Home / Animais / Leopardo de Amur Extinção Quantos Existem

Leopardo de Amur Extinção Quantos Existem

Perseguir através das florestas frias do leste da Rússia e norte da China vive um predador supremo. Mesmo que se estende por dois metros da cabeça à cauda, ​​este grande felino sobe facilmente em árvores altas, onde está à procura de presas.

Uma espessa camada de manchas laranja, amarelas e pretas mantém o leopardo de Amur quente, e as pernas longas permitem que ele atravesse facilmente a neve profunda na floresta siberiana.

Poucos animais podem sobreviver aos invernos rigorosos da Rússia, mas o pêlo espesso do leopardo de Amur, as patas largas e as pernas compridas permitem que ele crie um lar, mesmo nas nevascas mais densas.

No Limite da Extinção

No entanto, poucas pessoas viram esse incrível gato em estado selvagem. O leopardo de amur está criticamente em perigo. Em 2015, os cientistas estimavam que restavam menos de 60 gatos na natureza, menos de 50 na Rússia e menos de 10 na China.

O leopardo de Amur é um predador de topo no seu ecossistema, caçando veados e veados. Nenhum outro animal caça o leopardo de Amur, apesar de competir por espaço e atacar o tigre de Amur. Regiões com populações de tigres de Amur tendem a ter menos leopardos de Amur. Não é que os tigres caçam leopardos, mas competem com eles por recursos.

No entanto, há um predador do leopardo de Amur que está causando o declínio de seus números: os humanos. Os seres humanos não estão apenas caçando os leopardos de Amur até a extinção, eles também estão causando mudanças danosas em seu habitat.

Embora a maioria das pessoas não apóie o comércio de peles hoje, já foi uma indústria em expansão. Peles de animais atualmente em extinção eram toda a raiva, e peles de leopardo de Amur estavam em alta demanda. Hoje, a caça aos leopardos de Amur é ilegal e encontra uma boa multa nos países nativos do leopardo.

Na Rússia, a multa pela caça furtiva ao leopardo de Amur é pesadíssima. No entanto, essas medidas servem apenas para tentar reprimir os caçadores ilegais. É difícil realmente impor leis de caça ilegal porque pode ser difícil provar que o animal foi realmente caçado e não simplesmente encontrado morto na natureza.

Outras Causas de Extinção

A mudança climática é causada pelo aquecimento global, um aumento na temperatura global. A mudança climática está causando mais derretimento glacial, o que perturba o habitat nevado do leopardo de Amur no norte.

Aquecimento Global
Aquecimento Global

Embora possamos pensar que temperaturas mais altas tornariam a vida um pouco mais fácil na floresta fria e russa, o leopardo-de-amur é adaptado ao habitat como ele é. Mudanças no clima e no habitat ocorrem mais rapidamente do que as espécies podem se adaptar, o que pode resultar em extinção.

Embora todas as populações de leopardos estejam em declínio, as populações humanas continuam a subir. Com o aumento do número de humanos, surge uma necessidade crescente de espaço, comida e água. A destruição do habitat ocorre quando os humanos invadem territórios de leopardos, derrubando árvores e desmantelando seu habitat para uma selva mais urbana.

Os seres humanos também caçam a presa do leopardo de Amur, levando à diminuição das fontes de alimento para o felino.

Esforços de Preservação

A situação do leopardo de Amur era tão ruim que muitos conservacionistas sentiram que medidas drásticas precisavam ser tomadas. A única questão era qual medida drástica a tomar.

Em 2001, durante um Workshop Internacional sobre Conservação do Leopardo do Extremo Oriente em Vladivostok, muitos cientistas e autoridades estaduais propuseram seriamente pegar os últimos 30 leopardos selvagens de Amur para garantir sua sobrevivência em cativeiro. Isso protegeria os gatos da caça furtiva e de outras ameaças, ao mesmo tempo em que criaria as bases para a reprodução e os futuros esforços de reintrodução.

Leopardo de Amur em Cativeiro
Leopardo de Amur em Cativeiro

Também outra opção dramática surgiu. O WWF iniciou uma campanha chamada “Salve cada um dos sobreviventes” na esperança de parar a caça ilegal de leopardos e ganhar apoio para os gatos entre os habitantes locais. Enquanto isso, o governo russo, incentivado pela organização conservacionista e liderado pelo ex-vice-ministro da Federação Russa, Sergey Ivanov, lançou as bases para criar uma enorme área protegida para os grandes felinos.

Esse esforço provou ser contencioso, e eventualmente levou ao estabelecimento de 2012 do Parque Nacional da Terra do Leopardo, cerca de 647.000 acres de habitat de leopardo em que os animais podiam viver e se reproduzir em segurança.

O leopardo de Amur em 2018

Todos esses esforços já valeram a pena. O Parque Nacional Leopard anunciou em sua última contabilidade que a população de leopardos Amur dentro de suas fronteiras aumentou para 84 adultos e 19 filhotes ou adolescentes. Este é um aumento dramático sobre os 57 leopardos contados no parque nacional em 2015 e a primeira vez em décadas que a população de leopardos Amur ultrapassou 100 animais.

Todo o trabalho duro e dedicação foi creditado a ONGs entusiastas, cientistas e autoridades estatais realmente responsáveis por alcançar a triplicação da população de leopardos silvestres em menos de 20 anos.

A maior parte desse aumento é de crescimento natural devido à remoção das pressões que vinham causando o declínio dos gatos, mas algumas delas também se devem provavelmente a melhores métodos científicos para monitorar a população. É difícil contar os leopardos nas melhores circunstâncias, e os gatos solitários estão espalhados por uma enorme quantidade de território. As primeiras tentativas de estabelecer tamanhos populacionais dependiam da contagem de pegadas na neve.

Hoje, não apenas tem mais gatos para contar, mas também métodos de contagem mais precisos. O parque nacional agora possui uma rede de 400 armadilhas fotográficas localizadas em 890.000 acres de habitat de leopardos. Os cientistas agora podem comparar as fotos, procurando padrões de peles únicos de cada gato, para chegar à nova contagem de população. Os novos números foram calculados a partir de todas as fotos tiradas em 2017.

Enquanto isso, a população de leopardos do outro lado da fronteira na China também parece estar aumentando ligeiramente. Embora tivesse sido dito que os números da população fora da Rússia são especulativos, um documento do ano passado elaborado por pesquisadores chineses e americanos estimou que 5 a 7 leopardos vivem no lado Sino da fronteira. O mesmo papel contava com 31 leopardos que cruzavam a fronteira entre os dois países.

Dependendo das condições a cada ano, um número diferente de leopardos pode usar o lado chinês da fronteira, e é preciso dados de ambos os lados. Esse ligeiro aumento na China é creditado a vários fatores, incluindo o estabelecimento de três áreas protegidas e uma campanha de remoção de armadilhas que coletou armadilhas estabelecidas por caçadores ilegais. A China também está aprimorando sua própria rede de captura de câmeras e deve comparar seus dados com a vizinha Rússia nos próximos meses.

Veja também

Escorpião Preto Andando em Terras Asiáticas

Habitat do Escorpião Preto: Onde eles Vivem?

Os escorpiões, ao mesmo tempo que parecem ser animais assustadores, são seres fascinantes também. Obviamente …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *