Home / Animais / Papagaio de Porto Rico

Papagaio de Porto Rico

O papagaio de porto rico é o único papagaio nativo remanescente em Porto Rico e tem sido listado como criticamente ameaçado de extinção. Já foi tempo que sua espécie era abundante, mas a população declinou drasticamente a tal ponto que as centenas que hoje ainda existem são, em sua grotesca maioria, em cativeiro.

Amazona Vittata

O papagaio de porto rico é  um sobrevivente raro em todo o grupo de ilhas da região porto riquenha. Com média de 30 centímetros, o papagaio de porto rico é verde quase completamente. Apenas uma faixa vermelha na testa e círculos brancos ao redor dos olhos é o que lhe torna único. Acredita-se que seus parentes mais próximos sejam a amazona cubana e a amazônia hispaniolana.

O papagaio de porto rico atinge a maturidade sexual entre três e quatro anos de idade. Reproduz uma vez por ano e é um ninho de cavidade. Uma vez que a fêmea ponha ovos, ela permanecerá no ninho e incubará continuamente até a eclosão. Os filhotes são alimentados por ambos os pais e voam por 60 a 65 dias após a eclosão. A dieta deste papagaio é variada e consiste de flores, frutos, folhas, casca e néctar obtidos do dossel da floresta.

A espécie foi encontrada historicamente em florestas maduras ou antigas em Porto Rico em todas as elevações e em buracos, falésias e outros habitats diversos em altitudes mais baixas. As espécies poderiam ser encontradas em altitudes médias na Floresta Estadual de Guajataca e na Floresta Estadual do Rio Abajo, e em altas altitudes na Floresta Estadual de Carita. Contas do início dos anos 1900 descrevem os papagaios viajando da floresta de Luquillo e da Sierra de Cayey em direção à costa da ilha principal para encontrar comida. Ao mesmo tempo, a espécie foi extirpada das ilhas menores de Porto Rico, Culebra, Vieques e Mona, e ficou restrita a cinco localidades: duas em áreas de calcário cárstico, duas em florestas tropicais de alta montanha e uma em mangue ao pé da floresta nacional de El Yunque.

História Evolutiva

Não há evidência de que as Índias Ocidentais estivessem conectadas a um continente no passado, e assim as várias espécies de aves nativas são consideradas descendentes daquelas que emigraram para o Caribe em algum momento. Algumas espécies pequenas teriam encontrado problemas ao atravessar grandes massas de água, mas os papagaios têm força de voo e várias características comportamentais que facilitariam a dispersão “sobre a água”.

A maioria das espécies de aves do Caribe é originária das Américas Central, do Norte e do Sul. As espécies de Amazona encontradas no Caribe são divididas em dois grupos: cinco espécies de tamanho médio encontradas nas Grandes Antilhas e sete grandes espécies nas Pequenas Antilhas. Todas as amazonas das Antilhas Maiores exibem características que levam a suposições de parentesco, incluindo padrões de cores predominantemente verdes e anéis brancos ao redor dos olhos.

Comportamento e Dieta

Papagaios de Porto Rico Comendo
Papagaios de Porto Rico Comendo

O papagaio de porto rico é uma ave diurna, tipicamente iniciando seu dia meia hora depois do nascer do sol. Fica geralmente bem escondidinho quando dentro de seu ninho, usando sua plumagem verde como camuflagem. Em contraste, pode ser vocal e barulhento quando fora do ninho. Ao voar, seu padrão de cores fornece algum contraste com a floresta. O mecanismo de vôo desta espécie é semelhante ao encontrado em outras amazonas, e envolve derrames abaixo do eixo do corpo, ao contrário da maioria das aves cujas asas fluem acima de seus corpos em vôo.

As amazonas podem voar com velocidade moderada, atingindo uma velocidade máxima de aproximadamente 30 km/h e são bastante ágeis quando evitam predadores no ar. Quando em busca de comida, o grupo de papagaios ficam em pares. Casais e seus filhos jovens exibem uma tendência a permanecer juntos. A amazônia faz duas chamadas de voo, um grito de decolagem que consiste em um padrão de grasnidos longos e um “clarim” alto, comumente usado em vôo e que pode ter vários significados dependendo das circunstâncias em que é usado.

Como quase todas as amazonas, o papagaio de porto rico é herbívoro. Sua dieta consiste em flores, frutas, folhas, casca e néctar obtidos do dossel da floresta. A espécie foi registrada consumindo mais de 60 materiais diferentes, embora sua dieta fosse historicamente mais variada devido a sua maior abrangência. Normalmente, o papagaio de porto rico seleciona as frutas posicionadas diretamente em frente aos seus olhos, escolhendo-as uma de cada vez, com raras exceções. Quando se alimenta, usa um pé para pegar a comida. O papagaio de porto rico é bem calmo e lento ao se alimentar, levando em média de 8 a 60 segundos para consumir itens separados, um por um.

Entre os itens que consome estão o pericarpo das sementes da prestoea montana, dacryodes excelsa e matayba domingensis. Os frutos de marcgravia sintenisii, miconia sintenisii, clusia gundlachii e rheedia portoricensis. As flores de bejuco de rana, alchornea latifolia e piptocarpha tetrantha. As folhas e galhos de clusia grisebachiana, magnolia splendens, micropholis garciniaefolia e piptocarpha tetrantha. A casca de bejuco de rana, cupeillo e psychotria berteriana. E os botões de inga vera.

Como outras amazonas, o papagaio de porto rico é gregária ao realizar atividades diárias, mas territorial ao redor de seu ninho. O tamanho do território ao redor do ninho geralmente é de cerca de 50 metros. Os pares são extremamente cautelosos perto de seu ninho, geralmente se movendo lentamente ao sair do ninho para evitar a atenção dos predadores. Embora a defesa territorial seja composta principalmente de vocalizações altas, existem exemplos de combate físico real. Os pares defenderão seus locais de nidificação contra casais invasores, às vezes se concentrando na defesa do local em vez de colocar ovos.

Ovos de Papagaio de Porto Rico
Ovos de Papagaio de Porto Rico

Pares aninhados em áreas desabitadas por outros papagaios permanecerão em grande parte em silêncio, a menos que outros papagaios entrem na zona. Alguns pares podem exibir uma territorialidade moderada mesmo quando aparentemente não pretendem se aninhar, com essas tendências começando na segunda metade da estação reprodutiva. Uma hipótese é que isso ocorreria em pares jovens que ainda não atingiram a maturidade plena, servindo como “territorialidade da prática”.

Acasalamento e Reprodução

O papagaio de porto rico geralmente acasala para a vida toda, com pares que só mudam de parceiro quando uma ave perece ou abandona o ninho. Um macho pode abandonar a fêmea se esta for ferida, procurando outra mais saudável. O processo de pareamento é desconhecido, entretanto, novos pares tendem a participar de danças de acasalamento mútuo caracterizadas por arcos coordenados, extensão parcial das asas e expansão completa da cauda.

O papagaio de porto rico busca um ninho de cavidade secundária, aninhando-se em cavidades de tronco de árvore, ambas naturais e escavadas por outras espécies. Prefere se aninhar em árvores como cyrilla racemiflora, mas usa outras árvores, incluindo a magnolia splendens e o dacryodes excelsa, estes dois últimos em menor grau. Essas árvores são maduras formadoras de cavidades que fornecem proteção contra predadores e a entrada de água.

Recentemente, a espécie também tem se aninhado em caixas de madeira artificiais projetadas como parte do plano de recuperação da espécie. A altura do ninho varia de 7 a 15 metros acima do solo. O macho geralmente conduz a busca por locais de nidificação, embora a decisão final pareça ser tomada pela fêmea. Uma vez que o local é selecionado, o par gastará algum tempo inspecionando e limpando-o. Nenhum material de revestimento é adicionado ao ninho.

O papagaio de porto rico atinge a maturidade sexual aos 4 anos de idade na natureza e aos 3 anos em cativeiro. A espécie geralmente se reproduz uma vez por ano entre os meses de janeiro e julho (a estação seca). A cópula entre pares parece estar intimamente relacionada à transferência de alimentos, com isso possivelmente servindo como um gatilho para a relação sexual. Essas aves têm um padrão de cópula semelhante ao encontrado em outros papagaios nas Américas, com o macho segurando um poleiro com uma perna, colocando passivamente a outra nas costas da fêmea.

Acasalamento de Papagaio de Porto Rico
Acasalamento de Papagaio de Porto Rico

À medida que o tempo de postura se aproxima, o par passa mais tempo no ninho, com o macho fornecendo comida para a fêmea via regurgitação. A fêmea coloca 2 a 4 ovos que ela incuba exclusivamente por um período de 24 a 28 dias, enquanto o macho estará presente nas proximidades do ninho ao fornecer alimentos. As fêmeas só deixam o ninho em raras ocasiões envolvendo predadores repelentes ou se o macho não trouxe comida em um período prolongado. Os filhotes são alimentados por ambos os pais até que eles saiam do ninho, geralmente de 60 a 65 dias após a eclosão. No entanto, eles permanecem dependentes de seus pais e viajam com eles até a próxima estação reprodutiva.

Veja também

Queimadura de Piolho de Cobra

A Lei da Selva Desde de que a vida surgiu no planeta Terra, há 3,5 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *