento ocorre dentro da água, sendo caracterizado pela interação de vários machos com várias fêmeas.

No mar, a foca pode ser vista nadando sozinha ou em pequenos grupos. No entanto, em terra, é vista em conglomerados nos locais de fácil acesso à agua (especialmente nos locais de fácil acesso à água).

Tempo de Vida da Foca

O tempo de vida da foca é de 25 a 35 anos. No entanto, algumas populações sobrevivem até 50 anos. Esse tempo é considerado quando não há interrupção por atividade predatória ou de caça, lembrando que a maioria das focas caçadas são filhotes com menos de 3 meses de idade.

Fatores de Vulnerabilidade

Além da caça da foca, principalmente para fins alimentares (tal como ocorre desde a pré-história) e para o suprimento da indústria têxtil (aproveitamento da pele do animal), outros fatores vêm contribuindo para que o número de indivíduos diminua, contribuindo para que seja citada pela IUCN Red List como uma espécie em situação de vulnerabilidade.

Entre estes outros fatores está incluso a contaminação dos oceanos com componentes tóxicos, e outras situações de desastre ambiental, tais como o derretimento das geleiras (consequência do efeito estufa). O vírus da cinomose também contribuiu para que, aproximadamente, 18.000 focas presentes na europeu fossem dizimadas. Este vírus possui tropismo pelo sistema nervoso central e, é conhecido por gerar quadros de paralisia progressiva em cães.

*

Agora que você já conhece as características da foca e o seu tempo de vida, continue conosco e conheça outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

GARCIA, J. H. Pinípede. Infoescola. Disponível em: < https://www.infoescola.com/mamiferos/pinipedes/>;

LINO, S. I. Infoescola. Cinomose. Disponível em: < https://www.infoescola.com/medicina-veterinaria/cinomose/>;

Mundo animal. Curiosidades sobre focas. Disponível em: < http://mundoanimal.net.br/curiosidades-sobre-focas/>;

VIEIRA, C. A. Infoescola. Foca. Disponível em: < https://www.infoescola.com/mamiferos/foca/>.

Veja também

Queimadura de Piolho de Cobra

A Lei da Selva Desde de que a vida surgiu no planeta Terra, há 3,5 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *