Home / Animais / Jabuti-Piranga: Como Saber a Idade?

Jabuti-Piranga: Como Saber a Idade?

Como Saber a Idade de um Jabuti Piranga?

O método mais comumente utilizado para se descobrir a idade de um jabuti piranga, é por meio da contagem das linhas que espalham-se pela sua carapaça. Essa carapaça é formada por gomos, e esses gomos são delimitados por linhas, e a quantidade dessas linhas é o que, supostamente, determina a sua idade.

O jabuti é um daqueles casos em que não se sabe bem se os admira ou os odeia; ama ou tem medo; talvez pelo simples fato de eles serem espécies de sobreviventes pré-históricos – parentes de algumas espécies que teriam vivido na Amazônia há cerca de 8 milhões de anos, de acordo com as mais recentes descobertas científicas.

Tratando especificamente do jabuti-piranga, sabemos que ele é um animal que geralmente mede entre 60 e 70cm, pesa entre 12 e 15kg e pode viver até os assustadores 100 anos!

A sua carapaça é uma estrutura queratínica, um tanto quanto arredondada e escura, com algumas linhas hexagonais, entre outras características, que geralmente fazem (para a sua mais profunda indignação!) com que  sejam constantemente confundidos com cágados ou tartarugas.

A suas patas são volumosas e cobertas por cascos escuros com manchas avermelhadas, e também pode ser facilmente distinguido do jabuti-tinga (o seu parente mais próximo) pelo seu tamanho, que pode chegar a quase o dobro.

Essa espécie é bastante democrática quando o assunto é o seu habitat natural. Seja nas regiões Nordeste, Norte, Centro-Oeste e Sudeste, em todas elas é possível encontrar exemplares do jabuti-piranga.

E eles são geralmente encontrados em matas fechadas, campos, cerrados, vegetação de caatinga, trechos de Mata Atlântica e da Floresta Amazônica, bordas de florestas, savanas; enfim: difícil mesmo é encontrar um lugar onde esse animal não sinta-se verdadeiramente em casa.

A Cheloidis carbonária (seu nome científico) é um daqueles animais exóticos bastante procurados atualmente como animais de estimação; mas não só no Brasil como também na Bolívia, Paraguai, Argentina, Venezuela, Panamá, Colômbia, Suriname, Guiana, entre outras regiões – entre a América Central e do Sul.

E em todas essas regiões eles guardam praticamente as mesmas características  (assim como a forma de se descobrir a idade do jabuti-piranga é sempre a mesma), as características de uma animal exótico e, principalmente, com uma história de milhões e milhões de anos de existência.

As Principais Características do Jabuti-Piranga

As marcas da sua ancestralidade estão por todo o corpo da Cheloidis carbonária. Basta ver como, por exemplo, uma série de escamas espalham-se regularmente pela sua cabeça, patas e caudas.

E basta ver também como é possível descobrir a idade de um jabuti-piranga através da técnica de se contar as linhas do seu casco – uma técnica utilizada essencialmente em descendentes de animais pré-históricos.

O jabuti-piranga possui uma carapaça escura, lisa, com gomos amarelados (e em relevo) e na forma de hexágonos.

 Carapaça Escura do Jabuti Piranga
Carapaça Escura do Jabuti Piranga

Como defesa, um curioso sistema permite que a sua cabeça e membros alojem-se no interior do seu corpo, enquanto uma resistente carapaça (que um dia já lhe protegeu do assédio dos terríveis dinossauros) garante a sobrevivência aos ataques dos seus principais predadores.

Predadores que podem ser as temíveis onças pintadas, ou os velozes e implacáveis gaviões, além de falcões, algumas espécies de serpentes, entre outras feras da natureza.

Os machos são ligeiramente maiores do que as fêmeas, e ainda podem ser diferenciados pelo formato dos seus ventres (reto nas fêmeas e côncavo nos machos).

Casal de Jabuti-Piranga
Casal de Jabuti-Piranga

Na natureza, os jabutis-piranga são animais dóceis, pacatos, nascidos para estarem em meio à natureza selvagem; apesar de terem os seus habitats constantemente devastados pelo avançar da civilização que, por meio de inúmeras queimadas, praticamente os dizimam dessas regiões.

Para se ter uma ideia da sua importância na natureza, eles costumam apreciar sementes como alimentação. Essas sementes, após um curiosos processo digestivo, são devolvidas à natureza (através das suas fezes), e voltam a dar origem a várias espécies da vegetação local.

Completam algumas das suas principais características, a facilidade com que são criados juntos a outras espécies de animais, a curiosa característica de hibernarem (durante o inverno) com o corpo totalmente retraído no interior da sua resistente carapaça por até 60 dias inteiros, entre outras características.

Como Criar um Jabuti-Piranga?

O jabuti-piranga é hoje uma das quase 700 espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Mas essa é uma realidade que não impede que a cada ano milhares deles continuem sendo contrabandeados para várias partes do Brasil e do mundo – contando, obviamente, com a negligência das autoridades brasileiras.

De um modo geral, essa espécie não é muito exigente no que diz respeito aos cuidados durante a sua criação.

Como foi dito, a forma de se descobrir a idade de um jabuti-piranga é por meio da contagem das linhas em suas carapaças. Logo, esse número pode ser de até algumas dezenas, caso eles sejam tratados adequadamente.

Na verdade, uma boa alimentação, água em abundância, um ambiente limpo e amplo, além de uma boa dose de carinho, são ingredientes suficientes para fazê-los viver até os inacreditáveis 150 anos.

De acordo com os especialistas, os jabutis-piranga necessitam de um ambiente amplo e arejado, e que imite o máximo possível o seu habitat natural.

Pelas suas características, eles precisam ser criados em quintais (em um solo natural e de chão batido), em um ambiente onde possam receber sol adequadamente.

A sua alimentação é a típica de um animal onívoro (que se alimenta de vegetais e animais). Eles aceitam bem vários tipos de vegetais, hortaliças, leguminosas, gramíneas, frutas, verduras, folhosos, carne bovina, etc.

Mas quando estão em seus habitats naturais não costumam rejeitar iguarias como insetos, pequenos moluscos, lesmas, entre outros animais de pequeno porte e de fácil digestão.

Jabuti-Piranga Comendo Ração
Jabuti-Piranga Comendo Ração

Para eles, um banquete à base de melão, banana, melancia, uvas, mangas, laranjas, entre outras frutas tropicais, é simplesmente um sonho!

Mas se quiser acrescentar alguma ração especial – e que preferencialmente contenha um alto teor de vitaminas, proteínas e minerais – , aí então terá a garantia de uma animal saudável e que viverá em sua companhia por várias e várias gerações!

Com relação ao fornecimento de carne e ração especial para répteis, o ideal é que ela seja reservada para 1 ou 2 vezes na semana (no máximo). No restante do tempo, os vegetais (especialmente os folhosos de cor verde-escuro) e as frutas deverão ser os carros-chefes da sua alimentação.

No mais, é só garantir um espaço amplo, onde haja uma espécie de toca (escura e quente) para que possa abrigar-se das intempéries, e que seja preferencialmente de chão batido.

E atentar também para possíveis doenças e necessidades especiais que exijam uma consulta semestral com um bom veterinário, entre outros cuidados que se deve ter com animais exóticos e de estimação.

Deixe o seu comentário sobre esse artigo. E aguardem as próximas publicações do blog.

Veja também

Queimadura de Piolho de Cobra

A Lei da Selva Desde de que a vida surgiu no planeta Terra, há 3,5 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *