Home / Animais / Papagaio Classificações Inferiores

Papagaio Classificações Inferiores

O papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva) é considerado a espécie de papagaio mais procurado em nosso país para domesticação. Os papagaios aestivas são exímios faladores e gostam de fazer algumas acrobacias, também são bastante ruidosos e brincalhões, por isso, para quem cria um papagaio como PET, é importante manter por perto alguns brinquedos e ramos de árvores. Convém lembrar que, como são aves silvestres, a criação doméstica demanda autorização pelo IBAMA.

No entanto, o papagaio-verdadeiro não é a única espécie do gênero Amazona, também existem outras classificações. Apenas no Brasil, são conhecidas 12 espécies. Essas espécies estão distribuídas em variados biomas, pois sete delas podem ser encontradas na Amazônia, duas na Caatinga, seis na Mata Atlântica, e três no Pantanal e no Cerrado.

Neste artigo, você conhecerá um pouco mais sobre o papagaio-verdadeiro e as demais espécies.

Então venha conosco, e boa leitura.

Classificação Taxonômica Geral

Os papagaios pertencem ao Reino Animalia, Filo Chordata, Classe das Aves, Ordem Psittaciformes, Família Psittacidae e Gênero Amazona.

Características Gerais da Família Psittacidae

A família Psittacidae abrange as aves mais inteligentes e com o cérebro mais desenvolvido. Elas apresentam a grande capacidade de imitar sons, possuem bicos altos e aduncos, além da mandíbula superior ser maior que a inferior e não totalmente ‘fixada’ ao crânio. A língua é carnosa e com bastante papilas gustativas.

Nesta família, estão inclusos os papagaios, araras, periquitos, tiriba, tuim, maracanã, entre outras espécies de ave.

Amazona Aestiva

O papagaio-verdadeiro mede de 35 a 37 centímetros, pesa 400 gramas e possuem uma incrível expectativa de vida de 60 anos, a qual pode se estender para os 80. No entanto, quando esta espécie é retirada da natureza, costuma viver até os 15 anos, em decorrência da alimentação errada.

Além do nome papagaio-verdadeiro, ele recebe outras denominações e também é chamado de papagaio grego, louro baiano, curau e papagaio baiano. A nomenclatura varia de acordo com o estado do país em que esteja inserido.

Sua coloração é predominantemente verde, no entanto possui algumas penas azuis na testa e acima do bico. A cara e a coroa também podem apresentar coloração amarelada. As extremidades superiores das asas são vermelhas. A base da cauda e o bico são de cor preta. De um indivíduo para outro, é possível que esses ‘padrões’ colorimétricos apresentem alguma variação. Papagaios mais jovens possuem cores menos vibrantes que as espécies mais velhas, principalmente na região da cabeça.

A maturidade sexual é atingida aos 5 ou 6 anos de idade, período no qual o papagaio procura um parceiro com o qual viverá pelo resto da vida. O ninho dos filhotes é preparado aproveitando o espaço oco das árvores Por desova, são liberados de 3 a 4 ovos, os quais medem 38 x 30 milímetros e são chocados durante 28 dias. Tanto a fêmea quanto o macho se revezam na chocagem desses ovos. Quando os filhotes completam 2 meses de vida, abandonam o ninho.

O papagaio-verdadeiro se alimenta de frutas, grãos e insetos, que frequentemente estão presentes nas árvores frugívoras que costumam visitar. É comum encontra-los invadindo pomares; e, como também são aves granívoras (que se alimentam de grãos), podem ser em encontrados em plantações de milho, girassol, entre outros.

Essa espécie uma diversidade de biomas, pois pode ser encontrada em matas secas ou úmidas; beiras de rios; campos e cerrados. Possuem uma grande preferência por áreas de palmeiras. A distribuição é bastante vasta ao longo do Brasil, abrangendo o nordeste do país (mais precisamente os estados da Bahia, Pernambuco e Salvador); o centro do país (Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais); na região sul (particularmente com o estado Rio Grande do Sul); além de países latinos vizinhos, a exemplo da Bolívia, Paraguai e Norte da Argentina.

Em ambiente doméstico, adoram se divertir pegando objetos, apoiando-se no dedo e nos ombros de seus cuidadores, além de andar e escalar. Também é importante acostumá-los ao convívio com a família. Uma recomendação para os cuidadores de papagaios é cortar pela metade as penas voadeiras de uma asa (de modo a evitar que fujam); além de preparar um abrigo noturno para eles, ondes estarão protegidos das correntes de ar frio e umidade.

Os papagaios-verdadeiro são extremamente barulhentos em bando. Recebem o título de espécie mais falante da família Psitacidae. As atividades de tráfico e desmatamento têm contribuído para que esta espécie diminua a sua população, no entanto, ainda não pode ser considerada ameaçada de extinção.

Demais Espécies de Papagaios Brasileiros

Por aqui existe o papagaio-charão (Amazona petrei); papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinacea), encontrado em zonas de matas ou até mesmo de pinhões; o papagaio-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis), o papagaio chauá (Amazona rhodocorytha); e outras espécies.

Abaixo, uma descrição das espécies Amazona amazonica e Amazona farinosa.

Papagaio-do-Mangue

O papagaio-do-mangue (Amazona amazonica), também chamado de curau, provavelmente foi a primeira a ser vista pelos portugueses ao chegar às nossas terras, visto que o seu hábitat natural são as florestas de várzea e os manguezais, tornando-os abundantes na zona litorânea brasileira.

A plumagem geral é verde, assim como ocorre com as outras espécies, no entanto, a marca na cauda é de coloração laranja e não vermelha, como ocorre no papagaio-verdadeiro. Esta espécie também é um pouco menor que o Amazona aestiva, medindo de 31 a 34 centímetros.

Possui duas subespécies, sendo elas a Amazona amazonica amazonica, a qual pode ser encontrada no Norte da Bolívia, nas Guianas, na Venezuela, no Leste da Colômbia e aqui no Brasil, na região sudeste; e a Amazona amazonica tobagensis encontrada no Caribe e nas ilhas de Trinidad e Tobago.

Papagaio-Moleiro

O papagaio-moleiro (Amazona farinosa) mede aproximadamente 40 centímetros, e também é conhecido como jeru e juru-açu. É considerado a maior espécie do gênero. A sua plumagem verde transmite a sensação de estar sempre revestida por um pó branco e muito fino, a cauda é longa e possui extremidade de cor verde-clara.

Possui três subespécies reconhecidas. A subespécie Amazona farinosa farinosa pode ser encontrada no Brasil, no Nordeste da Bolívia, nas Guianas, Colômbia e no Leste do Panamá.  Amazona farinosa guatemalae é prevalente do sudeste do México ao noroeste de Honduras, além da costa do Caribe. Enquanto que a Amazona farinosa virenticeps pode ser encontrado em Honduras e no extremo oeste do Panamá.

*

Depois de conhecer outras classificações do gênero Amazona, fique à vontade para continuar conosco e conhecer também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

BRASÍLIA. Ministério do Meio Ambiente. Papagaios do Brasil. Disponível em: <http://www.spvs.org.br/wp-content/uploads/downloads/2017/04/Cartilha_Papagaios-do-Brasil-2017.pdf>;

Qcanimais. Espécies de papagaios: conheça as principais aqui! Disponível em: <http://qcanimais.com.br/especies-de-papagaios-conheca-principais-aqui/>;

LISBOA, F. Mundo dos Animais. Papagaio Verdadeiro. Disponível em: <https://www.mundodosanimais.pt/aves/papagaio-verdadeiro/>;

Portal São Francisco. Papagaio verdadeiro. Disponível em: <https://www.portalsaofrancisco.com.br/animais/papagaio-verdadeiro>;

Wikiaves. Curica. Disponível em: <https://www.wikiaves.com.br/curica>;

Wikiaves. Papagaio-moleiro. Disponível em: <https://www.wikiaves.com.br/papagaio-moleiro>;

Wikiaves. Psittacidae. Disponível em: <https://www.wikiaves.com.br/psittacidae>.

Veja também

Animais Exóticos da Austrália

A Austrália é um país rico nos mais diversos âmbitos e sentidos da palavra. Nele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *