Home / Animais / Leopardo-do-Norte-da-China: Características

Leopardo-do-Norte-da-China: Características

As características do Leopardo-do-Norte-da-China (ou Panthera pardus japonensis) são as típicas de uma animal pertencente ao seleto grupo dos “Grandes Felinos”. Porém, dentro do gênero Pardhus, ele é considerado, na verdade, um curioso enigma, tal a sua raridade e dificuldade de ser encontrado, até mesmo em seu habitat natural.

O Japonensis habita as florestas de montanha, prados, planaltos e demais regiões da chamada China Setentrional.

Essa espécie já foi bastante comum em grandes trechos de regiões como Tianjin, Shanxi, da capital Pequim, Hebei, até mesmo em áreas do interior da Mongólia – mas sempre com a característica de uma animal solitário e de hábitos essencialmente noturnos.

O Leopardo-do-Norte é uma subespécie da Panthera pardus (o Leopardo Comum), com características semelhantes – inclusive nos hábitos alimentares -, já que dão preferência a uma boa carne de javali, renas, veados, pequenos roedores, cervos, antílopes, de ovelhas azuis, entre outros animais da região.

Fisicamente, ele assemelha-se ao seu parente mais próximo, o Leopardo-de-Amur. Ambas as espécies possuem uma altura que oscila entre 1,2 e 1,4m e peso entre 35 e 50 kg.

Ele também é conhecido por adaptar-se bem a regiões desolados, como as do Deserto de Gobi e da Mongólia Interior, por exemplo.

Leopardo-do-Norte-da-China
Leopardo-do-Norte-da-China

Nessas regiões, os Leopardos-do-Norte-da-China são (ou eram) conhecidos por passarem até 3 dias sem ingerir sequer uma gota d’água – além de resistirem como poucas espécies à fome -, para o azar da presa que acabasse cruzando o seu caminho durante esses longos e torturantes períodos de escassez de alimentos e de água.

Características do Leopardo-do-Norte-da-China

Dentre as principais características dos Leopardos-do-Norte-da-China, está o fato de que este apresenta uma pelagem sensivelmente mais volumosa do que a das outras espécies do gênero.

Fora isso, as suas características são as típicas da sua família: coloração amarela (com manchas escuras, semelhantes a rosetas), corpo avantajado, uma cauda que pode atingir um comprimento maior do que o seu corpo, patas curtas, além de um dimorfismo sexual que faz com que as fêmeas sejam geralmente 60% menores e menos pesadas do que os machos.

Eles também possuem garras imensas e extremamente afiadas, presas que são verdadeiras armas de guerra, uma beleza exótica e rústica (que os torna um dos símbolos da natureza selvagem), além de patas incrivelmente robustas, e que são capazes de destruir um animal de grande porte (como um antílope, por exemplo) em questão de minutos.

Com relação às suas habilidades como predador, chama bastante a atenção a sua capacidade de devorar animais com uma estrutura física 5 ou 6 vezes maior do que a sua.

Essa característica torna algumas variedades de primatas, cervídeos, ruminantes, ou mesmo animais de pequeno porte, presas fáceis e totalmente indefesas quando caem em suas poderosas garras.

Outra curiosidade acerca dos Leopardos-do-Norte-da-China, é que as suas inconfundíveis rosetas, que espalham-se por praticamente todo o seu corpo, são consideradas espécies de impressões digitais. Não existem dois leopardos com a mesma combinação e tamanho de manchas – o que lhe confere uma ar ainda mais singular e original.

As Características Reprodutivas dos Leopardos-do-Norte-da-China

As características reprodutivas do Leopardo-do-Norte-da-China também são as típicas da sua espécie. A época do acasalamento (geralmente entre fevereiro e março) estende-se por cerca de 1 semana. Após a cópula, a fêmea deverá enfrentar um período de gestação de cerca de 90 dias, e, confortavelmente abrigada em uma gruta, caverna ou numa árvore oca, ela deverá dar à luz entre 2 e 3 filhotes.

Serão necessários entre 8 e 10 dias para que os filhotinhos possam abrir os seus olhos – mas ainda sob a proteção da mãe.

E o curiosos sobre eles é que, durante esse período, apresentam uma pelagem bem mais volumosa, um tom mais para o acinzentado e com manchas ainda bastante discretas e pouco perceptíveis.

Quando atingem os 90 dias de vida, eles tornam-se aptos a tomar as suas primeiras aula de sobrevivência junto às mães, com as quais sairão para a vida, a fim de aguçar os seus principais sentidos (visão e olfato) .

Quando completam entre 1 ano e meio e 2 anos já são considerados adultos! Agora eles já não terão mais a necessidade da proteção das mães, e sim das suas habilidades típicas da família Felidae.

Dia após dia, os Leopardos-do-Norte-da-China desenvolverão algumas das suas mais incríveis habilidades, como a de subir e descer de árvores como se fosse um verdadeiro roedor e não um felino.

Olfato dos Leopardos
Olfato dos Leopardos

Seu olfato incomparável será capaz de avistar um antílope, um veado, ou mesmo um primata distraído, a quilômetros de distância.

Ele, a partir de então, fará parte dessa imponente e devastadora família dos chamados “Grandes Felinos”. E, assim como estes, ajudará a compor o cenário desse enigmático, misterioso e nebuloso trecho de fronteira entre a China e a Rússia.

Uma Espécie com os Dias Contados!

Os Leopardos-do-Norte-da-China caracterizam-se por ser espécies em vias de extinção. O curioso é que essa situação se deve, em boa medida, à descoberta de que a sua pele e ossos contêm propriedades farmacológicas não encontradas em nenhuma outra espécie de felinos.

O resultado é que hoje estima-se que não existam mais do que 30 desses animais espalhados em alguns parques naturais mantidos em um modesto trecho que separa a China da Rússia; enquanto cerca de 160 exemplares são mantidos em zoológicos públicos.

Porém há uma boa notícia para a Panthera pardus japonensis! O governo chinês, pressionado por setores ambientalistas e demais organizações internacionais, aprovou recentemente a criação de de uma Reserva Nacional para abrigar espécies de tigres e de leopardos considerados em “grave risco de extinção no país”.

O trecho está localizado na região nordeste da China, com uma área total de cerca de 5.635km2, e que até já vem sendo apelidado de “Santuário” – para o abrigo de alguma das espécies mais ameaçadas do planeta.

Agora os leopardos-do-norte-da-China, os leopardos-de-amur, os tigres-siberianos, entre outras espécies ameaçadas, poderão vislumbrar um futuro que não seja o da completa extinção no planeta.

O trecho de bioma onde será construído o parque fica na fronteira da China com a Rússia, nos arredores das províncias de Heilongjiang e Jilin. E, segundo os profissionais envolvidos nesse projeto, o local terá tudo o que é preciso para que se preserve todas as características de espécies como os leopardos-do-Norte.

O local terá, como infraestrutura, uma sala de monitoramento das espécies, equipes de salvamento de felinos selvagens, centros de pesquisas, entre outras ferramentas capazes de, em um período próximo, segundo os especialistas, alterar, radicalmente, o cenário desse trecho caracterizado por ser um dos mais enigmáticos do planeta.

Agora fique à vontade para deixar as suas impressões sobre esse artigo por meio de um comentário, logo abaixo. É por meio dele que conseguimos produzir mais e melhores conteúdos.

Veja também

Queimadura de Piolho de Cobra

A Lei da Selva Desde de que a vida surgiu no planeta Terra, há 3,5 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *