Home / Animais / Leopardo da África Características

Leopardo da África Características

O leopardo africano (panthera pardus pardus) é a mais comum das subespécies de leopardo.

Panthera Pardus

O leopardo panthera pardus é uma espécie de felino da subfamília pantherinae. Este felino tem um casaco marrom com rosetas e uma forma melânica também existe.

Excelente alpinista e saltador, o leopardo tem a particularidade de içar sua presa de cima da árvore como se tivesse garfos nas patas, para colocá-la fora do alcance de outros predadores.

Um felino solitário e oportunista, o leopardo é amplamente distribuído na África e no Sudeste Asiático em muitos tipos de habitats.

O tamanho da população, no entanto, é considerado em declínio pela União Internacional para a Conservação da Natureza, que classifica as espécies como quase ameaçadas. Cinco subespécies são consideradas ameaçadas ou criticamente ameaçadas de extinção.

O Leopardo Africano

É a maior e mais difundida subespécie de leopardo, pesando até 90 kg para machos grandes, para um tamanho de corpo de 1,90 metros ao qual deve ser adicionado um bom critério. As fêmeas são geralmente 40% menores.

Essa subespécie, pantheras pardus pardus são encontrados principalmente na África subsaariana e no deserto ocidental de Kalahari, na Namíbia, onde são relativamente comuns. A espécie está quase extinta no norte da África, onde já foi observado nas montanhas do Alto Atlas.

Leopardo Africano
Leopardo Africano

Seu habitat é variado, que vai desde a savana (Quénia, Tanzânia…) através da floresta (Gabão, Congo…) sem esquecer da montanha (África do Sul, Zimbabwe…) ou ainda as áreas desérticas do deserto do Kalahari na Namíbia e os pântanos do Delta do Okavango, no Botswana.

Variações de Características

As diferenças de tamanho são importantes entre as regiões, portanto, na Província do Cabo, na África do Sul, o peso médio do animal não excede 30 quilos, enquanto no Parque Nacional Kruger, ainda na África do Sul, o peso médio é de 60 quilos.

A falta de informações e dados sobre o leopardo não corrobora a sugestão existente de que os maiores exemplares são o sul africano, nem que os leopardos descritos por pocock são o maior na Argélia (que agora só resta raras espécimes), no norte do Congo, no sul do Sudão, nas florestas costeiras da África Ocidental, no Gabão central e na região da Floresta do Rift no Quénia, nomeadamente Aberdares e Monte Quénia.

Estes pressupostos são baseados em medições efetuadas a partir de caveiras, e no nordeste do Congo, 7 machos foram medidos, e seu crânio medido em média 261 mm, com dois espécimes, respectivamente, 279 mm e 282 mm. Também diz-se que 3 espécimes da costa do Gabão alcançou média de 274 mm, com a maior 282 mm. Dados impressionantes, mas sem referências comprovadas.

Sabendo que a onça do Pantanal pesa em média 100 quilos, não é impossível acreditar que os leopardos têm as mesmas medidas, também pode alcançar um peso impressionante, cerca de 90 kg (o leopardo é um pouco mais fino do que a onça para igual tamanho). Em comparação, os maiores leopardos, ou seja, sul-africanos e africanos do leste, têm uma caveira com uma média de 230 mm, 260 mm para os maiores.

De acordo com publicações oficiais de caçadores, os leopardos das regiões montanhosas do leste da África, são em média 260 mm no crânio, mesmo com um modelo a 286 mm, o que excede o tamanho médio da maioria de subespécie grande de onça pintada.

Características Entre Macho e Fêmea

Certamente o mais extremo em felinos é a diferença no tamanho masculino e feminino da espécie. É mesmo enorme nos leopardos, podendo exceder 100%. Assim, a fêmea pesa em média 30 quilos, 50 a 60 quilos para a maior, enquanto os machos chegam a 60 quilos em média, 80 a 90 quilos para espécimes maiores.

É comum que os colonos, confundido por essa diferença de tamanho, acreditam ser duas espécies diferentes, o leopardo (macho) e a pantera (fêmea), sendo que, obviamente, são o mesmo animal. E as diferenças morfológicas entre os sexos são muitas.

O crânio masculino é maior, mais forte, mais angular, a crista sagital é muito pronunciada no sexo masculino, e quase ausente na fêmea (a crista sagital afeta o poder da mandíbula) etc. Essas diferenças obviamente resultam em um estilo de vida e uma dieta distinta, a fêmea irá principalmente mirar em pequenas e médias presas e facilmente desistir de sua refeição contra outros predadores, ao contrário do macho.

Diferenças Taxonômicas

Mesmo entre machos da própria espécie panthera pardus existem pequenas variações em dimensão e peso corporal, dependendo da região da África em que habitam. Segue abaixo as variações taxonômicas do leopardo africano e suas regiões de habitat:

Panthera pardus pardus (Sudão e nordeste da República Democrática do Congo);

Panthera Pardus Pardus
Panthera Pardus Pardus

Panthera pardus panthera (Norte da África);

Panthera Pardus Panthera
Panthera Pardus Panthera

Panthera pardus leopardus (Florestas Tropicais da África Ocidental e Central);

Panthera Pardus Leopardus
Panthera Pardus Leopardus

Panthera pardus melanotica (África do Sul);

Panthera Pardus Melanotica
Panthera Pardus Melanotica

Panthera pardus suahelica (África Oriental);

Panthera Pardus Suahelica
Panthera Pardus Suahelica

Panthera pardus nanopardus (Terras Secas da Somália);

Panthera Pardus Nanopardus
Panthera Pardus Nanopardus

Panthera pardus ruwenzori (Montanhas Rouwenzori e Virunga);

Panthera Pardus Ruwenzori
Panthera Pardus Ruwenzori

Panthera pardus adusta (Terras Altas da Etiópia);

Panthera Pardus Adusta
Panthera Pardus Adusta

Panthera pardus reichenovi (As savanas dos Camarões);

Panthera Pardus Reichenovi
Panthera Pardus Reichenovi

Panthera pardus adersi (Ilha de Unguja, Zanzibar).

Panthera Pardus Adersi
Panthera Pardus Adersi

População de Leopardos Africanos

A população de leopardo africano ainda estava estimada em 700 000 indivíduos conforme IUCN de 2011, com a maioria ainda vivendo fora dos parques. Sua grande capacidade de adaptação às mudanças climáticas e seu hábito de viver em árvores garantem sua segurança, exceto quando eles atacam os rebanhos de gado, e então os fazendeiros procuram envenená-los.

Ainda assim, a espécie é ameaçada porque sua pele, infelizmente, ainda é o sonho de consumo para algumas comunidades religiosas africanas. Os líderes de clãs vêem nas peles de leopardo um emblema do poder. Às vezes, usam roupas de pele de leopardo e toucados para legitimar sua autoridade.

O alcance do felino é reduzido localmente em áreas densamente urbanizadas. As principais ameaças à espécie são a caça furtiva para a sua pele e ossos usados na medicina e conflitos asiática tradicional com os proprietários dos animais e o esgotamento de sua presa.

Sua caça é proibida na maioria dos países africanos (Angola, República Democrática do Congo, Ruanda, etc.) ou mesmo altamente regulamentada (África do Sul, Quênia, Namíbia,Tanzânia). Difícil de observar, o leopardo africano vive oculto, a ponto de ninguém poder avançar estatísticas confiáveis ​​sobre o nível real das populações existentes.

Veja também

Caça Esportiva de Javali

Como Caçar Javali Legalmente?

Por quase três décadas, porcos selvagens invasivos estão se espalhando por todo o Brasil, arrancando …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *